Audiência – Westworld, The 100, Suits e mais: Análise de 21/04 a 27/04

Audiência, Análise da Audiência, Westworld, The 100, Audiência
Imagem: USA Network/Divulgação; HBO/Divulgação; CW/Divulgação

Posso parecer repetitivo ao dizer que tivemos uma semana cheia, mas lembro ao leitor que a cada semana as coisas ficam mais movimentadas.

Seja na TV aberta com a temporada de Season Finales se aproximando, ou com a TV a cabo se preparando para seu melhor momento, a Summer Season, estas semanas estão agitadas. Desta vez, ainda tivemos a conclusão da blitz midiática de James Comey e o Draft da NFL, responsável por dar o ponta pé inicial para a pré-temporada do futebol americano.

Vamos para nossa análise…

ABC

Sem a competição com o ACM Awards, que tem um apelo enorme com o interior do país, American Idol respirou fundo e subiu 0.2 para confortáveis 1.5 no demográfico no domingo. Enquanto na segunda-feira, uma subida de 0.1 para 1.4, quase batendo o The Voice (1.5) na NBC. Mesmo com o crescimento do reality show, em ambas as exibições, seus parceiros de noite ou caíram ou ficaram estáveis. Deception tropeçou 0.1 para medonhos 0.6, enquanto The Crossing continuou nos ruins 0.7.

Na terça-feira, algo impressionante. A ABC venceu a noite com reprises de Roseanne. Entendeu bem? Com quatro episódios que variaram entre 1.3-1.5, a comédia entregou números que muitas adorariam ter com episódois originais. Mais tarde, Deception (numa exibição especial) entregou 0.7, o que é 0.1 a mais do que o episódio no último domingo. Se você pensou que tal exibição mostra que a ABC está testando o drama no horário da morte para a próxima temporada… Você está provavelmente certo.

Já na quarta, um bloco de Alex Inc. fez 0.7 e 0.6 respectivamente, o que é praticamente uma estabilidade se compararmos aos anêmicos 0.6 da semana anterior. Mais tarde, Designated Survivor fez 0.5 que é uma Series Low. Na quinta-feira, Grey’s Anatomy marcou uma nova Series Low para 1.5 assim como Station 19 fez 0.9.

Já às 22h, Quantico foi um desastre. O drama fez miúdos 0.5 no demográfico alvo. Na sexta-feira, Once Upon a Time fez 0.5 (+0.1), enquanto SHIELD e 20/20 ficaram estáveis c0m 0.4.

NBC

Imagem: NBC/Divulgação

No domingo tudo ficou na mesma na NBC: Little Big Shots (0.8), Genius Jr. (0.6) e Timeless (0.5). Na segunda-feira, o The Voice despencou 0.3 na sua segunda semana de shows ao vivos, quase empatando com o American Idol na NBC (1.5 x 1.4). Mais tarde, Good Girls ficou firme nos 0.9.

Na terça-feira, The Voice subiu para 1.6, mas não preveniu que Rise piorasse para horríveis 0.7, assim como não conteve a queda forte de Chicago Med de -0.2 fechando com 1.0, desviando de uma Series Low. Voltando de umas férias desde o início do mês, The Blacklist fez 0.8, uma queda de -0.1 em comparação com sua última exibição.

Na quinta, Superstore AP Bio caíram – 0.1, mesmo caminho feito por Chicago Fire às 22h (0.9/-0.1).  Na sexta-feira, Blindspot fez 0.5 e o Dateline com 0.7. Ambas estáveis.

FOX

A boa notícia pra Fox é que sua programação de domingo, a má notícia é que os resultados continuam ruins. Bob’s Burgers (0.8), The Simpsons (0.9), Brooklyn Nine-Nine (0.8), Family Guy (0.9) e The Last Man On Earth (0.6). O mesmo aconteceu na segunda-feira: Lucifer repetiu seus 0.7, enquanto The Resident continuou firme nos 0.9. Mesmo envolvida em escândalosLethal Weapon subiu 0.1 para 0.9, enquanto LA to Vegas subiu para 0.7 ao mesmo tempo que New Girl permaneceu nos 0.6.

Na quarta-feira, Empire (1.7) e Star (1.2) caíram 0.1 em comparação com a semana anterior. Sabe que cheiro é esse? Exatamente, futebol. O doce cheiro da NFL. Na quinta-feira (26) o pacote (gravado) que a emissora exibiu do DRAFT marcou 1.1. Na sexta, a gravação rendeu 0.6.

CBS

No sábado, Ransom manteve os mesmos desastrosos 0.3 da semana anterior. Vale lembrar que a CBS cancelou a série, mas renovou-a depois que a Global (Canadá) e a TF1 (França) decidiram seguir o mesmo caminho. Bill Clinton já diria que “é a economia, estúpido”. Exatamente. No domingo, vimos 60 Minutes cair -0.4 para 0.7, enquanto Instinct despencou -0.3 para 0.6, NCIS: LA caiu -0.1 para 0.8 e Madam Secretary estabilizou nos 0.6. Na segunda, o único original foi um especial do The Late Late Show Carpool Karaoke Primetime Special que subiu 0.1 em comparação com 2017 (0.7 x 0.8).

Na quarta-feira, Survivor ficou estável nos seus 1.6, o que não impediu que Seal Team, de volta quase um mês desde sua última exibição com 0.8 (-0.1). Na quinta-feira, The Big Bang Theory despencou 0.4 para 2.0. Young Sheldon teve uma queda menos brusca, de apenas -0.1 para 1.8, mesmo caminho feito por Mom (1.3/-0.1). Life In Pieces (1.0) e SWAT (0.8) ficaram estáveis.

Por fim, na sexta-feira, boas notícias. Além de vencer a noite, a CBS mostrou o poder e a força da sua programação dedicada aos “mais velhos”. MacGyver perdeu -0.1 para 0.7, o que é perfeitamente normal lembrando do início da temporada de verão. Às 21h, Hawaii Five-0 permaneceu nos 0.9 ao mesmo tempo que Blue Bloods atraiu o maior público do dia (08 milhões de pessoas) com estáveis 0.8 no demo.

Código vermelho ou muito barulho por nada? 

Às 22h de quarta-feira foi a estreia da 3ª temporada da sobrevivente Code Black. O drama retornou com 0.7, que é uma queda de 0.5 em comparação com seu retorno de 2017. Entretanto, seria leviano com o leitor trazer uma análise tão básica como essa. Isso porque é importante ressaltarmos os fatos.

Quando a série voltou, Designated Survivor vencia o horário marcando 1.8 (bem diferente dos 0.5 desta semana), enquanto a noite começava com Survivor marcando 2.1 para CBS, que curiosamente são 0.5 a menos que o reality show fez nesta semana. É verdade que mesmo ressaltando esses dados, a situação do drama médico ainda é delicada.

A CBS sempre se envolve numa negociação tensa com a ABC Studios (produtora da série médica) para que a renovação seja boa para os dois lados. Este ano não será diferente.

Continua após a publicidade

CW

Na segunda-feira, toda programação fechou no vermelho. Supergirl oscilando de 0.5 para 0.4, assim como iZombie variando de 0.3 para 0.2. Na terça-feira, The Flash caiu de 0.7 para um Series Low de 0.6, enquanto The 100 retornou com 0.4, o que são os mesmos números que a série apresentou ao estrear em 2017. Na quarta-feira, tudo na mesma com Riverdale The Originals repetindo seus 0.4 da semana anterior.

Na quinta, Supernatural (0.5) e Arrow (0.3) apresentaram estabilidade, enquanto na sexta Dynasty marcou 0.2 (+0.1) e Life Sentence fez sua estreia no dia com os mesmos (e medonhos) 0.1.

A Blitz de Comey

Depois de uma primeira semana de imprensa que oscilou entre o impressionante e o ridículo, o ex-diretor do FBI, James Comey,  está de volta para uma segunda rodada. Poucas atrações, porém relevantes. Além disso, também temos os números completo de toda a estratégia midiática.

Na CNN (25) ele participou de um Town Hall de perguntas e respostas com pessoas comuns. A apresentação ficou por conta de Anderson Cooper, o programa fez 0.47 demográfico alvo do noticiário da TV a Cabo (25-54 anos) e 1.7 milhão de pessoas, longe do registrado em fevereiro deste ano quando discutiu-se um maior controle da venda de armas – 2.90 milhões de telespectadores e 1.10 no demográfico alvo do noticiário da TV a Cabo (25-54 anos).

Audiência, James Comey
Imagem: Divulgação

Já na quinta-feira (26) ele foi entrevistado pelo jornalista Bret Baier no Special Report. A entrevista rendeu 0.50 demográfico alvo do noticiário da TV a Cabo (25-54 anos). Foi primeira (e única) participação na programação da Fox News. Para os ainda mais interessantes, ele também falou com a imprensa internacional. Foi entrevistado pela BBC no Newsnight na quinta-feira (19), e para a ABC para o programa 7.30 na quinta-feira (19).

Obs: Extraordinariamente a semana de divulgação avançou pela terceira semana. Comey foi um dos convidados de Chuck Todd no Meet The Press da NBC no último domingo (29). Como este que vos escreve não está nem um pouco disposto a estender esse tópico por mais uma semana, atualizaremos essa coluna quando a audiência dos programas matinais de domingo forem divulgados. [Atualizado em 1º de maio às 22h22 com os números finais]

Adeus à Barbara Bush

Imagem: NBC/Reprodução; CBS/Reprodução; ABC/Reprodução; Fox/Reprodução;

O falecimento da ex-primeira dama Barbara Bush fez com que os canais entraram no modo de “plantão”. As afiliadas da Fox e CBS em Houston, Texas, permaneceram em modo local para cobertura enquanto a ABC e a NBC optaram pelo sinal nacional. Segundo apuração do Mix de Séries, o horário nobre foi mantido normalmente nas afiliadas de todos os canais da grande Houston e ao redor do Texas. A informação é importante porque a região é o sétimo maior mercado de televisão no país com 2.46 milhões de telespectadores, qualquer alteração mexeria, sem dúvida alguma, com os números nacionais dos canais.

A cobertura do enterro da ex-primeira dama dominou a programação de sábado. A CNN, MSNBC, Fox News, ABC e NBC carregaram a cobertura ao vivo com a participação de historiadores, amigos da família e seus principais âncoras. A CBS foi a única a fazer flashes no decorrer da cerimônia. A transmissão ao vivo ficou limitada para seu braço na internet, a CBSN. Sem surpresa, a CNN venceu na TV a cabo. A emissora fez 0.18 no telespectador alvo e atraiu 1.4 milhão de telespectadores, a Fox News (0.14/1.9 milhão) ficou em segundo e a MSNBC (0.10/1.03 milhão) em terceiro.

TV a Cabo

Imagem: Divulgação

Na semana definitiva de Fear The Walking Dead, haja vista que foi a primeira sem o lead-in de The Walking Dead, mostrou a série caindo 0.54, mas mesmo assim mantendo números respeitáveis de 1.09 no demográfico alvo. Mais tarde, a AMC também exibiu o Season Premiere de Into the Badlands. O drama fez 0.45 no demo, uma queda expressiva dos 0.97 do ano passado (inflados por ser pós-The Walking Dead), mas na linha da Season Finale da 2ª temporada com 0.47 no demo.

Na HBO vimos o cultuado e esperado retorno de Westworld. A série cresceu (0.12) em comparação com o Series Premiere, marcando respeitáveis 0.89 no demográfico alvo e atraindo a atenção de 2.1 milhões de telespectadores. Se adicionarmos as diversas reprises que a emissora exibiu naquela madrugada (assim como os resultados da HBO Go), o número total salta para 03 milhões de pessoas. O restante da grade, claro, cresceu. Silicon Valley (+0.11/0.40) e Barry (+0.04/0.23).

Na Showtime, Homeland subiu 0.03, apesar da competição, mesmo movimento feito por Billions (+0.04/0.23) e The Circus (+0.02/0.05). A Season Finale da popular When Calls The Heart na Hallmark Channel subiu (0.10) em comparação com a semana passada, fazendo respeitáveis 0.31. Killing Eve teve uma leve subida de 0.07 para 0.0.8, enquanto a programação do Starz continua uma tragédia. Howards End caiu para 0.02, enquanto a cancelada Ash vs Evil Dead fez 0.05.

Abre alas para as estreias (e alguns finais)

Na segunda-feira, The Terror subiu para 0.25. Enquanto a Season Finale de McMafia fez 0.04, uma queda (-0.01) em comparação com a semana anterior. Vale lembrar que mesmo que essa audiência medonha leve a AMC a cancela-la, ela pode continuar sendo produzida em razão da co-produção com a BBC One e a distribuição internacional da Amazon Prime Video. Na Lifetime, a Season Finale de duas horas de UnREAL fez 0.09 e 0.07, longe dos 0.12 da semana passada. Legion subiu levemente de 0.16 para 0.20. Enquanto Shadowhunters subiu de 0.12 para 0.15.

Na quarta-feira, más notícas para a NatGeo. Embora Genius já tenha sido renovada, a série retornou para sua segunda temporada marcando 0.08 e 0.07 na primeira e segunda hora, respectivamente. Tais números são bem menores se compararmos com os 0.23 do primeiro ano. The Expanse subiu 0.03 para 0.18. Enquanto Krypton, ainda sem chão, caiu de 0.05 para 0.17. Ainda na quarta, Famous In Love deu um respiro e subiu de 0.08 para 0.10.

Na quinta-feira, RuPaul’s Drag Race subiu de 0.02 para 0.41. Atlanta continuou caindo de 0.29 para 0.24, mesmo movimento feito por Siren ao cair de 0.26 para 0.23.

Continua após a publicidade

Internacionais

Imagem: Divulgação (06)

Mesmo com uma apresentação memorável de sobreviventes do ataque terrorista de Manchester em 2017, o Britain’s Got Talent caiu. O reality show foi assistido por 7.8 milhões de pessoas, uma queda de 500 mil em comparação com a semana anterior. Já na Austrália, ótimas notícias. The Voice Australia subiu. Após ser vista por “apenas” 1.02 milhão de pessoas na estreia, o programa foi visto por 1.10 milhão. Ainda perdeu para o popular My Kitchen Rules Australia, mas venceu no demográfico alvo (0.59 x 0.455).

Com o The X Factor Spain de folga, o grande destaque na TV espanhola foi a estreia da 6ª temporada de MasterChef Spain que marcou sua maior audiência da história. Foram 16.8% de share e 2.54 milhões de telespectadores pela La 1. Na terça-feira, a BBC One levou ao ar o primeiro episódio da minissérie The Split, vista por 4.3 milhões de pessoas e ficando atrás apenas de Emmerdale na ITV.

Na quarta-feira (25) a SBS2 estreou a versão sul coreana de Suits. O drama marcou impressionantes 7.4 no demográfico alvo (sim, a audiência da Coréia do Sul é medida pela Nielsen Korea com a mesma métrica) e 1.18 milhão de telespectadores, o que é superior aos 5.9 da Season Premiere de Mystery Queen 2 na semana anterior. O remake oriental fez com que a SBS2 vencesse, com folga, a SBS e a MBC.

“No quiero presumir, pero…”

No último domingo (22), realizou-se o primeiro debate presidencial no México antes das eleições gerais de 01º de julho. Em termos de audiência, o evento foi ótimo. De acordo com Instituto Nacional Eleitoral do país, a transmissão atraiu a atenção de 11.4 milhões de pessoas, além de um share de 40%. Segundo a Nielsen, mais de 13 milhões de pessoas viram pelo menos um minuto do debate.

O que significa que uma a cada três pessoas, de acordo com o Informador, sintonizou no evento entre as 20h-22h05 (horário local). Mesmo bons, os números não chegam perto de recordes anteriores. O segundo debate da disputa de 2012 foi visto por mais de 23.5 milhões de pessoas. Perdendo apenas para o de 1994: visto por estrondosos 35 milhões de pessoas.

Análise Especial da Semana: Suits

Suits
Imagem: USA Network/Divulgação

Suits ainda está longe de bater a série mais lôngeva da TV a Cabo: South Park, atualmente na 19ª temporada que deverá chegar até 0 23º ano, de acordo com a própria Comedy Central. Embora não acredito que seja esse o objetivo da USA Network, há um claro derretimento na audiência do drama jurídico no decorrer dos anos, mesmo que tais quedas sejam esperadas para uma produção veterana.

Ainda sim, a série jurídica merece uma atenção porque mesmo com as quedas e a idade, ela continua rendendo muito para NBCUniversal. O mercado internacional é uma das suas principais fontes desse lucro. Além do licenciamento para Netflix em territórios importantes, como a América Latina, o drama é exibido nas televisões da África do Sul, Holanda, Japão e entre outros.

Pode parecer um clichê sempre ressaltar o que acontece ao redor do mundo. Vimos esse argumento ser usado para renovar Taken Quantico no ano passado. Porém, vale lembrar que ambas passaram por uma grande reestruturação criativa antes de retornarem ao ar. Exatamente o que acontecerá com Suits quando sua oitava temporada estrear nos próximos meses. Katherine Heigl pode não ser o rosto do sucesso, mas os anunciantes adoram um rosto estrelado. Principalmente na TV a cabo.

A audiência dos últimos episódios da sétima temporada mostraram que o drama já está flertando com território perigoso: os 0.20-0.25. É possível que seja pontual e que o drama retorne a marcar números fortes quando o oitavo ano entrar no ar. Ainda mais sabendo que a USA Network investirá bastante no marketing envolta da Sra. Heigl.

Médias Gerais

Média da 7ª temporada: 0.3 no demográfico alvo; 1.30 milhão de telespectadores

Média da 6ª temporada: 0.4 no demográfico alvo; 1.60 milhão de telespectadores

Média da 5ª temporada: 0.5 no demográfico alvo; 2.01 milhões de telespectadores

Média da 4ª temporada: 0.6 no demográfico alvo; 2.26 milhões de telespectadores

Média da 3ª temporada: 0.9 no demográfico alvo; 2.73 milhões de telespectadores

Média da 2ª temporada: 1.2 no demográfico alvo; 3.60 milhões de telespectadore

Média da 1ª temporada:  1.4 no demográfico alvo; 4.28 milhões de telespectadores

About Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.