Arrow – 6×08 – Crisis on Earth-X (2)

Imagem: The CW/Divulgação

PARTE 2 DO CROSSOVER

A temporada 2017/2018 ficará marcada como o ano do maior crossover das séries da DC na televisão e também um dos maiores da história das séries de TV contendo 4 séries em 4 episódios (o da temporada passada não chegou a tanto já que o episódio de Supergirl fez ligação com a história apenas em seus minutos finais). A produção das séries acertou em cheio ao escolher fazer mais uma grande adaptação do universo da DC nos quadrinhos: a Terra-X. E depois de uma divertidíssima e empolgante primeira parte em Supergirl, demos continuidade agora com a parte 2 em Arrow.

Um ponto que se nota sobre a divisão dos episódios é, além de um foco maior em cada personagem dentro de sua própria série, a inserção da grande história do crossover dentro do tom de cada série. A primeira parte, por exemplo, que é ambientada em Supergirl teve uma pegada mais divertida, engraçada, mais colorida e empolgante. Já essa segunda parte percebe-se uma maior densidade na história. Foi um episódio mais realista, com embates mano a mano, é mais carregado na dramaticidade dos personagens e seus relacionamentos, características muito fortes em Arrow. Esses e outros pequenos detalhes que vemos ao longo dos episódios são prova de que a produção se empenhou ao máximo para trazer um especial tão grande quanto a de um evento cinematográfico.

Apesar de tudo o que vínhamos acompanhando na parte 1, nada nos preparou para a grande surpresa que foi os minutos iniciais desse episódio. O Prometheus da Terra-X é ninguém menos que nosso querido Tommy Merlyn. Isso mesmo, Collin Donnel surpreendeu a todos ao se revelar como o vilão do outro universo. Apesar dos poucos e chocantes minutos em tela, a nostalgia de vermos Stephen e Collin contracenando novamente foi um grande presente da produção para os fãs. Mais genial ainda ao trazê-lo de volta como Prometheus que, para quem não se lembra, era o mais cogitado pelas teorias dos fãs para ser a identidade secreta do vilão na temporada passada. Mais uma prova de como a produção pensou nos mínimos detalhes dessa grande história. Tommy é um dos personagens mais queridos pelos fãs da série e ele faz falta devido à sua precoce saída (agora com uma participação e morte mais precoce ainda).

Neste episódio, tivemos um remember daquela fase traumática para grande parte dos fãs conhecido como Olicity. Após a recusa de Felicity em se casar com Oliver, as coisas ficaram um pouco tensas entre os dois, mas acho que se mantiverem a opinião de Felicity mostrada neste episódio, mostrará que os roteiristas encontraram uma boa saída para manterem o casal na série sem aprofundarem demais o drama entre eles, que foi um dos pontos negativos da quarta temporada. Sabemos que Oliver anda mais focado na relação de sua família, agora que tem cuidado de seu filho e aproximado mais Felicity dele, mas não tem porquê se apressarem em se casar. As coisas poderiam acontecer com calma como tem sido feito até aqui com a retomada desse romance. Este é o momento de Barry e Íris, por que querer se casar agora também? Por mais que não seja fã de Olicity, eu aprendi a aceitar e respeitar a escolha dos roteiristas em retomarem isso na série, mas que continuem construindo isso um passo de cada vez.

Temos também acompanhado a triste separação de dois personagens que, por mais que não sejam os elementos mais fortes em Legends of Tomorrow, fará falta. Professor Stein e Jax, ou Firestorm (Nuclear), são personagens que fazem parte desse universo há muito tempo e será triste nos despedirmos de Victor Garber que ganhou o coração dos fãs desde sua primeira participação.

Imagem: The CW/Divulgação

A possibilidade de se utilizarem versões dos personagens de outras Terras é sempre interessante e divertido pois tudo pode acontecer, facetas e cenas improváveis e até absurdas no contexto normal das séries. Neste crossover podemos ver as versões vilanescas de Arqueiro Verde e Supergirl. E como um casal! Algo que jamais aconteceria no universo normal. Também tivemos o retorno do maior vilão de Flash, Eobard Thawne e seu incrível Flash Reverso, e ainda Metallo em sua forma ciborgue.

Além da ótima história, esse crossover marcou o encontro e reencontro de muitos personagens dessas séries, e também ótimos alívios cômicos ao longo dos episódios. Quanto aos efeitos visuais, foi bem dividido. Tivemos cenas visualmente incríveis, em outras deram uma certa escorregada, inclusive nesta parte 2 na cena em que o Arqueiro vai de um lado para o outro quando todos estão salvando o prédio em construção que a Supergirl da Terra-X tentou destruir. Por outro lado, as cenas de combate foram muito bem conduzidas, mesmo aquelas em que temos muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo em tela. Vimos ainda diferentes golpes e novas armas dos nossos heróis, inclusive uma nova flecha do Arqueiro feita de kriptonita verde (ainda que não tenham explicada quem forneceu a ele a matéria-prima já que os kriptonianos não existem na Terra-1).

Cheio de super-heróis, cenas empolgantes e com muita ação, Crisis on Earth-X com certeza ficará marcado como mais um grande evento do universo DC na TV, se não o maior, mas que ainda poderá ser superado no futuro se resolverem fazer um ainda maior com Black Lightning que estreia em janeiro. Esse universo só tende a crescer e tem todo potencial para isso, consolidando de vez as séries como as melhores adaptações dos quadrinhos para a TV até o momento. E vamos lá que ainda estamos apenas na metade e temos ainda mais duas partes!

CURIOSIDADES:

– Os episódios desse crossover ganharam uma abertura e música de encerramento especiais.

– Na universo da DC na TV, existem 52 Terras diferentes, e agora foi descoberta a Terra-53, chamada de Terra-X. Nos quadrinhos, a Terra-X fazia parte de um dos universos paralelos na era Pré-Crise. Lá, a Segunda Guerra Mundial durou décadas e acabou sendo vencida pelo nazismo. Sua primeira aparição foi em Justice League of America #107, em outubro de 1973.

– A dimensão da Terra-X deixou de existir nos quadrinhos em Crise mas Infinitas Terras. Após os eventos dos Novos 52, a Terra-X agora é a Terra-10, onde os Combatentes da Liberdade enfrentam uma versão nazista da Liga da Justiça.

– Felicity faz uma referência a série The Man in the High Castle (2015) ao chamar o Oliver da Terra-X de Oliver in the High Castle. Nessa série (também livro), o nazismo também venceu a Segunda Guerra Mundial. Em sua segunda temporada, ela chega a explorar dimensões alternativas.

REVIEWS DO CROSSOVER: PARTE 1PARTE 2PARTE 3PARTE 4.

Crisis on Earth-X (2)

Nota do Episódio - 9.5

9.5

Review do oitavo episódio da sexta temporada de Arrow, da The CW, intitulado "Crisis on Earth-X (2)".

User Rating: Be the first one !

Comments

comments

About Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.