Audiência – Análise de 04/08 a 10/08: Better Call Saul, Younger, Animal Kingdom e mais

Imagem: AMC/Divulgação; TNT/Divulgação; TV Land/Divulgação; Succession/Divulgação

Confesso que estou muito feliz e satisfeito em escrever a coluna desta semana. Não só porque esse assunto me fascina a cada dia, mas sim porque depois de quase uma temporada inteira com números magros, tivemos diversos destaques aqui. Para ser mais exato, foram três Series High e um Season High, que são os melhores números da série e da temporada respectivamente.

Sabemos que não é fácil, ainda mais na Summer Season, conseguir atrair telespectadores para assistir televisão da forma tradicional. O desempenho medonho da TV aberta nesta temporada comprova essa teoria. Além das roteirizadas, o gênero de sucesso deste ano: os reality shows, também ganham espaço (e destaque) na nossa coluna.

Vamos aos números?

ABC

Retornando de uma semana de folga, o Celebrity Family Feud fez 1.0 no demo, uma queda de 0.1 há três semanas atrás, enquanto  The $100,000 PyramidTo Tell the Truth ficaram estáveis com 0.8 e 0.7, respectivamente. Na média geral da noite, a ABC venceu seu sétimo domingo consecutivo, tanto em demo quanto no total de telespectadores.

Tal resultado faz com que o bloco, batizado de Sunday Fun & Games, ficasse em primeiro lugar na faixa da Summer, indicando que mesmo que Big Brother aumente seus números, projeta-se que o acumulado seja inalcançável. Não é a toa que na última terça-feira (07), a emissora anunciou a renovação das três atrações para 2019.

Com um resultado extremamente questionável (o The Daily Beast explica o porquê), The Bachelorette subiu 0.5 em relação a semana passada com uma Season Finale de TRÊS horas, mas 0.3 abaixo dos números de 2017. Mesmo assim, foi uma vantagem notável de 100% sobre a NBC.

Na terça-feira, Bachelor In Paradise chegou na sua 3ª temporada com 1.1 no demográfico alvo, uma queda significativa de 0.4 do que fez em 2017. Em seguida, a ABC lançou um novo reality showCastaways, com 0.7 no demo. Essa foi a melhor estreia para o horário numa Summer Season em dois anos, seja no total de telespectadores quanto no demográfico.

Na quinta-feira, The Gong Show ficou estático nos 0.4, enquanto Match Game também manteve seus 0.6 desde sua última exibição. Mais tarde, Take Two teve uma surpreendente subida de 0.2 para 0.6.

NBC

No domingo, Shades of Blue estabilizou nos seus usuais 0.5 no demográfico alvo. Mesmo com uma competição forte vinda da ABC, a NBC teve uma noite sólida graças aos homens. American Ninja Warrior segurou-se nos seus bons 1.1 no demo, enquanto Dateline caiu 0.1 para 0.7.

Na terça-feira, America’s Got Talent sofreu um pouco ao perder 0.2 para 1.9, mesma queda de Making It que registrou medianos 0.9. No dia seguinte, World of Dance ficou estável com 1.1, assim como o Season (ou Series?) de Reverie (0.4).

Espremida entre reprises, Trial & Error fez magros 0.4/0.3, uma queda dos 0.4/0.4 que fez na semana anterior. Na sexta-feira, a emissora ganhou sua oitava sexta consecutiva nessa Summer Season, embora com números amênicos (Dateline ficou em 2º lugar com 0.5 no demo).

Continua após a publicidade

FOX

Com um episódio de duas horas, So You Think You Can Dance ficou com os mesmos 0.6 de sempre. Na terça-feira, Beat Shazam (0.7) e Love Connection (0.4) ficaram estáveis nos seus resultados da semana passada. Já no dia seguinte, vimos MasterChef subir 0.1 para 1.0, enquanto 24 Hours To Hell & Back estabilizar em 0.9.

CBS

Com o programa de maior audiência de domingo à noite, Big Brother, a CBS viu seu reality show crescer em relação a semana anterior com 1.6 no demográfico alvo. Na segunda-feira, tudo quase na mesma de sempre: Salvation com 0.3 e Elementary caindo para 0.3. Mesmo espremida entre reprises, Big Brother subiu para 1.6 no demo, situação que não se repetiu na quinta onde o reality show perdeu 0.1 em comparação com a semana passada, marcando 1.4 no demo.

Algo curioso aconteceu na sexta-feira. TKO: Total Knock Out não só manteve seus positivos 0.6 da semana anterior, como também obteve um crescimento no total de telespectadores (de 2.87 milhões para 3.16 milhões). Em seguida, Whistleblower ficou estável com 0.4.

CW

Penn & Teller: Fool Us continuou com 0.3 na segunda-feira, enquanto o original (e a reprise) de Whose Line Is It Anyway? caíram de 0.3 para 0.2. A Season Finale de The 100 na terça-feira fez 0.3, mesmos números da semana passada e do final da 4ª temporada. Em seguida, The Outpost ficou estacionada nos seus miseráveis 0.1. Já na quarta-feira, Burden of Truth perdeu completamente o fôlego demonstrado na sua estreia ao cair 0.1 para 0.1.

TV a Cabo

Imagem: Divulgação

É verdade que o New York Yakeens não teve uma boa noite no domingo passado (05). Na verdade, parece uma reprise dos últimos anos. Mas como diria o ditado, enquanto uns choram, outros vendem lenço. Digo isso porque a exibição do jogo do time nova iorquino com o Boston Red Sox feita pela ESPN quebrou recordes. O duelo se tornou o jogo de baseball mais assistido numa noite de domingo em quatro anos. Em nível local, o Sunday Night Baseball atraiu 10.8 de demo em Boston, a maior da ESPN na área em sete anos.

Na HBO, também tivemos excelente notícias. Sharp Objects cresceu 0.12 para 0.36, o que claramente mostra uma empolgação da audiência para assistir ao vivo, assim como Succession que finalizou seu primeiro ano com 0.20 (+0.07), um Series High para o drama. Na AMC, Preacher finalmente apresentou uma reação ao subir 0.08 para 0.30. Um dos episódios mais importantes de The Affair até agora, a série ganhou apenas 0.02 para 0.10. Claws subiu 0.02 para 0.44 na TNT e Power liderou a noite no campo de roteirizados com 0.56 (+0.03).

Fenômenos 

Depois de uma estreia mediana de Better Call Saul (abaixo), Lodge 49 estreou com números pouco animadores: 0.17, praticamente os mesmos de Dietland, cujo Series Premiere registrou 0.16. Na terça-feira, o grande destaque ficou (como sempre) com Animal Kingdom. O drama da TNT subiu 0.05 para 0.44, que não só representa uma Season High como também os melhores números da série desde maio de 2017.

Na emissora irmã (TBS), Wrecked estreou sua nova temporada com 0.32, um tanto aquém dos 0.49/0.36 registrados na Season Premiere dupla de 2017. Younger cresceu mais uma vez na TV Land, desta vez indo a 0.26, um surpreendente Series High para comédia. Encerrando o dia, The Bold Type exibiu a Season Finale da sua 2ª temporada com 0.13, um crescimento de 0.02.

Na quarta-feira, Yellowstone cresceu 0.04 para ótimos 0.42, que também é um Series High. No USA Network, The Sinner caiu 0.02 em relação aos 0.31 do retorno da semana passada, mas Suits continua com uma (lenta) recuperação ao subir 0.03 para 0.27. Já a recém renovada Queen Sugar perdeu pouca coisa ao oscilar de 0.22 para 0.21.

Na quinta-feira, Snowfall teve uma pequena queda para 0.40. Já na USA Network, Queen of the South subiu para 0.35, mesmo movimento feito por Shooter, que cresceu para 0.18.

Notas do Acúmulo:

So You Think You Can Dance: De 30 de julho à 1º de agosto, o lôngevo reality show conseguiu levantar seus medonhos 0.6 registrados linearmente com o acréscismo dos números do L+3. O programa cresceu de 0.6 para 0.8, uma subida considerável de 33%, perdendo apenas para MasterChef (44%).

Yellowstone: Um dos poucos grandes sucessos da Summer Season de 2018, a série protagonizada por Kevin Costner conquistou a maior audiência de qualquer série roteirizada da TV a Cabo no L+3 de 23 a 29 de julho. Com 4.34 milhões de pessoas, o drama subiu 122% em relação aos 2.39 milhões conquistados linearmente. Em questões de demográfico alvo, a alta foi de 167% ao subir de 0.3 para 0.8.

Elementary: Apesar de números medíocres no “ao vivo”, o drama da CBS foi quem teve a maior alta de toda TV aberta quando somados os resultados do L+3. Foi uma alta de 75% ao crescer de 0.4 no demo para 0.7.

Continua após a publicidade

Internacionais

Imagem: Divulgação (06)

Demonstrando uma força jamais vista de um importado americano na televisão espanhola, The Good Doctor continua imbatível. O drama cresceu 3% em relação a semana passada, marcando um share de 20.8% e uma audiência total de 2.58 milhões de telespectadores. Ainda na segunda-feira, mas desta vez na Alemanha, as séries vindas dos Estados Unidos continuam entregando resultados mistos.

Com MacGyver ficando no quarto lugar geral ao ser assistido por 1.72 milhão de pessoas, no competitivo horário nobre da TV alemã dominado por noticiários. This Is Us, no entanto, continua desapontando embora seja exibida num canal a cabo. O drama manteve praticamente as mesmas marcas anteriores ao atrair meros 190 mil pessoas.

Já na quarta-feira, as séries da Shondaland continuam com bons resultados. O episódio 15º episódio da décima quarta temporada de Grey’s Anatomy foi visto por um milhão de pessoas, enquanto Station 19 foi assistida por 820 mil.

O lançamento internacional de 9-1-1 foi misto. Entrando na sua segunda semana na Austrália pelo Seven Network, o drama repetiu seus poucos 557 mil telespectadores da semana da estreia, enquanto na Espanha, no pouco relevante canal Cuatro, foi um estouro. Atraindo 1.05 milhão de pessoas, o drama bateu inclusive seu lead-inFirs Dates, visto por 1.01 milhão.

A custosa (e aguardada) estreia de Bake Off Chile não foi aquilo que a Chilevisión esperava. Nem de longe. Com 12.8 pontos às 21h37, o reality show foi atropelado pela novela (e fenômeno) Perdona Nuestros Pecados da Mega com sempre impressionantes 23.6 pontos.

A posse do novo presidente da Colômbia, Iván Duque Márquez, deu uma liderança confortável para Caracol com 7.5 pontos, ao mesmo tempo que a RNC marcou apenas 3.4. A penúltima semana da exibição de Justiça no país fez: 3.4 (domingo); segunda (3.1); quarta (2.6); e quinta (2.6).

Análise Especial da Semana: Better Call Saul

Better Call Saul
Imagem: AMC/Divulgação

Analisar os números de qualquer spin-off  é difícil por uma série de motivos. A principal delas seria a pressão constante na qual a derivada sempre enfrenta por superar, ou pelo menos manter, os números da que sua antecessora registrava até sua chegada. No caso de Better Call Saul a situação é ainda mais complexa. Como avaliar números e atrever em compara-los com Breaking Bad sendo que cada uma existe (e compete) em tempos e momentos diferentes da indústria? É uma resposta que, infelizmente, acredito que nunca terei.

No entanto podemos analisar esse retorno de Better Call Saul a partir de outras perspectivas. A primeira seria, e trazemos abaixo, é a comparação com seus próprios números. Apesar da pequena quantidade de dados é possível perceber uma clara perda de fôlego, pelo menos linearmente, desde quando o drama estreou em 2015. Mas será que isso realmente importa? A longo prazo, talvez. Porém, neste exato momento a série continua sendo a maior audiência da AMC, tanto em demo quanto no total de telespectadores, fora da franquia de The Walking Dead.

Num momento que o canal vislumbra uma mudança de estratégia, ele precisa, mais do que nunca, dos seus grandes sucessos para garantir a presença dos anunciantes. Afinal, ninguém acredita que Dietland ou Lodge 49 se tornem sucesso tão cedo. Ressalta-se ainda que o drama é uma propriedade importantíssima em outras duas frentes: prêmios e sucesso internacional. É por isso que embora seja uma queda expressiva (20%), Better Call Saul terá vida longa a depender da audiência.

Números das Season Premieres anteriores:

1ª temporada – 3.4 no demográfico alvo (18-49 anos) / 6.88 milhões de telespectadores

2ª temporada – 1.0 no demográfico alvo (18-49 anos) / 2.57 milhões de telespectadores

3ª temporada – 0.7 no demográfico alvo (18-49 anos) / 1.81 milhão de telespectadores

O que veremos na próxima semana: Fear The Walking Dead retorna na AMC; Fox apresenta mais um Teen Choice Awards;  a HBO lança novas temporadas de Ballers Insecure; primeiro ano de Gordon Ramsay’s 24 Hours to Hell and Back chega ao fim.

About Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.