Audiência – Análise de 09/06 a 15/06: The Tony Awards, Claws, Marlon e mais

The Tony Awards, Claws, Marlon, Audiência, Análise de Audiência
Imagem: Michael Zorn/Invision/AP; TNT/Divulgação; NBC/Divulgação

Numa semana cheia de estreias, vimos a televisão aberta aprender uma importante lição: reality shows funcionam melhor na Summer Season do que roteirizados. Os Game Shows voltaram bombando na ABC, enquanto Gordon Ramsay, mesmo depois de 13 anos, continua sendo a galinha dos ovos de ouro da Fox.

Na TV aberta tivemos o aguardado (e promovido) retorno de Claws e o início do fim de Girlfriend’s Guide To Divorce. E claro, não poderíamos ignorar, o “grande” encontro entre Donald Trump e Kim Jong Un.

Vamos aos números?

ABC

Numa estratégia clássica de desova, os últimos dois episódios da primeira (e única) temporada de The Crossing fez 0.3 no demográfico alvo, uma queda de 50% em relação a sua última exibição na segunda-feira. Já no domingo, a ABC teve uma noite muito boa. A programa de Game Shows, que sofreu uma grande queda em 2017, retornou em alta. Celebrity Family Feud fez 1.8 (+0.3/2017), To Tell the Truth voltou com 0.8 (+0.2/2017) e The $100,000 Pyramid ficou estável com 1.2.

Na segunda-feira, The Bachelorette venceu a noite com seus 1.4 no demográfico alvo, uma queda de 0.2 em relação a semana anterior, provavelmente prejudicada em virtude da cobertura do encontro entre Trump e Kim Jon Un. A estreia do aguardado The Last Defense na terça-feira fez 0.5 no demográfico alvo, um número morno, mas a maior audiência da ABC no horário da baixa temporada desde agosto de 2016.

NBC

No sábado (09), Taken impressionou. A série, mesmo já cancelada, registrou um demográfico alvo de 0.4, o que é o dobro da semana anterior. Além disso, é sua melhor audiência em três semanas tanto no demo quanto no total de telespectadores. Na terça, America’s Got Talent dominou mais uma vez com uma alta de 2.3 no demográfico, enquanto World of Dance derreteu um pouquinho ao cair para 1.4.

Na quarta, a última exibição de Americna Ninja Warrior no dia fez 1.1 (-0.1), enquanto Reverie permaneceu estável nos 0.5. Para os telespectadores da série, lembro que é uma produção cara de se produzir em virtude dos efeitos especiais, mas a audiência por enquanto é boa. Nada de extraordinário, mas nada de desastroso.

Na quinta-feira, Little Big Shots abriu a noite com 0.8, servindo como um mediano lead in para o retorno de Marlon. Um dos sucessos mais surpreendentes de 2017, voltou com 0.7 e 0.6 para o primeiro e segundo episódio, respectivamente. Tais números representam uma queda grandiosa da estreia do ano passado: 1.3/1.0 no demográfico alvo. É verdade que é uma comédia barata de produzir, mas se cair além de 0..5, sua situação fica complicada.

FOX

O aguardado retorno de Ghosted foi um desastre. A comédia, que ainda não sabe qual será seu destino para o próximo ano, teve um episódio duplo no último domingo (10) que registrou 0.4 no demográfico alvo. Uma queda impressionante de 75% em relação aos números de janeiro. Vale lembrar que o restante da primeira temporada da série trazem também uma reinvenção criativa. Caso a Fox não goste e a audiência continue assim, seu destino será o mesmo de LA to Vegas.

Na segunda-feira, So You Think You Can Dance permaneceu firme nos 0.7 no demográfico alvo. Já na terça, Beat Shazam subiu (0.8) e Love Connection (0.5) permaneceu estáveis em relação a semana passada. Vale lembrar que ambos continuam com pequenos crescimentos no L+3: Shazam +14 % (subindo de 0.7 para 1.0); Love +20% (subindo de 0.7 para 1.0).

MasterChef abriu a noite com uma subida em comparação com a semana anterior (+0.1/1.0), servindo como um lead in exepcional para a estreia de 24 Hours To Hell & Back, cuja audiência de estreia foi de 1.1 no demográfico alvo. Por fim, The Four permaneceu nos mesmos 0.7 da semana anterior. Para quem pensou que a resposta para Fox na Summer Season são reality shows, você acertou em cheio.

Continua após a publicidade

CBS

No sábado (09), Ransom conseguiu crescer um pouquinho ao subir dos medonhos 0.2 da semana anterior para ainda ruins, porém melhores, 0.3 no demo alvo (18-49 anos). Na segunda, Elementary permaneceu firme nos 0.6 da semana anterior. A injustiçada do ano, Code Black, subiu de 0.6 para 0.7, que também é sua Season High.

CW

O penúltimo episódio da temporada de Supergirl caiu 0.1 para 0.4, enquanto Whose Line Is It Anyway permaneceu estável nos 0.3 no demográfico alvo. Já The Originals cresceu de uma Series Low para respeitáveis 0.3 no demo.

When Trump Met Kin

A segunda feira foi uma noite bem agitada para todas as emissoras. Embora a cobertura especial do encontro entre Donald Trump e Kin Jong Un tenha começado no domingo, ela foi ficando mais intensa no decorrer do dia.

When Trump Met Kim
Imagem: Kevin Lim/The Straits Times

Curiosamente (ou não? Vá saber) o aperto de mão entre o presidente e o ditador aconteceu exatamente às 21h04 (horário local). Na TV a Cabo, a cobertura rendeu a Sean Hannity (da Fox News) o posto de maior audiência da noite (5.9 milhões de telespectadores), vencendo The Bachelorette com folga).

Tais números rendem ao programa diário sua a maior audiência da história do programa desde setembro de 2017, quando retornou a faixa das 21h. Chris Cuomo comandou a cobertura para CNN com uma média de 2.36 milhões de telespectadores, enquanto o especial de três horas da MSNBC fez uma média de 2.37 milhões de pessoas.

Na TV aberta o resultado foi um tanto depressivo. A ABC venceu a cobertura especial com uma média de 5.4 milhões; a CBS vem em seguida com 4 milhões de telespectadores; NBC ficou em terceiro com 2.7 milhões e a Fox em quarto com apenas 2 milhões.

TV a Cabo

Imagem: Divulgação

midseason finale de Fear The Walking Dead venceu a noite de domingo com 0.73 no demográfico algo, uma subida de 0.13 em comparação com a semana anterior, mas uma queda do especial de duas horas exibidos em 2017 (0.93/0.83). Em seguida, Into The Badlands subiu 0.06 para 0.32.

Na HBO, Westworld cresceu pela segunda semana consecutiva, de 0.09 para 0.59, voltando exatamente ao patamar de 20 de maio, semana anterior a surra que a série levou das finais da NBA. Mais tarde, a já renovada Succession fez 0.14 no demográfico alvo, uma queda de 0.01 em relação a sua estreia.

Ainda no domingo, Claws retornou mostrando que é realmente um sucesso. O drama fez 0.51, uma subida de 0.07 em relação a Series Premiere de 2017. É importante lembrar que de toda televisão, a série fez a segunda melhor audiência entre mulheres (18-49 anos) da noite: 0.66. Já na Showtime, Billions teve sua Season Finale com 0.23 (+0.02), enquanto I’m Dying Up Here caiu para 0.03.

Ao telespectador feminino, com amor

Na segunda-feira, Dietland encolheu. O drama elogiado pela crítica caiu 0.05 para 0.11, mostrando que a perspectiva da série é bem pequena. A Freeform viu o retorno de The Bold Type à programação marcando 0.14/0.09, uma queda forte em relação a Series Premiere de 2017: 0.16/0.14.

Season Finale de Legion foi uma catástrofe. O drama despediu-se da 2ª temporada com 0.12, despencando 0.09 comparando com a semana passada e *0.30* a menos do final de 2017. Na TV Land, Younger teve uma subida inesperada de 0.18 para 0.23. O mesmo foi feito por Animal Kingdom ao oscilar para 0.28.

Ainda na quarta-feira, Queen Sugar cresceu 0.03 para 0.25, mesmo caminho seguido por Six ao respirar fundo e crescer 0.08 para 0.23. Colony tropeçou 0.02 e fechou a semana com 0.19. Por fim na quinta-feira vimos Jersey Shore dominar mais uma vez apesar da queda (0.97), enquanto Girlfriends Guide To Divorce voltou com 0.11, RuPaul’s Drag Race subiu 0.04 para 0.35 e Nashville ficou estacionada nos 0.15.

Internacionais

Imagem: Divulgação (06)

O domingo (09) trouxe Love Island vencendo o horário com facilidade ao ser assistido por 2.5 milhões de telespectadores. No entanto, a estreia da 4ª temporada de Poldark não foi tão boa apesar do enorme gancho do final do terceiro ano. O Season Premiere foi visto por 4.7 milhões de pessoas, uma queda de 800 mil em relação ao retorno de 2017 e uma Series Low para o drama histórico.

Ainda no domingo, o The Voice Australia caiu ainda mais em relação a semana anterior (756 mil x 816 mil), mas suficientes para vencer o MasterChef Australia (622 mil) com facilidade. Na Espanha, o MasterChef Spain (19.1%) quase perdeu para o Supervivientes (18.8%) que não foi só exibido mais tarde, mas também está na sua reta final.

Em Portugal, é importante lembrar, O Outro Lado do Paraíso continua reinando no horário nobre. Após encontrar algumas dificuldades com a cobertura das Marchas Populares de 2018, a novela voltou ao topo. Registrou 574 mil telespectadores em média. Com 5.9 de rating e 25.1% de participação.

Na Coréia do Sul, Suits (슈츠teve uma alta extraordinária em relação a semana passada ao marcar 11.3 e 10.7 no demográfico alvo em Seul e ao redor do país, respectivamente na quinta-feira (14). Ambos os números representam uma Series High, que provavelmente foram influenciadas pela cobertura da SBS das eleições locais do país.

Análise Especial da Semana: The Tony Awards 2018

The 72nd Tony Awards
Imagem: CBS/Divulgação

Quando analisamos com mais atenção a audiência cerimônia de entrega do Oscar neste ano, lembrei ao leitor que o telespectador fora dos grandes centro urbanos, vê as premiações como um “encontro entre elites”. Sabemos que eles não estão errados, afinal de contas se somarmos a renda anual de cada um daqueles sentados na plateia, certamente teremos uma quantia equivalente (ou superior) a de muitos países africanos.

Sabendo disso, me preparei para ler as manchetes referentes a audiência dos Tonys deste ano com aquele ar de – “já esperava”. Afinal de contas, o Tony Awards é o suprassumo da elite artística uma vez que premia produções em cartaz na Broadway, que existe só na cidade de Nova York. De forma surpreendente, a cerimônia teve um crescimento ligeiro de audiência. O lead do The New York Times captura a avaliação exata do que aconteceu ao afirmar que a cerimônia fez o que poucas premiações conseguem fazer: aumentar sua audiência.

Embora fique muito longe do ano blockbuster de quase 09 milhões de telespectadores de 2016 quando Hamilton limpou a noite, há diversas razões pelas quais o show teve uma subida. Primeiramente tínhamos títulos populares indicados, como Harry PotterBob Esponja Meninas Malvadas. O que significa que mesmo sem assistir as produções nomeadas, as pessoas tinham seus favoritos e queriam saber quem venceria.

Os apresentadores não são figuras que o grande público imediatamente identifica numa posição ideológica. Bem diferente dos últimos apresentadores, facilmente identificados como ícones liberais, como Kevin Spacey, Kristin Chenoweth, Alan Cumming e (claro) Neil Patrick Harris.

Continua após a publicidade

Top 05

The 72nd Tony Awards (2018) – 1.0 no demográfico alvo (18-49 anos); 6.3 milhões de telespectadores

The 71st Tony Awards (2017) – 0.9 no demográfico alvo (18-49 anos); 06 milhões de telespectadores

The 70th Tony Awards (2016) – 1.6 no demográfico alvo (18-49 anos); 8.7 milhões de telespectadores

The 69th Tony Awards (2015) – 0.9 no demográfico alvo (18-49 anos); 6.4 milhões de telespectadores

The 68th Tony Awards (2014) – 1.1 no demográfico alvo (18-49 anos); 7.02 milhões de telespectadores

O que veremos na próxima semana: O início do fim de Shades of Blue; o vai ou racha de The Proposal; o MTV Movie & TV Awards numa segunda-feira; a aposta arriscada da ABC com Take Two.

About Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.