Audiência – Análise de 07/07 a 13/07: Sharp Objects, The Outpost, Claws e mais

Audiência, Análise de Audiência, The Outpost, Sharp Objects, Claws, Take Two
Imagem: HBO/Divulgação; TNT/Divulgação; ABC/Divulgação; CW/Divulgação

Em virtude do noticiário, essa foi mais uma semana agitada para a TV aberta. Mostrando que entende mais de televisão do que qualquer outra coisa, Donald Trump anunciou o novo nome para Suprema Corte às 21h, mais conhecido também como o pico do horário nobre. Com isso, toda programação de segunda-feira sofreu atrasos, interrupções e oscilações maiores do que o normal.

No entanto, tivemos notícias positivas. Sharp Objects estreou bem, dando um empurrão generoso para sua companheira de noite, SuccessionThe Bachelorette cresceu ao mesmo tempo que a nova aposta da CBS para Summer Season foi lançada de uma forma um tanto mediana. Já no lado internacional, O Outro Lado do Paraíso continua sendo um grande destaque em Portugal.

Esses são os nossos destaques, portanto vamos aos números?

ABC

Depois de uma semana de folga, os game shows retornaram praticamente estáveis. Celebrity Family Feud caiu 0.1 em relação a sua última exibição, registrando ainda bons 1.1, mesmo movimento feito por To Tell The Truth (0.8), enquanto The $100,000 Pyramid (0.9) ficou estável em relação a semana anterior.

Com as controvérsias da reta final pautando o assunto nas redes sociais, The Bachelorette subiu 0.2 para 1.4, enquanto The Proposal entregou estáveis 0.7 no demo. Na terça-feira, um 20/20 especial sobre o resgate dos meninos na caverna tailandesa registrou ótimos 0.7, dando um excelente lead-in para The Last Defense subiu 0.1 para 0.5.

Na quinta-feira, The Gong Show (0.5) e Match Game (0.6) caíram 0.1 em relação a última exibição, mas Take Two, que nesta semana muda-se para às 20h, subiu 0.1 para 0.5. Na sexta-feira, Quantico caiu 0.1 enquanto What Would You Do ficou estável em 0.5.

 

NBC

No domingo (08), Running Wild with Bear Grylls fez medonhos 0.3, uma queda expressiva de 50% em relação a sua última exibição numa segunda. Enquanto isso, Shades of Blue ficou estável nos seus 0.5 de sempre. Na segunda-feira, American Ninja Warrior teve um respiro de 0.3 para 0.1, mostrando que continua sendo uma das principais atrações da NBC para Summer Season.

Falando em atrações que sempre rendem, America’s Got Talent ganhou 0.1 para 2.1, mas World of Dance caiu mais uma vez de 1.3 para 1.2. Na quarta-feira, Reverie continou empacada nos 0.4 após uma reprise de Got Talent. Na quinta-feira, Little Big Shots despediu-se da temporada com medianos 0.7, enquanto Marlon terminou repetindo seus 0.6/0.6 da semana anterior, mas longe dos 1.2/1.0 de 2017.

Continua após a publicidade

FOX

A já cancelada Ghosted continua sua desova repetindo seus usuais 0.4 no demográfico alvo. Na segunda-feira, So You Think You Can Dance subiu 0.1 para 0.7, números parecidos apresentados pelos estáveis Beat Shazam (0.7) e Love Connection (0.5) na terça-feira.

No dia seguinte a situação foi um pouquinho pior. Tanto MasterChef (0.9) quanto 24 Hours To Hell and Back (0.9) caíram 0.2 em relação a última exibição. Mostrando que é sim um dos poucos sucesso que a emissora possui, The Four ficou estável nos 0.8 da semana passada.

 

CBS

Como de costume, a CBS usa da sua Summer Season para “queimar” episódios restantes das séries canceladas da temporada regular. Me, Myself & I Living Biblically registraram idênticos 0.2 no demo, os mesmos registrados por Ransom no seu Season Finale. No domingo, Big Brother subiu 0.1 para 1.3. Na segunda, a situação de Salvation ficou ainda pior ao cair de 0.4 para 0.3.

Na quarta-feira, o episódio do Big Brother recuperou-se 0.6 dos miseráveis 0.9 do feriado de 04 de julho para 1.5. Números que não ajudaram TKO: Total Knock-Out, cuja estreia foi de 0.9 no demo, parecidos com os medianos 1.1 que Candy Crush fez em 2017. Fechando a noite, Code Black subiu 0.2 para 0.8 às vésperas do seu Series Finale.

Big Brother também subiu substancialmente na quinta-feira ao variar de 1.3 para 1.5, dando uma média semanal para o programa de 1.4. Na sexta-feira, a CBS estreou uma nova série sobre crimes reais, Whistleblower, com 0.4 no demo.

CW

A única a ignorar o presidente, a CW teve uma segunda-feira estável com Penn & Teller: Fool Us Whose Line Is It Anyway estáveis com 0.3. Exibida mais cedo, The 100 cresceu 0.1 para 0.3, o que não ajudou muito a estreia de The Outpost. O novo drama estreou com medonhos 0.1, que curiosamente foram superados pela sua própria reprise na quarta-feira, onde marcou 0.2.

De volta após uma folga de três semanas, The Originals permaneceu estático nos 0.3 de sempre. Na sexta-feira, Masters of Illusion ficou nos mesmos 0.2.

TV a Cabo

Imagem: Divulgação

Com a boa estreia de Sharp Objects (abaixo), Succession subiu 0.03 para 0.20, provavelmente beneficiando-se de uma audiência mais adulta. Na Showtime, a Season Finale de I’m Dying Up Here caiu para 0.03, enquanto The Affair caiu para 0.09. Já segunda semana da nova temporada de Power foi um pouco confusa.

Isso porque o episódio original exibido às 20h despencou 0.34 ao Season Premiere, marcando 0.28, mas a reprise exibida em seguida fez 0.51, uma queda de 0.11 em relação ao retorno da semana anterior. O que isso significa? Seus telespectedores preferem assistir mais tarde. Na TNT, Claws pulou 0.05 para 0.49; a recém renovada Pose cresceu 0.02 para 0.27 e Preacher subiu 0.02 para 0.21.

Na segunda-feira, Dietland ficou empacado nos 0.09 de sempre. Na terça-feira, Younger voltou de folga com 0.18; The Bold Type ficou na mesma com 0.15 e Humans com os mesmos 0.07. Um dos sucesso da temporada, Yellowstone subiu 0.04 para 0.37, Queen Sugar teve uma pequena queda para 0.27, assim como Colony que foi para 0.13.

 

Na quinta-feira, o penúltimo episódio de Girlfriend’s Guide To Divorce subiu 0.04 para 0.18, beneficiando-se da poderosa Season Finale de Southern Charm. Na USA Network, Queen of the South subiu 0.09 para 0.40 e Shooter subiu 0.04 para 0.21.  Na Freeform, Cloak & Dagger ficou estável em 0.18; American Woman ficou estável para a Paramount Network com 0.10 e Nashville subiu para 0.14.

Notas do Acúmulo:

Andi MackDe acordo com a Nielsen, a série ficou em primeiro lugar na segunda-feira entre crianças entre 06 a 11 anos (555 mil telespectadores/2.3 no demo) e entre pré-adolescentes entre 09 a 14 anos (531 mil telespectadores/2.2 no demo) quando adicionados o L+3.

Continua após a publicidade

Internacionais

Imagem: Divulgação (06)

Com grande parte da televisão britânica evitando competir com a Copa do Mundo, que assim como no Brasil é um tanto popular no Reino Unido, o único original relevante na semana foi Love Island. Atraindo uma média de quase três milhões de pessoas por noite, o reality show é muito melhor do que uma sensação do verão, mas sim um sucesso de proporções que esse mercado não via em muito tempo.

Na Austrália, a segunda temporada de Australian Ninja Warrior foi bem abaixo do padrão de 2017. O reality show foi visto por 929 mil pessoas, longe dos 1.68 milhão do lançamento do ano passado. Nas exibições seguintes, os resultados foram de 831 mil na segunda (09/07) e 851 mil na terça (10/07).

No horário nobre da Espanha, tivemos dois destaques importantes. A temporada do MasterChef Spain terminou com um Season High e um recorde de participação para TVÉ, algo que não se vê todos os dias por lá. Em seguida, Bailando Con Las Estrellas venceu o horário (12.8%/1.38 milhão), mas quase perdeu para The Handmaid’s Tale (11.9%/ 1.40 milhão) na Antena 3.

Na quinta-feira, por fim, O Outro Lado do Paraíso continua navegando pelas águas bem sucedidas do mercado português. A novela não só marcou um novo recorde de audiência, como também fez mais do que o dobro da TVI (5.7 x 2.4), a principal concorrente da SIC no horário nobre.

Análise Especial da Semana: Sharp Objects

Sharp Objects
Imagem: HBO/Divulgacão

Há duas semanas atrás, trouxe minha previsão de que a audiência de Westworld só tende a encolher e beirar o nível cult de Succession The Leftovers. Nesta semana, temos um cenário bem melhor e mais animador. É claro que estamos falando apenas da estreia e Sharp Objects precisa mostrar a que veio pelas próximas cinco semanas, porém os 0.45 do demográfico alvo (18-49 anos) e a audiência de 1.53 milhão de pessoas, indicam que a minissérie encontrou seu público.

Beneficiando-se de uma noite com pouca concorrência, o drama foi um verdadeiro sucesso. Principalmente se colocarmos em perspectiva outras produções cujo apelo com o público feminino era parecido (abaixo). A minissérie se tornou a melhor estreia da HBO desde os 1.9 milhão que viram Westworld em 2016. Sem contar que foi muito bem na audiência acumulada das plataformas digitais da emissora (HBO Go e HBO Now), atraindo um total de 2.1 milhões de pessoas.

O que explica o sucesso? Penso em algumas situações. A primeira é Amy Adams. A atriz é conhecida pelo grande público, seja o de massa que assistiu suas participações nos longas da DC ou àqueles que não esquecem do seu trabalho em Julie & Julia. Isso quer dizer que mesmo sem saber muito do material, o assinante dará uma chance já que gosta da protagonista.

Outro ponto são as críticas positivas que a minissérie recebeu. Sabemos que na era do Rotten Tomatoes, o público não quer perder tempo com uma produção de qualidade duvidosa. Receber uma aprovação de 96% do Rotten Shannon Plumb e o fracasso de e 77 do Metacritic faz toda diferença. Caso não acredite recomendo perguntar para A Luz Entre os Oceanos.

Top 05

Sharp Objects – 0.45 no demográfico alvo (18-49 anos) / 1.53 milhões de pessoas

Big Little Lies – 0.31 no demográfico alvo (18-49 anos) / 1.13 milhões de pessoas

Vinyl – 0.25 no demográfico alvo (18-49 anos) / 764 mil pessoas

The Deuce  – 0.24 no demográfico alvo (18-49 anos) / 830 mil pessoas

Here and Now – 0.20 no demográfico alvo (18-49 anos) / 541 mil pessoas

O que veremos na próxima semana: Suits e Trial & Error retornam, enquanto Code Black Girlefriend’s Guid To Divorce terminam de vez; a ABC exibe o pomposo ESPYs; MLB All-Star na Fox; The Voice Kids UK está de volta e muito mais.

About Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.