Audiência – The Voice, The Walking Dead e o crossover: Análise de 24/02 a 02/03

Audiência, Crossover, TGIT, The Walking Dead, The Voice
Imagem: Trae Patton/NBC; ABC/Divulgação; AMC/Divulgação

E estamos de volta!

Depois de duas semanas de folga em razão das Olimpíadas, os canais de TV aberta dos Estados Unidos voltaram com suas programações originais. Alguns retornos em particular, entretanto, foram os que mais chamaram atenção – Showtime at the Apollo na Fox, The Voice na NBC e Designated Survivor na ABC. Há vários destaques na TV a Cabo, incluindo algumas curiosidades e o aguardado Notes From the Field.

Vamos aos números?

ABC

Exibido um tanto tarde, Shark Tank encontrou espaço para crescer. O reality show fez 0.8, um crescimento de 0.1 em relação a semana anterior. A noite de segunda-feira foi agridoce para emissora. Enquanto The Bachelor cresceu em relação a semana passada (1.8 x 1.7), The Good Doctor caiu para 1.3, uma Series Low. Em comparação com a audiência linear do Series Premiere, a série médica já derreteu 41%. Na terça-feira, The Middle Fresh Off the Boat mantiveram-se estáveis nos seus 1.2 e 0.9 no demorgráfico alvo (18-49 anos), enquanto Kevin (Probably) Saves the World respirou fundo e subiu 0.2 depois dos desastrosos 0.4 durante das Olimpíadas.

Na quarta-feira, tudo impressionou negativamente. The Goldbergs Modern Family despencaram 0.4 e registram apenas 1.3, o que é um Series Low para mais lôngeva. As quedas continuaram com Designated Survivor fazendo miséros 0.6 e Speechless foi a 1.1 (-0.2). American Housewife foi quem mais conseguiu segurar ao cair apenas 0.1 para 1.1.

Os crossovers na quinta-feira foram tudo o que a ABC precisava. Previnindo uma queda ainda maior das suas séries, Grey’s Anatomy fez 2.0, Scandal com 1.2 (+0.1), enquanto How To Get Away With Murder conquistou 1.1. Tais números foram 0.3 a mais do que a última exibição, fez com que empatasse com Chicago Fire e ainda reunisse seu maior número de telespectadores da temporada.

NBC

Imagem: NBC/Divulgação

Depois da exibição do final das Olimpíadas de Inverno, AP Bio foi um tanto ruim com os seus medianos 1.4 no demográfico alvo, o que são 0.6 a mais do que aqueles registrados na estreia do início do mês. Os números são tristes quando comparamos as séries que sucederam o encerramento dos jogos de Sochi em 2014. About a Boy fez 2.2, enquanto Growing Up Fisher fez 1.9.

Posso até escutar um suspiro de alívio na NBC com os números de Good Girls. Isso porque o drama teve sim, uma estreia interessante. Foram 1.5 no demográfico alvo, o que são 0.2 a mais do que The Brave fez na Fall de 2017, mas apenas 0.1 abaixo do que Taken fez no início do ano passado. Vale lembrar ainda que a série, mesmo com muito tempo de exibição, já está dando dinheiro com a venda para Netflix.

Na terça-feira, a segunda exibição do The Voice fez 2.4, o que mesmo sendo menos que na noite anterior (-0.4) é uma audiência sólida. Aproveitando a enorme divulgação que a emissora fez durante os jogos, Chicago PD manteve-se firme com 1.2, enquanto The Blacklist (-0.1) e Law & Order: SVU (-0.2) ficaram com 0.9 e 1.1, respectivamente.

Superstore (já renovada) e Will & Grace caíram 0.2 e 0.1. Voltando ao normal AP Bio fez 0.8 e 0.7 às 20h e 20h3o, respectivamente, o que é bem abaixo dos 1.4 registrados após as Olimpíadas.

FOX

No sábado (24/02) a Fox exibiu o UFC diretamente de Orlando. A luta marcou medianos 0.6 no demográfico alvo, sofrendo pela NBA na TV a cabo e pelo penúltimo dia das Olimpíadas na NBC. Na segunda, tivemos más notícias (e um tanto preocupantes).  Lucifer caiu para 0.8 (-0.2), enquanto The Resident despencou para 0.8 (-0.3).

É bem possível que ambas recuperarão esses números medonhos no acumulado, mas mostra uma instabilidada nada interessante. Toda programação de terça-feira variu 0.1 para baixo: Lethal Weapon (1.0), LA to Vegas (0.7) e The Mick (0.6). Enquanto uns choram, outros comemoram. 9-1-1 entregou sua impressionante solidez de 1.5, apesar de experimentar uma queda de 0.2. Todavia, The X-Files, manteve-se praticamente estável ao cair apenas 0.1.

Gotham continou estacionado nos seus 0.8, enquanto o retorno de Showtime at the Apollo fez 0.6.

CBS

Dia importante para CBS – segunda-feira, onde seu bloco de comédias é sempre testado. Living Biblically, destruída pela crítica, fez modestos 0.8 no demográfico alvo, que corresponde a média de 9JKL. O restante da noite só caiu. Kevin Can Wait (1.0, -0.2), Man with a Plan (1.0, -0.1), Superior Donuts (0.8, -0.2), com exceção de Scorpion que se manteve firme nos 0.8. NCIS caiu para uma Series Low ao registrar 1.2, o que é -0.3 em relação a última exibição, arrastando Bull consigo (1.1 x 1.2), mas mantendo NCIS: New Orleans nos mesmos 0.9 no demorgáfico alvo.

Survivor voltou com sólidos 1.7 no demo, o que é 0.1 a menos daqueles conquistados em 2017. Um problema que provavelmente afetará o restante da temporada é que o reality show caiu a cada meia hora. Tal desempenho fez com que SEAL Team repetisse seus medonhos 0.8. A sangria continuou na quinta-feira. The Big Bang Theory caiu 0.4 (de 2.9 para 2.5); Young Sheldon perdeu 0.2 (ficando com 2.1); Life in PiecesSWAT oscilaram apenas 0.1 e 0.2 para baixo, enquanto Mom manteve-se firme com 1.5 no demo. Nem preciso dizer que é ótimo, ou melhor, sensacional.

CW

iZombie retornou com seus sólidos 0.3, que são os mesmos da média da segunda temporada e 0.1 a menos que a Season Premiere de 2017. Legends of Tomorrow também manteve-se no piloto automático com 0.4. The Flash registrou sua pior audiência da história na última terça-feira (27), indo a 0.7 (-0.1) em relação a sua última exbição, o que não parece ter afetado Black Lightning já que a série repetiu seus bons 0.5. Supernatural e Arrow ficaram estáveis.

TV a Cabo

Imagem: Divulgação

No sábado o horário nobre foi surpreendido por algo bem curioso. Justice with Judge Janine sempre lidera a noite em relação a CNN e MSNBC, mas desta vez ela conseguiu uma entrevista (por telefone) com o Presidente Trump. É verdade que os dois são muito amigos, mas a participação do chefe do executivo fez 0.18 (em 18-49 anos) e atraiu impressionantes 2.39 milhões de telespectadores. É sábado à noite, senhores.

O especial da HBO, Notes From The Field, não foi muito bem. Registrando apenas 0.08 no demográfico alvo, além de 350 mil telespectadores. Comparado com outros telefilmes da emissora, essa exibição fica bem abaixo (Game Change fez 2.1 milhões em 2012). O curioso é que o monólogo foi bem divulgado na televisão, seja na MSNBC, num podcasdo Politico, foi tema do Nightline na ABC, além do The Washington Post, SalonLos Angeles Times.

Copo meio cheio e o meio vazio

A volta de The Walking Dead pode ser vista de várias formas. O episódio fez 3.6 no demo, o que são menos 1.39 em relação a Fall Season de 2017, mas 0.28 para cima em comparação com 2017. Para efeitos de curiosidade, a midseason premiere exibida contra a cerimônia de encerramento das Olimpíadas de Sochi em 2014 fez 6.6. Last Week Tonight subiu para 0.32, o mesmo feito por Crashing (de 0.10 para 0.16); Divorce (0.12 x 0.14) e (enfim) por Here and Now (0.09 para 0.11). Na Showtime, Homeland caiu pouca coisa para 0.28 e de forma impressionante, The Chi reteu 100% do lead in ao repetir os 0.28.

Na segunda, The Alienist subiu para 0.45 (ufa!), enquanto McMafia afundou com medonhos 0.14 apesar do grande número de comerciais exibidos durante o retorno de Walking Dead do dia anterior. O tão aguardado retorno de UnReal também não foi bem. Foram 0.08, abaixo dos 0.13 do retorno de junho de 2016 e um pouquinho abaixo do Season Finale de agosto de 2016. Para efeitos de curiosidade, a estreia do filme Corra! na HBO fez 0.10 no demográfico e 240 mil telespectadores. Algo aceitável.

Quanto aos destaques da terça-feira, tivemos The Real Housewives of Beverly Hills pulando 0.13 e registrando ótimos 0.65; The Fosters retornou de uma semana de folga com 0.23. The Assassination of Gianni Versace retornou com um respiro. O drama oscilou de 0.33 para 0.34, o que é um alívio.

A tão esperada….

O tão aguardado retorno de Atlanta fez bonito. A série voltou com fortes 0.44, mesmo que abaixo daquels conquistados em 2016 – 0.53. A comédia, vale lembrar, foi precedida pela estreia da versão sem cortes do filme Straight Outta Compton, cuja audiência foi de 0.29 às 19h. RuPaul’s All Stars subiu (+0.11) e marcou ótimos 0.49, enquanto a reta final de Top Chef cresceu de 0.25 para 0.26. Já a Series Finale de Waco fez ótimos 0.29, audiência maior daquela registrada por todo horário nobre da Fox News em 18-49 anos.

Análise Especial da Semana: The Voice

Imagem: NBC/Divulgação

A algum tempo digo que o The Voice perdeu seu brilho na audiência. Não lança mais séries como fazia até The Blacklist estrear e perdia para The Bachelor constantemente no início do ano. As médias das temporadas mostravam justamente isso – um reality show em decadência. Curiosamente, a estreia da 14ª temporada me fez repensar os conceitos.

Isso porque o programa não foi afetado pela ressaca das Olimpíadas, muito pelo contrário, acredito que inclusive beneficiou-se da tonelada de comerciais que a NBC exibiu nos intervalos das competições. Bateu os números da Fall Season, o que é a primeira vez que é acontece na história da competição, geralmente a midseason começa abaixo daquilo feito no final do ano anterior.

O mais surpreendente, entretanto, fica com a força que Good Girls estreou. O drama reteve 53.5% da audiência do The Voice, o que é a maior retenção em comparação com os últimos dois ciclos (The Brave 50%; Taken 51%). É verdade que esses não são os grandiosos números que Revolution fez em 2012 (4.1); The Blacklist em 2013 (3.8); State of Affairs em 2014 (2.2) ou Blindspot em 2015 (3.1), mas no mercado de hoje é algo sensacional.

Top 05:

14ª temporada: 2.8 no demográfico alvo; 12.31 milhões de telespectadores (Fall Season/2017).

13ª temporada: 2.6 no demográfico alvo; 10.57 milhões de telespectadores (Fall Season/2017).

12ª temporada: 3.1 no demográfico alvo; 13.02 milhões de telespectadores (Midseason/2017).

11ª temporada: 3.3 no demográfico alvo; 12.10 milhões de telespectadores (Fall Season/2016).

10ª temporada: 3.3 no demográfico alvo; 13.33 milhões de telespectadores (Midseason/2016).

*Os números finais das Olimpíadas foram colocados na coluna da semana passada.

About Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.