Bates Motel – 5×10 – The Cord [SERIES FINALE]

Imagem: Banco de Séries

Quatro anos, cinco temporadas e cinquenta episódios depois, o Motel Bates fechou suas portas. Chegou a hora de dizer adeus a Norman, Norma e toda a comunidade de White Pine Bay.

Imagem: Banco de Séries

Além do grand finale, o episódio serviu para encerrar as participações de Romero, Emma e Dylan. Dos três, Emma foi a que mais perdeu destaque na reta final da série, servindo apenas de esposa preocupada de Dylan. Uma pena.

O destaque mesmo ficou para as participações de Romero e Dylan. De uma forma diferente do que o personagem esperava, o ex-xerife teve seu nome escrito na história de White Pine Bay. Ele foi a última vítima de Norman Bates. E confesso que não tinha muito como defender o Romero. Tudo bem que ele ficou abalado ao ver o corpo de Norma, mas dar as costas para Norman não foi a atitude mais correta.

E por falar em Norman, apesar de ser magrinho, o jovem é bem mais durão do que aparenta ser. Depois de levar vários socos, ele ainda teve forças para levantar e atacar Romero. Além de dolorosa, a morte dele foi um tanto macabra com o corpo de Norma ali do lado, enquanto ele agonizava.

Já Dylan teve grande participação nessa reta final. Mais do que eu imaginava. Todo o drama do irmão mais velho ao ver seu irmão mais novo enlouquecendo foi bastante comovente. Dylan se mostrou um grande irmão para Norman, apesar de tudo o que tinha acontecido. Até o final, o que ele mais queria era que Norman ficasse “feliz e bem” e que sua família pudesse estar junta e feliz. Impossível não se emocionar com a conversa final entre os dois. Confesso que não esperava que Dylan fosse a pessoa que mataria Norman, mas funcionou bem no episódio. O final do personagem, reencontrando Emma e sua filha foi bem bonito e digno para ele. Depois de todo esse drama nos últimos anos, ele finalmente pode seguir sua vida sem olhar mais para trás.

Imagem: Banco de Séries.

Agora vamos falar do desfecho de Norman e Norma. Muito se especulava se o personagem morreria nesse último episódio. As chances eram altíssimas. Uma das cenas mais bonitas do episódio foi quando, após matar Romero, Norman se “despede” de Norma, com a mãe lhe dizendo que não havia mais nada para ela proteger. Não foi a despedida de sua mãe, mas, sim, a despedida de sua identidade que assumia personalidade de Norma. Ele poderia, dali em diante, ser apenas Norman.

E o episódio foi construído para nos preparar para o grande final, numa mistura de passado e presente. Os flashbacks mostrando as cenas do primeiro episódio da série foram muito bem utilizados. Foi muito legal relembrar como eram Norman e Norma lá em 2013. Ele ainda com cara de estudante do ensino médio. Ela com seus longos cabelos. Ambos se preparando para começar uma nova jornada em White Pine Bay e mal sabendo o que passariam nos anos seguintes.

Sua morte não poderia vir na mão de outra pessoa. Dylan foi a última pessoa viva que o amou e se preocupou com ele. Mesmo que tenha sido obrigado a fazê-lo, o disparo encerrou todo o sofrimento que seu irmão vinha sentindo. O personagem teve o final que esperava: reencontrar sua mãe e passar a eternidade ao seu lado. Não poderia ser outro. A cena de Norma o esperando de braços abertos foi uma das mais bonitas da série. O jovem confuso e perdido podia, finalmente, descansar.

Bates Motel conseguiu entregar não só um episódio final incrível, mas como toda uma última temporada muito boa. Quando anunciaram a série, ainda em 2012, o sentimento que mais se tinha era desconfiança. Afinal, a série iria ser um prelúdio de um dos filmes mais famosos de todos os tempos. A maioria não sabe, mas, na verdade, a história original não é do filme de Alfred Hitchcock mas sim do livro Psicose, de Robert Bloch. Mas é claro que o nome Norman Bates ficou eternizado pela atuação de Anthony Perkins, assim como a “cena do chuveiro” se tornou um dos momentos mais icônicos da história do cinema mundial. Por tudo isso, era óbvio que a série enfrentaria um desafio muito grande. E a série conseguiu, com maestria, provar não apenas ser um ótimo prelúdio, como também mostrou, nessa temporada, que poderia caminhar com suas próprias pernas, saindo da sombra de Psicose.

Observações finais:

  • Uma salva de palmas aos incríveis Freddie Highmore e Vera Farmiga que entregaram o trabalho de suas vidas nessa série. Que show!
  • Um parabéns à equipe que escolheu a trilha sonora desse episódio final. Todas as músicas funcionaram muito bem em suas cenas.
  • O motel não encerrou suas atividades, apenas mudou de direção. Boa sorte aos novos donos. O local carrega muita história.

Obrigado por ter acompanhado as reviews da série aqui no Mix de Séries.

Já está com saudades dos Bates? Dê uma olhada na coluna Fashion Mix dessa semana e veja mais sobre o figurino dos personagens: clique aqui.

The Cord

Nota do Episódio - 10

10

Review do décimo episódio da quinta temporada de Bates Motel, da A&E, intitulado "The Cord".

User Rating: 4.08 ( 8 votes)

About Matheus Ronconi

Paulista, universitário e viciado em séries. Gosto de um pouco de tudo, desde a simplicidade dos sitcoms da CBS até as grandiosas produções da HBO, passando por tudo que envolva super-heróis. No Mix faço review de The Exorcist, The Big Bang Theory e Star Trek: Discovery.
  • Anderson Narciso

    Foi um episódio maravilhoso. Chorei nessa cena final, confesso. Acho que Bates Motel, como um todo, foi uma obra prima. Caminhou por si só, saiu da sombra de Psicose e fez a sua própria versão da historia. Maravilhosa!!!

    Já estou com saudades.

    Parabéns pelos reviews Matheus!

  • Bruno D Rangel

    Não consigo me lembrar de algum episódio que tenha sido ruim em toda a série. Foi um desfecho ótimo. Fiquei feliz de Norman ter morrido, feliz com destaque que Dylan teve no final (na primeira metade da temporada ele praticamente não apareceu) e feliz com o tudo o que aconteceu.

    De todas as potenciais vítimas de Norman, apenas Romero morreu. Madeleine, Dylan, Emma e a Xerife Greene sobreviveram e isso foi bom. A morte de Chick foi totalmente esquecida e o livro e as gravações serviram pra nada (achei que seriam utilizados). O Remo aparecer no final também achei um pouco aleatório, servindo apenas para mostrar como andavam os negócios da cidade, mas não prejudicou nada.

    Duas cenas maravilhosas (a despedida de Norma e o reencontro de mãe e filho) para fechar com chave de ouro a temporada e a série. Sentirei saudades de Bates Motel.