Bomba nos bastidores de One Tree Hill: criador da série estaria ligado à escândalo sexual

Imagem: WB

Uma bomba caiu (ou está prestes a cair oficialmente) na vida dos fãs de One Tree Hill.

Ao que tudo indica o criador da série, Mark Schwahn, estaria ligado à uma série de escândalos sexuais, envolvendo assédio e abuso contra membros da equipe, na época da produção da série entre 2003 e 2012.

A história veio à tona com o relato de Audrey Wauchope, que já atuou em séries como Crazy Ex-Girlfriend, além de de exercer a cadeira de produtora. Ela expôs uma situação que as pessoas imediatamente ligaram à One Tree Hill, e que ela viveu nos bastidores do programa.

Wauchope também atua como roteirista, e seu primeiro trabalho foi a co-autoria de um episódio de One Tree Hill, em 2011. Foi justamente sobre este caso que ela expôs uma situação de assédio, como incentivo após a notícia de que o autor de The Flash e Supergirl havia sido afastado de suas funções após as alegações de abuso, além dos inúmeros casos de assédio sexual que Hollywood vem apresentando.

Hoje foi o dia em que percebi que passei toda a minha vida nervosa por pensar que eu era engraçada porque não estou confortável perto dos homensEste tópico sobre os showrunners é tão importante. A sala dos escritores é um espaço seguro. Espaços seguros não são iguais à um espaço para abusar da segurança.”

É a partir daí que Wauchope ilumina a história, fazendo uma referência à personagem Arya de Game of Thrones e sua lista de nomes. “Sabe por que as mulheres amam a Arya? É porque ela tem uma lista de nomes“.

E continua: “À luz dos relatos contra Andrew Kreisberg, existem alguns pensamentos sobre o meu primeiro trabalho como roteirista que eu queria dizer há anos, mas nunca tive coragem. Quando eu tinha 29 anos, minha parceira de redação @RachelSpecter e eu fomos contratadas para a equipe de roteiristas. Para dizer que estávamos ansiosas, era um eufemismo. Dizer que deixamos esse trabalho desmoralizadas e confusas também é um subavaliação. Uma das primeiras coisas que nos disseram foi que o showrunner contratou mulheres escritoras com base em sua aparência. ‘É por isso que você está aqui – ele quer transar com você.”, disse a atriz.

A parceira citada, Rachel Specter, é também creditada junto a Audrey como roteirista do episódio “I Think I’m Gonna Like It Here“, da oitava temporada de One Tree Hill. O showrunner neste relato a cima seria, portanto, Schawhn.

Ela continuou. “Rachel tinha sido atriz antes de escrever e descobriu que costumavam falar sobre ela na sala de roteirista antes de sermos contratadas. E esse é um espaço seguro para entrar como auxiliares de roteiristas. Imagine o que isso faz para a psique. Imagine sentir o resto da sua carreira que você é possivelmente uma impostora – que talvez você esteja apenas aqui porque você é um corpo, e não uma mente. Ele penetra em seus pensamentos e o mantém acordado à noite e faz você se perguntar.“, destacou.

“Continuando. A equipe estava sentada em sofás. As escritoras femininas tentaram sentar em um local onde o showrunner não se sentaria de modo à não tocá-las. Muitas vezes, esse homem ajudava sentando-se ao lado dele, protegendo assim as mulheres. Algumas vezes não temos sorte, então ele acabou espremendo seu corpo entre nós e nos abraçou, sorrindo. Ele mexeu no cabelo. Ele massageou os ombros. Eu sei que ele fez mais, mas não comigo, então essas não são minhas histórias para eu poder compartilhar.”

Desde então, destaquei ‘Não gosto de ser tocada‘. Isso muitas vezes me deixou com raiva ou não calorosa. É só que eu não conhecia outra maneira de deixar claro que eu não gostava do seu toque indesejado. Continuando. Os homens da equipe tiveram acessos a fotos nuas de uma atriz com a qual ele estava tendo um caso. Fotos nuas que ela não sabia que estavam sendo passadas. Fotos nuas que não queria que ninguém visse. Esta é uma violação, tanto para a atriz como para os homens forçados a olhar e participar.”

“No dia anterior ao casamento da minha colega, ele fechou a porta do escritório e perguntou se ela realmente queria passar por isso. Talvez ele conseguisse uma chance? E então, nós dissemos. Isso é louco. Ele é louco. NÃO. Ele é abusivo.”.

Ele é um homem em posição de poder que foi autorizado a dirigir um programa de televisão durante anos, onde esse comportamento continuou várias vezes. Eu não culpo os homens dessa equipe – eu realmente acredito que também foram vítimas de abuso psicológico e não sabiam o que fazer. Continuando. O dia em que os advogados do estúdio vieram ao seminário de assédio sexual, muitos de nós haviam apontado as questões que deveríamos fazer. Este será o momento em que podemos falar e ele saberá que sabemos! Adivinha quem não apareceu? Acertou. O showrunner não participou da reunião obrigatória de assédio sexual. Eu não culpo o estúdio, eu duvido que eles soubessem. Eu culpo um sistema que permite que uma pessoa tenha tanto poder a ponto de fazer o quiser“.

Audrey Wauchope finalizou seu relato dizendo, “estou furiosa e triste e tudo mais para as mulheres que se sentaram nesse sofá ao lado desse homem. E eu estou furiosa e triste e tudo mais que anos depois eu não me sinto segura para poder fazer algo real sobre isso e isso parece estar acontecendo por toda esta cidade. Eu escrevi tudo isso para dizer que há efeitos psicológicos gotejantes para toda essa besteira e a cidade está repleta de danos colaterais de abusadores que foram libertadas. Se você está sentada em uma dessas equipes, saiba o que você está sentindo é real.“.

O caso tomou uma proporção maior no domingo (12), quando a atriz Hilarie Burton, que interpretou a personagem Peyton na série – e deixou o programa ao final da sexta temporada, apoiou o relato da roteirista. “Ei garota, conte comigo. Deixa queimar, irmã. Amo sua bravura e te apoiarei 100%. Vamos conversar.“, disse Burton.

O curioso é que a saída de Hilarie Burton da série foi envolta de mistérios. Sabe-se que ela saiu por espontânea vontade, e que ela acabou levando junto o ator Chad Michael Murray, uma vez que ele foi demitido para que a personagem de Burton tivesse um final feliz ao lado do personagem de Murray. Mas será que sua saída também se deu devido à um caso abusivo, diante da fala da atriz no Tweet?

Teria esse caso alguma conexão com a história que Audrey relata sobre uma atriz que Schawhn estaria dormindo? Muitos questionamentos que pipocaram na cabeça dos fãs.

A atriz Sophia Bush, que deu vida à Brooke Davis também se manifestou sobre a história. “Eu estou aqui por você. 110%“.

Sobre o post de Sophia Bush, é curioso notar que ela também compartilhou algo em seu perfil sobre a história do autor de The Flash, dando a entender que ela também passou por uma mesma situação, mas se referindo à série Chicago P.D., a qual ela largou o elenco recentemente (saiba mais detalhes deste outro caso aqui).

Já a atriz Bethany Joy Lenz, que interpretou a Haley, também agradeceu ao relato.

Oficialmente, o nome de Mark Schawhn não foi apontado. Não foi feita uma denúncia clara contra o showrunner citando nomes. Entretanto, é evidente que a roteirista está se referindo à ele.

Atualmente, Schawhn é autor e roteirista da série The Royals, do canal E!.

Imagem: TVGuide

É triste ver a história de One Tree Hill, uma série que significa tanto – para tantas pessoas – ser manchada com um possível abuso praticado pela mente por trás deste show. Um homem que, até aqui, foi respeitado pelos fãs que  se esforçam para manterem a série viva até hoje.

Mais triste ainda em ver que Schawhn pode se juntar a nomes ligados por abusos sexuais que Hollywood vem se deparando, incluindo Kevin Spacey e Harvey Weinstein.

Fique ligado no Mix de Séries para acompanhar essa história de perto e para mais novidades.

Comments

comments

About Anderson Narciso

Anderson Narciso
Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.
  • Estou em choque e sim muito decepcionada. Atenta aos próximos capítulos.