Conheça Greenleaf, a nova adição ao catálogo da Netflix que vem fazendo sucesso

O canal OWN, de propriedade da maior apresentadora da TV estadunidense Oprah Winfrey, teve sua estreia em 2011, mas nunca havia alcançado sucesso algum com suas produções originais – até a chegada de Greenleaf.

Criada por Craig Wright, roteirista experiente que já teve passagens por Tyrant, Brothers and Sisters e até mesmo Lost, a série se passa no Memphis e acompanha uma família que é proprietária de uma das maiores igrejas do estado. Essa igreja é liderada pelo Bispo James, papel do ator Keith David e pela matriarca da família Mae Greenleaf, muito bem defendida pela atriz Lynn Whitfield, vendedora do Emmy de Melhor Atriz em Telefilme pela sua magnifica atuação em A História de Josephine Baker. Mas é das ações e do ponto de vista de Grace Greenleaf, a filha mais velha do casal, que a trama se desenrola. Outro ponto importante da série é que, praticamente, todo o seu elenco é formado por atores afro-americanos.

Grace, é a típica ovelha negra da família, que saiu de casa há mais de 20 anos, para nunca retornar. Entretanto, depois de uma grande tragédia – o suicídio de sua irmã – Grace volta para o enterro da mesma, e descobre que mesmo após duas décadas o motivo pela qual ela abandonou a família continua fazendo novas vítimas. Grace, então, decide voltar definitivamente para casa, para poder acabar com aquele mal para sempre. O maravilhoso em Greenleaf é que ela tem de tudo: comédia, drama, barracos, intrigas, inveja, etc. Tudo isso, formando uma deliciosa salada de clichês que faz a série ser emocionante e divertida – e cativar o público de uma forma que todos nós adoramos.

Um dos pontos interessantes em Greenleaf é que a pouca visibilidade da sua emissora não compromete a sua qualidade, muito pelo contrário, tem muito “draminha” de TV aberta que nem se compara a série. Além de Wright, a série conta com a própria Oprah como produtora, que também acha tempo para fazer umas pontas como atriz na série, na pele de uma personagem que ainda vai render bons momentos nessa história.

Agora, sem sombra de dúvidas o grande acerto da série está em seu elenco. Merle Dandridge, que tem em participações em The Night Shift e Sons Of Anarchy, seus papeis mais expressivos, não faz feio. Ela consegue imprimir uma força em sua Grace que é impressionante e mesmo em momentos mais tensos da trama, como quando sua personagem revisita seu passado reexaminando seus erros e escolhas, a atriz dá conta do recado. Keith David, com sua voz imponente, entrega tudo que se espera de um grande pregador como o Bispo James – um homem que fez uma fortuna com a sua fé, mas é Lynn Whitfield que ascende aos céus com a sua performance. Sua Mae é aquela típica personagem que amamos odiar sabe? A atriz constrói uma aura majestosa em torno dela que é impressionante. Sua atuação é folhetinesca, mas totalmente condizente com a personagem, quase como se fosse uma Susana Vieira americana (Sim, amo Susanita, isso é um elogio!).

A série também trata de temas pesados e polêmicos como pedofilia, estupro e a repreensão da homossexualidade e apesar de, pelo menos nessa primeira temporada, existir uma abordagem mais reflexiva sobre esses assuntos, a série cumpre seu papel de contar essas histórias.

Ficou curioso? A série desembarcou aqui em terras tupiniquins no início do mês pela Netflix, e já se tornou um sucesso. corre para ver… Ah, e uma outra novidade: a segunda temporada já estreou nos Estados Unidos. Na torcida para chegar por aqui, também, em breve.

Comments

comments

About marcelosalvador

Check Also

O elenco de Felicity: onde eles estão agora?

Os mais velhos irão lembrar: Felicity foi uma sensação no final da década de 1990. …

  • BernardoVieira

    Que coisa boa ver “Greenleaf” ganhando um espaço aqui no Mix. Acredito agora que a série chega na Netflix, onde se torna popular, o grande público dará uma chance e descobrirá o quão bom esse drama realmente é.

    Analisando as produções da OWN, sendo grande maioria com a marca repetitiva do Tyler Perry, “Greenleaf” é um achado. Traz essas “mega churches” dos Estados Unidos, que existem principalmente na região sul, como pano de fundo e ainda desenvolve questões familiares muito bem.

    Ótima indicação, excelente avaliação e espero que os telespectadores deem uma chance para esse drama.

    • Marcelo Henrique

      Obrigado Bernardo! Realmente Greenleaf é uma achado. Já a tinha visto no ano passado, mas infelizmente somente agora ela desembarcou por aqui. Recomendo outra série do OWN: Queen Sugar, já assistiu?

      • BernardoVieira

        Então,

        Já assisti sim, confesso que não estava muito empolgado já que o trailer não se conectou muito comigo, mas quando soube que tinha Ava DuVernay como responsável corri para assistir e me apaixonei. “Queen Sugar” foi uma grande surpresa de boa audiência também.