Crítica: 7×18 de Once Upon a Time fortalece Alice como destaque da temporada final

Imagem: Divulgação/ABC

Essa semana tivemos um capítulo fraco, sem muitas novidades para o enredo principal. Ou seja, OUAT está “de volta à forma”.

Se é para dizer algo positivo e de forma justa, é bom ver Rumpelstiltskin de volta ao centro das atenções. Essa temporada final se propôs a apresentar uma redenção para ele, com o tal guardião, mas nada de novo aconteceu. Até sabermos que na verdade já havia acontecido. Por isso existe uma ligação entre ele e Alice, a verdadeira guardiã. O único inconveniente disso é, justamente, a imortalidade que vem de brinde. Um fardo para quem conhece a série.

Alice se tornou um curinga na série, justo quando ela mais precisava de alguém para ser uma espécie de guia. Já que os que deveriam ser os centrais não conseguiram cumprir a missão dada. Logo os mais antigos foram os mais apagados. Quase não dá para sentir falta. Sinceramente, queria ter pulado direto para o capítulo 19.

Já Regina, está tão apagada que me dá pena. Ela (Lana Parilla, a intérprete) não merecia esse desprestígio. A personagem, que um dia em seu currículo teve o título de Evil Queen, agora está mais para aquela dona de casa desesperada. Fizeram muito mal quando a deixaram de lhe dar o destaque que merece. Ela e Facilier, confesso, tinham sua química juntos, mas Regina não merece um final com ele. Não mesmo! Eu acredito que OUAT não vai me decepcionar dando, logo para sua melhor personagem, um amor meia boca.

Muito está sendo colocado de lado. Eu só espero que quatro episódios sejam suficientes para tudo.

Henry e Jacinda só terão quatro episódios para se acertarem e, fato é, não conseguiremos curtir o amor deles. Mal deu para curtir o amor de ninguém na verdade. Nessas horas eu penso se não teria sido melhor encerrar tudo na sexta temporada.

Caminho final para nos despedirmos da série…

Antes, eu estava atento e torcia como um mega fã por cada renovação. Desta vez, muito antes de anunciarem o cancelamento, eu o já desejava. O que conseguimos acompanhar agora são romances superficiais (com exceção de Alice e Robin <3), brigas pelo poder sem sentido (Hi, Facilier) e personagens apagados.

ALL MAGIC: A lição de hoje é nunca mexermos com magia. Rumpel sabe disso desde centenas de anos atrás e parece que não aprendeu de verdade.
COMES WITH A PRICE: Cenas bonitas e tudo mais, porém nada de soluções. Será que não se tocaram que a série vai acabar?
ALWAYS: Bom ver Rumpel de volta à ativa, mesmo que de relance. Esse Dark One raiz faz falta.

The Guardian

Nota do Episódio - 7

7

Review do décimo oitavo episódio da sétima temporada de Once Upon a Time, da ABC, intitulado "The Guardian".

User Rating: Be the first one !

About Wellington Torres

Oi, eu sou o Well. Jornalista, amante de séries, animes e totalmente ligado na cultura geek. Responsável pelas reviews de 3% (Netflix), House of Cards (Netflix), Marvel's Iron Fist (Netflix), Shooter (Canal USA), Timeless (NBC), Once Upon a Time (ABC) e Westworld (HBO).