Crítica: American Crime Story conta o início da revolta de Cunanan no episódio 2×06

Imagem: FX/Divulgação

A que ponto você iria para bancar uma mentira? Para conhecer a sensação de ser amado?

Que essa temporada está muito diferente da passada, não dá pra negar, mas precisamos atribuir o brilho que é devido. A história do assassinato de Versace foi muito além do estilista, envolveu muito mais gente do que apenas ele, ainda que ninguém conseguisse reconhecer isso.

Andrew que era um sociopata e mentiroso patológico, não se importava com o preço a ser pago, ele só precisava bancar suas histórias. Norman foi o primeiro escolhido como cliente, um homem que sofrera com a perda de seu companheiro e agora só queria uma companhia verdadeira. Que não era o caso de Andrew, nós bem sabemos.

Entendo a condução da temporada dessa forma porquê na realidade, isso era necessário. Que Andrew matou Versace não era segredo, mas o que o levou a fazer isso é a graça da história. Ao longo dos anos, Cunanan seguiu mentindo, enganando e trapaceando aqueles que estavam ao seu redor. E ao menor perigo de ser descoberto, ele decidiu que era mais fácil cortar o mal pela raiz.

Se houve algum momento ali em que ele chegou perto de ser verdadeiro, foi com sua mãe. Que não muito diferente dele, preferiu enxergar as mentiras do que a vida deplorável do filho, pela menor chance de ter acertado com ele. Mas ela não fez nada e talvez, essa tenha sido a decisão que serviu como estopim de tudo. Ele foi até lá procurando o tão sonhado amor e encontrou mais uma ilusão.

Não há nada que justifique as ações do assassino, mas tudo que ele tinha era inveja do amor. Isso fica nítido no sonho com Versace. O envolvimento com as drogas também não facilitou. A teia de mentiras perfeitas foi se desfazendo com rapidez.

Fiquei curiosa pra saber o que houve com a amiga dele, mas acredito que isso vai ser mostrado nos próximos episódios. O que não posso negar é que esperava que Andrew fosse sincero com o David, o arquiteto realmente parecia estar disposto a ouvir.

A busca sempre foi ser alguém decente para amar, alguém que não fosse somente mais um.

Estamos chegando ao momento crucial da temporada, aquele que vai revelar o porquê Gianni sempre foi o alvo final. A razão pela qual Andrew se sentia tão incomodado, tão inferior àquele que não era assim tão diferente dele. Que também era gay, que tinha bom gosto, que queria o mundo, mas que diferente de Cunanan, tinha tido “sorte” na vida.

Por fim, entendo a frustração de grande parte do público, afinal queremos ver Penelope dando um show, mas tudo no seu tempo. Acho que uma boa ideia vai ser assistir a temporada de trás pra frente quando acabar.

Nota: Mas se tem uma coisa da qual não podemos reclamar é a atuação. Darren parece só melhorar e nos passar um Andrew muito próximo da verdade.

O próximo episódio já está batendo na porta, mas me contem o que acharam aqui nos comentários. Confiram a promo aqui em baixo e nos encontramos logo. Até mais!

 

Descent

Nota do Episódio - 8.5

8.5

Review do sexto episódio da segunda temporada de American Crime Story, da FX, intitulado "Descent".

User Rating: Be the first one !

About Gabriela Scampini

Paulista, estudante de Direito e geminiana. Apaixonada por livros e séries, mesmo sem ter tempo pra nenhum dos dois. No Mix, escreve a coluna #MixAudiência, além das reviews de American Crime Story, Black Mirror, Chicago Fire e The 100.