Crítica: Arrow teve retorno tenso com o episódio 6×14

Imagem: The CW/Divulgação

A espera acabou e os novos episódios de Arrow finalmente voltaram. Começando com Collision Course que foi um dos episódios mais tensos dessa temporada…

Após encerrar o arco Arclight, mas deixando o gancho para a segunda parte da temporada, com Dragon se revelando o grande vilão da temporada, era hora de Oliver e cia. enfrentar as consequências de tudo o que vem ocorrendo neste ano.

Este episódio teve uma premissa similar ao do filme da Marvel Capitão América: Guerra Civil em que dois grupos de vigilantes lutam depois de um desentendimento em como lidar com um adversário de ambos. Com isso, temos os dois lados lidando com suas razões morais, tentando preservar a justiça, e apelando emocionalmente a decisão de que lado ficar. Exatamente o que vimos também neste episódio.

Por um lado, temos Oliver tentando salvar a cidade de um colapso financeiro e estrutural, e do outro Dinah tentando fazer justiça com as próprias mãos. Só que, infelizmente, com isso a série acabou desestruturando um dos seus melhores novos personagens. Desde que Dinah tomou a decisão de liderar seu próprio grupo de vigilantes, a série surpreendeu ao tomar riscos. E era um risco até justificável e que vinha funcionando de certa forma. Só que agora, cega por vingança, abandonou toda a ética que rege a carreira de um herói e quase matou a sangue-frio a Laurel da Terra-2.

A tensão criada na cena foi tanta que me deixou na ponta do sofá sem saber o que esperar disso. O caso tomou uma proporção tão grande e séria que não imagino o que os roteiristas irão fazer para que os dois grupos voltem a se aliar um dia. Acredito que apenas a ameaça de Dragon possa fazê-los retomar a parceria, mas até lá muita coisa precisará ser resolvida. Só esperamos que saibam lidar com todo o problema de forma delicada e satisfatória.

O aspecto político da cidade foi trazido à tona de forma efetiva. Esta talvez seja a pior consequência para os heróis após as ações de Cayden James. Também foi um pontapé inicial para tirar Oliver do comodismo que vinha sendo mostrado. Como o elenco de vigilantes cresceu muito dentro de Arrow, Oliver em certos momentos acaba se tornando apenas um coadjuvante em sua própria série. Estou ansioso para Dragon começar a colocar seus planos em ação e mudar um pouco isso. Parece que não falta muito já que seus infiltrados na polícia da cidade estão mexendo as peças no tabuleiro.

Quentin e Thea tiveram um pouco mais de destaque na trama deste episódio. Quentin continua tentando trazer o lado bom da Laurel da Terra-2 à tona. Acredito que isso um dia ainda possa acontecer. Laurel tem tudo para se tornar numa ótima anti-heroína para a série. Só que o arco da Sereia Negra, apesar de ser um elemento necessário na temporada, está começando a se tornar obsoleto e precisa ser resolvido em breve.

Os nervos à flor da pele chegaram a um nível crítico nesta temporada.  Muita coisa precisa rolar e ser resolvida ainda. Esta sexta temporada talvez seja lembrada como aquela que correu grandes riscos em sua trama. Só fico na torcida para que o resultado disso seja extremamente positivo. Aguardemos apreensivos.

CURIOSIDADES:

– O codinome que Sereia Negra usa, “Siu Jerk Jai” significa “Passarinho”, em mandarim (ou Little Bird, em inglês). Este é um apelido da Canário Negro nos quadrinhos.

– Neste episódio, Quentin mencionou a época em que Laurel esteve sob o comando de Zoom na Terra-2 pela primeira vez em Arrow.

– Wild Dog se refere ao Sr. Incrível como “Mr. T” dizendo “pities these fools“. Está é uma referência ao ator e ex-lutador profissional de mesmo nome e seu bordão “I pity the fool“.

Collision Course

Nota do Episódio - 8

8

Review do décimo quarto episódio da sexta temporada de Arrow, da The CW, intitulado "Collision Course"

User Rating: Be the first one !

About Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.