Crítica: Episódio 3×10 de Blindspot foca no passado recente de Jane

Imagem: NBC/Divulgação

A terceira temporada de Blindspot ainda guarda muitos segredos…

Em Balance of Might, fomos apresentados ao caso dos refugiados do Quênia que são levados para a América para viver o sonho americano. Porém, são usados por uma falsa ONG para promover atos terroristas sem saber.

O curioso nesse caso foi Roman: ele fez a conexão do grupo de refugiados com a equipe de Kurt através de Meg, a namorada jornalista de Reade, que eu já nem lembrava mais que existia. É obvio que uma nova tatuagem estava ligada ao caso. Roman realmente estudou cada membro da equipe, o que explica ter conseguido o cartão de Meg para ajudar os refugiados.

Confesso que achei estranho ele bancando o bom moço e fazendo uma boa ação, mas sua atitude se justificou no decorrer do episódio. Ele viu ali outra chance de atrapalhar os planos de Hank Crawford.

Saya, o líder da tal ONG não teve o tempo de tela necessário para imprimir a imagem de vilão do episódio. Apareceu em poucos flashes e logo foi abatido por Reade. Seu papel era uma espécie de coiote que leva pessoas para a America. O ponto chave é usar refugiados, assunto muito atual e bastante discutido.

Com uma boa dose de flashbacks, descobrimos o que Jane fez dez meses atrás quando seu paradeiro era desconhecido. Basicamente conheceu um cara, Clem, em um serviço. Foi surpreendente saber que Jane se envolveu com outro cara ainda que por uma noite. Como tudo em Blindspot está sempre conectado, Clem faz parte do trabalho da ONG. Uma coisa que me deixou confuso foi Jane ter pedido ajuda dele para localizar sua filha. Pelo visto, eles nunca perderam contato.

O caso foi interessante, teve ritmo, mas faltou alguma coisa…

Meg teve uma grande participação no episódio da semana, mas ainda acredito que ela irá morrer em algum momento da temporada, para que Read fique na pior, seja consolado por Zapata e os dois finalmente fiquem juntos. Com a publicação sobre o caso dos refugiados em destaque, Meg ganha um alvo nas costas e com certeza irá incomodar muita gente.

E apesar de gostar de ver o trabalho de Luke Mitchel, seu tempo em tela parece desperdiçado. Essas mudanças de localização quebram o ritmo dos eventos que acontecem no FBI para mostrando pouca ou nenhuma ação em outra parte do mundo com Roman.

Sobre os Crawfords não descobrimos nada relevante além de Hank ter muitas conexões com todo tipo de setor industrial no mundo todo, incluindo campos de refugiados. A rivalidade de Roman com o braço direito de Hank segue com certa tensão. Victor certamente irá descobrir a verdadeira identidade de Roman e logo depois será morto pelo mesmo para dar continuidade ao seu plano.

Zapata saiu do foco principal para protagonizar mais uma vez esse plot de amiga apaixonada não correspondida. Acredito que ela tenha uma boa história sobre seu trabalho na Cia com Keaton e é isso que queremos ver. Confesso que estou sentindo falta da dupla Zapata/Patterson em ação.

Para fechar o episódio tinha que ter uma reviravolta… Roman manipulou tudo sobre Berlim para ter Kurt em sua mão. Pelo que pareceu ele contratou uma garota para se passar como a filha de Jane e logo depois simulou sua morte. Mas se Avery não é a filha verdadeira, por que ela estava presa? Quem será essa garota? E Jane, será que decidiu esquecer Kurt e se aventurar com seu antigo parceiro de negócios?

Blindspot, como sempre, deixando mais perguntas sem respostas. Até o próximo episódio.

Balance of Might

Nota do episódio - 8

8

Review do décimo episódio da terceira temporada de Blindspot, intitulado "Balance of Might".

User Rating: Be the first one !

About Yuri Alves

Yuri Alves
Bacharel em Direito, fascinado pelo universo dos heróis e um viciado por séries e filmes. Sou um escritor a procura do meu espaço. Amante dos livros e da boa música. A série da minha vida , The OC. No Mix, sou responsável pelos textos de algumas séries como, The Defenders, Dynasty, Blinspot , Ozark entre outras. Quando não estou no cinema ou maratonando uma série estou me aventurando na cozinha.