Crítica: Estranha experiência aproxima Tandy e Tyrone no episódio 1×03 de Cloak and Dagger

Imagem: FreeForm/Divulgação

Visita ao passado explora conexão entre os jovens.

Em seu terceiro episódio, Cloak and Dagger segue apresentando mais desses dois complexos personagens. Tandy estava disposta mais uma vez fugir, e Tyrone estava pronto para fazer justiça com as próprias mãos e vingar a morte do irmão. Mas, essa estranha conexão que existe entre eles une os dois mais uma vez. Conexão esta que Tandy não está nem um pouco interessada.

Os dois, ao mesmo tempo, vivem uma experiência estranha. Diria que foi uma viagem espiritual! Aos poucos a trama apresenta elementos místicos oriundos dos quadrinhos. A sequência de um visitando o passado do outro certamente foi o grande trunfo do episódio.

Eles tiveram uma visão única e intima um do outro. Essa busca por compreensão leva a uma direção! Para encontrar todas as respostas, eles precisam se unir. Mas antes disso, precisam se conhecer e entender um ao outro e, no processo, buscar o entendimento de si mesmo.

Além disso, eles acabam encontrando um equilíbrio para seus medos e esperanças. Com tudo que eles experimentam nessa viagem espiritual, Tyrone percebe que não é eliminando o assassino do irmão que ele fará justiça. E Tandy finalmente entende que ela não deve fugir do passado e do sofrimento. Ambos tiveram conselhos sobre o que fazer, e ao final parece que os dois aprenderam e seguiram esses conselhos… O que mostra uma evolução!

“Você tem que parar de correr! O fim será sempre o mesmo!”

O encontro no vitral da igreja vem cheio de simbolismo. Aquele poderia muito bem ser um encontro de duas almas, que depois de uma experiência acabaram encontrando o caminho um para o outro. Ainda que eles não saibam, são almas gêmeas, destinados a ficar juntos.

Tyrone parece que irá recorrer a prática vodu para tentar entender tudo que vem acontecendo. Uma prática muito comum e popular que está impregnada na historia e na cultura da cidade de Nova Orleans. O que me deixou curioso foi Clarisse. Ela fez um boneco de vodu de Tyrone, com a capa preta em uma impressora 3D. Resta saber quais são suas intenções com isso.

Desde o início, eles estão trazendo problemas relevantes sobre sociedade, família e cultura. Apesar do jeito estranho da detetive O’Reilly, já deu para perceber que ela é o extremo oposto de Connors, o policial que matou o irmão de Tyrone. Essa nova detetive que chegou de Nova York pode significar problemas à corrupção da polícia local. A detetive O’Reilly nos quadrinhos tem uma jornada muito interessante. Se for adaptada à série, irá crescer muito!

Fugindo das armadilhas de roteiro da maioria das sérias, modificando elementos e estereótipos narrativos, Cloak and Dagger tem se mostrado criativa e bastante interessante. Até aqui a série apostou no desenvolvimento de Tandy e Tyrone de forma separada. O final sugestivo mostrou que a partir desse momento os dois se tornarão mais próximos e vão tentar juntos descobrir as respostas para todas as perguntas!

Stained Glass

Nota do episódio - 8.5

8.5

Review do terceiro episódio da primeira temporada de Cloak and Dagger, da Freeform, intitulado "Stained Glass".

User Rating: Be the first one !

About Yuri Alves

Yuri Alves
Bacharel em Direito, fascinado pelo universo dos heróis e um viciado por séries e filmes. Um escritor a procura de seu espaço. Amante dos livros e da boa música. A série da minha vida, The OC. No Mix, sou responsável pela review das séries, The Defenders, Dynasty, Blinspot, Ozark entre outras. Quando não estou no cinema ou maratonando uma série estou me aventurando na cozinha.