Crítica: Final de The Fosters nos deixa com a sensação de que “a vida continua…”

Imagem: Divulgação/Freeform

Antes de mais nada, gostaria de dizer que esses três episódios finais de The Fosters foram desnecessários, e não acrescentaram em nada para a trama, apostando apenas na nostalgia dos fãs. Mas, no geral, o final de The Fosters foi um tributo lindo para a série. Houve fechamento, um vislumbre do futuro e a sensação reconfortante de que a vida continua.

Jantar de Noivado.

Como sabemos, essa Series Finale foi dividida em três episódios e três eventos, respectivamente. Já no jantar de ensaio, tivemos uma apresentação muito clichê do que aconteceu com todos os membros da família Adams-Foster nos 5 anos depois da formatura de Brandon e Callie. Além disso, tivemos a apresentação de Corey, menino do sistema de serviço social que ficou sob cuidado de Stef e Lena por 1 ano. Tivemos também uma introdução à família de Eliza, com seus pais preconceituosos e almofadinhas e seus lindos irmãos.

Falando em Eliza, seus pais passaram a maior parte da noite fazendo comentários sobre o quão “interessante” a família de Stef e Lena era. Além de comparar a criação de filhos adotivos com a adoção de cachorros de rua. Se eles não tivessem dado o apoio final para Lena concorrer a um cargo político local, eu diria que era inadmissível Brandon casar com Eliza.

Continua após a publicidade

Jantar de Ensaio.

Já em “Turcos e Caicos”, o jantar de ensaio foi cheio de drama que não levou a nada. Inclusive, uma das cenas mais fofas desse Series Finale foi durante esse evento. Mat e Mariana cantaram juntos a música “Love Will Light the Day” para Brandon e Eliza. Sim, aquela música que marcou a cena de Romeu e Julieta na terceira temporada de The Fosters. A mesma música que marcou tanto para Mat e Mariana como Brandon e Callie. Durante a apresentação tivemos olhares entre Mat e Mariana, entre Brandon e Callie e Eliza assistindo tudo!

Claro que The Fosters não perdeu a oportunidade para nos mostrar um flashback sobre a relação de Brandon e Callie e levantar a hipótese de Brallie de novo.

Casamento em Turcos e Caicos.

Sei que muitos fãs de The Fosters não concordam comigo, mas o único fato interessante dessa Series Finale foi o casamento ser em Turcos e Caicos. A cena em que todos os irmãos (de ambas as famílias), madrinhas e padrinhos estão no mar brincando e se divertindo foi uma delícia.

Me deu uma vontade súbita de comprar passagem para esse paraíso! Vocês repararam na cor da água? O casamento na praia foi lindo, o vestido de Eliza era lindo, os padrinhos e as madrinhas estavam lindos! O discurso de Stef e Lena foi lindo! Que sonho!

Como está nossa família favorita?

Vamos começar com os updates das nossas Mamas. Descobrimos que Lena continua como diretora de Anchor Beach e passou a fazer parte do conselho da diretoria da escola. Enquanto Stef estava administrando uma agência sem fins lucrativos voltada para o bem-estar de crianças e abrigando famílias sem teto. As duas têm estado ocupadas em promover suas carreiras e cuidar de Corey, quem pretendiam adotar.

A história de Corey foi curta, mas comovente. Sua mãe o queria de volta e Corey estava dividido, mas decidiu que ele precisava ficar com ela. De coração partido, Stef e Lena entenderam e prometeram estar sempre em sua vida, se ele quiser. E mesmo sem fazer parte do casamento, vimos Corey inserido na família Adams-Foster da maneira que mais estamos acostumados a ver novos integrantes. Cheio de carinho, brincadeiras e amor!

Jude e Jesus estavam confusos!

O que aconteceu com nosso querido Jude? Mal-humorado, perdido na vida, pegador e reprovando na faculdade. Com o passar dos três episódios descobrimos que tudo isso era devido ao fato dele não estar se adaptando à vida longe de casa e da família. Afinal, ele passou tantos anos buscando um lar, e quando conseguiu um teve que sair para fazer faculdade.

Claro que uma conversa com Lena, Stef e Callie o fez perceber que se abrindo sobre seus medos ele consegue superar essa fase difícil. Além disso, o quase caso que ele teve com Carter (irmão de Eliza) veio para mostrá-lo a sorte que tem ao ter Stef e Lena como mães.

O egoísmo de Jesus me incomodou um pouco durante as discussões que ele teve com Emma nesses três episódios de The Fosters. Entendi ele estar cansado do relacionamento à distância, mas fazê-la escolher entre ele e o emprego dos sonhos dela foi mancada. Também achei um absurdo ele ir para cama com outra menina assim que terminou o namoro com Emma. Para que tanta pressa? Fiquei feliz de Emma aparecer em Turcos e Caicos de surpresa e descobrir. Jesus parece ser o único que não amadureceu muito em The Fosters e Emma com certeza merece seguir sua vida sem ele.

E os “bem-sucedidos” da família?

Por outro lado, Brandon chega a ser altruísta demais. Era o casamento dele e ele não conseguia dizer o que pensava ou o que queria disso. No final, tudo acabou sendo resolvido, mas foi preciso um empurrãozinho de Callie para ele se impor.

Mariana não é Mariana se não tiver garotos e drama envolvido. Apesar de vários momentos nostálgicos com Wyatt e Mat, o final de The Fosters para a personagem foi perfeito já que ela terminou sozinha. Sempre fui a favor de tanto ela como Callie terminarem sem namorados. Afinal, a vida não é ótima somente quando estamos acompanhados. Melhor ainda é ter vida com uma viagem planejada com seu irmão gêmeo pela Europa! Já falei que amo esses momentos de irmãos gêmeos?

O que aconteceu com a Callie rebelde e divertida? Sabemos que ela amadureceu muito nos 5 anos de The Fosters mas essa menina séria e rígida é um pouco longe demais do que conhecemos da Callie. Sem falar nas roupas feias que ela usou nesses três episódios. Apesar de não ser muito natural você manter uma amizade tão próxima com seu ex, gostei de ver Aaron no jantar de noivado. Gostei mais ainda de ver o clima e os olhares entre Callie e Jamie. Uma pena o beijo ter sido tão sem graça. Será que morando em Los Angeles ela vai conseguir relaxar um pouco?

Callie e Brandon?

Acredito que o que mais me incomodou nessa Series Finale de The Fosters foi o clima entre Brandon e Callie. Sim, de novo! Os três episódios se arrastaram de uma maneira que dava a indicar que talvez teria algo entre os dois de novo. Ainda bem que isso não aconteceu.

No final, os dois tiveram uma conversa aberta e sincera. Callie e Brandon chegaram a um acordo de que fizeram o correto ao desistir de sua paixão para que Callie pudesse fazer parte da família Adams-Foster anos atrás. Concordei totalmente! Afinal, mais vale uma amizade pela vida inteira do que arriscar num romance que muito provavelmente não daria certo.

Good Trouble!

Restou ver o que se passou em Los Angeles: Callie conseguiu um emprego com um juiz conservador, o que fornece mais possibilidades de criar um impacto e causar mudanças. Enquanto Mariana conseguiu um emprego na área de TI, também em Los Angeles. Acho meio surreal ela recusar um emprego em Silicon Valley, centro global de tecnologia e inovação. Mas, isso nos dá a chance de ver as meninas Adams-Foster morando juntas e vivendo suas vidas adultas em LA.

Os Adams-Fosters fizeram as malas, deixaram para trás a árvore de Frankie e tiraram uma última foto de família na frente de sua casa antes de seguir em frente.

Continua após a publicidade

É hora do próximo capítulo para eles e para nós. Embora velhos amigos com certeza apareçam no spin off Good Trouble de vez em quando, é incrivelmente triste dizer adeus a essa interação da família Adams-Foster. Quanta sorte nós tivemos de ter um drama familiar tão leve que não tinha medo de abordar assuntos difíceis e delicados. Com certeza The Fosters ajudou muitos jovens que se sentiam sozinhos em meio ao sistema de serviço social, descobertas de sexualidade, dúvidas de carreiras, preconceitos, romances e amizades.

Sem sombra de dúvida, The Fosters vai fazer falta…

"Meet the Fosters", "Turks & Caicos" e "Where The Heart Is"

Nota dos episódios - 7.5

7.5

Review dos episódios finais de The Fosters, da Freeform, intitulados "Meet the Fosters", "Turks & Caicos" e "Where The Heart Is".

User Rating: Be the first one !

About Camila Cotrim

  • Rodolfo Lobo

    Que Review ótimo
    Obrigado!
    Nenhum blog fez reviews da última temporada (acho que todos ficamos com ressaca das máscaras escolhas da 4a temporada).
    Me emocionei muito com esses episódios de fanservice e senti que o final trouxe aquele sentimento tão comum quando amamos nossa família e, apesar disso, seguimos em frente rumo ao desconhecido.
    Torcendo muito pra que o spin-off seja bom (acho que não será se os roteiristas manterem a Mariana em vai e vem com garotos e a Callie nos passando raiva). Talvez os produtores resolvam fazer uma série na vibe de The Hold Type e a gente possa ter mais 5 anos maravilhosos com boas histórias e muita representatividade