Crítica: Jesse acerta as contas com Jody na Finale de Preacher

Imagem: AMC/Divulgação

O melhor episódio da temporada! Mas acho que abriu brechas para uma bagunça tão grande que não sei se haverá uma solução sensata. Mas estamos falando de Preacher, não é mesmo?

Por diversos motivos esse foi o melhor episódio da temporada, mas só pela porrada que o Jody tomou do Jesse já vale o título.

Aqueles flashes entre o jovem e o velho Jesse foram muito importantes nesse episódio. Durante a temporada inteira, eu fiquei juntando os motivos de ódio que ele tinha de sua avó. The Light Above fechou isso com chave de ouro. Além de matar seus pais, a velha ainda humilhava o Preacher e seu sobrenome paterno.

Descanse em paz, querido Hoover!

Sinceramente, estou de luto pelo Hoover. Quando o Herr Starr tirou o chapéu do seu melhor agente, fiquei pensando: que série maluca! Depois eu lembrei que estava assistindo Preacher e o susto passou. Mas ainda assim, esse personagem fará muita falta.

Algo que me deixou animado foi a fala do Starr: “Precisamos de um novo Hoover!”. Será que o Graal também clona seus funcionários? Será que tem mais de um Herr Starr? Será que teremos o Hoover de volta na próxima temporada? Não sei, mas se rolar algo do tipo, vai ser bem irado!

Hoover foi um parça de verdade. Ver o agente levando um guarda-chuva para o Cassidy quase me emocionou. Seu retorno à casa da vovozinha foi bem suspeito, mas eu confesso que caí na lábia do cara. O único porém é que, realmente não dá para trair uma empresa com bons benefícios, não é mesmo?

Imagem: IMDb/Divulgação

Briga dos infernos

E não é que o amiguinho do Hilter foi mesmo resgatá-lo? Eu já imaginava que ele iria aparecer, só não pensei que seria numa equipe tão estranha e escrota. Ver alguns tomando uma surra da Tulip foi bem prazeroso. Vamos combinar que aquela mulher briga muito. Dizem que os opostos se atraem, mas ela e o Jesse têm tanto em comum que começo a duvidar desse ditado. Não é à toa que eles estão juntos há tanto tempo e lutam para não se separarem.

Outra dupla que rendeu bons momentos foi o Santo e o Anjo da Morte. Juntos acabaram com o exército nazista, arrancando gritos, membros e suspiros (esse último foi arrancado de mim, mesmo). Se, por um lado, a parceria deles deu muito certo, por outro, não sei se foi legal ver o Anjo tomar uma surra de perder os olhos. Tudo bem que o Santo dos Assassinos é bem badass, mas ganhar de um anjo foi exagero.

Algo que trouxe um alívio à briga infernal foi a aparição de Deus. A conversa dele com Tulip foi bastante interessante. Gostei muito da postura dela ao encarar o Criador como se ele fosse um adversário de um jogo de poker. Só quero ver como será quando Jesse voltar à sua busca divina.

Os vira casacas!

Percebi, desde o episódio anterior, que havia uma certa desconfiança do Santo com relação às ações do capiroto. Houve até umas farpas trocadas entre ele e o Anjo da Morte, algo que resultou no prejuízo permanente para o Ceifador. Depois do embate pela vida de Hitler, percebi que o Santo já estava mais reflexivo quanto ao seu papel. Ao final, o cara deu um tiro no capeta, deixando Adolf no comando. Nessa parte, fiquei impressionado com a atitude falsiane do Ceifador, que logo se prontificou a chamar o nazista de “Senhor”.

A vingança de Cass contra Eccarius foi outra virada de casaca genial. Quem diria que a vovozinha teria dado ouvidos a Cassidy e convencido todos da trupe das sombras a vingarem a morte dos seus amigos… Aquela cena foi impressionante, pena que quase todos morreram por causa do ataque do Graal. Gostei que o Kevin e sua avó conseguiram escapar do massacre solar.

Aventuras em um mundo pré apocalíptico

Como eu disse no começo, a confusão no mundo de Preacher não está pouca. Se com o sumiço de Deus a coisa já tinha desandado, imaginem o que vai ter de confusão com a morte do príncipe das trevas. Sem falar nos Hamperdoos que foram soltos por Jesse – isso se algum deles conseguir sobreviver sem ser atropelado enquanto atravessa a rua.

Aí você acrescenta na lista o Herr Starr pronto para vingar-se de Jesse, após ter sido condenado a expor a sua “nuca de piroca” para o mundo. E também tem o Graal com um plano de contingência para combater Jesse e sua entidade.

Fora isso ainda tem a dúvida que não quer calar: quem era aquele anjo pendurado bem acima de onde Cassidy estava preso? Será o pai ou a mãe de Gênesis?

A próxima temporada promete!

The Light Above

Nota do episódio - 10

10

Review do décimo episódio da terceira temporada de Preacher, da AMC, intitulado "The Light Above".

User Rating: Be the first one !

About Albert Moura

Albert Moura
Jornalista e seminarista, além de pai de primeira viagem. Casado com a Ana, mas amante das séries. Atualmente acompanha Outcast, Better Call Saul, American Gods, Lucifer, Gotham, o universo Marvel, Arquivo X e mais algumas, além de também ser um eterno fã de Friends. No Mix, escreve sobre Preacher e Lethal Weapon.