Crítica: TWD resgatou a nostalgia em 8×13

Imagem: AMC/Divulgação

Parece que The Walking Dead essa semana superou em relação ao conteúdo que veio nos apresentando, desde fevereiro.

Opa, espera aí! Foi isso mesmo que eu vi? Referências de personagens e momentos passados, a volta dos zumbis como ameaça e o clima de tensão que faz um episódio de 40 minutos parecerem bem menos? Demais!

Tivemos como trama central deste episódio mais um dos ataques dos Salvadores, desta vez liderados por Simon (Steven Ogg). Contudo, sem a presença de Negan (Jeffrey Dean Morgan), o capanga ignora completamente suas ordens e faz um ataque à Hilltop, para matar. Como de costume, muitos são atingidos, dos dois lados, mas Maggie (Lauren Cohan) parece ter um plano bem estruturado, fazendo com que os vilões saiam em retirada.

Lembrando que as armas dos Salvadores estão contaminadas com sangue de walkers, aos poucos os atingidos vão morrendo e voltando à vida, em especial Tobin (Jason Douglas), matando seus colegas enquanto dormem. A última vez que tivemos algo assim em tela, com o perigo dos mortos realmente em primeiro plano, foi durante a quarta temporada, na prisão. Se lembram de quando a uma doença havia contaminado muitas pessoas de lá, onde aconteceu exatamente a mesma coisa do episódio de hoje? Nos deixou aquele gostinho de nostalgia, com certeza.

Se você assistiu e se preocupou com Tara (Alanna Masterson) por ter tomado uma flechada do Dwight (Austin Amelio), fique tranquilo(a). O fato dele ter atirado nela foi justamente para salvá-la de Simon, pois as flechas não estavam contaminadas. Quem leu a HQ sabe do que estou falando.

Como falei em nostalgia antes, foi gostoso ver menções ao Governador (David Morrissey), Merle (Michael Rooker) e até mesmo Sophia (Madison Lintz). Essa última me lembrou por conta do menino Henry (Macsen Lintz). Após fazer a burrada que toda criança faz nessa série, o garoto acaba soltando os Salvadores reféns. E, da mesma maneira que a filha de Carol (Melissa McBride), ele desaparece. Resta aguardar para saber se o destino dele será o mesmo.

Imagem: AMC/Divulgação

Três pontos altos…

Um dos Salvadores mostrando lealdade à Maggie, Rick (Andrew Lincoln) e cia, o que me surpreendeu muito… Siddiq (Avi Nash) em ação, mostrando a que veio e nos orgulhando por, entre milhões de aspas, “não ter deixado a morte de Carl (Chandler Riggs) em vão”. E o surto de Morgan (Lennie James) que, de certa forma, nos faz questionar se ele está bem o suficiente para a guerra. Afinal, o psicológico dos personagens não é algo que vem sendo trabalhado nesta temporada.

Não deixe de comentar o que você achou desse episódio! Será que TWD tem como resgatar a boa essência que tem? Nós cremos que sim!

About Rodrigo Sodre

Rodrigo é um rapaz que cresceu, mas manteve todas as alegrias da infância consigo. Com 22 anos, é formado em Jornalismo e joga videogame desde quando usava fraldas. Apaixonado por zumbis, começou a se interessar pelo gênero quando viu a primeira intro de Resident Evil 2. Hoje é fã fiel de The Walking Dead, e continua jogando, lendo, vendo filmes e séries.
  • EDIVO MACEDO!

    Ao invés de nostalgia, eu senti foi gosto de repetição. Só