Desvendando The OA: teorias e segredos da série

theoa mix de series
Imagem: Mix de Séries

The OA pegou todo o mundo de surpresa. Sabia-se na indústria que Brit Marling e Zal Batmanglij, dupla conhecida do cenário independente norte-americano, estavam trabalhando em uma série original para a Netflix. Mas só. Não havia sinopse, trailers, imagens ou elenco definido. Em um dia, de repente, a plataforma de streaming faz o que já está acostumada: libera um vídeo surpresa, atiçando a curiosidade do público. O mais insano é que a estreia estava marcada para dias depois. Sem muito tempo para pensar, todos viram o programa chegar e surpreender com sua trama diferente de tudo já visto. Embora arriscado (quem não divulga seu produto hoje em dia?), é uma decisão sábia: The OA depende das surpresas guardadas em seus capítulos, ela precisa que o público esteja desarmado e aberto às possibilidades. Com uma grande campanha de marketing, é bem provável que muito da história seria descoberto antes, estragando a experiência.

Dito isso, depois de assistirmos tudo e passarmos horas quebrando a cabeça e discutindo sobre a trama, decidimos jogar um pouco de luz sobre os inúmeros segredos do show. Vale apontar que nada aqui é uma verdade absoluta. Tudo se baseia no que vimos durante os ótimos oito episódios de estreia de The OA. Não tivemos acesso a nenhuma notícia ou roteiro. Com o que temos em mãos, começamos a montar o quebra-cabeças. No final, algumas peças ficaram de fora e outras ainda não parecem bem encaixadas, mas a figura começa a se formar. E ela é linda.

O que é OA?

Comecemos pelo mais fácil. São explícitos pelo menos dois significados interessantes ao termo OA. O primeiro, sugerido por Prairie na metade da temporada, deriva da palavra “away”. A sonoridade de “away” lembra o som das vogais O e A em inglês. Além disso, a palavra away tem muito significado na própria trama, já que o “distante”, o remoto e o além, estão sempre em voga. O outro significado é mais explícito e acessível, mas rende uma série de questionamentos. Na reta final da temporada, Prairie refere-se a si mesma como Original Angel (Anjo Original), o que faz total sentido dentro da história, já que a protagonista considera a si e seus parceiros de cativeiro como anjos.

OA mentiu ou contou a verdade?

Saindo do fácil, vamos ao mais direto e o que todos querem saber: OA mentiu sobre seu tempo no cativeiro? Toda a sua história sobre movimentos, dimensões e anjos era uma mentira? Particularmente, não. Prairie/OA contou a verdade. Há provas disso espalhadas pela séries, assim como também há provas de que ela contou pequenas mentiras. Se OA sofre algum distúrbio é uma outra questão, mas o que ela contou é verdade. Ou ela acredita ser verdade.

A série como um todo, afinal, é sobre acreditar. Dito isso, a trama depende que nós, espectadores, acreditemos na história e na protagonista. Faz diferença se OA mentiu, sendo que ela acredita piamente na história? É possível que alguns detalhes tenham sido omitidos ou totalmente inventados, mas o cerne é verídico. O quadro geral, contudo, necessita da nossa crença. A série oferece todas as ferramentas e deixa que cada um de nós tire suas conclusões: você prefere acreditar em OA ou duvidar? Nós, assim como os personagens, temos o direito de acreditar ou negar tudo.

Quem não acredita na jovem, logo cita os livros encontrados por French, que supostamente revelariam a mentira por trás de tudo. O que nos leva ao próximo tópico…

O que são os livros? Eles são de OA ou foram plantados na casa?

Fica claro que cada livro representa um elemento-chave da história de OA. Há um livro sobre as grandes famílias russas, outro sobre anjos e assim sucessivamente. As questões que ficam são: Prairie comprou e criou suas histórias a partir dos livros? Os mais céticos dirão que sim, mas não acredito nisso. É possível, sim, que os livros sejam realmente de OA e que ela os tenha comprado e lido, mas não para inventar a história, mas entendê-la. Assim, Prairie comprou os livros para que fim? Caso ela tenha obtido os livros pessoalmente, é possível que assim tenha feito para que pudesse entender toda sua trajetória. Não é absurdo pensar que ela buscou informações sobre o passado. É tolo pensar que ela quis saber mais sobre a vida na Rússia ou a crença em Anjos? Claro que não.

screen-shot-2016-12-19-at-20521-pmpng.png

Mas a grande questão é: os livros são de Prairie? A maior possibilidade é que os volumes não sejam da jovem. Alguém os colocou no quarto dela para que alguém os descobrisse. O provável responsável? Elias, o cara do FBI que parece muito bonzinho. Por quê? Pra começar, o FBI parece saber de algo desde o início, e Elias parece particularmente envolvido com toda a história de OA. Além disso, ele parecia muito interessado e disposto a descobrir detalhes sobre a vida dela. Mas o principal: o que Elias fazia na casa de Prairie no meio da noite? Ele pode ter ido ajudar, mas isso parece pouco provável. Teorias apontam que ele plantou os livros na casa, para que os amigos de OA achassem e passassem a desconfiar da amiga.

Sem os companheiros, Prairie estaria sozinha e vulnerável, estando aberta às investidas de Elias, que entraria ainda mais em cena para descobrir o passado do Anjo Original. Ou ele (e o FBI) querem apenas abafar o caso. Mas Elias parecia estar chegando na casa, e os livros já estavam lá. Então, por que ele retornou ao local, se já havia plantado o que queria? É possível que ele já estivesse na casa, e não chegando. Ele talvez tivesse acabado de guardar os livros no quarto.

Elias – ou o FBI – sabe de alguma coisa? Como ele sabe?

Não é claro se o FBI sabe sobre o passado de OA, Hap e todo o experimento. É possível que apenas Elias tenha mais informações sobre tudo isso. Mas como ele sabe? Isso nos leva a outra pergunta: Hap trabalha sozinho? Não é absurdo imaginar que Hap tenha contatos e ajudantes fora da casa. Uma prova disso é o encontro entre ele e outro médico. Fica óbvio que o sujeito também fez ou ainda faz pesquisas sobre Experiências de Quase Morte, e ainda podemos perceber que Hap talvez tenha ou trabalhado com ele ou roubado algumas de suas ideias e estudos. Hap definitivamente não anda – ou andou – sozinho nessa história toda.

Com isso, é possível, embora pouco provável, que Elias conheça Hap. Ele pode ser um admirador do trabalho do médico ou até mesmo um ajudante. Hap deixou OA sozinha na estrada, então é possível que ele tenha enviado ou pedido ajuda para alguém seguir os passos e controlar Prairie. Caso tudo isso seja bobagem, temos outras três opções: 1) Elias e o FBI já estão investigando o caso há mais tempo; 2) eles não estão investigando, mas Elias acredita em OA; 3) Elias não sabe de nada e tudo é uma coincidência.

French e Homer e todos são versões alternativas uns dos outros

Fica implícito que o grupo de amigos no presente é um espelho do grupo de cativos no passado. Homer aparecendo no reflexo de Franch deixa isso claro – e confuso. Mas não só ele seria um versão alternativa de outra pessoa. É possível que os grupos estejam em dimensões diferentes. É possível, também, que eles habitem a mesma dimensão (como prova o vídeo que Prairie assiste no início da temporada e traz Homer no hospital, depois do acidente no jogo), mas sejam realmente versões alternativas um do outro, algo como almas relacionadas ou gêmeas, equivalentes.

frenchor-homer.png

French é Homer: ambos são esportistas, possuem algumas características em comum e possuem forte ligação com OA. Betty tinha um irmão com sérios problemas com drogas, enquanto Scott é um usuário de drogas (vale apontar que Betty diz ter uma forte ligação com o irmão falecido). Buck e Rachel cantam, Jesse e Renata tocam violão e guitarra. Mas e Stevie? Ele seria o equivalente de OA, perdido no mundo, líder do grupo, fora a semelhança física.

Rachel é uma agente do FBI.

Fãs apontam em fóruns que Rachel é, possivelmente, uma agente do FBI infiltrada. E a teoria faz sentido. Primeiro porque o nome dela aparece em braile no lugar onde Elias atende. Além disso, ela é a única que não traz um movimento ao processo. OA, Homer, Scott e Renata descobrem e levam um movimento, enquanto o quinto é revelado pela esposa do xerife. Isso porque Rachel não tem habilidades, ela está ali apenas para coletar informações. Ela não faz parte do experimento.

rachel-and-her-dead-plants.png
As plantas mortas na cela de Rachel.

A teoria é tão boa que corrobora outra teoria: a de que Hap não está sozinho e o FBI está por dentro de tudo. Rachel está no cativeiro para conhecer aquelas pessoas, entender o experimento e ainda manter um olho em Hap. Outro detalhe importante: ela é uma das personagens cujo passado menos aparece ou é comentado. Outras apontam que as plantas em sua celas são as únicas sem vida.

O que aconteceu no final?

Muita gente ficou confusa no final, mas o desfecho não é difícil de entender, pelo contrário. O que complica tudo é o fato de não sabermos o que acontece depois ou onde OA estava na última cena. O que possivelmente ocorre é que, com os movimentos executados pelos cinco companheiros, o “portal” se abriu. OA levou um tirou e pode ter morrido. Lembre-se que era morrendo que ela acessava novas informações e dimensões. Pode ser que ela tenha falecido na ambulância ou no hospital e, quando acordou, já estava na outra dimensão. Sua morte aliada ao portal aberto permitiu o acesso à dimensão onde Homer estava.

screentheoa
Cinco rachaduras convergem em um ponto (o tiro). Cinco amigos se juntam por OA.

Outra possibilidade interessante é de que OA não tenha ido para outra dimensão, mas que Homer tenha vindo para a dimensão dela. Com a passagem aberta, é possível que OA tenha acordado no hospital (o ambiente era demasiado branco) e encontrado Homer que veio vê-la.

Por fim, encerro com a imagem abaixo:

Você acredita?

screen-shot-2016-12-20-at-34419-pmpng.png

Comments

comments

About Matheus Pereira

Matheus Pereira
Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.
  • Gabriel Alves

    Parabéns pelo incrível post 😀
    Ainda não sei se é tudo verdade ou se é apenas uma mina com sérios transtornos :/ Ansioso pela próxima temp.

  • Taynná Rufino

    Excelente análise da história, parabéns!
    Concordo com o que vc disse, e me fiz todos esses questionamentos tbm, mas uma coisa me deixou intrigada, quando Alfonso abre o closet da OA, aparece a caixa do violino dela. Sabemos que ela foi “sequestrada” junto com o violino e sua caixa, então como ele foi parar ali!?? Elias ou outra pessoa teria implantado a mando de Hap, e aí a história seria toda verdadeira ou foi tudo uma invenção e quando ela retornou trouxe consigo o violino tbm?
    E o que aconteceu com as cobaias do outro médico? Se eles foram soltos, o FBI já estaria ciente do que aconteceu e talvez já estivessem à procura do Hap, já que é bem provável que alguma camera ou testemunha tenha flagrado ele no hospital. Assim, se tudo foi verdade, e nada veio à tona, é pq o FBI muito provavelmente já estivesse com uma investigação em andamento e abafou o caso.

    • Carolina Mello

      Vdd! Não tinha me dado conta do violino, agora buguei

      • Guilherme Aguiar Santos

        As pergunta são: Ela foi mesmo sequestrada?. Ela foi mesmo adotada?. O pai dela morreu? essa série é de ficção-cientifica?

    • Também questionei essa parte do violino, mas a minha prima me lembrou que ela provavelmente tinha um violino de criança quando ela era criança (por causa do tamanho etc) e daí quando ela era adolescente provavelmente ganhou um violino de adulto e seria esse que ela levou com ela para nova iorque e o pequeno que ficou em casa foi o que o Alfonso viu. Talvez tenham mostrado essa cena do violino no armário justamente para dar pistas de que ela estava contando a verdade (pelo menos em algumas partes da história dela).

      • lillizinha

        Pensei o mesmo… Mostra muita coisa de quando ela era criança no quarto. O case do violino poderia ser da infância.

    • Gabriela Alves

      Os pais dela podem ter comprado um violino novo depois q ela voltou

  • Caroline Marques

    Ali no final, quando o garoto atirou, eu acredito que o tiro iria matar outra pessoa, mas como o portal se abriu, direcionou o tiro para ela, para que ela salvasse alguém, corroborando a teoria dos anjos e também aquela história de que a chave era a escolha, livre arbítrio! Rachel realmente não tinha nada a ver com o resto, Hap não está sozinho, o cara do FBI não me parece sincero… Vem segunda temporada!

    • Pedro Gabriel Santos

      tenho quase certeza que era pro Steve morrer nao mostraram o atirador, mas ele parecia o carinha do coral q cantava de qm o Steve quebrou a garganta.

  • Wendio

    São muitos caminhos. fico louco so de pensar

  • Teve um amigo meu que disse que os cinco movimentos são referência à dança Macarena, hahaha.
    A série é muto boa! Quase morri pensando que estava sendo enganado.

    p.s.: A casa de vidro eles copiaram do BBB! Que coisa feia! hahaha

  • Matheus, fala que a protagonista num é a cara da Elizabeth Mitchell, a Juliet de Lost? Teve um amigo meu que disse que os cinco movimentos são referência à dança Macarena, hahaha. Brincadeira à parte, o seriado é muto bom! Quase morri pensando que estava sendo enganado.

    p.s.1: A casa de vidro eles copiaram do BBB! Que coisa feia! hahaha
    p.s.2: O seriado me lembrou um pouco o reality show Solitários que passou no SBT;
    p.s.3: Cadê o Castiel entrando no meio da história para eles entenderem o que eles são de verdade? Caso role um crossover com Supernatural, eu volto a ver os Winchesters, hahaha;
    p.s.4: No último episódio rolou a cena no espelho igual em Sense8.

  • pablo leonardelli

    Digamos que ela tenha inventado, como se explica o fato que todo mundo esqueceu que ela era cega e volta a enxergar?

    • Érlon Vieira

      Ela não inventou, simples.

    • eu só penso nisso. tantas teorias e nenhuma menciona sobre a cegueira. se ela via o tempo todo e se fingia de cega esse tempo todo (pq as vezes quando era pequena e sofreu o acidente, tenha ficado temporariamente cega por conta do gelo no olho mas depois voltou a ver porém sustentou a mentira). Ou se ela ainda é cega mas se for um delírio, coma, sonho, eqm, ela consiga ver nessas situações. ou se em cada dimensão ela está de um jeito…
      essa parte da cegueira não consegui entender

  • Wesley

    Por que ela pula da ponte no início da série? E por que ela pede que os 5 participantes deixem as portas da frente abertas?

    • Halyson Fernandes

      Acredito que ela estava tentando ter uma nova EPM pra tentar voltar pro universo paralelo que Homer está. A porta da frente aberta tbm deve ter alguma coisa a ver com essa conexão entre os mundos e cada personagem ser reflexo de outro. A porta da Buch foi fechada e talvez por isso que a Rachel (reflexo dela) não conseguiu revelar um dos movimentos.

    • Érlon Vieira

      A porta significava confiança, eles tinham que deixa-la entrar na vida deles e conficar na história dela, a porta aberta era um símbolo disso…

    • Caroline Brasil

      Na série ela diz que quando sair gostaria de nadar, pq gosta de sentir q n está em um lugar totalmente escuro… Naquela parte que todos dizem o que gostariam de fazer

  • Ingryd Reigado

    Estava pesquisando e aparece as hipóteses de que o garoto responsável pelo tiroteio seria o mesmo que Steve bateu e que nessa mesma cena o cozinheiro que o desarma seria o cientista.. quando voltei pra reparar no rosto dele realmente parece muito… isso me deu erro totalmente, será possível? Essa cena ficou muito no ar com o fato de não podermos ver quem é quem.

  • tudo azul.

    Alguém me explica pq OA tá com uma tornozeleira eletrônica no último ep??

    • Guilherme Carter

      Não sei se já descobriu, mas caso não, a tornozeleira é feita para impedir que alguém se aproxime de certa pessoa ou se afaste de algum lugar. No caso, a tornozeleira da Prairie era para evitar que ela se aproximasse dos meninos.

  • Miss (in)responsavel

    =Porquê então ela não escreveu toda a carta só o nome dela?A carta inteira é digitada pelo computador de cego dela.Só o nome dela é escrito.

    • lillizinha

      Pq ela foi alfabetizada em braille. Cegos normalmente só sabem escrever seus próprios nomes.

  • Marcos Kauffmann

    uma pequena observação pra galera começar a pensar diferente, eles encontram um video dela tocando no metro, essa é mais uma pista do que ela falou, ou seja a historia realmente pode ser verídica

  • kamzz

    Outra coisa intrigante foi quando o Hap mata o cientista dentro do necrotério do hospital e ao sair da sala ele pede para a enfermeira ligar para o FBI e dizer que “tinha gente lá dentro precisando de ajuda”. Foi como se ele ja soubesse que o FBI saberia o que fazer, e como se eles fossem do mesmo grupo, ele e o que ele matou, mas que tinha havido um “problema”, dai o FBI encobre tudo, tanto que Hap sai da história impune, ninguém o procura nem nada.
    Eu to locaaaaa com essa serie

    • Rita

      Queria entender como o Hap arruma tanto dinheiro para viajar e sair para os lugares, sendo que ele é um cientista que trabalha só pra ele. E já que o cara do necrotério era um cientista e usava as pessoas como cobaias, o que aconteceu com aquelas pessoas que ele fazia experimentos? Será que o cara do necrotério conseguiu sobreviver?

  • Rafael Mateus

    É válido todo o questionamento sobre a história, também me questionei bastante, porém tem 2 fatos que me levam a acreditar que a história da OA possa ser verdade, começando pelo mais impactante:

    Ela era cega e, após 7 desaparecida ela volta pra casa enxergando, muitos disseram “nossa mas ela poderia ter fingido o tempo todo por algum motivo”, tudo bem isso é até válido mas e se levarmos em conta de que a mãe dela é super-protetora e com certeza deve ter feito inúmeros exames na OA quando ela era criança pra saber se havia algo que pudesse ser feito para a menina voltar a ver.

    Minha segunda observação não é menos importante, na verdade é até mais insana:

    No episódio que ela entra na casa abandonada pra pedir internet, e um fodendo cachorro avança nela e ela simplesmente dá uma mordida no cachorro e de repente ele já não quer mais ataca-la, como se ela fosse uma conhecida dele, isso sim é difícil de se explicar como ela conseguiu fazer aquilo com o cachorro? No momento estou muito curioso pra saber e eu quero muito acreditar que a história dela realmente existe.

    • Gabriela Alves

      Essa parte do cachorro pra mim serviu pra confirmar ainda mais a história dela, mas me baseio em fé mesmo e energia.
      Ela teve um jeito especial de conquistar o cachorro e acalma-lo de um jeito que depois ele até queria ir com ela e deixar o menino pra trás. Esse foi meu modo de interpretar o que aconteceu.

  • Gabriela Alves

    A Rachel pode até ter conseguido a voz dela depois de uma EQM, mas ela não é um anjo igual aos outros. Tanto que ela foi a única a não trazer movimento nenhum, sendo que até a Renata (que chegou por último) conseguiu o quarto movimento!!!