E o Globo de Ouro irá para… a previsibilidade?

Imagem: Amazon, Hulu, HBO via News Line

O Golden Globes é uma premiação curiosa. Ela me incomoda, a certo ponto, ao descaracterizar essencialmente alguns filmes e séries: desde quando Perdido em Marte é uma comédia, e Downton Abbey uma minissérie?

De qualquer forma, é prestigiada. A prima distante do Oscar, serve como termômetro para as premiações que virão no ano, e não é diferente para a televisão. Mas o Golden Globes tem caído na mesmice de premiar o “novo”, o que está “na moda”, e tem ignorado grandes preciosidades da TV.

Game of Thrones, é uma delas. Passou anos ignorada, levou apenas um prêmio na primeira temporada para Peter Dinklage com Melhor Ator Coadjuvante. Este ano, ganhou nomeação a Melhor Drama, mas todos sabem que é figuração.

E indo pelo caminho da novidade, assim como fez em 2017 ao premiar The Crown, Atlanta e The Night Manager, esse ano o Golden Globes é todinho de The Handmaid’s Tale. Claro, não questiono aqui a qualidade da série que é maravilhosa e merecedora de todo e qualquer aplauso ou reconhecimento. Mas em uma lista restrita e meio “pobrinha”, seria legal surpreender e dar o prêmio para This Is Us – que é uma série de TV aberta e foge dos temas barulhentos, violentos e apocalípticos, ou até mesmo Stranger Things que é um fenômeno global. Mas ela vai se ater à novidade, e talvez nem vá premiar The Handmaid’s Tale por suas devidas qualidades, mas sim porque é o previsível.

O mesmo acontecerá na categoria de Melhor Comédia, a qual deverá levar The Marvelous Mrs. Maisel. Afinal, no passado, a categoria tem histórico de, adivinhem? Premiar sempre a comédia estreante: Girls, Glee, Brooklyn Nine-Nine, Transparent, e Atlanta, todas elas venceram por sua primeira temporada.

Já na atuação, o Golden Globes chega até a surpreender, mas este ano eu não espero algo que saia de contemplar Sterling K. Brown por This Is Us e Claire Foy por The Crown. Mas sabe, esses atores certamente recebem Emmys, Sindicato dos Atores, entre outros… O Golden Globes deveria, assim como no passado, usar seu prestígio e dar notoriedade para algumas pessoas que sempre passam despercebidas em premiações. Já foi legal ver Freddie Highmore indicado por The Good Doctor, o quão legal seria vê-lo ganhar? O mesmo digo de Caitriona Balfe que arrasa com Outlander. 

No canto da comédia, acho justo Rachel Brosnahan por The Marvelous Mrs. Maisel receber o prêmio, uma vez que Mrs. Maisel irá provavelmente ganhar. Mas Allison Brie por GLOW seria uma ótima escolha para dar notoriedade a essa série que é incrível por si só. Já Eric McCormack por Will & Grace torna-se uma escolha óbvia para o perfil dos votantes. Ta aí, uma categoria que gostaria de ser surpreendido.

As outras categorias? Entreguem todas para Big Little Lies, que deverá ser a grande campeã da noite e faturar todos os prêmios para Série Limitada (com exceção de ator, que deve ir para Kyle MacLachlan de Twin Peaks), mesmo tendo acabado de ganhar uma renovação. Mas não tiremos o crédito, pois ela é mesmo maravilhosa.

Enfim, desses todos que citei, há uma muita previsibilidade. É algo como jogar no bolão da quermesse, sabendo que existem poucas apostas certeiras. Mas isso é o Globo de Ouro, e conhecendo a premiação, ela não sairá da mesmice.

Mas há sempre um fundinho de esperança: quem sabe, hoje pode ser a noite que tudo mudará?

Comments

comments

About Anderson Narciso

Anderson Narciso
Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.