Everything Sucks!: elenco comenta descoberta sexual de personagem na série

Imagem: Netflix

O TEXTO A SEGUIR PODE CONTER SPOILERS DA PRIMEIRA TEMPORADA DE EVERYTHING SUCKS!

Nova série da Netflix mostra história de aceitação de garota lésbica

Everything Sucks!, a nova série da Netflix, tem chamado atenção por suas inúmeras referências aos anos 90. Mas a série colegial carrega em si algumas histórias sobre a adolescência que qualquer pessoa pode se identificar.

A maior e mais promissora delas é a história de Kate (Peyton Kennedy). Não bastando carregar o fato de ser filha do diretor da escola, a garota magricela está se adaptando à sua sexualidade. À medida que a temporada avança, podemos conferir uma bela e delicada história de descoberta e aceitação. Com os altos e baixos característicos da juventude e uma representatividade atemporal.

A importância da representatividade

Peyton reconhece que interpretar Kate Messner irá transformá-la em um modelo para muitas adolescentes que estão trilhando a mesma jornada. Para ela a oportunidade é uma honra.

A história de aceitação dela é linda. E eu acho isso porque muitas pessoas podem se identificar com ela e isso ainda acontece hoje em dia. Ainda há mais aceitação para realizar. Foi muito importante para mim poder contar essa história”, disse a atriz de 14 anos em entrevista.

No decorrer dos episódios os sentimentos de Kate por uma das garotas do Clube de Teatro, Emaline (Sydney Sweeney), tornam-se difíceis de ignorar. A situação muda de tom quando Emaline parece retribuir os sentimentos.

Emaline era má com Kate porque estava com inveja dela. A Emaline não tem muita confiança em si. Ela é muito insegura e sente como se sempre precisasse ter que ser algo para alguém. Enquanto Kate é apenas ela mesma. É lindo ver um vínculo entre duas pessoas totalmente diferentes.“, explicou Sweeney.

Imagem: Netflix

Enquanto Kate e Emaline estão dispostas a vivenciar esse romance, as atrizes reconhecem que o caminho para a aceitação e a igualdade ainda é complicado.

Se assumir é muito mais aceito agora. Ainda há muito estigma. Pessoas dizendo que é moda, uma fase, ou que é algo horrível. Não é como a não aceitação de antigamente, mas ainda assim podemos melhorar”, disse a intérprete da jovem Kate.

Esses e outros dramas adolescentes são abordados na série, de forma que qualquer um pode se identificar em algum aspecto, independente da época. “É sobre isso que a nossa série fala. É difícil crescer. Por isso que ‘tudo é uma merda’”, ressaltou a atriz.

A primeira temporada de Everything Sucks! está disponível na Netflix.

LEIA TAMBÉM: CRÍTICA – EVERYTHING SUCKS MERGULHA NA NOSTALGIA AO RELEMBRAR OS ANOS 1990

About Italo Marciel

Italo Marciel
Cearense, 28 anos. Jornalista especialista em Assessoria de Comunicação. Viciado em séries desde que se entende por gente e apaixonado por cinema. O cara que fica feliz em indicar uma boa série ou um bom filme para os amigos.