Fernanda Montenegro vai às lagrimas em homenagem na CCXP 2017

Imagem: Mix de Séries

A dama da TV recebeu uma homenagem merecida no segundo dia de Comic Con Experience. A atriz, que comemora 70 anos de carreira em 2018, não aguentou e foi às lagrimas ao ver o público da maior convenção Geek do mundo a aplaudir de pé, respeitando e celebrando seu legado.

Em um painel que relembrou momentos importantes da atriz na TV, Montenegro quis passar ao público jovem algumas mensagens que ela acha necessária. Uma delas é a de que fazer arte é vital. A atriz, em diversos momentos, bateu na tecla sobre como é imprescindível que a sociedade enalteça a cultura. “Um país sem respeito à cultura não é uma nação”, disse ela sob aplausos.

Numa discussão sobre a sua trajetória entre a TV, o teatro e o cinema, Fernanda diz que sempre se sentiu atriz por vocação. Um ofício sem obrigatoriedade. E que, até hoje, ainda tem frio na barriga ao subir no palco. A emoção é o motor principal para essa profissão e ainda brincou: “entrar num palco não é como entrar em um banheiro”.

Imagem: Mix de Séries

E estando em uma convenção de quadrinhos, o painel destacou sua formação e ligação com as histórias em quadrinhos. Ela disse que cresceu lendo o que chamavam na época de “Revistas Juvenis”, e que heróis como Flash Gordon, Príncipe Submarino, e claro, o Jeca Tatu. “Temos de exaltar a cultura brasileira também“, destacou.

Fernanda, obviamente, recebeu essa homenagem devido sua grande importância na esfera cultural do país. A atriz que chegou a ser indicada ao Oscar principal de Melhor Atriz por Central do Brasil, teve momentos marcantes em sua carreira.

Na verdade, sua carreira se liga com a história da TV, e um pouco disso a atriz destacou que o audiovisual no Brasil ainda é, sem dúvidas, importante. “As novelas, por exemplo, ainda são um veículo responsável por mostrar um cantinho do Brasil que possivelmente muito não conhecem“.

E mesmo com todas essas qualidades e responsabilidades da televisão destacadas, Fernanda não deixou de desabafar. “Sou uma mulher do palco. A presença do outro, em cena, é tudo pra mim“.

Nessa linha, Fernanda ainda discutiu sua carreira e parceria com inúmeros nomes. Nelson Rodrigues foi um deles. Ao citar o livro “O Beijo no Asfalto”, do referido autor, ela destacou a importância do dramaturgo em sua carreira e na difusão da cultura no Brasil. “Procure uma livraria, procure ler e descobrir Nelson Rodrigues. É um extraordinário memorialista. Um mundo de crônicas sobre o Brasil, e uma vida seria pouco para falar sobre a importância dele para mim“, destacou.

Em um momento emocionante, ela relembrou sua parceria com Fernando Torres, com quem teve uma filha (Fernanda Torres). Ela disse que eles viviam para essa profissão (ou vocação), e que viram sempre em São Paulo uma terra de oportunidades, tendo sempre morado cinco anos a cada década nesta região. “Mas sou produto do Rio de Janeiro. Sempre serei”, brincou.

A atriz, que está no ar na novela O Outro Lado do Paraíso, elogiou o autor Walcyr Carrasco. “Ele teve coragem de fazer uma obra que aborda todas as idades. Mas os mais velhos tem uma importância e uma presença de cena incrível”, ressaltou Fernanda. E ela disse ser grata por ele, e por todos que de alguma forma a concederam honrar algumas obras com seu talento.

Ainda teve tempo de falar sobre premiações, e apesar de ter se esquivado do assunto de perder o Oscar, ela destacou a vitória de Doce de Mãe no Emmy Internacional, tendo demonstrado ser um de seus trabalhos favoritos.

Emocionante e encantador, os olhos de Fernanda brilharam com os gritos e aplausos do jovem público da Comic Con Experience, e encerrou sua participação com um agradecimento e gratidão do carinho do público. “Não cheguei aqui sozinha. Ninguém chega em lugar algum sozinho. Leve isso para a vida de vocês“, disse ela.

Tanto ensinamento e tanto orgulho. Foi uma honra assistir à essa homenagem.

About Anderson Narciso

Anderson Narciso
Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.