Sociedade Protetora dos Animais acusa HBO de mentir em nota no caso de maus tratos

HBO, PETA, Elefantes
Imagem: PETA/Divulgação; HBO/Divulgação

A treta continua

A disputa entre a Sociedade Protetora dos Animais e a HBO continua. Depois que o canal respondeu as acusações de maus tratos animal feitas pela organização na última segunda-feira (07), a associação respondeu. E acusou a HBO de propagar mentiras. Confira mais abaixo o texto.

As informações são do Deadline.

Continua após a publicidade

A HBO não pode clamar por qualquer superioridade ou trazer garantias nesse caso. Isso porque ao mesmo tempo que eles estão cientes sobre essa gravação que mostra elefantes gritando de dor enquanto são agredidos por seus treinadores. Sem contar os choques que recebem desde junho de 2016. Quando a Sociedade Protetora dos Animais primeiramente escreveu para eles falando sobre o uso de elefantes num episódio de Silicon Valley.

Como qualquer um que siga esses assuntos deve saber, a American Humane – que apoia o uso de anzóis, já banidos na Califórnia e em outros lugares […] – não monitora as condições ou os métodos de treinamento. Além disso, sua incapacidade de proteger os animais tem sido bem documentada. No set quando três cavalos morreram durante as filmagens da série da HBO Luck; ou a famosa desculpa que deram sobre Quatro Vidas de um Cachorro afirmando que “nenhum animal foi machucado”. Mesmo com gravações mostrando o animal sendo forçado a nadar em águas turvas.

Se o canal realmente se preocupasse com o bem-estar dos animais, deveria parar de se esconder atrás de uma organização desacreditada e não usar mais animais selvagens. Em vez de responder a consultas da mídia com uma declaração projetada para induzir o público a erro.

A HBO ainda não seu respondeu à réplica da organização. A história começou após a PETA denunciar que elefantes que apareceram no episódio de domingo (06) de Westworld foram maltratados. A HBO, prontamente negou.

About Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.