Jesus Christ, Jackie Boy: Sons of Anarchy e 4 anos de nostalgia

Imagem: FX/Divulgação

Reviva a série que marcou época na TV!

Sons of Anarchy estreou no dia 9 de setembro de 2008, pelo canal FX e teve seu episódio final no dia 9 de dezembro de 2014, sendo assim, 7 temporadas no total.

Cada uma delas, abrange dois casos que cruzam-se o tempo todo: A vida de Jax Teller (Charlie Hunnam), que como vice-presidente da gangue procura honrar o legado de seu pai – fundador do grupo, e o clube de motocicleta intitulado SAMCRO (Sons of Anarchy Motorcycle Club, Redwood Original), envolvido com o tráfico de armas.  A série acontece em uma cidade fictícia chamada Charming, no estado da Califórnia, e trata-se da paixão dos integrantes com o clube, e claro, a concorrência entre gangues rivais. A inspiração vem da rivalidade entre as gangues reais Hell’s Angels e Mongols.

Kurt Sutter (Otto Delaney) foi criador e personagem da trama

Um dos muitos fatos curiosos sobre a série, é que o seu criador, Kurt Sutter, participa da trama como um dos membros do clube, o Otto Delaney, personagem esse que passa toda a série na cadeia, após assumir alguns problemas do clube. Engana-se quem pensa que o roteirista teve compaixão pelo seu próprio papel na trama. Aliás, o que faz o show ser tão espetacular, é sua imprevisibilidade. Uma grande perda no elenco acontece a cada temporada, sem você esperar, imaginar ou ter alguém para salvar. Contudo, a série é lógica em amarrar essas baixas e nada é gratuito, tudo acontece por um motivo.

Se você esta procurando um motivo para assistir, aqui vai mais um: o seriado consegue passar a ideia da realidade das gangues. Não tem escapadas milagrosas, os personagens se dão mal e vão para a cadeia diversas vezes. Não tem herói ou mocinho.

E a veracidade não para por ai:  o show apresenta a  segregação racial ainda presente nos Estados Unidos. Isso fica claro quando um dos integrantes é ameaçado pela policia, que diz que levará para a SAMCRO que seu pai é negro, mas também nas ruas, bairros, gangues, etc.

“Gemma knows every truth behind every lie inside every secret. She’s the gatekeeper.”

Até onde você iria pelo clube? O começo da série ilustra perfeitamente a relação dos membros para com o clube, a ponto de matar a esposa de componente sobre suspeita de traição. Mas o problema começa de verdade quando Jax assume a posição mais alta no clube. As opiniões podem ser contrárias, porém, Jax como presidente foi a decadência. Ao passar das temporadas, a trama evolui para outros níveis – podemos até dizer que acabou se perdendo um pouco pelo caminho. A série se encerra entregando ao publico uma última temporada sensacional, com diversas mortes e desfechos improváveis. Naquela sétima temporada, a série é todo conduzida por uma mentira, contada por Gemma (Katey Sagal), desencadeando diversos acontecimentos errados para o clube. As baixas da temporada foram positivas para o show, tendo seus personagens encerrado os seus respectivos arcos.

As atuações da série, devem ser pontuadas: Charlie Hunnam será para sempre Jax Teller. O personagem principal é carismático, não é mocinho nem vilão, e uma relação de amor e ódio é criado por ele. Por vezes, Jackie boy entende o que está acontecendo ao seu redor e tenta se afastar – ou afastar a família. Porém, o clube é tão tóxico em sua vida que, em seu final, você compreende suas decisões e apoia o fato dele abrir mão da família.

O segundo maior ponto da série, foi o relacionamento de Tara e Jax. Fica claro que o amor deles era grande, porém, no mundo em que eles viviam isso estava destinado ao fracasso. Tara (Maggie Sim) foi, de longe, uma das personagens mais elaboradas da trama, carregando consigo o dilema entre Amor e Honestidade. A doutora era a figura que, em meio á todos os pensamentos errados, nos trazia de volta a realidade.  Mark Boone (Booby Munson), Ryan Hurst (Opie), Tommy Flanagan (Chibs) e Kim Coates (Tig), completavam o núcleo principal da série.

SOA encerrou sua jornada de uma maneira incrível, cruel, e com o melhor desfecho possível. Kurt Sutter foi espetacular em não render-se ao famoso clichê da vida dos foras da lei, mostrando que a vida não é fácil, que não vale a pena e que não tem saída. A nós, nos resta a saudade e 7 eternas temporadas para assistirmos diversas vezes.

PS: Um spin-off da série está sendo produzida por Kurt Sutter, intitulado Mayans MC, que mostrará a gangue de motocicletas latina e rival da SAMCRO.

About Letícia Garcia

Paulista, porém mora na Carolina do Norte. Jornalista e apaixonada por séries e futebol. Grey's Anatomy é a série da vida, mas também é fã de Spartacus, Supernatural, Vikings e Friends. No Mix de Séries escreve as reviews de Vikings, Prison Break, 13 Reasons Why e Taken.