Muitas surpresas no último dia de audições do The X Factor UK

Imagem: The X Factor UK – Divulgação

Último dia de audições, ufaaa! Esse momento é nossooo!

Claro, amamos as audições, mas o bom mesmo é a competição seguir para as próximas fases com mais tensão e polêmicas. Então vamos ver como foi.

PERFORMANCES

 

 

Cezar Ouatu – “Nessun Dorma”

Carol: Será que teremos um tenor meio contralto afrescalhado ganhando a simpatia do público? Será que ele consegue cantar outra coisa?

Edu: ESTOU IMPRESSIONADO! Foi uma audição lindíssima, que me emocionou por demais. Merecidíssimo ser aplaudido de pé. Orgulhoso do The X Factor dar oportunidade a esses tipos de cantores nessa temporada, mesmo que não vá tão longe na disputa. Estou arrepiado até agora, de tão lindo que foi.

Let: Eu sou apaixonada por essa música, e ficou lindo, mesmo ele trocando toda hora de tenor para soprano. A gente perdoa, né! Talento não falta, o que ele precisa agora é de ajuda para melhorar ainda mais, ansiosa.

Luke: Nossa gente, não estava esperando nem metade disso e fiquei foi bem de cara com a audição Não é aquele estilo musical que eu sou fã, mas acho incrível a maneira que mexe comigo quando aparece alguém cantando assim no programa. O negócio foi de arrepiar.

 

Louise Setara – “A Moment of Your Time (Original)”

Carol: Não é nossa Louise loira, mas é boa. Me surpreendeu, foi simples, porém vindo se um original, impressionou. Ela passa emoção e isso conta muito.

Edu: Foi uma apresentação muito bonita. Louise veio com algo original, algo que não rolou muito ainda esse ano. Ela tem um pack interessante, que poderá levá-la bem longe ainda na disputa. Te quero pelo menos até a Judge’s House, sua maravilhosa!

Let: História de vida linda, voz poderosa. Já amo Louise e não é pouco. Ela tá pronta para arrasar e para ser um dos grandes destaques dos overs. E que música linda, hein! Ela precisa gravar.

Luke: Mais uma que me deixou apaixonado aqui. Senti uma vibe meio country na voz dela e curti demais da conta. Ela não quis apostar em grandes notas, mas conseguiu impressionar com a suavidade da voz e me conquistou demais aqui. Sem contar que a música é linda!

 

Claire Angel Bryan – “Change is Gonna Come”

Carol: Gostamos de boas histórias e vozes. Acredito que além de talento ela tenha uma simpatia que pode inspirar pessoas, principalmente a votar nela. EU ADOREI ELA!

Edu: MARAVILHOSA!!! Claire foi uma surpresa e tanto. Que voz, que talento, que presença de palco. Amei tudo, e espero bastante que ela vá ainda muito longe na disputa.

Let: Acho que tô apaixonada! Claire é maravilhosa e me deixou arrepiada. Ok que escolheu muito bem a música, mas que voz hein! Mais uma que tem tudo para se destacar muito nas próximas fases e na sua categoria.

Luke: Eu to bem no chão aqui depois dessa gente! Claire tem toda uma personalidade que te conquista logo de cara e foi exatamente o que ela fez comigo nessa audição. Robbie pedindo pra ela parar de se esconder atrás do chapéu e óculo foi muito interessante e enquanto cantava mexeu em com meu emocional por aqui.

 

Panda Ross – “Natural Woman”

Carol: Temos outra linda, talentosa, recorrente, lá do TXF USA, cheia de história e bagagem. Merece muito esse retorno, e apesar dessa música, muito escolhida, ela mandou demais. Essa categoria vem forte, com ela ainda mais.

Edu: Gente, não me recordo dela no TXFUS, sério. Amei Panda como um todo. Voz poderosa, carisma, presença de palco e uma risada contagiante, deliciosa e marcante. Aplaudi de pé aqui, junto com os quatro.

Let: Eu lembro alguma coisa. Mas gente, que pessoa maravilhosa. Ela foi lá e cantou esse musicão como se fosse dona de tudo, arrasou. Quero muito que ela consiga ir longe na competição.

Luke: Não lembro dela no TFXUS mas gente, que pessoa mais carismática! Te faz abrir aquele sorrisão logo de cara e pra minha felicidade ainda mostrou ter uma baita voz boa! Gostei muito!

 

Charlotte Lily – “YMCA”

Carol: Achei meio original, diferente bom. Não vejo ela cantando com versatilidade, mas vamos ver até onde vai.

Edu: Ai deu sono…

Let: Me pareceu uma originalidade forçada ao cantar essa música. Charlotte tem uma voz boa, mas é meio fake. Que ela se encontre.

Luke: Eu gostei da voz, mas acho que ela não conseguiu mostrar todo seu potencial. Precisa se atentar na escolha das músicas.

 

Gaia Cauchi – “Only Love Can Hurt Like This”

Carol: Não acho que esteja pronta ainda. 15 anos, não controla ainda bem. Mas tem potencial.

Edu: Achei exagerada, pode passar pro próximo.

Let: Bem forçada mesmo, apesar de ter sim uma voz boa. Eu teria mandado voltar ano que vem.

Luke: Particularmente não acho que ela está pronta ainda e por mim não teria passado dessa vez pra voltar um tanto mais treinada da próxima. Ainda assim tem um ótimo gosto musical, porque essa música da Paloma é coisa linda demais e nesse quesito ela me ganhou. Vamos ver até onde vai.

 

Gingzilla – “Seven Nation Army”

Carol: Eu já tinha visto vídeos dele, e acho impressionante o que ele faz. Claro que tiveram alguns gritinhos, mas ok, foi tudo fora de proporção. Mas tem potencial dentro da competição em vários aspectos. E também, viva a diversidade!

Edu: Ai gente, me deu medo aqui aquela variação de voz meio satanista. Entretanto, ele tem um talento incrível, e acho que tem tudo pra se dar bem na disputa. Quero muito que isso aconteça, para assim quebrar tabus e paradigmas.

Let: Eu amei, mas também já conhecida. Lindíssimo e é um show completo: a voz varia tanto que preenche todos os espaços. Amo e espero muitos outros shows além desse.

Luke: Oi? Eu fiquei foi bem chocado com esse guri gente, principalmente com o fato de ter gostado da audição. Fiquei pensando que seria bombas, mas o rapaz realmente tem uma voz interessante e deixou uma boa impressão.

J Sol – “Bullet in My Heart (Original)”

Carol: Não achei ruim, mas acredito que a voz precise de um treinamento aí. A música também, tirando a emoção toda, não é incrível. Mas a história toca, e ele pode melhorar, e ele é muito sincero.

Let: Achei bem emocionante, mas a voz é meio irritante sim e isso me incomodou. Espero que ele consiga estudar e se aprimorar para não ir embora da competição cedo.

Luke: Vocalmente foi perfeito? Definitivamente não, mas gente, mexeu com meu emocional de um tanto que quando terminou eu estava totalmente destruído aqui. Se bem guiado ele pode surpreender muito mais a frente, mas a audição em si foi uma das minhas preferidas.

 

 

Chloe McAllister – “Stay with me”

Carol: Ela é uma artista, mas não é uma grande voz. Tem emoção e isso acaba contando bastante.

Let: Tô impressionada com o tanto que eu amei essa menina. Que voz linda e que baita versão para essa música maravilhosa.

Luke: Que voz mais linda! Gostei muito da maneira que ela cantou essa música, começando um tanto mais lento e crescendo aos poucos. Me ganhou demais com esse estilo mais angelical e me deixou muito curioso por mais. Tem um baita potencial e tudo pra se dar muito bem por ali. E como não se emocionar junto com ouvindo os comentários do Robbie falando sobre a filha ein? Foi coisa linda!

 

Jon Guelas – “7 years”

Carol: Adoro essa música, e acho que não foi a melhor escolha para ele. Acredito que os muitos elogios prévios tenham dado confiança extra para ele. E como vários outros eles sugerem colocar ele em um grupo.

Let: Me deu aquele ranço de enxergar nele o candidato que tem todos os anos: o bonitinho sexy que poderia, mas não canta bem, e aposta em rap para salvar suas apresentações.

Luke: Tem uma voz interessante, mas confesso que me deu um pouco de sono aqui. Enxerguei o potencial, mas ele vai ter que se esforçar um pouco mais a frente.

 

Elliot Horne – “Lost in Japan”

Carol: Outro para a Boyband, nada extraordinário.

Let: Já odiei. Outro bonitinho que não canta nada.

Luke: Ah, me perdeu com a song choice, porque essa do menino Shawn eu não topo por nada. A voz é interessante, mas não achei nada extraordinário.

 

ATTY – “Mercy”

Carol: Eu amo a música, gosto de grupos Gospel, mas fiquei tonta de tanto que se mexeram no palco. Vozes boas.

Let: A ideia é maravilhosa e o resultado é bom. Eles precisam balancear melhor a harmonia, quem canta o que, essas coisas básicas. Sem contar que para a proposta do grupo, faltou um “momento coral” mesmo. Mas gostei.

Luke: Ah, só eu não gostei tanto quanto os jurados? Tipo, quando o grupo entrou eu fiquei com a expectativa super alta aí depois fiquei foi bem perdido conforme a música ia rolando. Não sei, achei que ficou meio bagunçado o negócio, mas fiquei feliz por terem passado pra ter a chance de mudar um pouco minha opinião.

 

Thomas Pound – “Proud Mary”

Carol: Ele é muito divertido, Drag ou não. Como voz não sei se tem futuro, mas em simpatia e energia ele ganha mil dos demais.

Let: Não canta muito, principalmente na segunda música, MAS E DAÍ? Que pessoa maravilhosa e que carrega sim o The x Factor. Eu quero é ver muito ainda de Thomas.

Luke: Gente, ganhou demais pelo carisma e tudo mais, mesmo sendo um pouco exagerado as vezes. De início eu tinha certeza que seria bomba, mas acabou surpreendendo positivamente no final das contas. Não sei se vai longe, mas mereceu passar.

E vocês, o que acharam das audições? Estão ansiosos para o Six Chair Challenge? Até lá!

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.