Preacher – 2×07 – Pig

Imagem: AMC/Divulgação 

Parece que as coisas voltaram a ficar interessantes no enredo de Preacher. Depois do que vimos até o episódio anterior, “Sokosha”, fiquei mesmo com a impressão de que deviam começar a falar mais dos Agentes do Graal e do Herr Starr. Antes de começar essa temporada, já havia lido que ele seria o vilão e desde o primeiro episódio até agora se falou tão pouco dele que eu até estranhei. Atrevo-me a dizer que valeu muito a pena esperar.

A cada episódio que vemos, ficam mais claros os acertos a respeito da escolha do elenco. Falo essas coisas como um fã da série, mas que não tem noção dos quadrinhos. Já havia comentado isso no aqui no Mix, mas acho que vale a pena relembrar. Minha opinião, dessa vez, é motivada pela atuação de Pip Torrens.

Gostei muito de colocarem o foco do episódio no Herr Starr. Descreveram o tenente-coronel de um jeito muito excêntrico e Pip caracteriza com maestria o jeito metódico e fora do comum do personagem. As cenas do teste para entrar na agencia secreta são muito hilárias e cada etapa mostrava uma peculiaridade do Sr. Starr, fato que me fazia gostar cada vez mais do personagem. Me lembrou muito o Will Smith em MIB 1, quando ele faz tudo diferente dos outros concorrentes e acaba ganhando a vaga na agência, assim como Herr Starr.

Tivemos muitas informações sobre os objetivos do Graal e sobre sua função como conservador da ordem mundial no que diz respeito aos assuntos divinos. Então quer dizer que Jesus tem um filho e o Graal tem protegido a linhagem do Messias até a época de hoje? Pelo pouco que vi dos HQs, no original realmente há um herdeiro de Cristo, será que o veremos na série? No mundo real temos diversas teorias sobre a suposta linhagem de Jesus. Esse é um tema que gera bastante interesse no público e que dá muito pano pra manga. Como seminarista, prefiro nem dar minha opinião, Melhor voltarmos para a série mesmo.

Imagem: AMC/Divulgação

Foi legal ver o Preacher preocupado com o 1% de sua alma que ficou com o Santo, que agora podia ser controlado pelo Gênesis, uma vez que já não era mais um homem sem alma. De acordo com o pastor de rua, era melhor Jesse ter doado um rim do que ter dado a pequena fração de sua alma a outra pessoa. Pessoalmente, acho que ele não devia ter destinado o Santo àquele confinamento. De qualquer forma o cara ia morrer, daí, já que ele não pode entrar no céu, para onde ele iria mesmo? Jesse só adiou o inevitável, mas creio que ele não havia pensado muito nas consequências desse pacto.

Pelo que vimos de Tulip até agora, poucas coisas a assustavam. Ter sido “tocada” pelo Santo foi algo que a traumatizou de tal maneira que até pesadelos ela começou a ter. Não achei justo ela ficar reclamando da demora de Jesse ao trazer a alma para o pistoleiro, até mesmo porque a missão foi cumprida. Até entendo que se demorasse mais um pouco ela, Cassidy e Denis teriam morrido, mas Jesse chegou a tempo de salvá-los! Esse aspecto da série me tira um pouco do sério. Para mim, bastava eles conversarem um pouco para que um pudesse compreender o outro e tudo se resolvia entre eles, mas se nem a vida real funciona assim por que uma série haveria de funcionar?

Foi um pouco triste ver os problemas pelos quais Cassidy passa por ser imortal. Certamente Denis não foi a primeira pessoa que ele teve medo de perder e mesmo assim ele sofre. Fiquei impressionado com sua expressão ao negar o único pedido do filho. Será que ele negou por causa do sofrimento que isso traria ao Denis ou será que envolve algum outro aspecto obscuro da vida do vampiro? A cena entre ele, Denis e o tradutor de francês foi meio esquisita. Pelo que entendi, o cara pescou – e gravou – todo o papo porque, depois que ele entrou na conversa, Denis não precisou repetir nada.

E as cenas dos caras com um bastão de choque recolhendo pessoas pela cidade? Um ótimo recorte da situação depravada e sem controle pela qual passava Nova Orleans. Um carrinho era para os bêbados e o outro era para os mortos. Que coisa não? Pior foi a funcionária do hospital explicar para o Cassidy que era muito comum eles colocarem pessoas vivas nas gavetas do necrotério por engano. Não me espantei nada quando ele respondeu – tranquilamente – que já havia passado por aquilo.

Gostei da forma como começaram a tratar o clima entre Cassidy, Tulip e Jesse. Quando o trio foi “se divertir” com a sugestão dada pelo vampiro beberrão, a ceninha entre ele e Tulip deixou até o Preacher muito cabreiro. Estou bastante ansioso para ver onde vai dar essa treta.

Agora, mais uma pergunta que não quer calar: o que será que causou a levitação daquele suíno? Eu não caí naquela explicação sobre gases que deram na televisão. E você, tem alguma ideia? Conte para nós aqui nos comentários.

Até a próxima!

Pig

Nota do Episódio - 9

9

Review do sétimo episódio da segunda temporada de Preacher, da AMC, intitulado "Pig".

User Rating: 5 ( 1 votes)

Comments

comments

About Albert Moura

Albert Moura
Jornalista e seminarista, além de pai de primeira viagem. Casado com a Ana, mas amante das séries. Atualmente acompanha Outcast, Better Call Saul, American Gods, Lucifer, Gotham, o universo Marvel e mais algumas, além de também ser um eterno fã de Friends. No Mix, escreve sobre as próximas temporadas de Preacher.
  • Bruno D Rangel

    Também queria a explicação sobre o porco voador. Muito estranho a que deram.

    Achei louco aquele papo de Jesse com o pastor de rua.

    Torço para que a Tulipa fique com o Cassidy.