Quando os atores saem do elenco: porque simplesmente não cancelam a série?

Imagem: CBS/Divulgação; ABC/Divulgação (02)

Uma das perguntas mais frequentes que recebemos nas postagens sobre séries que farão uma grande reestruturação de elenco e uma mudança criativa é – “Porque eles simplesmente não cancelam a série?”. Com essa indagação em mente, fomos atrás de uma resposta. Adianto que tal estratégia é perfeitamente normal, mas a temporada de 2017/2018 está ocorrendo com mais frequência.

O caso mais interessante de analisar nesse ano é Once Upon a Time que viu seu elenco rachar completamente após a ABC garantir mais uma temporada para um drama que, na sua temporada de estreia, já foi a maior audiência da TV aberta daquele ano. Sem contar as mudanças em QuanticoKevin Can WaitCriminal MindTaken.

Once Upon a Time

É provável que quando a série retornar ao ar, os telespectadores abandonem de vez o barco porque aquele personagem não está mais lá ou aquele ator que você tanto gostava foi um daqueles que saíram no início do ano. É uma possibilidade. Então porque a ABC correu o risco?

  • Vendas internacionais – O drama de conto de fadas é assistido em mais de 200 países e goza de um sucesso impressionante na América Latina, com ainda mais destaque para o mercado do Brasil. Isso quer dizer que por menos que a audiência esteja nos Estados Unidos, o valor comercial que tem além das fronteiras vale qualquer negócio.
  • Syndication – Todos aqueles que adoram televisão, sabem que toda a série da rede aberta americana tem um grande objetivo ao estrear – chegar na marca próximo dos 100 episódios. É a partir daí que o canal vende diretos de transmissão para afiliadas ao redor do país e quanto mais episódios produzidos além dos essenciais, mais dinheiro no bolso.
  • Orçament0 – Quando o piloto de Once Upon a Time entrou no ar, Jennifer Morrison era a única atriz conhecida pelo grande público. Desde então, Ginnifer Goodwin, Josh Dallas, Lana Parrilla, Colin O’Donoghue, Emilie de Ravin e entre outros ganharam maior apreciação da indústria e dos anunciantes fazendo com seus respectivos salários aumentassem fazendo com que custo de produção do drama seguisse o mesmo caminho. Com a saída de grande parte do elenco, ficou mais fácil da ABC renovar.
  • Incentivos Fiscais – Bloodline chegou ao fim antes do tempo pelo fato do estado da Flórida ter cortado os incentivos fiscais a toda produção de televisão e cinema. O que não é o caso aqui. Segundo um relatório divulgado em 2016, Once Upon a Time gerou mais de 5 mil vagas de emprego e movimentou 275 milhões de dólares na economia da província de British Columbia, Canadá. Com a continuidade dos incentivos fiscais, não há porque cancelar nada agora.
  • Licenciamento/Autopromoção – Assim como Agents of ShieldOnce Upon a Time é uma vitrine muito interessante para os produtos da própria Disney. Promove a venda de produtos licensiados como brinquedos, livros, produtos digitais e também personagens da empresa. Pensem no quão importante a produção será quando Aladdin ou O Rei Leão retornarem ao cinemas ou quando Mary Poppings estrear em dezembro de 2018?

Kevin Can Wait

Diferentemente de Once Upon a Time, a situação de Kevin Can Wait é exatamente outra. A recente mudança contou com a saída de Erinn Hayes e a entrada de Leah Remini, que promoverá uma reunião permanente de um grande sucesso da TV da década passada, The King Of Queens.

A alteração feita pela CBS acontece num momento que a emissora de mostra extremamente insatisfeita com os rumos criativos da primeira temporada e audiência que ela conquistou. O canal sabe o apelo que Leah tem com telespectadores de diferentes camadas sociais, ainda mais depois do grande sucesso do documentário Leah Remini: Scientology and the Aftermath.

Basicamente é uma tentativa de fazer Kevin dar certo, mas caso não venha a dar resultados é um tanto difícil de imaginar que a CBS continuará a pagar o salário de Kevin James, apesar da emissora relutar em cancelar uma série na sua segunda temporada (a última vez foi com Shark em 2008).

Taken

Não faz muito tempo que a NBC anunciou que Jennifer Beals e Clive Staden seriam os únicos a voltarem para segunda temporada de Taken. A decisão é extremamente compreensível já que quando a adaptação voltar ao ar na Fall Season, ela terá ganhado outro tom e uma missão completamente diferente.

Sem surpresas, a série foi um sucesso internacional para a NBCUniversal já que programas de ação tendem a dar muito certo em todos os mercados desde o asiático até o latino-americano. Sabendo disso, a emissora dará um tom mais episódico a Taken e o aproximará mais de Blindspot The Blacklist, cujos futuros estão garantidos justamente pelo apelo ao telespectador masculino e internacional.

Quantico

A renovação de Quantico foi a mais surpreendente da temporada já que a audiência é baixa, está longe do syndication, é cara de se produzir e tem poquíssimo apelo do telespectador americano. Entretanto, a série possui uma arma secreta – Priyanka Chopra.

Além de uma carreira no cinema em grande ascensão, apesar do recente fracasso de Baywatch – S.O.S Malibu, a atriz é conhecida em todo mundo, principalmente na Ásia. O que torna Quantico um produto muito interessante ao mercado internacional, sendo que já foi vendida ao Canadá e Austrália, além do licenciamento para serviços de streaming, como o iTunes Store, Amazon Video, Hulu, Xfinity e Netflix.

A reforma criativa que espera-se para terceira temporada ainda é um tanto nebulosa, mas é muito provável que a série continue na grade da ABC por mais alguns meses, nem que seja na Summer Season pelo valor além dos Estados Unidos.

Criminal Minds

A situação de Criminal Minds é muito interessante, porque por mais que muitos possam argumentar que a situação criativa dela já deu o que tinha que dar, a CBS ganha muito dinheiro com ela. Essas pequenas alterações que acontecem no elenco entre uma temporada e outra servem justamente para aliviar o orçamento e mante-la num custo acessível. Para quem não acredita, dê uma olhada em quantos atores do elenco regular de Criminal Minds continuam desde o episódio piloto até hoje.

Leslie Moonves, o Presidente da Coorporação CBS, é um executivo extremamente pragmático, ou seja, tudo o que dá dinheiro e tem potencial de manter o ritmo, continuará no ar do contrário a emissora cancela e pronto. É o caso com a franquia NCIS, de Elementary, será de Scorpion quando a audiência despencar e foi exatemente o que aconteceu com CSI.

Depois dessa análise, entendemos porque algumas séries ainda não foram “simplesmente canceladas”. E você, vai voltar a assistir alguma delas?

Comments

comments

About Bernardo Vieira

  • Luis Carlos

    Emilie de Ravin na minha concepção era sim conhecida. Lost está aí pra provar.
    Não acredito que OUAT passe dessa provável desastrosa 7° Temporada.