Quem são os personagens de Titãs? Conheça os heróis da série da DC/Netflix

Imagem: Divulgação

Série promete ser destaque no DC Universe/Netflix

Turma Titã, Jovens Titãs, Titãs… A equipe formada por essa galerinha já teve tantos nomes que é até difícil elencar. Mas quem são eles? Quem são os protagonistas da primeira série original do serviço de streaming DC Universe/Netflix? 

Antes de saber mais sobre os personagens, vamos descobrir um pouco sobre a história da formação e criação da equipe.

O GRUPO

A Turma Titã foi criada em 1964 pelo roteirista Bob Haney. Foi composta primeiramente pelos ajudantes do Batman, Aquaman e Flash: Robin, Aqualad e Kid Flash, respectivamente. Esses três mini-heróis, que na época tinham 13 anos de idade, se juntaram pela primeira vez na revista The Brave and The Bold #54 para derrotar o vilão Senhor Ciclone. Com o sucesso do trio, eles decidiram fundar uma equipe que foi oficializada seis edições depois como: Turma Titã. Posteriormente, houve a adição da Moça Maravilha e do Ricardito, ajudantes da Mulher Maravilha e do Arqueiro Verde.

Foi somente nos anos 80, e com o nome de Novos Titãs, que foram introduzidos na equipe os integrantes que iremos ver na série: Mutano, Ravenna e Estelar. Eles se juntaram a Robin, Kid Flash, Moça Maravilha e ao Cyborg para combater o demônio Trigon, pai da Ravenna. Eles permaneceram na equipe após a batalha, sendo a formação dos Titãs mais famosa e conhecida atualmente.

Saiba mais sobre cada um deles.

Estelar

Também conhecida como Kori – ou pelo seu verdadeiro nome Koriand’r – ela foi criada po George Pérez e Marv Wolfman, especialmente para a revista dos Novos Titãs. Estelar é uma princesa alienígena que foi expulsa do seu planeta natal Tamaran, devido a ambição da sua irmã Komand’r, que solicitou o exílio de Estelar em troca da não destruição do local. Assim como todos os tamaraneanos, com exceção da sua irmã (e isso foi o motivo da treta entre elas), Estelar tem a capacidade de absorver e transformar a energia solar, o que concede várias habilidades entre elas a de voo.

Assim que o viu pela primeira vez, ela se apaixonou perdidamente por Dick Grayson (Robin). Ambos tiveram um longo relacionamento, sendo um dos casais que mais possui “seguidores” no mundo da nona arte. A escalação da atriz Anna Diop na série gerou controvérsia. Alguns “fãs” alegaram não ter gostado da mudança de etnia da personagem. Agora, se existe mudança de etnia para uma personagem que no material original é laranja…

Uma curiosidade: Estelar, assim como praticamente todos os personagens do mundo dos quadrinhos, possui várias versões e origens ao longo dos anos. Uma dessas origens é a do período “Os Novos 52” que, com os acontecimentos do Flashpoint, reiniciou todo o Universo DC. A origem da Estelar é extremamente trágica: Para selar a paz com um outro povo, a sua irmã, que assumiu o trono com apenas 14 anos de idade, precisou entregar a Estelar como escrava e por conta disso ela sofreu com trabalho escravo e abusos sexuais. Depois de uma rebelião, Estelar conseguiu fugir daquele planeta e se abrigou na Terra, passando a fazer parte dos novos Titãs.

Ravena

Também criada em 1980 por Perez e Wolfman, Ravena tem a habilidade de teletransportar e controlar a sua alma. Ela é uma mestiça e tem uma filiação um tanto quanto… curiosa. É filha de uma humana com o demônio interdimensional Trigon (não me perguntem como isso aconteceu!). Apesar da forma humana, ela não é terráquea. Nasceu na dimensão alternativa de nome Azarath. Toda a história de Ravena é quase sempre pautada na luta da personagem para tentar se livrar da influência de seu pai e na contenção de seus poderes sombrios. Ela já perdeu o controle sobre o seu poder algumas vezes e as consequências foram catastróficas.

Ravena tem um jeito extremamente reservado, por vezes taciturno, mas é bastante poderosa. Em contraponto a essa sua personalidade, Ravena ou Raven se apaixonou pelo Mutano, que tem a personalidade totalmente diferente da sua. Eles são um casal bem “água mole pedra dura tanto bate até que fura”, porque o coitado do Mutano penou para conquistar o coração trevoso da Ravena.

Uma curiosidade: uma das versões da personagem nos quadrinhos foi a Ravena Branca, que durou apenas dois anos. Ravena passou a vestir branco para representar a sua liberdade perante a influência de seu pai e por conta disso e como uma evolução dos seus poderes das trevas, ela também passou a manipular a magia branca.

Mutano

Seu nome verdadeiro é Garfield Logan e com apenas dois anos de idade se mudou com seus pais para um país na Africa. Durante a sua estadia, o pequeno Mutano foi infectado com uma doença tropical até então considerada incurável. Como seus pais eram biólogos e foram para África para trabalha numa pesquisa sobre códigos genéticos, seu pai utilizou uma máquina de separação de genes de humanos e animais, que ainda estava em fase de testes, e conseguiu curar a doença do filho. Contudo, como efeito colateral, a pele do Garfield ficou permanentemente verde. Mesmo com a alteração da cor da sua pele, o Mutano até então não havia demonstrado nenhum tipo de poder/habilidade.

Anos depois, quando sua mãe estava prestes a ser atacada por uma cobra, para salva-la, ele, inconscientemente, se transformou numa imensa suricata, sendo assim, a primeira manifestação dos seus poderes. Assim como o Mutano, todo e qualquer animal em que ele se transforma também possui a pele verde. Posteriormente, os pais do Mutano morreram num acidente de barco e ele acabou sendo adotado pelo líder de uma tribo africana. Antes de se juntar aos Titãs, o Mutano foi um membro da Patrulha do Destino, outro grupo que ganhará em breve uma série no DC Universe.

Uma curiosidade: o primeiro “Mutano” ou “Beast Boy” como é conhecido nos EUA, não tinha nenhum tipo de relação com Garfield Logan. E, ao contrário de suas parceiras de equipe, Estelar e Ravena, Garfield foi criado em 1965, por Arnold Drake e Bob Brown, fazendo a sua primeira aparição em Patrulha do Destino, em novembro daquele mesmo ano.

Robin (Dick Grayson)

Richard Grayson, ou como ele é mais conhecido, Dick Grayson era o integrante de uma família de acrobatas os “Graysons Voadores”. Seus pais foram assassinados por um chefe da máfia chamado Tony Zucco, que tinha o objetivo de extorquir dinheiro do circo que os empregava. Após o trágico assassinato, ele é adotado por Bruce Wayne, o Batman. Dick foi uma criação dos mesmos autores do Batman, e apareceu pela primeira vez na revista Detective Comics em 1940. Se tornou, assim, o primeiro – e talvez mais querido – Robin.

É clara a conexão temática que a origem do Dick/Robin tem com a do Bruce/Batman: ambos viram seus pais serem mortos por criminosos, o que despertou neles a vontade de combater o crime. Robin fez o maior sucesso e, durante décadas, dificilmente era publicada uma história do Batman sem a participação do seu ajudante mirim. Dick teve longos relacionamentos com a Estelar e com Barbara Gordon – a Batgirl. Posteriormente, passou o manto do Robin para Jason Todd (que também irá aparecer na série), e se tornou o Asa Noturna.

Uma curiosidade: em muitas ocasiões, Dick assumiu o manto do Batman e é visto por muitos como o sucessor definitivo do Bruce Wayne como o defensor de Gotham. É um dos personagens com umas das mais bonitas trajetórias do Universo DC.

Mais o que esperar da série?

Adaptações são sempre… adaptações, como o próprio nome já diz. Quando um material é adaptado, principalmente, de uma mídia para outra, ele deixa de ser algo e passar a ser uma coisa nova. Pelo material divulgado da série, até agora, ela aparenta ter um clima bastante sombrio.

Escolher esse tom para a adaptação de algo como os Titãs é uma escolha arriscada, mas analisando o que sabemos e vimos até o momento, acredito que estamos diante de um material bastante promissor. São personagens difíceis de se adaptar, principalmente para a TV, que possui recursos mais limitados do que o cinema. Mas, em contrapartida, possui um tempo maior de desenvolvimento dos personagens.

Aos leitores e fãs de quadrinhos como eu, aconselho a se “despir” de tudo aquilo que achamos e sabemos sobre os personagens e encaremos a série como algo novo e que até o momento não sabemos se é ou não canônico. Aos que não são familiarizados ao mundo da nona arte, aconselho a dar uma chance a série e ao material, que estão aparentando valer muito a pena. A DC possui um acervo incrível de personagens e histórias e estão investindo muito pesado na entrada desse mundo do “streaming“. É muito provável que venha muita coisa boa por ai.

Ah, e a boa notícia: nos encontraremos semanalmente aqui no Mix de Séries para as críticas do episódios. Então fiquem ligados.

Até lá 😉

About marcelosalvador