Crítica: A 7ª Temporada de Hawaii Five-0

Imagem: CBS/Divulgação

Uma temporada com desenvolvimento lento. Assim pode-se definir a 7ª temporada de Hawaii Five-0, que apesar disso começou em grande estilo com a participação especial de Jack Lord, o Steve da série original dos anos 1970, que foi recriado digitalmente, proporcionando uma interação bem emocionante entre passado e presente. Foi, sem dúvidas, uma bela homenagem. Porém, o desenrolar dos primeiros episódios da temporada com a presença de um serial killer na ilha de Oahu, e da ex-policial Alicia Brown, foi um pouco aquém do esperado, se comparado a outras temporadas. Mas, com o passar da temporada, vemos que Hawaii está aproveitando o fato de ser uma série veterana e se tornando nostálgica em muitos episódios. Os flashbacks foram ótimos para os fãs que vêm acompanhando a série desde a primeira temporada. Além disso, assim como nas temporadas anteriores, tivemos a presença da maioria dos personagens que já passaram pela série como Sang Min, Hirsh, Rachel e Harry Brown.

Foi decepcionante ver o caso de Madison Gray, serial killer que abriu o início da temporada, tendo um final tão inesperado e Alicia Brown não conseguindo vingar todo o seu sofrimento, apesar de encontrar sua filha. No todo, o caso ficou sem explicação e esperamos que seja realmente solucionado na próxima temporada.

É sempre bom rever personagens que estão sumidos de uma série. Depois de passar um tempo no Burundi com Médicos sem Fronteiras, Max voltou à Oahu para ajeitar as coisas e arranjar um substituto para ele, já que ele estava de partida para Madagascar. A festa de despedida dele foi um dos momentos mais nostálgicos da série até o momento, mostrando que a equipe Five-0 é é feita de muito mais do que resolver investigações e prender criminosos. O ciclo de amizades criado pela equipe sempre comoveu a todos, mas o último dia de Max e Jerry juntos foi especialmente único. Falando em Jerry, ele finalmente conseguiu o reconhecimento de toda a ajuda que forneceu à equipe, mostrando-se o personagem mais sensível da série. Também tivemos a volta de Adam que ao encontrar dificuldades em manter um emprego devido a seu histórico de ex-presidiário decidiu se juntar a Hirsh e Kamekona no ramo de limpeza de cenas criminais.

A sétima temporada incluiu o 150º episódio de Hawaii Five-0 e nada mais justo do que trazer de volta Doria e Catherine em uma missão para resgatar o pai de Wo Fat. Claro que todos ficamos tristes por Steve e Catherine não terem um final feliz, mas é importante lembrar que na vida real muita gente também coloca sua carreira como prioridade. Mesmo assim, ficamos na expectativa de que a volta de Catherine fosse deixar mais esperança para o relacionamento dos dois.

Outro detalhe importante nesta temporada foi o crossover entre Hawaii Five-0 e MacGyver. Apesar de não mostrar em Hawaii Five-0, Kono e Chin ajudaram os integrantes da equipe de Phoenix a resgatar vítimas de um terremoto no Havaí. Esse crossover representou a tendência que a série já havia demonstrado em temporadas anteriores, em unir universos policiais de séries similares – como fez com NCIS: Los Angeles.

É possível perceber que a série tenta acompanhar os assuntos discutidos na atualidade chegando a inovar na temática do caso final da temporada, não se tratando de terrorismo como em várias outras temporadas, mas sim de um problema interno nos EUA de tráfico de meninas para trabalho escravo sexual.

Mas, no geral, a série mostra que está ficando sem criatividade ao recorrer a assuntos repetidos, com vários casos de sequestro e rixas da Five-0 com outras equipes de segurança nacional, e sempre os mesmos quarteis de tráfico de drogas. Um dos melhores exemplos é o mid-break que chega a ser um dos momentos mais tensos da temporada quando Sara é sequestrada no México e Chin é capaz de tudo para salvá-la, até mesmo se entregar para o quartel de Diego. As várias discussões e declarações de amor entre Steve e Danny também estão ficando cansativas, apesar de terem começado como um dos maiores charmes da série.

Também preciso admitir que Hawaii Five-0 anda com uma dinâmica estranha há duas temporadas quando em muitos episódios a equipe fica dividida ou algum personagem principal não aparece ou possui um plot separado do restante da história do episódio. Apesar disso, a temporada teve um final dramático colocando a vida de Steve em perigo, o futuro de Kono sem previsão e Chin com uma grande decisão pela frente. E é um final como esse que faz os fãs da série não desistirem da Five-0.

Recap: A 7ª Temporada de Hawaii Five-0

Nota da Temporada - 7.5

7.5

Review da sétima temporada de Hawaii Five-0, da emissora CBS.

User Rating: 4.16 ( 5 votes)

Comments

comments

About Camila Cotrim

  • LuLuFelipeCam

    Faz uma crítica sobre a 13 temporada de grey’s anatomy pfff,amo o site bjosss