Scandal – 6×10 – The Decision

Imagem: Arquivo pessoal

“Eu estou dentro.”

Alguém me explica o que foi esse episódio? Vou bem confessar que estava na expectativa para ele. Não pelo bafafá que se criou ao redor da marca do 100º episódio, mas porque seria um episódio de universo alternativo e eu amo episódios assim. Trabalhar com as possibilidades que não foram, com outros caminhos não percorridos traz uma perspectiva do que poderia ter sido e não foi. É um bom exercício de roteiro e de preparação de personagem por pegar tudo o que já está estabelecido dentro da narrativa e fazer alterações bruscas, em especial para os personagens que muitas das vezes, ainda que preservem sua essência, pegam-se como pessoas completamente diferentes. Mas tenho que confessar que foi completamente decepcionante.

“The Decision” (6×10) até que começou bem, com uma pretensa tensão no Salão Oval entre Olivia, Fitz e Jake tentando traçar um plano para lidar com os charlatões e livrar Cyrus da prisão. Imbuída por um sentimento de justeza, que significa não cometer os mesmos erros do passado, mas cheia de vontade de voltar para a Casa Branca, a gladiadora-mãe só fez titubear entre a vontade de Fitz de fazer o que é “certo” e a de Jake de fazer o que tem ser feito, ainda que isso significasse corromper a eleição.

Óbvio que nem Fitz nem Olivia queriam isso, eles já navegaram por essas tretas antes. Questionada por Jake, Olivia se pôs a pensar nas decisões do passado e bum! Lá fomos nós viajar com Gloria Perez, quer dizer, Olivia Pope e embarcar novamente naquele avião que definiu o líder do mundo livre e o futuro dos Estados Unidos da América.

Ressuscitação de mortos, reconfiguração de relacionamentos e de caracterização de personagens são elementos esperados num universo alternativo. Alterações no modo de vida e na postura dos personagens também. Então qual foi o problema aqui? A postura de Olivia e o lenga-lenga com Fitz que acabaram consumindo praticamente todo o tempo do episódio. Faltou desenvolvimento de outros personagens e sobrou preguiça para lidar com o casal Olitz. Nada novo sobre o sol com Fitz descontando suas frustrações na bebida e nos outros, sendo o playboy presunçoso que sempre foi.

O que incomodou aos montes foi ter que engolir uma Olivia passiva e subserviente diante do marido, ainda que tenha sido possível ver uma ponta daquela Olivia com vontade de ascender e arranjar um caminho que a levasse à Casa Branca. Só lhe faltava energia, força e vigor. Cheguei a pensar “o que que tá acontecendo, miga?” como se não fosse a Olivia Pope que conhecemos, sabe? E não falo isso por causa de sua caracterização, com roupas e cabelos diferentes, falo da essência da personagem mesmo.

Imagem: Arquivo pessoal

Para não dizer que tudo foi em vão e sem graça, as melhores partes ficaram por conta do shipp que nunca deveria ter deixado de existir, Abby e David, e pelo fetiche de Huck por Quinn, a princesinha da América que a gente mais respeita e teme. Fora que foi bacanérrimo ver Liv e cia, ainda que rapidamente, advogando por outros que não os figurões de Washington D.C. Mas ao fim do episódio ficou uma pergunta sobre a real importância dele para o enredo da temporada como um todo, sabe? Qual foi seu propósito? Um simples marco comemorativo? Um ganho de tempo para o desenrolar das tramas  em andamento?

Em outras produções da Shondaland, esses episódios de universo alternativo costumam passar como mensagem a ideia de que não importa o que aconteça, existe uma força pré-destinada que move mundos e fundos. Pelo menos em Grey’s Anatomy foi assim e olhando para Scandal podemos perceber que essa ideia esteve de alguma forma no episódio, do contrário Olivia nunca teria encontrado a sede da OPA nem Mellie teria ido atrás dela para uma conversa real e sincera. Então será que os fãs de Olitz podem respirar aliviados, eles são endgame? Será que Mellie se tornará a 46ª presidente dos EUA (Vargas foi o 45º)? E mais, será que o destino fatal de Cyrus será sempre andar pelas beiradas? Todos questionamentos que, particularmente, pouco importavam serem mostrados agora e dessa forma.

Fica aqui a esperança de que a temporada volte ao seu rumo e ritmo da programação normal. E se meu conhecimento intuitivo da série me vale de alguma coisa, Cyrus não se tornará o próximo presidente.

P.S.: Tenho que admitir que o casamento foi bafônico!

The Decision

Nota do episódio - 7

7

Review do décimo episódio da sexta temporada de Scandal,da ABC, intitulado "The Decision".

User Rating: Be the first one !

Comments

comments

About Melina Galante

Melina Galante
Produtora e realizadora audiovisual, no momento em processo acadêmico. 99% seriadora com aquele 1% noveleira. Divide as fases da vida em Buffy, a Caça-Vampiros, Gilmore Girls e Grey's Anatomy. Sua menina dos olhos, porém, é Penny Dreadful. No Mix de Séries escreve as reviews de Modern Family, Orange is the New Black, Scandal e o que vier.

Check Also

Shades of Blue – 2×08 – Unpaid Debts

Unpaid Debts é um dos títulos de episódios de Shades of Blue mais apropriados até o momento, …