Sem eliminação, estreia do Dancing Brasil 2 mantém o nível da primeira temporada

Imagem: Reprodução/Youtube

Ontem (24) estreou pela RecordTV a segunda temporada do Dancing Brasil, semanas após o encerramento da primeira temporada que consagrou Maytê Piragibe a vencedora do reality.

Alguns acusaram ser muito cedo, mas a verdade é que praticamente emendando uma temporada na outra o programa tem a chance de consolidar para valer com o público que curtiu o formato. Sucesso de faturamento e audiência, o espectador levou algumas semanas para se acostumar com o programa, e quando se acostumou ele acabou. Logo, vejo como uma decisão acertada trazer o programa para mais uma temporada ainda este ano.

Quanto às estrelas, o time esteve um pouco mais caído do que o da primeira temporada. Porém, temos nossas ressalvas e já as apostas para um bom desenvolvimento. Dentre os nomes, as cantoras Alinne Rosa e Lexa, a ex-jogadora de futebol Milene Domingues, o músico Fernando Pires, os atores Raphael Sander, Carlos Bonow e Theo Becker, o apresentador Yudi Tamashiro, a jornalista Carla Prata, a jogadora de vôlei Jaque Carvalho, o modelo Jesus Luz e a atriz Suzana Alves.

Theo veio com a fome de tentar vencer a imagem de maluco que ganhou com A Fazenda, e um certo desespero foi expresso na pista de dança. Já artistas como Alinne Rosa e Lexa mostraram que são bem travadas, e o negócio delas é mesmo cantar. Dentre as surpresas, eu diria que Suzana Alves me chamou atenção, principalmente pelo seu entendimento de que o Dancing é um reality de superação e de “desconstrução”, além de Yudi Tamashiro, que mostrou saber fazer mais do que distribuir PlayStation para a garota – uma alusão a sua época em que era apresentador do Bom Dia e Cia, do SBT.

Xuxa estava mais animada, já confortável no programa e bem feliz de estar num projeto que vem sendo reconhecido e aclamado dentro da RecordTV. Entretanto, ainda lhe falta um pouco de maturidade na leitura do TP. Em certos momentos, ela parecia como uma palestrante lendo sua apresentação em frente a um público. Ela precisa tentar soar um pouco mais natural, sem sair das indicações do diretor Rodrigo Carelli, que já é comparado como a sua “nova Marlene Mattos” na vida da Loira.

Já o Sérgio Marone, continua cumprindo seu papel, mas continua sendo o toque menos evoluído do programa. Muito sério em certos momentos, ele precisa se descontrair mais. Curtir a apresentação e saber improvisar em certos momentos. Afinal, esta é a chave do ao vivo.

Nesta semana não houve eliminação. Assim como na primeira temporada, os pontos deste episódio irão se acumular para o da segunda semana – onde eles já estarão um pouco mais desenvolvidos e prontos para encarar a eliminação.

Vamos ver os destaques?

O MELHOR DA NOITE

Yudi e Barbara – Foxtrote

O que foi essa apresentação? Como Fernanda Chamma mesmo apontou, “isso é uma estreia de Dancing Brasil“. Disciplinado e, principalmente, feliz por dançar como Jaime apontou, Yudi foi o grande destaque da noite e promete ser uma das principais atrações da temporada. Mesmo sendo menor que sua parceira, no palco ele pareceu gigante ao som de “Feeling Good“.

SEGUNDO MELHOR

Suzana Alves e Tutu – Foxtrote

Suzana pode não ter tido a melhor das apresentações, mas soube expressar no palco a vontade de aprender, evoluir e de se “reconstruir”, como ela mesmo apontou. Ao lado de Tutu, ela tem grandes chances de ser também um dos destaques.

MERECE DESTAQUE

Raphael e Nay – Cha Cha Cha

Raphael chamou atenção nas redes sociais por sua beleza, mas ele tem potencial para sair da imagem de “galã” e se jogar na pista de dança. Como Fernanda Chamma mesmo apontou, “bagunça esse cabelo” e mostre a que veio.

E para você, quem foi o destaque da estreia da segunda temporada do Dancing Brasil? Para quem você irá torcer?

Comments

comments

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.