Shonda Rhimes quer império na Netflix nos moldes da Marvel Studios

Imagem: JAMES WHITE/EW/Release.

O novo degrau do império Shondaland

Que Shonda Rhimes é uma das mentes mais criativas da TV americana todo mundo sabe. Agora, que está na Netflix, ela tem um novo objetivo: expandir seu império ‘Shondaland’ ao redor do mundo inteiro e se transformar em um marco cultural.

Em entrevista recente ao New York Times, Rhimes falou sobre seu acordo multimilionário com a plataforma de streaming. A criadora de Grey’s Anatomy e Scandal faturou cerca de U$ 150 milhões de dólares – mais de R$ 600 milhões de reais.

Continua após a publicidade

Desde que assinou com a Netflix, Shonda já possui pelo menos oito séries diferentes em desenvolvimento. E outras já estão a caminho. Rhimes enxerga a Shondaland dentro da Netflix como a Marvel Studios dentro da Disney: uma verdadeira incubadora de talentos e uma marca globalmente amada dentro de uma das maiores empresas de entretenimento do mundo.

Seria realmente incrível para mim se em algum momento, não agora, alguém dissesse: ‘Tinha uma Shonda na Shondaland?’. É preciso ser maior que eu”, revelou a Rhimes ao NYT.

Quem conhece o trabalho da produtora sabe que isso não é algo difícil de acontecer. Inclusive, a variedade de séries assinadas por ela em desenvolvimento na Netflix não é diferente dos famosos e vários filmes de super-heróis da Marvel, que são planejados com vários anos de antecedência.

Imagem: Shondaland/Reprodução

Pelo menos 8 séries de Shonda estão em desenvolvimento

Entre as potenciais nova séries de Shonda Rhimes está uma produção sobre a “Grande Migração”, movimento que levou mais de 6 milhões de afro-americanos moradores do Sul dos Estados Unidos a migrarem para outras regiões do país devido à aplicação de leis que insticuionalizaram a segregação racial.

Uma segunda série pretende explorar a “vida particular” dos presidentes americanos, suas famílias e os funcionários da Casa Branca. Seria uma versão moderna de Downton Abbey? Outra produção de Shonda deve se basear no livro ‘Reset’, da escritora Ellen Pao, e abordar o sexismo no Vale do Silício.

Shonda deixou ABC em busca de mais liberdade criativa

Revolucionária, Shonda também quer imprimir em seu trabalho o modelo de trabalho da antiga “United Artists” – uma companhia de cinema e TV criada por Charlie Chaplin, Douglas Fairbanks, Mary Pickford e D. W. Griffith – e ter mais controle sobre o trabalho e o processo criativo.

À época, a United Artist foi criada no intuito de fazer frente às grandes corporações do entretenimento. Foi justamente a fama da Netflix de dar aos seus escritores e produtores total liberdade criativa que atraiu Shonda. Ela deixou a ABC após anos trabalhando exclusivamente para o canal.

Na entrevista, Rhimes destacou que um dos benefícios da mudança é a ausência de restrições de linguagem, conteúdo e comercial que as TVs impõem.

Parceria beneficia tanto Shonda como Netflix

Mas essa parceria será tão benéfica para a Netflix como para Shonda. O Chefe de Conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, disse que mais da metade dos 152 milhões de assinantes do serviço ao redor do mundo já assistiram alguma série Shondaland.

Continua após a publicidade

Não a toa, Grey’s Anatomy foi apontada como a série da Netflix mais assistida nos Estados Unidos. Se a Netflix pretende dominar o mundo, Shonda Rhimes, definitivamente, faz parte desse plano.

Leia também: Confira as sinopses das novas séries de Shonda Rhimes para a Netflix

About Italo Marciel

Italo Marciel
Cearense, 28 anos. Jornalista especialista em Assessoria de Comunicação. Viciado em séries desde que se entende por gente e apaixonado por cinema. O cara que fica feliz em indicar uma boa série ou um bom filme para os amigos.