The Crossing, nova série da ABC, é uma mistura de Lost com The 4400

Imagem: ABC/Divulgação

Série mistura ficção e drama, a fim de prender o espectador…

A julgar pelo primeiro episódio de The Crossing, a nova série da ABC não tem muito o que acrescentar na vida de um seriador. Utilizando elementos desgastados e já vistos em outras produções, a trama não é nenhuma inovação para a TV. Porém, mesmo cheia de clichês, por algum motivo ela prende.

Conduzida por Jay Beattie e Dan Dworkin, a dupla de roteiristas possuem uma bagagem bem eclética em seus currículos. Apesar de serem os consultores de séries como Scorpion, The Event e até mesmo Cold Case, a dupla também foi uma das principais responsáveis por Revenge, um dos maiores novelões da ABC. Logo, há de se esperar elementos dramáticos em sua trama. Se fosse para definir a série em uma sentença, faria como no título deste artigo: “Lost encontra The 4400“, e eu explico.

Trama é recheada de mistérios!

Talvez, o clichê reusado por The Crossing seja certeiro. Lembro que há uma década, quando a internet ainda estava nascendo, os mistérios de Lost eram os mais debatidos em fóruns on-line. Essa mesma chama que pode incitar os fãs é vista na nova série. No primeiro episódio, somos introduzidos a uma pacata cidade dos Estados Unidos, onde de repente várias pessoas começaram a surgir no mar. Desacordadas, elas pareciam estar mortas. Até que as autoridades descobrem que muitas estavam vivas!

O que parecia ser um naufrágio, torna-se uma incógnita: as pessoas alegam que não são desta época, mas sim do futuro – mais propriamente, 180 anos evoluídas. Elas teriam voltado no tempo, fugindo de uma guerra que ainda estava para acontecer.

Claro que a história contada pelos refugiados é tratada com desconfiança pelo FBI, que assume o caso e logo tira a responsabilidade do Xerife interpretado pelo protagonista Steve Zahn. Porém, quando eles são introduzidos a uma figura chave, que aparenta ter poderes sobrenaturais, a história começa a ficar ainda mais intrigante.

Imagem: ABC/ Divulgação

Já vi essa série?

Neste ponto, toda a trama me lembrou muito The 4400. A série, que hoje é cult, tratava de um assunto semelhante ao trazer 4400 pessoas desaparecidas há anos para o presente, e também com poderes. Isso, a certo ponto, me soou um pouco nostálgico, e talvez tenha contribuído para que a série me fisgasse. Mesmo sendo batida, como disse, ela resgata justamente esse tom que une a ficção com mistérios, que podem fazer o espectador ir além dos episódios de 40 minutos exibidos semanalmente. E isso é muito interessante em se acompanhar.

Outra questão que me atraiu foi que a série pretende ir além da investigação do FBI sobre este caso, propriamente. Ao que parece, já existia uma conspiração antes mesmo destes personagens chegarem ao nosso tempo, e tudo indica que muitos já estavam aqui anteriormente. Portanto, o público irá se perguntar: quem são essas pessoas, quantas são e, afinal, o que querem?

Instigante o suficiente? Talvez…

E o veredito é…

Ao final do episódio paira uma dúvida: é boa ou não é? A resposta, eu não sei. Talvez seja preciso dar mais tempo para a série trabalhar algumas tramas e ideias, para então vermos seus objetivos e conquistas. Em uma rápida primeira temporada, será que ela conseguirá?

Bem, estamos torcendo…

The Crossing - 1x01 - Pilot

Nota do Episódio - 8

8

Crítica do primeiro episódio da série The Crossing, da ABC.

User Rating: 4.4 ( 1 votes)

About Anderson Narciso

Anderson Narciso
Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.