The Good Doctor – 1×09 – Intangibles

Imagem: TV Time/ABC/Divulgação

Acho engraçado como o brilhantismo de The Good Doctor me comove até mesmo nos pontos dúbios. O incrível trabalho traz bons frutos e cenas emocionantes que realmente chocam pela abordagem. Todo o processo de abordagem inicial cômica, o impacto do plot principal, o desenvolver dos fatos, a grande sacada final… Cada ponto com seu devido nível de apresentação para captar o espectador e conseguir trabalhar sobre a continuação.

Primeiro, já começamos a grande jogada ao envolver uma criança como temática. A pediatria é bem ambígua dentro da Medicina, funcionando como um fator oito ou oitenta. Apesar disso, arrisco a dizer que ninguém consegue conter a emoção ao trabalhar na área. O que já dificulta muito o julgamento e tomada de decisões, principalmente dentro do ambiente cirúrgico. Pontos específicos à parte, a desenvoltura centrada na relação médico-paciente consegue arrematar muito bem a trama.

A comemoração de Kalu com a cirurgia, o olhar esperançoso de Melendez, a sacada genial de Shaun… Cada um com seu respectivo ponto que nos humaniza dentro da situação. Já não é fácil lidar com a doença, quando envolve uma condição difícil e a situação familiar, tudo é intensificado. E aí que mora o grande perigo e o twist do episódio. Temos um paciente de condição desfavorável em um hospital de porte gigantesco, onde a tecnologia 3D já vem como grande auxiliar. Acho que é bem simples perceber a grande crítica social que isso nos traz.

E as dificuldades foram sendo apresentadas em vários aspectos. Os momentos de Claire conseguiram ser bem angustiantes, contudo, quebraram o gelo nas interações com Shaun. Uma administração hospitalar vai muito além do que imaginamos, cada detalhe, cada ponto, cada situação. Tudo milimetricamente calculado para que os erros sejam os menores possíveis. Não é a primeira vez que vimos isso em uma produção televisiva, não será a última e não está distante da realidade.

Imagem: TV Time/ABC/Divulgação

Falando sobre nosso querido protagonista e sua relação com a Dra. Claire, cada vez mais me sinto dividido. Claro que temos aí uma grande amizade e as coisas com Lea parecem ter andado bem no fim do episódio. Mas essa é a hora que temos que escolher entre Damon e Klaus, Steve e Matt, ou Meredith e Addison. Claro que as proporções aqui ainda não tomaram os rumos dos exemplos anteriores, mas uma opção é sempre um tiro no escuro. As jogadas do garoto sobre sinais e expressões de flerte fazem o total sentido e foram bem descontraídas. Gosto e prezo pela amizade dos dois, mas como resolveram não abordar mais da “relação” de Kalu e Claire, tudo ainda está em jogo.

A querida Winter Finale está logo aí e, pela promo, esperamos momentos angustiantes. Shaun ainda não está bem com sua nova condição no hospital e isso é um grande risco a todos. Por mais que ele se concentre ao máximo e dedique à socialização, ainda percebemos um temperamento bastante não usual. Além disso, o abuso promete ser um ponto debatido e citado no vídeo, que também traz fortes pontos de discussão. Ansiedade a mil já com a próxima semana!

E vocês? O que acharam do episódio? Continuem acompanhando o Mix para mais notícias e reviews, e nos vemos na próxima semana. Até lá! 😀

Intangibles

Nota do Episódio - 9.1

9.1

Review do nono episódio da primeira temporada de The Good Doctor, da ABC, intitulado "Intangibles".

User Rating: Be the first one !

About Lucas Franco

Lucas Franco
Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.