Recapitulação: The Good Place – Aquela comédia que estávamos precisando

Imagem: NBC/Divulgação

fall season 2017/2018 está prestes a começar, e a nossa ansiedade encontra-se a mil por hora. Na temporada passada, podemos dizer que depois de um bom tempo o canal NBC acertou em sua programação, e o resultado foi nítido principalmente pelo fato dela ter sido a segunda emissora com menos cancelamentos, perdendo apenas para a CW.

Das séries novatas é claro que o principal destaque foi para This Is Us, que se tornou um fenômeno de público e crítica, mas as comédias também mandaram bem. Uma delas com certeza é The Good Place, estrelada por Kristen Bell (Veronica Mars) e Ted Danson (CSI). Mesmo não tendo índices tão espetaculares, a atração logo de cara conquistou o público e a crítica. O motivo com certeza foi a história bem escrita, além do fato da primeira temporada contar com treze episódios, ao invés dos habituais vinte e dois, o que deixou a trama mais ágil e sem o risco da famosa “barriga” entrar em ação.

Criada por Michael Schur, nome por trás de grandes séries como The Comeback, The Office, Parks And RecreationsBlack Mirror, a história gira em torno de Eleanor Shellstrop, uma mulher que acaba de morrer e então passa a ter uma nova experiência. Ao acordar e dar conta de que está morta, a personagem se depara que está em um local chamado The Good Place, o qual é recebida por um simpático rapaz, chamado Michael.

É nessa hora que tudo começa a ganhar forma, pois Eleanor não entende do porquê estar ali, se em vida não foi uma pessoa tão bondosa assim. Nos deparamos então com um mundo de pessoas perfeitas até demais, e que tudo chega a irritar em certos momentos. A partir da chegada da protagonista, o local começa a passar por diversas turbulências, e para tentar reverter a situação, a personagem precisa contar com a ajuda de Chidi, seu parceiro do local, em que lhe foi designado como sua alma gêmea.

Imagem: Ron Batzdorff/NBC/Divulgação

Um ponto positivo que a série aborda é justamente essa dinâmica entre os protagonistas: a química que surge é algo inexplicável, e com o passar dos episódios a parceria mostra o desenvolvimento que eles acabam tendo. Eleanor começa a repensar em muitas coisas que fez enquanto estava viva, e começamos então a ver um lado mais humanizado seu, enquanto por parte do Chidi vemos que está tudo bem dele não ser uma pessoa extremamente perfeita, e que errar é humano e muito comum.

Os outros núcleos fazem da história algo bem conectado e enriquecem o roteiro de plots, como o caso de Tahani, Janet e Jianyu. A primeira é uma mulher rica, cheia de princípios e que Eleanor não gosta nenhum pouco. Já a segunda é um robô programado por Michael, como uma espécie de guia do good place, e na minha opinião uma das personagens mais engraçadas da série, sem sombra de dúvidas. Já Jianyu começa como um monge que não fala, sendo designado para ser a alma gêmea de Tahani. O que ninguém esperava é que o rapaz não é exatamente aquilo que transmite, e quando isso é revelado, sua importância na história passa a ser crucial.

Falando em não ser aquilo que transmite, com o passar dos episódios, no final de cada um deles sempre rola um plot twist de tirar o fôlego, que então vemos que nada ali no lugar é como se imagina. Isso pra mim com certeza é outro ponto pra lá de positivo que a série apresenta, nos levando a uma season finale cheia de reviravoltas surpreendentes, e para alguns até que previsível (o que não foi o meu caso).

A primeira temporada soube fechar um ciclo de forma ponderada, sabendo dar aquele gostinho de quero mais e com um plot twist daqueles nos instantes finais. Como as coisas vão desenrolar para Eleanor nesse novo ano não sabemos, mas que já estamos bem ansiosos, isso é fato. The Good Place retorna no dia 20 de setembro, com episódio duplo em sua premiere.

Se você ainda não assistiu a comédia corre, pois ela tem apenas treze episódios e por conta de sua leveza a maratona será feita rapidamente.

Ah sim, fique por dentro, pois vai rolar review da série toda semana!

Comments

comments

About Eduardo Nogueira

Eduardo Nogueira
Administrador apaixonado por séries e música, sou fã assumido de Friends, e tenho guilty pleasure pelas séries da CW. No Mix sou editor de reality show, cobrindo atrações do gênero como as franquias The X Factor , The Voice, American Idol, entre outros. Faço também reviews das séries Mom, Supergirl, The Good Place, Scream, Fuller House e da brazuca A Garota da Moto. Além disso, deixo vocês sempre atualizados com as nossas Bolhas de Cancelamento, e também escrevo as colunas de Elenco e Teu Passado Te Condena. No tempo que me sobra faço um café para as visitas, rs. Ufa!