The Newsroom: uma crítica ao jornalismo

Imagem: Google Imagens

No ar em 5, 4, 3, 2, 1.

Escrito por Aaron Sorkin, o seriado produzido pela HBO estreiou em 24 de junho de 2012, com o seu fim em 14 de dezembro de 2014. Durante os seus vinte e cinco episódios, divididos em três temporadas, a série acompanha o ritmo da redação de um jornal de televisão. Mas, além de mostrar como esses profissionais trabalham, a série faz uma crítica ao jeito como alguns canais estadunidenses fazem o jornalismo, discutindo a forma sensacionalista e melodramática vinculada a cada cobertura, mesmo que o próprio autor já tenha falado que não tentou ensinar jornalismo. Junte a esta crítica casos baseados em notícias reais, um elenco afinado, entregando personagens marcantes e você receberá um seriado muito bom e apaixonante, que vai fazer até o coleguinha das exatas querer mudar para jornalismo.

O personagem principal da série era Will McAvoy, o âncora mais rabugento que você mais respeita. Will era muito cabeça dura e fingia ser forte, mas era coração mole. McAvoy também achava que estava sempre em uma “mission to civilize“, arrancando altas risadas com sua personalidade. Outro ponto fraco é a sofrência que ele tem por MacKenzie McHale, ex namorada que depois virou produtora do News Night. Ela era a única que conseguia manter Will na linha e que batia mais de frente com ele. Foi ela a responsável por Will proferir o discurso memorável sobre os Estados Unidos não ser o melhor país do mundo, bem no primeiro episódio da série.

O relacionamento deles era uma das melhores partes cômicas da série. Dava pra perceber o quanto eles ainda tinham sentimentos um pelo outro e como o relacionamento deles era complicado, por conta da personalidade forte dos dois. Inclusive, levou um bom tempo para os dois finalmente ficarem juntos e fazerem a alegria dos shippadores. Mas não é só esse casal que The Newsroom demorou a juntar. O melhor casal, na minha opinião, era Don e Sloan. Don era um porre no começo do seriado, namorado ruim e um produtor chato demais. Mas com o tempo, ele começou a ficar mais engraçado e levar mais a sério o namoro que ele tinha. Já Sloan era aquela pessoa meio ruim com interações sociais e sincera ao extremo, o que fazia as pessoas não gostarem muito dela.

E por último, o pior casal, têm também Jim e a Maggie. Admito que durante a primeira temporada, Jim era meu personagem favorito. Ele era apaixonado pelo o que fazia, muito competente e até um pouco inocente. Mas com o tempo, as bads dele com Maggie acabaram virando o tema principal da participação dele e aí ficou um pouco chatoJá a Maggie era um pouco mais chatinha no começo, com uma personalidade frágil e sempre chorando porque namorava Don, mas queria dar uns beijos no Jim. Enfim, chata. Mas, depois de uma tragédia que ela presenciou durante uma cobertura, ela melhora demais. A personalidade, antes frágil, dá lugar a uma pessoa mais decidia e que se impõe muito mais. Claro que eles também demoraram muito para ficar juntos, porque The Newsroom gostava de enrolar a gente nesse quesito.

(ALERTA!!! SE VOCÊ ESTÁ LENDO, MAS NÃO ASSISTIU THE NEWSROOM POR COMPLETO, FOGE DESSE PARÁGRAFO. VAI PARA O PRÓXIMO!)

A alma de The Newsroom é concentrada no presidente de notícias da ACN, Charlie Skinner. É o personagem mais cativante do seriado, com uma personalidade extremamente explosiva. Não são raras a cena de Charlie partindo pra cima de alguma pessoa. Inclusive, a morte e o enterro de Charlie são um dos grandes acontecimentos da série. Foi inesperado e até desnecessário(?), mas marcou um período de transição e um fim emotivo ao seriado. Mas enfim, Charlie e sua história do Don Quixote ficarão  pra sempre no nosso coração. Por último, mas não menos importante, Neal Sampat completa o time de personagens da série. Neal começou sendo apenas o blogueiro da página do McAvoy, mas tinha a pretensão de virar produtor. No começo da série ele não tinha tanto espaço, mas ele começou a ganhar mais espaço com o tempo e é por conta de uma coisa que acontece com ele que a terceira temporada inteira se desenvolve.

Enfim, The Newsroom foi um seriado muito bem feito, com um elenco muito afinado e bons plots. Com romantização da profissão, uma boa dose de humor e críticas ao modo como a cobertura jornalistica se tornou extremamente apelativa e como o papel de informar está cada vez mais difícil, The Newsroom não dá nenhuma lição, mas sim questiona os métodos que as grandes redes estadunidenses estão utilizando em suas coberturas.

 

 

About Lucas Mantovani

Lucas Mantovani
Estudante de jornalismo com um pezinho em História. Ama assistir seriados, apesar de não ter tanto tempo. Por isso, decidiu unir o útil ao agradável e fazer reviews. Tem, as vezes, preguiça de assistir aquele seriado que todo mundo está falando que é muito bom, apesar de saber que isso é besteira. Eterno fã de Chuck, não tem um gênero preferido de seriado. Atualmente trabalha como produtor para a TV UFOP e repórter para o Portal Vértices, além de colaborar aqui no Mix de Séries.