The Tudors: A envolvente história do Rei Henrique VIII vista sob outro olhos

Imagem: Showtime

Vida longa ao Rei!

Quem nunca ouviu essa frase? Pois bem, parece que o canal Showtime, na época, pouco conhecido, decidiu investir num seriado envolvendo essa temática e contratou Michael Hirst para escrever uma história sobre a monarquia britânica. Hirst, então, usou todo o seu conhecimento e sua criatividade para contar a história do famoso Rei Henrique VIII, mesclando fatos reais com fictícios. E em 01 de abril de 2007 ia ao ar The Tudors.

Primeiramente, o seriado teve seus dois primeiros episódios exibidos via streaming, coisa inédita naquela época para, em seguida, se tornar um dos maiores sucessos do canal pago. A história, bastante polêmica por natureza, narra a jornada do Rei Henrique VIII na coroa Inglesa e sua vida amorosa bastante conturbada. Com inúmeras amantes e vários casamentos, ele causou um rebuliço ao cortar as relações com a Igreja Católica por ser o primeiro monarca a se divorciar, indo contra os dizeres da Igreja. Suas atitudes sempre foram impulsivas e contrárias aos dos parlamentos.

Em apenas 4 temporadas, pudemos acompanhar os triunfos, as derrotas e os amores do Rei mais polêmico do Reino Unido. Num total de 38 episódios, vimos Henrique VIII desde o início de seu reinado até a sua morte, em 1547. Para os fãs de história, o seriado é uma ótima pedida. Apesar de misturar bastante ficção com realidade, dá para sentir aquela sensação de volta para a monarquia e vivenciar cada momento com os personagens. Inclusive, o seriado ousa em abusar no figuro e nas maquiagens, levando os telespectadores a uma viagem no tempo magnífica.

Com fotografias lindas, o seriado é filmado na Irlanda, o que acaba dando mais realidade aos fatos, afinal, Irlanda ainda apresenta alguns aspectos históricos presentes importantes na formação da monarquia do Reino Unido, sendo constituída por castelos e sua arquitetura é bastante conservada.

Imagem: IMDB

A trama…

A primeira temporada apresenta a vida de Henrique VIII entre os anos de 1518 e 1530. Com apenas 10 episódios, um para cada ano de reinado, a temporada mostra como o rei aborda as intrigas internacionais e diplomáticas. Enquanto isso, há a pressão social e da corte inglesa em relação ao herdeiro. Henrique está casado com Catarina de Aragão, sua primeira esposa, e ela não te deu nenhum herdeiro masculino, o que o deixa um pouco revoltado. E quando ele conhece Ana Bolena, Henrique vê a oportunidade perfeita de terminar o casamento e torna-la a próxima Rainha.

A segunda temporada vai de 1531 e 1536 e o grande destaque fica para a cisão entre Henrique e a Igreja Católica Romana, por meio do Ato de Supremacia de 1534. Com o rompimento, surge a Igreja Anglicana na Inglaterra e Ana Bolena casa-se com o rei e se torna rainha. Tal como Catarina, Ana também não proporcionou herdeiros do sexo masculino e acabou executada em 1536, último ano retratado na temporada.

Os acontecimentos da terceira temporada ocorrem entre 1536 a 1540. Ao contrário das duas primeiras temporadas, a terceira possui apenas oito episódios. Nela são apresentados os casamentos de Henrique VIII com Jane Seymour e Ana de Cleves. É mostrado também a revolta conhecida como Peregrinação da Graça, que teve como objetivo se opor à reforma protestante de Henrique, ato que o consagrou como uma pessoa cruel. A temporada termina com mais um casamento do rei, dessa vez com Catarina Howard.
A última temporada mostra os últimos anos do reinado do Henrique VIII e seu enfraquecimento no poder, terminando em 1547, ano de sua morte.  São dez episódios que cobrem os relacionamentos polêmicos e tumultuados de Henrique VIII com as suas duas últimas esposas, Catarina Howard e Catarina Parr. Com um fim um pouco trágico e praticamente sem um herdeiro do sexo masculino, Henrique VIII acaba enlouquecendo e tendo um fim bastante inesperado para um rei.

Destino…

Para quem é fã de história, sabe muito bem que sua filha Mary, do primeiro casamento com Catarina de Aragão, é quem assume o trono deixado por seu pai, mesmo que ele tenha inventado mil histórias sobre sua origem. E, bem, o resto vocês sabem o que acontece até chegarmos ao ano do Príncipe George e da Princesa Charlotte (e do novo bebê real), futuros herdeiros do trono.
Imagem: Showtime

Além de tratar a história do Rei Henrique VIII e contar um pouco sobre a louca obsessão que ele tinha por Ana Bolena, The Tudors também nos apresentou alguns aliados e inimigos do Rei. Dentre eles, estava o Duque de Suffolk, Charles Brandon, melhor amigo e confidente do Rei. E foi justamente com esse personagem que Henry Cavill, o futuro Superman ganharia status de estrela e de galã da TV e do cinema. Pois bem, para quem assistiu o seriado, deve se lembrar muito bem das cenas calientes protagonizadas pelo atual Clark Kent. Showtime era a HBO de hoje em dia e posso afirmar Cavill nunca decepcionou em suas atuações. Tanto isso é verdade que ele acabou roubando as cenas e ganhando mais espaço na mídia que o protagonista Jonathan Rhys Meyers.

Enfim, The Tudors foi mais que livro de história, serviu para introduzir novos rostos em Hollywood e, de quebra, encontraram o Superman num canal que, futuramente, teria um status de HBO.

About Gabriella Siggia

Quem eu sou? Eu sou uma em um milhão: escritora nas horas vagas, seriadora de coração, cinemática de plantão e amante da literatura. Divertida, alto astral e bastante bem humorada. Só não achei ainda minha outra pessoa. Ah, música faz parte da minha vida.
  • Tiago Pereira

    Amei essa série. Tenho um box com todas as temporadas