The Voice UK – 7×04 – Blind Auditions

Imagem: ITV/Divulgação

A disputa anda cada vez mais acirrada no The Voice UK, e os times vão ganhando cada vez mais forma. Nesse quarto programa da temporada, o quarteto esteve mais criterioso, com direito a certas performances que não agradaram tanto assim. Entretanto, também tiveram aqueles que se sobressaíram bem.

Vamos conferir?

 

PERFORMANCES

 

H Boss – “Don’t Mind”

Bernardo: Quer saber? H Boss é ótimo. Eu adoraria vê-lo numa apresentação ao vivo, seja pelo gingado, pela energia e carisma. Quem sabe ele não deveria melhorar o número, deixá-lo mais redondinho e tentar o Britain’s Got Talent? Com certeza, esse é o programa errado pra ele.

Edu: Ele tem carisma, presença de palco, mas não a potência vocal que o The Voice exige, ainda mais que as blinds já estão na metade e os times bem encaminhados. Como Bernardo bem disse, ele tem o perfil para o Britain’s Got Talent. Esse lance deles não interagirem quando ninguém vira a cadeira ao candidato continua me incomodando demais.

Luke S: Jurava que o Olly viraria pro menino, gente. Tipo eu gostei, porque achei que ele tem carisma e tal. Sem contar que conquistou a plateia ali, mas infelizmente não rolou dessa vez. Concordo com o Bernardo, ele definitivamente se daria bem se tentasse uma chance no BGT.

 

Kirby Frost – “Ciao Adios”

Bernardo: Vou repetir a mesma história do H. Boss – o carisma da Kirky é ótimo, ela tem uma energia contagiante e certamente tem gosto musical ótimo. O problema? A apresentação foi uma bagunça. Mal planejada, mal arranjada e, acima de tudo, cheia de problemas. Foi exagero toda aquela excitação em torno da sua performance, mas vamos ver o que acontece.

Edu: Não consegui me conectar à apresentação, apesar de Kirby ter uma ótima presença de palco. Não sei se foi a song choice ou a maneira como ela cantou, mas não me ganhou. Eu acho que das batalhas ela não passa, ou talvez Olly possa nos surpreender.

Luke S: Gostei da voz dela, mas pra mim foi tudo um pouco exagerado demais. A música é boa, mas talvez ela teria se destacado mais se tivesse escolhido outra coisa. Pelo menos ganhou a chance de seguir na competição, e quem sabe não me impressione um pouco mais na próxima fase?

 

Loaded Sista – “Black Widow”

Bernardo: Eu gosto de duplas, principalmente quando eles são parentes, como o caso das Loaded Sistas. O problema aqui? Eu não gostei de nada. Foi chato, longo e exagerado. Eu realmente acredito que elas têm talento, mas concordemos que podem fazer muito melhor.

Edu: E O BUG COM A CADEIRA DO OLLY? Morri aqui! Sobre a performance, é uma dupla poderosa, isso é fato, mas ainda não se encontraram. A performance tiveram inúmeros erros, e uma das correções que devem ser feitas a princípio é justamente a sincronia da ruiva, que a senti diversas vezes deslocada. Eu acredito que é capaz do Will lapidar perfeitamente a dupla e então nos surpreendemos com elas nas batalhas.

Luke S: Gente, eu curti e não foi pouco. Adorando as duplas dessa temporada e Loaded Sista me ganhou com a audição. A guria que cantou primeiro tem uma voz bem poderosa, e embora precise aprender a se controlar um pouco mais, me impressionou. Aí quando a outra começou com o rap já levantei junto aqui. Me deixaram bastante curioso e com vontade ver mais.

 

Anna Willison Holt – “Never Forget You”

Bernardo: Finalmente algo de qualidade e que eu possa ficar feliz com a classificação. Anna surpreendeu com uma voz espetacular e uma força impressionante. Há problemas em relação a auto confiança e nervosismo, mas foi a melhor até agora.

Edu: Anna é um diamante bruto mais que pronto para ser lapidado, que voz! Gostaria de entender como apenas Will virou a cadeira para ela, que proporcionou, até o momento, a melhor blind da noite. Gostaria que ela fosse para o team JHud, mas vamos ver como seu coach lhe conduzirá daqui pra frente.

Luke S: Que tom de voz delicioso, meu povo! Sacanagem apenas uma pessoa ter virado a cadeira, porque pra mim ela merecia mais que isso. Quase se deixou ser engolida pelo nervosismo, mas ainda assim conseguiu entregar uma audição gostosa de assistir. Definitivamente tem potencial pra se dar bem na competição. Curioso pra ver o Will extraindo o melhor dela.

Eliza Gutteridge – “Wild Horses”

Bernardo: Eu adoro o fato da Eliza ter apenas 17 anos, e ter uma voz tão boa e pronta para uma competição como o The Voice. Não acredito que tenha sido a melhor escolha musical, nem de longe, mas Eliza tem um futuro promissor e, por enquanto, é isso que importa.

Edu: Gente, que maravilhosa essa Eliza, eu simplesmente amei. Dona de uma voz poderosa, nada melhor que Tom, proprietário do time mais forte da temporada até o momento, para virar a cadeira. Já no aguardo do que vovô vai aprontar com a jovem.

Luke S: E da onde é que saiu essa voz? Rs. Fiquei foi bem surpreso com a Eliza, porque estava esperando algo bem mais leve e suave, aí quando ela começou a cantar arregalei os olhos aqui. Eu gostei bastante dela e fiquei curioso pra ver as próximas song choices, porque tem muita coisa ai que combinada com a voz. Pode render performances bem interessantes.

 

Jordan James – “Don’t Go”

Bernardo: Eu consigo entender o porquê Jordan foi rejeitado. Na verdade, eu também não teria virado se tivesse a oportunidade, pois mesmo que tenha me chamado atenção pelos motivos corretos, ele escolheu a música errada. Estava muito nervoso e tropeçou em pontos fundamentais da música.

Edu: Jordan tem uma voz incrível, mas escolheu uma canção insuportável. Uma pena, espero que ele volte ano que vem e melhor preparado, pois o rapaz tem tudo para ser um nome de peso na disputa.

Luke S: Eu achei que foi um pouco exagerado demais, mas como estamos falando de um programa que valoriza a voz em primeiro lugar, pra mim o Jordan merecia sim pelo menos uma cadeira virada. Que ele pratique um pouco mais, tente exagerar um pouco menos e volte na próxima temporada.

 

Zak Archer – “Handbags & Gladrags”

Bernardo: O cabelo é impressionante, mas foi só isso.

Edu: Hoje não!

Luke S: Eu aqui pensando que iria sair algo de bom do gurizinho, mas infelizmente ele não está pronto pra um programa desse.

 

Holly Ellison – “Sorry Not Sorry”

Bernardo: Eu pensei que iria gostar, ou melhor, aplaudir o trabalho da moça em razão da história que o programa nos apresentou, mas não foi nada disso. Novamente eu não entendi o motivo do frenesi, ela estava nervosa, não foi boa e não me convenceu nem um pouco. Espero que melhore, até porque pode ser uma apresentação ruim, mas vamos em frente.

Edu: Eu achei que Holly estouraria na parte do refrão, assim como a Demi faz na versão original. Infelizmente não foi o que eu esperava, e parecia que ela estava assassinando um gato, mas na reta final até que rolou uma pequena evolução. Com certeza das batalhas não passará, isso é fato.

Luke S: Gente, eu levei um susto aqui com o Will virando e não foi no bom sentido. Não consegui gostar da audição da Holly, porque pra mim teve muito grito e pouco canto. Não sei, mas não curti a combinação da voz com a música. Pode ser que ela me surpreenda melhor na próxima fase, mas a primeira impressão não foi das melhores.

 

Gayatri Nair – “Powerful”

Bernardo: Esse episódio trouxe poucas performances de qualidade, mas eu posso lhes dizer que Gayatri salvou o dia. Foi poderosa, confiante, rica e me deixou esperando por mais. O nome dela está anotado, porque na próxima fase estaremos aqui para torcer e vibrar com seu (provável) bom desempenho.

Edu: EU TÔ CHÃO! Depois de uma fraca noite de audições, Gayatri veio salvar tudo. Amei por demais, e foi simplesmente espetacular. Sua apresentação fez jus ao nome da música, e foi uma pena não ter as quatro cadeiras viradas, não entendi o porquê de Olly ter sido tal exceção. Enfim JHud teve uma adição poderosa em seu time, e tenho certeza que as próximas apresentações serão repletas de tiros pra tudo quanto é canto.

Luke S: Ah gente, essa audição acabou comigo aqui e não foi pouco. Sério, estou apaixonado pela Gayatri! A apresentação dela passou uma energia enorme e ao mesmo uma dor nada pequena pra mim. Aquela voz suave e deliciosa foi um detalhe a parte que me deixou aqui querendo que ela cante umas dez músicas pela frente. Entendi os jurados falando que ela precisa de um mentor pra corrigir algumas falhas, mas nem precisa dizer que junto com a JHud tem tudo pra ser um dos destaques né?

 

CLASSIFICAÇÃO DOS TIMES

Team JHud: Gayatri Nair

Team Olly: Kirby Frost, Holly Ellison

Team Tom: Eliza Gutteridge

Team Will: Loaded Sista, Anna Willison Holt

 

O que acharam dessa quarta semana de blind auditions? Venha comentar conosco!

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.
  • Kelly

    Só duas apresentações boas. Muito decepcionante. E a última, pelo início não viraria de jeito nenhum, só valeu pelos agudíssimos. Ela tem uma voz muito inconsistente nas notas médias e graves.