The Voice UK – 7×14 – Final

Imagem: ITV/Divulgação

Chegamos à final de The Voice UK. Depois de algumas mudanças no formato e também de reviravoltas, o programa encerrou sua sétima temporada em grande estilo.

Vamos conferir o quem levou a melhor?

 

PERFORMANCES

 

Donel Mangena – “Let Me Love You”

Edu: Faltou fôlego, tempero, e mais um monte de coisas. O menino mandou bem a temporada toda, pra chegar na final e pagar micão? Agora pronto!

Bernardo: O que seria da apresentação do Donel sem a grande produção da ITV? Provavelmente algo embaraçoso. Faltou voz, faltou entonação, criatividade, originalidade, enfim, a verdade é que faltou tudo. Se ele voltasse para a fase das audições cantando desse jeito, não seria sequer qualificado.

Luke F: O mini Will deixou muito a desejar dessa vez. Depois de semanas com altas performances, vem algo tão simples que não conseguiu conter a qualidade. Se pelo menos emocionasse ou trouxesse empolgação, mas foi um grande nada.

Lule S: Gente, faltou voz por ali, hein?! Teve bastante dança e uma produção pesada na performance, mas no quesito voz o menino Donel deixou mais a desejar que o normal.

 

Belle Voci – “O Fortuna”

Edu: Gente, eu tenho pavor dessa música, porque parece que o Apocalipse está a caminho. Aí a produção vai e ainda deixa um efeito todo dark e justamente cabível ao tema, socorro. Comparações à parte, foi um número impressionante. JHud como sempre acertando em cheio, pena que a galera ali dos Estados Unidos não compraram ela na bancada do US. Foi uma baita apresentação, bem teatral também, apesar do visual Empreguetes.

Bernardo: Tá aí o excelente resultado da combinação de talento, voz, produção e qualidade. A escolha da música foi ótima, da mesma forma que eles conseguiram capturar e entregar a dramaticidade do momento. Poderia ser a trilha sonora da próxima aventura doida de John Langford.

Luke F: Não é a primeira vez que digo o quanto Belle Voci consegue me arrepiar com suas apresentações. Dessa vez não foi diferente. As duas vieram com um clássico lírico, teve espetáculo envolvendo a canção e tudo foi uma beleza só, impecável!! JHud fez um trabalho incrível e elas merecem estar aqui hoje.

Lule S: Caramba, eu fiquei arrepiado com essa performance viu. Essas gurias me impressionaram muito ao longo da temporada, e hoje vejo que essa vaga na final foi sim merecida. Gostei muito da performance, song choice perfeita pra elas.

 

Ruti Olajugbagbe – “If You’re Not The One”

Edu: Vou ser bem sincero que a princípio eu não tinha gostado tanto assim da apresentação. Aos poucos ela foi evoluindo, dosando mais emoção, e sempre mantendo a incrível qualidade. No final me emocionei, que foi muito lindo de se ver. Poderosa!

Bernardo: Não posso colocar defeito na apresentação de Ruti. Foi tudo correto, ponderado, calculado e perfeitamente ensaiado para não apresentar nenhum erro. Performance perfeita para final? Provavelmente, mas para o meu gosto não me emocionou. Faltou emoção, força e uma performance que diga ao telespectador que eu estou aqui para ganhar essa competição. Correto, porém apático.

Luke F: Por mais que as grandes produções trabalhem emoção em nossos corações, são as mais simples que realmente trazem a verdade. Ruti entregou sua voz à nós de forma singela, sem muita alteração, colocando os sentimentos e passando pela canção. Realmente foi algo muito bem feito, com certeza de quem tem o potencial para ganhar!!

Lule S: Adoro Ruti e entre os quatro ela é pra quem eu estava na torcida pra levar o prêmio. Novamente ela fez uma ótima apresentação e tipo, essa voz gente, quero demais um álbum pra ficar ouvindo aqui.

 

Lauren Bannon – “Stay”

Edu: Assim como meu amigo Luke, também esperava que fosse “Stay” de minha Riri, acho que teria combinado melhor e impressionado mais. Foi algo just ok, mas que não me convenceu tanto. Para uma final foi um número meio arriscado, ao meu ver.

Bernardo: Lauren é a minha favorita nessa final. Preciso que vocês saibam disso desde já, mas tenho que confessar que eu odiei essa apresentação. A escolha da música foi equivocada em todos os sentidos. É verdade que tirou Lauren da zona de conforto, mas vai ganhar quem conseguir explodir (não literalmente) aquele palco, com talento, com força de vontade e que consiga produzir um momento memorável não só para o The Voice UK, ou para ITV, mas sim para o telespectador. Afinal de contas, é ele quem consumirá o trabalho dessas pessoas no futuro ao comprar discos físicos, recorrer ao iTunes ou ao Spotify. O que a Lauren apresentou aqui sequer me faz considerar a possibilidade de acompanhá-la quando a competição terminar.

Luke F: Foi sim um tiro no escuro mas que, para mim, não deixou de apresentar força e garra para a competição. A garota tem talento natural indiscutível e conseguiu passar a mensagem de que não é só mais uma voz na multidão, mas que é a voz. Não emocionou como a apresentação de Ruti, ou impactou como o poder vocal de Belle Voci, mas teve seus méritos e tem chances como qualquer outro. Não é minha favorita para a final de hoje, mas não ficaria chateado com ela levando o prêmio pra casa!!

Lule S: Juro pra vocês que quando vi “Stay” imaginei que Lauren iria cantar o hino da RiRi. Não foi, mas vale dizer que a performance foi ótima da mesma maneira. Não foi melhor que a anterior dela, aquela que me surpreendeu totalmente, mas achei que ela conseguiu dar conta da música tranquilamente.

 

Belle Voci and Jennifer Hudson – “My Heart Will Go On”

Edu: O QUE FOI ESSA APRESENTAÇÃO? Estou emocionadíssimo, me tremendo todo aqui, e sem saber o que escrever.Estilos totalmente diferentes, mas que juntas entregaram um número surpreendente. JHud soube respeitar o espaço de suas pupilas, sabendo se sobressair na hora certa. Quando soube que elas cantariam essa música, fiquei com certo receio, mas ainda bem que a surpresa foi positiva.

Bernardo: É bom lembrar que a Jennifer Hudson não é cantora lírica. Nunca foi e eu acredito que ela nem pretender ser, o que já deixa um claro desafio para um dueto como esse. Como eu esperava, elas competiram para saber quem seria a mais tímida. JHud tentou fazer o possível para ser tão impressionante quanto a Belle Voci, da mesma forma que a dupla preferiu não ofuscar a técnica num gênero que ela claramente não domina. Em suma, a apresentação foi constrangedora, mas em defesa delas era praticamente impossível dar certo.

Luke F: Pra mim foi mais do que sensacional essa performance. Primeiro porquê, por mais que sejam três vozes muito poderosas, consegui enxergar um respeito bem trabalhado na apresentação. JHud tentando se adequar à voz das meninas, trabalhando seu talento natural na hora certa, uma divisão de faixas muito bem feita, a voz de Belle Voci encaixada perfeitamente à uma canção poderosa e de difícil controle. Enfim, pra mim ganhou de muitas apresentações solos logo ali em cima.

Lule S: Confesso pra vocês que eu estava aqui absurdamente curioso pra saber como é que seria esse dueto. No final das contas foi uma bela surpresa, porque além de escolherem um tiro de música, gostei DEMAIS de toda a apresentação. JHud mais uma vez esfregando na nossa cara o monstro que tem naquele gogó. Ao mesmo tempo, ela conseguiu entrar numa sintonia muito bacana com as meninas do Belle Voci e juntas tiveram um momento muito bacana no palco.

 

Lauren Bannon and Olly Murs – “Ain’t No Mountain High Enough”

Edu: Não foi a melhor performance entre act e coach, mas superou a de Will e Donel pelo menos. Foi contagiante, tinha uma energia deliciosa entre Lauren e Olly, mas essa música já é clichê demais. Erraram feio na escolha, em minha humilde opinião.

Bernardo: É sério mesmo que vocês me fizeram assistir essa competição por mais de três meses para ver Ain’t No Mountain High Enough” na final? É uma piada isso, só pode. Crítica feita, vamos para apresentação que infelizmente sofreu pela escolha musical. Mesmo que Olly Murs consiga cantar qualquer música fazendo parecer fácil, Lauren ainda não está nesse nível. Ela se esforçou e estava curtindo o momento, mas que peça o voto do telespectador.

Luke F: Bem comodista a apresentação, uma canção já bem batida, mas que sempre me traz aquele sentimento de mexer a cabeça com um sorriso no rosto. Foi tão assim que nem prestei atenção nas vozes direito… kkkk. Mas foi algo nos parâmetros do Just ok, que acabou deixando Lauren entre os intermediários!!

Lule S: Poxa, não poderiam ter escolhido uma outra música? Não que tenha sido ruim, mas não acho que extraiu o melhor de ambas as vozes. Pra mim foi um dueto que poderia ter sido muito melhor, mas…

 

Donel Mangena and will.i.am – “OMG”

Edu: Sabe a vergonha alheia? Então…

Bernardo: Deve existir algum lugar especial no paraíso dos realities para todos aqueles que passam vergonha em rede nacional. Isso porque não há outra forma de ver esse “dueto” além de embaraço. Sabe o que é pior? A dança, o ponto alto da apresentação, sequer estava sincronizada.

Luke F: Me recuso a comentar essa falta de empolgação e tristeza…

Lule S: PELAMOR gente. Pra mim foi um dueto sofrível de assistir. Não curti foi nada.

 

Ruti Olajugbagbe and Tom Jones – “What A Wonderful World”

Edu: EU QUERO SALVAR ESSE DUETO PARA SEMPRE!!! Essa é uma música maravilhosa por si só, e com Ruti e vovô Tom juntos ficou ainda melhor. Um soube respeitar o espaço do outro, e o resultado não poderia ter sido melhor.

Bernardo: Que momento delicioso!!!! Esse dueto nos confirma que uma grande apresentação não precisa de luzes, passos de dança, fumaça ou qualquer outro exagero para ser boa, entreter e deixar uma sensação muito boa em quem assiste.

Luke F: Foi tudo tão singelo do jeito que Ruti sabe fazer, que passou com aquele sentimento delicioso de trabalho bem feito. Como é bom ver Ruti crescer na competição como ela fez e poder apreciar uma apresentação dessas com o ícone Tom Jones.

Lule S: E aqui tivemos um dueto delicioso! Sério, são duas vozes completamente opostas e ao mesmo tempo senti uma sintonia tão deliciosa ali. Tom foi o mentor perfeito para Ruti.

 

TERCEIRO E QUARTO COLOCADO – LAUREN BANNON & BELLE VOCI

Edu: Nada surpreso estou. Primeiro que não imaginava nenhuma delas na final, e sim Lucy e Gayatri em seus lugares. Elas fizeram por merecer, tiveram trajetórias impressionantes, mas os outros dois finalistas é um que se tornou o queridinho da audiência, e a outra a voz mais poderosa do Top 4. Ou seja, não daria pra competir um lugar no Top 2 com Ruti ou Donel. JHud e Olly fizeram um ótimo trabalho com elas, e espero que ambos retornem no próximo ano como coaches.

Bernardo: Lauren mereceu demais essa colocação, na verdade ela sequer apareceu nessa final. Ficou com a cabeça em todos lugares, menos em traçar uma estratégia para vencer essa competição. Como disse, era minha favorita até aqui, mas não fez por merecer. Quanto a Belle Voci, também não me surpreende o resultado. Vejo como uma vitória para o gênero lírico elas terem chegado tão longe. É verdade que o mercado europeu é daqueles que mais apreciam Opera, de acordo com o Opera Sense, mas elas deixaram sua marca e conquistaram uma legião de seguidores. Isso que importa.

Luke F.: Não foi uma grande surpresa, mas Donel não fez por onde para tentar levar o título para casa. Belle Voci, apesar de um gênero menos valorizado, tem muito mais chances de levar a batalha final para um patamar mais empolgante e justo. Enfim, triste ver que o menino do chato do Will está na final, depois de duas apresentações sem nenhum carisma. Ele veio muito bem até aqui, mas hoje não tem sido seu dia.

Luke S.: Não achei que essas duas colocações foram surpresas. Por um momento eu pensei que a Lauren pudesse ficar entre os dois finalistas da temporada, mas não rolou. Vou torcer demais pra que tanto ela quanto as meninas do Belle Voci consigam seu espaço na indústria. Acho que ambas fizeram uma ótima temporada e provaram semana após a semana o talento que possuem. Particularmente ficarei esperando por um álbum da Lauren, porque com esse vozeirão maravilhoso, ela precisa lançar algo.

 

 

FINAL PERFORMANCES

 

Donel Mangena – “Cold Water”

Edu: GRANDMA I LOVE YOU!!! Gente, a melhor coisa dessa performance foi a vó de Donel com ele no palco. Sério gente, essa senhora é um exemplo e tanto, e isso também me emocionou. Mas de resto, senti o garoto muito nervoso, e faltou toda aquela desenvoltura de quando ele cantou a música lá nas blinds.

Bernardo: Lembram o que eu falei na semi-final sobre o Donel? Não? Então eu vou repetir e lembrar ao leitor que ele é ótimo, é jovem e tem um futuro muito promissor pela frente. Porém, a cada apresentação num programa como o The Voice UK ele passa cada vez mais vergonha. Se acredita mesmo que música é seu futuro, o que eu realmente não acredito, recomenda-se uma reinvenção e (talvez) um recomeço.

Luke F: A presença da avó dele no palco valeu a falta de carisma na apresentação. Não sei mesmo o que acontecer com Donel… Acho que preferia a grandiosidade de Will nas últimas semanas e que ele tentasse convencer o público pelo carisma. Essa coisa de ficar sozinho em palco não deu tanta credibilidade ao garoto…

Lule S: Ainda acho que ele deveria ter escolhido Finesse viu. Com essa música ele teve ganhou o público lá nas blinds, mas particularmente acho que com Finesse ele definitivamente teve seu momento na temporada. Ainda assim valeu pela avó dele lá no palco dançando. <3

 

Ruti Olajugbagbe – “Dreams”

Edu: Eu estou boquiaberto aqui! Ruti simplesmente destruiu com essa apresentação, que foi leve, singela e trouxe emoção na medida certa. Com esse número, podemos dizer que ela é a grande vencedora.

Bernardo: Mesmo ressaltando que Ruti não me chamou atenção no decorrer dessa temporada, seu desempenho com Dreams” foi o melhor até aqui. Nada de surpreendente ou de revolucionário, mas correto, apresentando sua marca e novamente deixando uma sensação muito boa com o telespectador.

Luke F: Quando se tem uma campeã no team, a gente reconhece desde o início. A evolução de Ruti pede que esse prêmio seja dela. A garota conseguiu consagrar e muito seu sucesso com essa performance final, e merece muito o título.

Lule S: Já fiquei aqui todo arrepiado de novo. Com essa música, Ruti tinha feito sua melhor apresentação e voltou a repetir a dose nessa final. Essa versão que ela fez da música ficou maravilhosa. E aquela cara do Tom assistindo, gente? Não tem preço.

 

SEGUNDO COLOCADO – DONEL MANGENA

Edu: Donel escorregou nessa final, mas não podemos negar que o garoto tem um baita talento. Ele tem tudo para ser um popstar de sucesso no Reino Unido, e espero muito que os empresários britânicos possam ver seu potencial. Se fosse o The X Factor ele teria ganhado disparado, justamente por ser um artista totalmente comercial. Canta (não lá aquelas coisas), dança, com presença de palco, carismático e tudo mais. Mas temos que lembrar que The Voice nunca foi sobre lançar artistas para venderem milhões e ter uma carreira comercial impecável, se isso acontecer é apenas consequência. Foi o seu limite, e com essa final teria deixado-o em quarto lugar, com Lauren em terceiro e Belle Voci em segundo.

Bernardo: Ao invés de comentar, espernear e levantar as mãos aos céus e perguntar “porque Senhor?”, vou deixá-los com um silêncio bem constrangedor, para que o fato de Donel ser o segundo colocado seja bem enfatizado.

Luke F.: Donel nem em segundo deveria estar, mas pelo menos ele não levou essa pra casa. Depois de três massantes apresentações na noite não era possível. 

Luke S.: Confesso pra vocês que fiquei com um pouco de medo do Donel acabar levando o prêmio. Não nego que em termos de carisma e presença de palco, ele realmente sai na frente, mas no quesito voz não chega nem perto da Ruti. Acredito que talvez o Will continue apoiando o garoto e não vou estranhar se logo ele apareça nos charts com alguma farofa daquelas que vamos ficar ouvindo e dançando juntos por um tempo.

 

VENCEDORA – RUTI OLAJUGBAGBE

Edu: Ruti sempre teve potencial, e uma voz que hipnotizou de primeira. Com um tom que lembra e muito de Florence Welch, ela soube impressionar do começo ao fim. Vovô Tom fez um trabalho incrível esse ano, e já era meio de se esperar que seu time tivesse grandes chances de levar o prêmio. Claro que as minhas fichas estavam viradas para Lucy, o que infelizmente não aconteceu. Foi merecida a vitória de Ruti, para o panorama que foi essa final. Depois de ter vencido apenas a primeira edição, o bicampeonato ao nosso carismático vovô enfim chegou.

Bernardo: Tinha outras preferências, na verdade indo para essa final eu tinha outras preferências. No entanto, após todos se apresentarem, acredito que não há dúvida que Ruti foi a merecedora do título. Posso não ter compreendido seu trabalho, o que é perfeitamente possível, mas como ser humano, a Ruti é alguém de sentar e ficar escutando. Por isso, recomendo que vocês assistam a entrevista que ela concedeu a Christine Lampard num dos matinais da ITV. É surpreendente, acredite.

Luke F.: Ruti sim tem o potencial desde “Budapest” nas blinds e mereceu demais. Queria Belle Voci como segundo, para mostrar um pouco mais da força lírica nas competições – virei grande defensor a partir de agora – mas não foi possível. Estou feliz de ver Ruti campeã.

Luke S.: Olha, no final do dia eu queria muito que a Gayatri tivesse chegado nessa final, pois ela era uma das minhas queridinhas da temporada. Mesmo derrapando na semana anterior, tinha um restinho de esperança em torno dela. Como não rolou, minha torcida era para Ruti, então vale dizer que fiquei muito feliz com a vitória dela. Ansioso demais pelo álbum, pois com essa voz deliciosa, vale esperar e torcer pra que não demore e que ela consiga seu espaço na indústria.

 

O que acharam do resultado? Obrigado a todos por mais um ano acompanhando nossa cobertura, e até 2019 com a oitava temporada.

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.