The Voice US – 13×20/21 – Top 11

Imagem: Trae Patton/NBC/Divulgação

Olá, como estão? O The Voice continua com sua fase ao vivo cada vez mais intensa, e a disputa ficando acirradíssima.

 

PERFORMANCES

 

Janice Freeman – “Shine”

Bernardo: Gostei muito dessa apresentação da Janice. É verdade que ela funcionou muito mais no início do que na reta final, haja vista que tentou impressionar pelos motivos errados e perdeu um pouco a concentração, mas no geral foi bom. Nem uma catástrofe, muito menos um brilhantismo.

Edu: Eu amo essa música por demais, e até que gostei do número apresentado por Janice. Convenhamos que não foi a melhor performance dela na disputa, mas pelo que parece, dias atrás ela não estava tão bem assim, o que pode ser mega justificável.

Luke: Com toda certeza já vimos melhor dela por aqui e as coisas vão ficando cada vez mais arriscadas. Contudo, nada pode tirar o brilhantismo da apresentação. Utilizou muito bem seus dotes vocais nos momentos exatos. Foi mais uma falta de adaptação da voz com a música, do que um erro vocal gigantesco!!

Renata: Aff! Amo Janice por demais! Gostei de tudo no geral, concordo com o Edu que não foi a melhor performance, mas, ainda assim, foi melhor que muitos.

 

Red Marlow – “The Dance”

Bernardo: Eu sou um dos poucos, talvez único, aqui no Mix que ainda encontra motivos para continuar acreditando no Red. Felizmente, essa semana mudou. Com um excelente trabalho de escolher a música certa e investir mais na simplicidade, ele voltou a mostrar seu valor.

Edu: Já estava aqui pronto para xingar Red, depois de tudo que aconteceu semana passada, mas não consegui. O rapaz mais uma vez me surpreendeu, veio com uma apresentação que soube tocar o emocional, o fundo da alma, se tornando tudo lindo. Eu amei por demais, e aquele ranço todo pós Top 12 passou.

Luke: Minha aversão a Red vem diminuindo a cada semana. Eu tenho me apegado mais as suas escolhas e apresentações. A voz é bem característica, e ele sabe trabalhar bem todas as vertentes do country. Apesar de ainda torcer muito por Adam, tenho que admitir que Red honrou seu estilo e trouxe algo muito bom.

Renata: Um countryzinho bem cantado para aquecer nossos corações. É disso que a América gosta, e nós sabemos não é? Achei uma performance linda, que trouxe de volta o Red que a gente gostou de ver lá atrás.

 

Shi’Ann Jones – “Listen”

Bernardo: Listen” é uma das músicas que mais me tocam, que vão direto naquele ponto mais fraco nos momentos ruins. É uma lástima que Shi’Ann tenha decidido arranhar mais um clássico. Falando nisso, já deu né?

Edu: Lá vem a embuste! “Listen” é uma música poderosa, e já bem batida em realities musicais. Entretanto, essa foi uma das piores versões que já ouvi, pois beirou ao exagero, sem contar as inúmeras desafinadas de Shi’Ann no meio do percurso. Foi bem vergonhoso de se ver, sem contar que meus ouvidos quase sangraram aqui.

Luke: Essa menina realmente tem um problema. Já disse algumas vezes e repito, seu controle vocal não é uma coisa legal. A voz não é ruim, mas falta uma técnica de manutenção que ela ainda não conseguiu aprimorar. Vamos ver o que nos aguarda nas próximas apresentações.

Renata: Gente! Eu tô chocada com tamanho desastre, sério! Ou eu estava ouvindo errado, ou a dicção da amiga estava péssima. O “Listen” soava estranho e confuso, igual a todo o resto. Minha nossa senhora Shi’Ann, pare! Mandem ela embora, por favor!

 

Adam Cunnigham – “American Girl”

Bernardo: Eu posso ter reclamado e agonizado com a ideia de Adam quase ter sido eliminado, mas entendi que existia um motivo pelo qual ele estava ali. O rapaz tem talento, tem potencial e capacidade de ir além, mas precisa mostrar ao telespectador isso a cada apresentação. É uma pena, mas não foi o que ele fez até aqui.

Edu: Adam, amigo, me ajuda para ser ajudado. Depois de todo o chilique que dei na semana passada de ter ido ao bottom, você me vem com essa apresentação sofrida? Assim não tem como te defender, e caso vá a berlinda novamente, será totalmente justo dessa vez.

Luke: Depois do susto da semana anterior, Adam preferiu se manter ao tradicional, o que pode não agradar a tantos. Eu realmente acredito em seu potencial, mas não foi uma apresentação tão satisfatória. Do jeito que os americanos são estranhos, capaz dele permanecer sem ir ao bottom. Vamos ver, espero que isso não o deixe acomodado, pois acredito muito em seu potencial!!

Renata: Não foi digno do meu Adam, não foi! Foi tudo bem normal e bonitinho, o que não deveria nem de longe ser. Amor, você tá lutando para vencer, ou não?

 

Brooke Simpson – “What About Us”

Bernardo: Fazia tempo que eu não assistia algo tão ruim, tão mal feito, mal pensado e organizado do que isso aqui. Senhor!

Edu: Pra mim, “What About Us” é um dos melhores singles lançado em 2017, e pode parecer ser fácil de se cantar, mas não é. A prova clara disso foi essa performance de Brooke, que pra mim, foi a pior dela da disputa.

Luke: Não foi aquelas coisas não. Realmente essa semana não está recheada de alegrias. Brooke se manteve em um patamar satisfatório, e pode ser que continue sem enfrentar mais uma disputa essa semana.

Renata: Brooke deu uma caidinha, mas, ainda sim, não deixou de ser nossa Brooke. Gostei!

 

Davon Fleming – “I Have Nothing”

Bernardo: Parece que todos se uniram hoje para fazer uma apresentação ruim, nossa.

Edu: E nossa saudosa Whitney acaba de se contorcer em sua tumba, com essa performance extremamente exagerada. Uma pena dizer isso, pois Davon é um dos meus candidatos favoritos dessa temporada.

Luke: Essa canção é definitivamente um dos maiores clássicos da dramaturgia musical, onde Whitney a representou em O Guarda Costas. Davon veio com uma identidade própria, que não encaixou com as necessidades da canção. Precisa-se de manutenção e fidelidade ao clássico, e toques de inovação. Quis trazer demais e não veio com bom resultado, ao meu ver.

Renata: Sempre que a gente quer garantir um lugarzinho manda Whitney, né? São poucas as performances que fazem jus à lindeza dessa música. Quando vi que Davon ia cantar, meu coração se encheu de alegria, mas não foi o que eu esperava. Ainda que tenha sido uma boa performance.

 

Ashland Craft – “Chicken Fried”

Bernardo: Uma alternativa melhor? Escutem a versão original de Chicken Fried”. Muito melhor, mais completa e proveitosa.

Edu: Aproveitei a performance, para dar aqueles likes marotos no Instagram.

Luke: Nada demais né? Mais um country bem apresentado, mas que não agregou muito. Enfim, vamos ver o que vem por aí ainda.

Renata: Gente, “Chiken Fried’” pertence a Corey Kent White desde a oitava temporada. Ashland, valeu a tentativa e fica para a próxima. Podia pegar o bonde de Shi’Ann e vazar.

 

Addison Agen – “A Case Of You”

Bernardo: Depois de três apresentações ruins, outras que beiraram o ridículo e nunca deveriam estar no The Voice, Addison surpreendeu mais uma vez, com uma apresentação segura, onde esteve no controle durante todo o tempo e reforçou a ideia de que é uma das principais candidatas ao título.

Edu: MARAVILHOSA! Addison está no maior estilo come quieto, conquistando pelas beiradas. Hoje posso dizer que não será surpresa alguma se Addison chegar até a final, pois sua evolução está cada vez mais constante e evidente. Como Adam disse, ela nos inspira, e a forma como ela envolve emoção no que canta é algo indescritível.

Luke: Será que tivemos o grande primeiro sucesso da noite?? Sim, tivemos. Addison fez uma apresentação muito bem concentrada, passou emoção, trouxe a sensibilidade necessária. Realmente o melhor apresentado por aqui!! A garota já mostrou seu potencial, e caberá a Adam focar totalmente nela, já que perdeu um competidor e o outro pode estar na berlinda hoje novamente.

Renata: Aqui podemos usar o termo “PISA MENOS!” com vontade. Vejo Addison no palco e já me emociono, é instantâneo. Que voz pura e sincera, dou RT em tudo que o Edu disse, j tem toda minha torcida. Você mostrar tanta verdade é raro, e muitos se perdem pelo caminho.

 

Keisha Renee – “It Matters To Me”

Bernardo: Keisha é, sem dúvida alguma, uma das melhores, senão a melhor, cantora do time do Blake. Ela apostou no volume, no “quanto mais alto melhor” e nos vocais poderosos que ela possui, mas acredito que a fase de impressionar com o potencial já foi. Estamos num momento onde os melhores e os piores são definidos por causa de um dia mal dormido, ou da falta de concentração, por isso eu realmente acredito que a Keisha deveria ter apostado numa música mais suave, porém emocionalmente potente, para mostrar o quão boa ela consegue ser.

Edu: Na minha opinião, Keisha é o grande nome do team Blake nessa temporada, junto com Chloe. Entretanto, a candidata vive em inconstância, por conta das song choices. Depois de ter arrasado na semana passada, dessa vez ela veio com algo que não me cativou tanto assim, que não combinou com sua voz, na minha humilde opinião.

Luke: Inegável o potencial de Keisha nesta competição. A garota trouxe um clássico country e me arrisco dizer que, em alguns momentos, estava cantando a versão brasileira de Edson e Hudson. A apresentação foi de uma potência vocal inacreditável e Blake pode agarrar essa com unhas e dentes, pois há grandes chances de crescer e muito.

Renata: Já disse anteriormente que Keisha não é nem de perto uma das minhas candidatas favoritas. Mas, essa semana consegui gostar um pouco mais. Talvez, por gostar da música.

 

Noah Mac – “Electric Love”

Bernardo:  Eu gosto do Noah, já tive problemas com ele no passado, como vocês devem lembrar, mas é impossível defendê-lo depois de uma apresentação tão ruim, tão mal feita e apresentada. Não merece ser eliminado, porque há gente muito pior, como vocês devem saber, mas não vou ficar surpreso se isso acontecer.

Edu: Noah mais uma vez mostrando a que veio, nos proporcionando uma das melhores apresentações da noite. Os melismas feitos, a afinação nos momentos mais grandiosos da música, foi tudo na medida certa.

Luke: O garoto é definitivamente uma estrela do pop em ascensão. Já vi o trabalho de Jennifer em duas competições como esta, e sei que ela tem o dom especial para fazer pessoas como Noah crescer e muito. Espero ver cada dia mais a evolução dele na competição, pois é um dos merecedores até o momento.

Renata: Olha ele chegando e surpreendendo. Não sou fã do Noah, acho ele muito apático, mas essa semana adorei todo o conjunto. A presença de palco foi sensacional.  

 

Chloe Kohanski – “Total Eclipse Of The Heart”

Bernardo: Um clássico em qualquer reality show musical, Chloe encerrou essa rodada regular de apresentações lacrando, detonando e pisando em grande parte do pessoal que cantou neste Top 11. Foi lindo, foi inspirador e tudo que precisava para não só qualificá-la ao Top 10, mas também para mostrar a sorte que temos de tê-la aqui.

Edu: ESSA PERFORMANCE! Primeiramente que sou extremamente apaixonado por esse clássico farofa de Bonnie Tyler, logo sou suspeito também. Mas Chloe tem um tom rouco, que não é igual ao da intérprete original, mas que soube casar perfeitamente com a canção. Como fiquei após a apresentação? Simplesmente estirado no chão, e quase baixou a JHud aqui, querendo tirar o meu tênis e jogá-lo aqui. Agora entendo porque ela chegou ao topo do iTunes, e merecidamente.

Luke: Olha que esse team Blake está cada vez mais surpreendente. Um clássico na voz de Chloe, que saiu tão surpreendente, que não sei dizer como estou orgulhoso. Ela vem crescendo assim como Noah, apesar de alguns tropeços. Mas isso faz parte da vida e todos podem errar, principalmente no início das lives. Espero muito ver grandes apresentações como esta pela frente.

Renata: MINHA CHLOE ESTÁ VIVÍSSIMA! Ela saiu um pouco das interpretações mais introspectivas, e nos presenteou com uma performance forte. Saiu faísca, saiu grito, saiu sentimento. Para mim, a melhor da noite. Espero que Chloe mantenha acesa a chama e garra para ir em frente. Meu coração é seu, e desse clássico farofa, como disse o Edu. Quem não ama uma farofa? Gente! Manda mais que achei pouco.

 

BOTTOM

 

Adam Cunnigham – “Amazed”

Bernardo: Já deu para perceber que o Adam não vai muito longe. Não consigo lembrar a última vez que um candidato esteve nos dois primeiros bottoms da temporada e ganhou-a. Difícil enxergar um futuro, mesmo que saia dessa.

Edu: Se Adam tivesse feito essa performance na noite anterior, com certeza ele teria escapado do bottom, deixando a vaga para a embuste de Shi’Ann, que passou mais uma vez na trave. Achei uma apresentação incrível, e eu adorei.

Luke: Me pergunto porque dele não ter feito exatamente isso na noite de ontem. O rapaz apresentou algo simples e profundo com essa canção, e mostrou o porquê de ser um dos meus favoritos, apesar da América não concordar tanto.

Renata: Só palmas e entrega para a performance. Adam não foi muito bem na noite anterior, mas teve gente bem pior.

 

Janice Freeman – “Chandelier”

Bernardo: Todo mundo adora Chandelier”. Dá pra dançar, para cantar alto e serve até para aquela corrida no final da tarde. Surpreendente, não foi o que Janice precisava. Assistindo a apresentação pela terceira vez, eu pude observar que ela não estava à vontade, parecia estar incomodada com alguma coisa.

Edu: Não entendi foi nada. Janice realmente não estava bem, pois sua voz estava estranha e demorei um certo tempo para assimilar o que ela cantava.

Luke: Não ornou muito bem com a canção. O mesmo erro de Jon na última semana, querendo trazer uma identidade própria a canção de forma extrema. Claro que deve ser feito, mas não dessa maneira. Acredito que possa ter pesado na decisão.

Renata: Tentou jogar uma música chiclete que todos adoram, mas não surtiu o efeito que deveria.

 

ELIMINAÇÃO

Bernardo: Essa eliminação não me surpreende, apesar de julga-la como precipitada. Não vou mentir em dizer que pensei que a Janice venceria essa temporada, mas ela sempre teve potencial, uma personalidade forte e uma vontade incontrolável de aprender, ficar melhor semana após semana e tornar-se uma cantora melhor. Shi’Ann deveria estar aqui, assim como Brooke e outros que já deveriam ter ido embora. Seguimos.

Edu: Janice não foi nada bem essa semana, mas me doeu vê-la partir, ainda mais depois do discurso emocionante dela e de Miley. Se ela tivesse ido ao bottom com a embuste, com certeza teria ficado na disputa, mas a hora dessa aí vai chegar e se Deus quiser na próxima semana. PS: a cara de indignação da Miley ao ver sua pupila sair me representou em vários momentos da vida.

Luke: A cada semana ver pessoas boas indo e pessoas ruins ficando é triste. O pior, ver algumas pessoas horríveis escapando do bottom, no lugar de bons cantores. Janice não fez uma semana interessante, mas podemos contar nos dedos quem trouxe algo impressionante. Enfim, infelizmente ela nos deixa e Adam tem mais uma chance. Espero que ele não me decepcione, pois ainda aposto minhas fichas nele.

Renata: Ai gente! Certo que não foi uma semana louvável… mas, Janice tinha uma vaga especial em meu coração. Vejo Miley perdendo seu time aos poucos, e os sem emoção permanecendo. Que essas eliminações injustas, por favor, parem. Canta pra subir quem merece.

 

O que acharam das apresentações dessa semana? A eliminação de Janice foi justa?

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.