The Voice US – 13×24/25 – Semifinal

Imagem: Trae Patton/NBC/Divulgação

Chegamos na mais temível e sangrenta fase do The Voice US, a semifinal. Esse é o momento que o facão rola solto, e metade dos participantes remanescentes voltam para casa.

Vamos saber quem foram os finalistas da temporada?

 

PERFORMANCES

 

Adam Cunnigham – “I’m Already There”

Bernardo: Como já disse aqui inúmeras vezes eu adoro o trabalho que o Adam faz, mas quer saber? Nós estamos naquele momento da competição onde só os melhores dos melhores vão avançar, pelo menos é o que eu quero acreditar. Por isso acredito que ele poderia ter sido mais ousado, feito algo diferente e saído da zona de conforto. Não foi ruim, mas poderia ter sido melhor.

Edu: Foi uma performance boa? Foi, mas até o próprio Adam já sabe que pra final ele não vai, e senti que o rapaz acabou fazendo uma apresentação meio preguiçosa.

Luke: Foi um risco gigantesco, mas posso dizer que gostei. Pensamento fora da caixinha com a manutenção de sua identidade. Eu já cansei de dizer que gostaria de ver Adam chegar longe, e ele teoricamente conseguiu. Vamos ver como está a qualidade das outras…

Renata: Eu achei de uma lindeza sem fim. Sério, senti uma entrega de Adam que não tinha visto anteriormente. Talvez, a música emocional tenha pegado de jeito.

 

Chloe Kohanski & Noah Mac – “Wicked Game”

Bernardo: Eu adoro um dueto bem feito, bem apresentado, bem elaborado e construído. Não foi o que aconteceu aqui. A música foi ótima, mas não me emocionou, não me fez chorar e ficou bem além daquilo que eu, sinceramente, esperava num momento como esse.  

Edu: Não adianta, “Wicked Game” sempre será a música que embalou a primeira vez de Ross e Rachel em Friends, pra mim. Não achei que a performance tenha sido tudo isso, e olha que a minha expectativa foi grande por dois motivos: o primeiro pelo fato de ambos serem as melhores vozes, respectivamente, do team Blake e team JHud, e porque essa música é f#%a. Desculpa, mas pra mim não funcionou.

Luke: As lembranças de Friends ecoam por todos os lados, kkkk… Noah e Chloe são nomes fortes em seus respectivos teams, mas a canção realmente ficou um pouco perdida, principalmente no início. Estava mais focado no instrumental do que em suas vozes. Ambos tiveram seus momentos e brilharam, mas no conjunto eu achei pouco vocal e muito envolvimento/sex appeal entre eles.

Renata: Um casalzão, né? Foi bem visual, no geral curti bastante, mas faltou algo explodir. Confesso que queria levantar e fazer uma dança, musicão!

 

Davon Fleming – “Gravity”

Bernardo: Eu gostei do trabalho que o Davon fez aqui. Foi diferente, explosivo e emocionante. Conseguiu canalizar todos os sentimentos nessa apresentação, fazendo com que o telespectador se emocionasse e pedisse por mais. Não acredito que foi o melhor momento de Davon na competição, mas foi o seu ponto alto em algum tempo.

Edu: O QUE? Davon não cantando hit de nenhuma diva? Já podemos considerar esse o primeiro milagre natalino de 2017? Sinceramente essa foi uma das melhores performances dele na disputa, em minha humilde opinião. Não rolou exagero algum, foi tudo na medida certa, ele utilizou um tom abaixo do seu com maestria, sem contar que dessa vez utilizou o timing adequado para despejar seus falsetes, sem soar que estava assassinando um gato, como rolou no instant save da semana passada. AMEI!!!!!!

Luke: Realmente temos uma mudança gigantesca nessa semana. Eu particularmente acreditei que ele colocaria falsetes em tudo quanto é lugar, mas o rapaz foi comedido e usou seu potencial nos momentos exatos. Tem totais chances de uma final dessa forma, mas os deslizes das últimas semanas poderia tê-lo colocado fora da competição.

Renata: Provando que o menos é mais, né? Não fez dessa fofura de música uma gritaria, só pela escolha já podia ir para a final. Grazadeus ele parou de nos decepcionar, antes tarde do que nunca. Tirou até a minha versão Chris Jamison da mente.

 

Red Marlow – “Go Rest High On That Mountain”

Bernardo: Não é novidade que eu sou um dos maiores e principais fãs do Red aqui no Mix de Séries, seja pelo gênero na qual ele se dedica ou pela sua personalidade. Entretanto, é uma pena que ele tenha preferido seguir com o usual, com o normal e o mais do mesmo. Ele é ótimo, mas queria algo mais inspirador desta vez.

Edu: Após um dia exaustivo de trabalho, essa performance me ajudou bem com a vontade de dormir… ou de morrer.

Luke: Um bom clássico não pode ser dispensado e a voz de Red permanece estável desde sua blind. Acho que competições como essa são mais interessantes quando percebemos evoluções durante as semanas. Enfim, é bacana para um dia frio, com um chocolate quente…

Renata: Aqui temos um ciclo que não se quebra, com uma semana de decepção e outra de alegria. Claramente, até agora o único que poderia ficar pelo caminho.

 

Brooke Simpson & Davon Fleming – “Earned It”

Bernardo: Primeiramente, quero confessar para vocês que não gosto dessa música do The Weeknd, na verdade é uma das piores na trilha sonora de Cinquenta Tons Mais Escuros. Crítica musical feita, acredito que Brooke e Davon não fizeram nada de sensacional, seguiram na zona de conforto e resolveram apostar mais na forma do que no conteúdo. É uma lástima, mas é o que temos.

Edu: Quem acompanha meus comentários desde o começo do Team Reality, sabe perfeitamente o quanto não suporto The Weeknd e suas músicas. Podia ser um dueto entre Jordan Smith com Alisan Porter, que ainda assim não me ganharia. Próximo!

Luke: Gostei da harmonia de ambos em palco e a song choice foi adequada. Deu pra valorizar um pouco de cada um, os agudos de Davon e os graves de Brooke. A proposta foi cumprida com maestria e ambos estão de parabéns!!!

Renata: Eu amo Brooke de um tanto, que acho a moça maravilhosa em tudo. Presença de palco tem de sobra. Casou muito com Davon.

 

Keisha Renee – “What Hurts The Most”

Bernardo: Finalmente algo sensacional nessa competição. Keisha escolheu a música certa para essa etapa da disputa, conseguindo emocionar rapidamente e mostrar a que veio. É verdade que nós tivemos alguns problemas no decorrer da apresentação, mas todo o show foi ótimo de assistir.

Edu: Foi um acerto e tanto essa canção, rendendo simplesmente a melhor apresentação de Keisha na disputa até o momento. Deu para ver a emoção dela transparecendo, a forma como abriu seu coração em cada detalhe. Foi lindo demais, e muito emocionante.

Luke: É exatamente isso que eu digo quando falo sobre evoluções. Keisha sempre foi uma excelente cantora, mas é nítido o crescimento dela aqui dentro. São pessoas como ela que merecem a vitória, pois realmente mostraram que souberam aproveitar cada detalhe e cada ensinamento… uma apresentação violenta!!!

Renata: Mostra tua cara, Keisha! Mr. Blake, provando o porquê já levou tantos à vitória. Trilhar um caminho de evolução é para poucos. Digo e repito, não fui fã de Keisha durante toda competição, mas ela me provou que merece o lugar e o nome que ocupa dentro da temporada. Linda e forte.

 

Adam Cunnigham & Red Marlow – “Can’t You See”

Bernardo: O que a produção fez? Na tentativa de colocar duas vozes e dois trabalhos similares juntos para promover unidade, o The Voice nos trouxe uma das performances mais previsíveis da história da semifinal.

Edu: O dueto mais previsível dessa semifinal, sem dúvidas. Mesmo assim, Adam acabou se sobressaindo bem mais que Red, e nem preciso dizer que amei né?

Luke: Imaginem comigo aqui: O ano é 2030, Jorge e Mateus foram para os USA fazer sucesso no country. Pronto, tá aí… fui mais rápido que os Simpsons. Brincadeiras a parte, a apresentação foi bem realizada e conseguiram valorizar as vozes. Contudo, minha torcida continua firme com Adam, pois acredito muito em seu potencial.

Renata: É aquilo, né? Podiam ter separado só pra ver se saía outra coisa.

 

Chloe Kohanski – “I Want To Know What Love Is”

Bernardo: Vocês vão me perdoar, mas isso foi um dos maiores embaraçosos que eu já vi nessa noite. Provavelmente eu seria a única voz dissonante acerca dessa performance da Chloe, mas foi bem ruim.

Edu: Eu adoro essa música de uma forma indescritível, aí vem Chloe detonando com tudo. A sua evolução desde o início dos live shows vem sendo cada vez mais monstruosa, e sendo merecido a loira estar novamente no topo do iTunes. Pra mim ela leva essa temporada, e a única capaz de barrá-la é Addison.

Luke: Chloe é uma estrela completa, não precisa de mais nenhum ponto… sua evolução por aqui me empolga a cada semana e é, com certeza, uma das merecedoras de estar nesta grande final que se aproxima. Sua voz consegue atingir extremos mais do que inesperados. Uma incrível competidora.

Renata: QUE MULHER LINDA! Chloe consagrando o #TeamBlake e mostrando uma evolução quase palpável. “Landslide” já anunciava há muito tempo atrás quão verdadeira e poderosa Chloe pode ser quando se entrega. Quem se incomodou com seu jeito introspectivo, hoje se curva. Minha torcida já está declarada desde os nocautes.

 

Addison Agen & Keisha Renee – “Strong Enough”

Bernardo: Sem sombra de dúvidas, um dos melhores e mais fortes duetos da noite. As duas se completaram, foram maravilhosas e espetaculares. A escolha da música foi perfeita, parabéns a todos aos envolvidos.

Edu: Pra mim esse foi o melhor dueto da noite, disparado. As duas se sobressaíram por igual, sem uma tendo que ofuscar a outra, e foi uma vibe tão gostosa, que já quero essa versão da música no meu spotify pra ontem!!!

Luke: Não é preciso discutir o quão boa foi essa performance, né?? Pegaram duas das maiores apostas da temporada e colocaram frente a frente em um dueto incrível. Foi bacana perceber as características de cada uma como artista, uma vez que Addison é mais séria e emocional e Keisha traz consigo a felicidade. Realmente um presente pra todos nós.

Renata: Fofissimas! Dueto gostoso demais da conta.

 

Noah Mac – “River”

Bernardo: Novamente, Noah arrasou em todos os sentidos. Vou torcer para o Noah e quer saber de uma coisa? Espero que valha a pena, porque essa temporada precisa de alguém como o Noah para salvar o dia.

Edu: Mais uma vez, Noah arrebentou. O cara nunca decepciona, e acho isso incrível. Se ele não for para a final, a minha revolta será algo totalmente indescritível.

Luke: Não é a primeira vez que vemos JHud trabalhar com um young artist, vide Jamie Miller no TVUK, e se dar muito bem. Noah está no caminho certo, apesar desta canção não ter dado tanta liberdade para ele. Conseguiu traduzir sua potência vocal, mas não permitiu demonstrar sua vertente musical e performática. Espero que o garoto continue, mas são tantos que nem sei…

Renata: Apostaram grande em Noah, espero que valha a pena. Eu adoro a música, o que me ajudou a gostar mais da apresentação. Só!

 

Addison Agen – “Both Sides Now”

Bernardo: Guardaram o melhor para o final, é isso mesmo produção? Addison foi melhor do que ótima, porque o que ela fez aqui foi me deixar sem palavras, com a cara no chão e pedindo por mais. Eu posso estar torcendo para o Noah, mas não terei o menor problema se a Addison ganhar.

Edu: MARAVILHOSA!!!! RAINHA!!!! Addison mereceu, mais uma vez, o #2 do iTunes. Que performance mais incrível, meu Deus do céu. Como disse mais acima, ela é a única capaz de impedir a vitória de Chloe nessa temporada, na minha humilde opinião.

Luke: As mulheres dominarão esse ano é isso é indiscutível… Red, Adam, Noah e Davon são muito bons, mas o potencial feminino está ultrapassando barreiras. O que Addison nos trouxe foi realmente emocionante e Adam está apostando todas suas fichas nela.

Renata: Arrepiou!!!!! Eu tenho vontade guardar Addison num potinho. Mas, confesso que gostaria de ver a moça fazendo algo diferente. Sei que a gente não mexe em time que está ganhando, mas meio que é isso aí mesmo. O que ela faz grande, eu sei! Só tenho um sentimento de inacabado em relação a ela.

 

Brooke Simpson – “Faithfully”

Bernardo: Eu nem sei o que comentar depois de assistir essa apresentação da Brooke. Foi algo memorável e perfeito para entrar na história desse programa como uma das melhores, e mais completas apresentações. Uau!!! Eu nem sei o que comentar com isso aqui, sinceramente.

Edu: MEU JESUS CRISTO!!!!!!! O QUE FOI ESSA PERFORMANCE??????????????? A MELHOR DA NOITE DISPARADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! NÃO ESTOU SABENDO LIDAR COM ISSO, VOU COMENTÁ-LA INTEIRA EM CAPS LOOK, E MINHA CARA APÓS O FIM DA PERFORMANCE FOI IGUAL A DE JHUD. BROOKE, PISA MAIS QUE TÁ POUCO!!!!!!!! AMERICA, PELO AMOR DO PAI ETERNO, DEPOIS DESSA É QUESTÃO DE HONRA ELA NA FINAL, NÃO CAGUEM.

Luke: Ouvir os sons de início já me arrepiam, ao saber que “Faithfully” está por aí. A garota trouxe uma versão dessa incrível canção de Journey, que foi fiel a sua originalidade e com uma identidade própria. O que eu disse logo acima permanece, as mulheres estão com tudo este ano e vão firme até o fim.

Renata: Brooke tem uma expressividade que poucos possuem, e eu fico boquiaberta vendo a moça. Ela me prende por tudo… potencial, poder, emoção. Essa final com fé no Pai vai ser toda feminina. Brooke já garantiu sua vaga.

 

BOTTOM

 

Red Marlow – “Dixieland Delight”

Bernardo:  É uma pena que um cantor tão bom tenha ficado tão pequeno numa performance tão mediana como essa aqui.

Edu: Era pra Keisha estar em seu lugar, adeus!

Luke: Red tem uma voz boa, mas está linear desde o início da competição e saiu pouquíssimas vezes da caixinha country. Por mim já está fora!!!

Renata: Bicho, luta sabe? Acho que não…

 

Adam Cunnigham – “Here’s a Quarter”

Bernardo: Surpreendentemente, o que o Adam fez aqui foi bom. É verdade que pode ser por experiência em se apresentar no bottom, mas foi aceitável.

Edu: Foi uma ótima performance, não vou negar, mas minha preferência aqui é pela permanência de Noah.

Luke: Realmente foi uma performance qualitativa e, por mais que eu o defenda até o fim, não acho que Adam tenha chances de ganhar a competição com uma concorrência destas. Mas ainda assim, espero que ele permaneça para mais uma semana.

Renata: Como disse o Luke não acho que vença, mas tenho um amorzinho e torço para que ele permaneça.

 

Noah Mac – “Sign Of The Times”

Bernardo: A gente já sabe o que acontece quando um ótimo cantor ficar nervoso, por razões óbvias, e acaba pecando na qualidade da sua apresentação. Infelizmente foi o que aconteceu com Noah, mas eu tenho confiança que a América sabe olhar além de um momento ruim e manda-lo para final.

Edu: Noah estava nervoso? Muito! Entretanto ele cantou com o coração, e eu achei a performance dele boa o bastante para mantê-lo na disputa.

Luke: O nervosismo tomou conta de Noah como se fosse uma blind. Uma pena, pois a apresentação em si tem tudo pra ser boa, mas houveram deslizes!! O garoto tem um futuro brilhante, continuando ou não. Nos resta saber a posição dos americanos!!!

Renata: MINHA MÚSICA, NINGUÉM SAI! Noah também pode ficar.

 

RESULTADO

Bernardo: Eu não esperava fazer esse comentário hoje, sinceramente. Depois de um Top 10 simplesmente sensacional em que todos, ou melhor, boa parte dos cantores aumentou o nível e nos mostrou o que de melhor há nessa competição, tivemos um resultado horrível e que provavelmente vai trazer uma das piores finais que esse programa já teve. É uma lástima que o telespectador não tenha se comprometido em votar em quem merece, principalmente sabendo que foi na mesma noite, que os eleitores do Alabama surpreenderam o mundo com uma decisão acertada e histórica. Me resta torcer que eles subam o nível para a final.

Edu: SIMPLESMENTE INADMISSÍVEL!! Mais uma vez a América votando errado. Tinha tudo para ser a final dos sonhos, se não tivesse Red ao lado de Chloe, Addison e Brooke. Estou revoltadíssimo com esse resultado, e se não fosse para ter Noah na final, que fosse ao menos o Adam, entre os três que foram ao bottom – sendo que se Keisha fosse finalista não me incomodaria nenhum pouco. JHud, foca exclusivamente no The Voice UK, porque lá pelo menos o público valoriza seu trabalho, diferente dessa raça que não vai aprender nunca a votar. Nojo define esse povinho.

Luke: Realmente um baque com a permanência de Red. Seria incrível ter Adam ao lado da tríade final, para provar que ele se superou e voltou atrás em seu estilo, mas Red?? Aquele que permaneceu com o mesmo country desde o início?? Realmente é difícil entender a mente de quem vota nessas competições… enfim, agora é torcer pra que alguém coloque um pouco de juízo e ele não supere as três na próxima semana, porque do jeito que andam as coisas…

Renata: Amore, o que foi isso? Pelo amor de santo God? O cara estava num looping infinito de mesmice. Infelizmente, para que torce de alma e coração o resultado é esse. Decepção, que americano não cansa de jogar na nossa fuça. Country mais forte do que nunca, mas vamos na fé. Semana que vem a gente canta pra subir, e ele abraça Shi’Ann lá no além.

 

Pra você, quem merece ser o grande vencedor dessa temporada?

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.