The Voice US – 14×16/17/18 – Playoffs Live Shows

Imagem: Tyler Golden/NBC/Divulgação

Chegamos à fase ao vivo do The Voice, e agora o público começa a ter o poder de decisão (MEDO). Em três noites agitadíssimas, o Top 24 se apresentou de forma bastante corrida na segunda-feira. Nesse mesmo dia, os telespectadores já salvaram um candidato de cada time para a próxima etapa.

Na terça e quarta-feira dois times se apresentaram cada dia, e então o público escolheu mais um candidato e então a vaga final coube aos coaches.

A partir de agora, nas fases ao vivo, estrearemos uma novidade nas reviews. No final de cada comentário teremos os selos Team Reality de avaliação, com nossas reações.

 

TEAM ADAM (Bernardo)

 

Drew Cole – “Man In The Mirror”

Que apresentação horrível! Essa música original é maravilhosa, profunda, densa e que proporciona uma experiência única para quem está escutando. É claro que eu não esperava que Drew fosse chegar perto do Michael Jackson, sequer é minha intenção. Mas foi uma perda de tempo e um completo embaraço. O maior mistério aqui é descobrir o nome dos backing vocals, esses sim mandaram super bem.

 

Mia Boostrom – “Baby I Love You”

Essa pegada mais country em Baby I Love You” foi até interessante, principalmente com a voz sensacional da Mia. Mesmo gostando do trabalho apresentado, acredito que a performance foi tediosa, enfadonha e sem nada de novo. Não quero que transformem o palco no cenário do RuPaul, mas será quem sabe um pouquinho mais de capricho e empenho do cantor em não entregar o mais do mesmo.

 

Jackie Verna – “Tim McGraw”

Jackie foi responsável por salvar o Team Adam do completo fracasso, tédio e desarmonia há algumas semanas. Desta vez, ela jogou no time contrário, porque o que assistimos aqui foi um completo show de horrores. Não via a hora de terminar. Extremamente desafinada, fora do foco e sem energia. Talvez tenha sido o fator ao vivo, mas não espero vê-la além dessa fase. Por favor.

 

Rayshun LaMarr – “Overjoyed”

É sério isso? Tipo, sério mesmo? Vou dizer uma coisa pra vocês, não sei se eles tomaram uma água diferente no camarim ou o ar de Los Angeles estava poluído além do normal no dia dessas apresentações, porque a coisa tá séria. Rayshun foi sofrível do início ao fim, sem nada de interessante ou de positivo que eu possa ressaltar. Desculpem-me o trocadilho, mas eu fiquei “felicíssimo” sim, mas foi quando a apresentação acabou.

 

Sharane Calister – “Never Enough”

Poderia ser um Hallelujah” para eu aplaudir de pé, porque sinceramente estava precisando de algo assim. Dramático, grandioso e espetacular para ter um fiozinho de esperança no time do Adam. Sharane se destaca pela primeira vez numa apresentação corajosa, confiante e principalmente muito segura do seu trabalho.

Reid Umstattd – “I Still Haven’t Found What I’m Looking For”

Essa não foi uma apresentação comum, na verdade eu diria que foi um dos melhores trabalhos do Reid Umstattd na competição. Embora não tenha carregado a potência da Srta. Calister, eu acredito que foi o ponto alto desta noite. Ponderado, seguro e confiante do seu trabalho. Não sei se é suficiente para ganhar, mas certamente para seguir na disputa.

 

Reid Umstattd – “Long Cool Woman (In a Black Dress)”

Ahhhh que frustrante. Reid foi ótimo na primeira noite, mas com Long Cool Woman (In a Black Dress)” ele tropeçou. A apresentação não foi um desastre, longe disso, mas não foi tão bem quanto eu esperava e desejava que ele apresentasse. Fico angustiado porque são por erros como esses que o público decide eliminar alguém tão bom quanto o Sr. Umstattd.

 

Jackie Verna – “Once”

Se vocês estavam buscando uma recuperação sensacional, não foi isso que tivemos aqui. Embora Jackie tenha melhorado MUITO desde a última vez que vimos ela cantar, alguns problemas continuam lá, da mesma forma que ela tropeçou em pontos chave da música. Reconheço que melhorou, mas lembro que (felizmente) o time do Adam não é o único nessa competição.

 

Drew Cole – “White Horses”

Eu gosto do Drew, apesar das lambanças. Em White Horses” ele não fez muito pela sua permanência, na verdade foi um dos seus momentos mais fracos desde… segunda-feira. No momento, consigo afirmar que ele tem talento, mas não para os grandes palcos. Talvez para um barzinho ou para abrir o show de alguém não muito famoso.

 

Mia Boostrom – “Either Way”

Depois de nos surpreender com uma performance sem muita personalidade ou novidade, Mia voltou uma ligeira melhora. Mesmo argumentando que ela tenha falhado na missão de emocionar o público, ela foi correta. Sem excessos ou grande escorregadas, apenas correta.

 

Rayshun LaMarr – “I’m Goin’ Down”

É até uma ironia que Rayshun tenha escolhido essa música para terminar (se tivermos sorte) sua trajetória por aqui. Novamente, não agregou em nada e tomara que seja a última vez que tenhamos visto Rayshun por aqui.

 

RESULTADO: Jackie Verna, Rayshun LaMarr, Sharane Calister

É sério isso? Não. Sério. Esses resultados são verdadeiros? Porque assim, Adam já era o pior time, e ainda ficou mais horrível com essas escolhas. Eu poderia escrever uma longa redação explicando ao leitor o porquê eu fico extremamente decepcionado, chateado e horrorizado com os Estados Unidos e o Sr. Levine. Tragédia. Tragédia. Tragédia. Faz muito tempo que eu não tinha a infelicidade de ver um time tão ruim como esse ser formado. Sharane Calister, seja feliz e nos dê muito orgulho, por favor.

TEAM ALICIA (Luke)

Johnny Bliss – “América América”

Quando Johnny começou cantar fiquei meio com o pé atrás, mas não dá pra negar que o rapaz tem uma voz muito boa e gosto muito dele cantando em espanhol. Não vou mentir dizendo que foi a minha preferida dele, mas achei que fez um bom trabalho.

 

Kelsea Johnson – “You Know I’m No Good”

Kelsea me surpreendeu um pouco com essa apresentação. Pra mim a primeira parte da música foi o melhor da performance, porque mostrou um pouco mais da voz dela, mas depois também foi alcançando alguns pontos mais potentes e realmente me impressionou.

 

Terrence Cunningham – “How Come U Don’t Call Me Anymore”

Novamente digo que Terrence, na minha humilde opinião, tem uma das melhores vozes da temporada. Sério gente, eu fico chocado com o controle vocal desse cara, porque não é normal. Achei que a song choice foi mais uma vez perfeita pra ele e resultou em outra apresentação que me arrepiou aqui.

 

Jackie Foster – “Never Tear Us Apart”

Adoro a Jackie, principalmente pelas suas escolhas musicais que pra mim sempre surpreendem. Ela vem com aquelas músicas que a gente conhece bem, mas não imagina muito rolando nessas competições, e pra mim sempre surpreende demais. Nessa semana pra variar cantou muito e me deixou aplaudindo em pé aqui.

 

Christiana Danielle – “Hey Ya!”

Minha preferida do #TeamAlicia, que mais uma vez veio com toda sua originalidade, pegou outra música super conhecida e vestiu da sua maneira. Sério gente, adoro o tom de voz dela e todos os riscos que ela assume em suas performances, que por sinal sempre resulta em algo muito bom e gostoso de assistir.

 

Britton Buchanan – “Some Kind Of Wonderful”

Britton é outro que segue me surpreendendo bastante. Na fase anterior eu fiquei super impressionado com ele, e dessa vez o negócio foi ainda mais intenso. Ele cantou pra caramba e se não bastasse, ainda tocou e levantou todo mundo. O talento do guri não dá pra negar, e não é à toa que está conquistando totalmente o público.

 

Terrence Cunningham – “Ain’t Nobody”

Eu pensando que ele iria manter a vibe suave durante toda a performance, mas não foi bem assim. Eu particularmente gostei mais da primeira parte da apresentação, depois ele deu uma empolgada no negócio e não foi nada ruim, mas por mim poderia ter seguido no mesmo estilo durante toda a música.

 

Christiana Danielle – “Take Me To Church”

Gente, já falei que adoro Christiana e fiquei um tanto impressionado com essa performance. De início fiquei com o pé atrás, porque dessa vez parecia que ela não traria aquele toque original que tem feito em todas as apresentações, mas ainda assim ela conseguiu impressionar demais porque a voz estava incrível, como sempre. Torcendo demais pra que ela continue no programa, porque seria um desperdício absurdo ser eliminada.

 

Jackie Foster – “Alone”

Eu fiz a Kelly e fiquei em pé assistindo essa performance, porque mais uma vez a Jackie estava maravilhosa!

 

Kelsea Johnson – “Need U Bad”

Aqui já foi o contrário, comparando com a noite anterior, achei que a apresentação da Kelsea deixou um pouco a desejar. Parte disso pela song choice que pra mim não foi a melhor pra ela, principalmente nesse momento da competição.

 

Johnny Bliss – “One And Only”

Gente, arrisco dizer que o Johnny foi o melhor do #TeamAlicia nessa noite, porque olha, achei essa apresentação maravilhosa demais! Ele acertou demais na escolha da música e entregou uma emoção muito bacana durante a performance. Não, dessa vez não rolou nada em espanhol, o que de certa forma foi bacana pra diferenciar um pouco e o resultado foi excelente!

RESULTADO: Britton Buchanan, Christiana Danielle, Jackie Foster

Gente, comentei antes que estava morrendo de medo desse results, porque pelos comentários tinha sido bem derrubado o negócio. Mas preciso dizer que em relação ao #TeamAlicia fiquei  foi bem feliz e manteve minha opinião sobre ser o melhor time da temporada. Primeiro sobre o Britton, preciso dizer que foi merecido porque o cara é talentoso demais e merece seguir. Jackie veio surpreendendo absurdamente nas últimas semanas e se não seguisse para a próxima fase seria errado demais. Agora sério, eu fiquei com muito medo da escolha da Alicia, e quando ela disse o nome da Christiana eu gritei junto. Muito feliz com a escolha dela, até porque já tinha dito que Christiana era minha preferida do time e se fosse eliminada seria a maior injustiça. Ainda assim, vale dizer que Terrence tem um talento absurdo e torço demais pra que consiga seu lugar ao sol, assim como os Johnny e Kelsea, que também foram pra casa dessa vez. Ansioso demais para ver o que o time está reservando para a próxima semana.

 

TEAM BLAKE (Renata)

 

Austin Giorgio – “Ain’t That a Kick In The Head”

O que dizer de Austin? Ai gente, é isso aí mesmo. Já aguardando outra apresentação, porque essa aí eu já vi todas as outras vezes que ele pisou no palco. Uma grande voz, mas uma apresentação mediana.

 

Pryor Baird – “I Was Wrong”

Eu realmente gosto muito da voz do Pryor, de verdade! Se fechar os olhos consigo facilmente ouvir ele por um bom tempo, mas o sinto muito forçado. Tenho a impressão de que ele não vai segurar até o final. Gostei muito da apresentação, mesmo ele sendo exatamente igual ao Austin. Nunca se arriscar, ficar na zona de conforto. Blake parece que escolheu a mesma pessoa, só mudou o estilo.

Kyla Jade – “How Great Thou Art”

Você quer, Aline Barros? Rainha religiosa faz assim! Kyla foi magnífica, cantou com paixão e verdade. Eu quase fiquei de joelhos, orando durante a apresentação. Arrasou muito! Já quero mais igreja, mais gritão e evolução.

 

Gary Edwards – “Finesse”

Por mim, não estava nem aqui! Sinceramente, achei chato demais.

 

Spensha Baker – “I Still Believe In You”

Amo, Spensha! Para mim, os dois nomes do team Blake são ela e Kyla. Achei uma performance super verdadeira, mas fraca… porém, olhando para os outros do time ela tá na frente anos luz. Blake acertou muito apostando em Spensha. Vejo uma evolução grande na garota, creio que ela nos surpreenderá daqui para frente.

 

WILKES – “Brother”

Até que eu gostei, e olhe que eu não gosto do WILKES. Isso não é segredo, disse em todas as reviews. Ele é muito genérico e sem carisma. Dylan deveria estar no lugar dele, não o contrário.

 

Spensha Baker – “Smoke Break”

Vem, dona do time! Arrasany e linda, bicho! Mas, sinto que ela não estava confortável, não sei se foi a música que a deixou insegura. Às vezes não é sobre o participante não evoluir o suficiente, e sim sobre escolhas ruins. Blake tem o feeling e já fez muitos campeões, pode fazer melhores escolhas para essa lindeza. Torço por Spensha!

 

WILKES – “Don’t Speak”

Primeiramente, alguém vai ali e tira o cabelo do rosto dele. Tá me dando uma dor no pescoço só de olhar ele com essa cabeça para o lado. Segundamente, gostei bastante, mordi a língua maravilhosamente. Mas, é isso que eu gosto de ser surpreendida. Achei uma performance bem forte e com uma potência surpreendente. Amei, tá? Por essa mereceu estar aqui.

Pryor Baird – “9 to 5”

Pelo menos tiraram a guitarra dele, já estava na hora, né? Pelo amor de todos os instrumentos feat Terrence e seu piano. Gostei dessa versão mais solta do Pryor, e aposto forte que vai pro top 12.

 

Austin Giorgio – “Love Yourself”

Tanto falei para ele mostrar um outro lado, que vem e me joga um Bieber na cara. Mas, eu realmente estou indecisa se gostei ou não. Teve essa roupa aí horrorosa, que não ornou com nada. Dou os parabéns pela ousadia, porque noção faltou. Fiquei confusa demais, mas não foi tão terrível quanto eu achava que seria, se ele tentasse mudar de estilo e mostrar que pode fazer mais do que já estava acostumado.

 

Gary Edwards – “America The Beautiful”

Ganhou minha simpatia, ganhou minha atenção. Não é que eu não goste do Gary, muito pelo contrário, o acho bem maravilhoso. Porém, tem determinados momentos que só firulas e UoUoUoUuuu não fazem nada, a não ser doer a cabeça da gente. Blake é um ótimo coach, se Gary passar tenho certeza que vai aprender a controlar e usar tudo a seu favor.

RESULTADO: Kyla Jade, Pryor Baird, Spensha Baker

Olha, o medo que eu estava de WILKES passar, não tava no gibi. Mas graças às orações de Kyla, que jogou um louvor forte, a América a salvou. Se eu amei? Menino, foi até surpresa, porque escolher bem a gente sabe que eles não escolhem. A cota country, claro, também foi preenchida facilmente e merecidamente. Blake me deu um orgulho tão grande, que eu poderia furar o olho de Gwen nesse momento. Escolheu muito bem, rei country sensato. Spensha mereceu muito sua escolha. Ele está apostando todas as suas fichas nela, e espero que ninguém se decepcione daqui para frente. No geral, achei que as escolhas foram corretas dentro das possibilidades. Não era um time que eu achava forte, mas, comparado ao do Adam, nosso cowboy tá numa boa. O restante tchau, nem queria vocês mesmo. Que venha o top 12!

TEAM KELLY (Edu)

 

Alexa Capelli – “It Hurt So Bad”

Alexa abriu os playoffs com uma performance bem intimista, e eu particularmente amei. Tipo, não foi sua melhor apresentação, mas com certeza pode lhe garantir uma vaga no Top 12.

 

Kaleb Lee – “You Don’t Even Know Who I Am”

O elemento curinga da ala country do Team Kelly, Kaleb entregou um número sólido. Não foi sua melhor apresentação, isso é fato, entretanto pra mim foi o bastante para mantê-lo na disputa. Como América ama um cantor country, é bem capaz dele continuar na disputa, para confrontar diretamente o team Blake nesse aspecto.

 

Tish Haynes Keys – “Nothing Left For You”

Eu adoro Tish, tipo muito mesmo, mas essa performance não lhe beneficiou. Não sei se foi a song choice, mas achei tudo bem just ok, e perto do seu histórico dentro do programa, sabemos que ela é capaz de muito mais que isso.

 

Brynn Cartelli – “Unstoppable”

Abram alas, que a proprietária do team Kelly chegou. Não foi a melhor apresentação de Brynn, isso é fato, mas eu curti bastante o que ela nos proporcionou aqui. É questão de honra sua presença na próxima fase. América e Kelly, por favor, don’t kill my vibe.

 

Dylan Hartigan – “Come Pick Me Up”

Sério mesmo que Kelly salvou Dylan de ser eliminado da disputa, para vir com essa apresentação tipo pombo? Ou ele melhora na sua performance seguinte, ou pode voltar pra casa com gosto.

 

D.R. King – “Home”

Nossa, que apresentação mais meia boca. D.R. perdeu seu brilho na fase de knockouts, na minha opinião. Ele é um ótimo cantor, isso é fato, mas caiu no selo de acts genéricos. Espero que sejam sucintos e que não continuem com o rapaz na disputa, ou o mesmo se tornará uma ameaça daqui pra frente. Pode ser também que sua próxima apresentação possa surpreender totalmente e eu mudar minha opinião, mas de primeiro instante não!

 

Kaleb Lee – “Die a Happy Man”

O cara feliz que morre nessa música, por um instante pensei que fosse eu. Que performance horrível, cruz credo.

 

Alexa Capelli – “Stop And Stare”

Ai gente, eu adoro a Alexa, mas ela veio bem meia boca nesses playoffs. Mais uma apresentação que dava pra ter sido MUITO melhor, e que foi just ok. Amiga, ajuda aí para ser ajudada.

 

D.R. King – “All On My Mind”

Essa apresentação foi melhor que da noite passada, e que talvez possa sim ter peso na decisão final.

 

Dylan Hartigan – “Mary Jane’s Last Dance”

Dylan foi outro que veio com uma performance bem melhor, e adorei. Se ele tivesse feito isso também na noite anterior, com certeza isso lhe garantiria fácil no Top 12. Mas como o team Kelly veio tipo pombo nesses playoffs, tudo pode acontecer.

 

Tish Haynes Keys – “At Last”

RAINHA! Não foi a melhor versão de “At Last”, pois rolaram algumas falhas. Mesmo assim, Tish se entregou na medida certa, colocou identidade própria na canção. Pra mim ela tem que estar no Top 12, e não admito outro resultado além desse.

RESULTADO: Brynn Cartelli, D.R. King, Kaleb Lee

Deixa eu respirar fundo que o negócio foi tenso. Vamos lá, Kelly estava com um dos times mais fortes da temporada nas mãos. De repente, ela injetou músicas mal escolhidas a seus pupilos, e o resultado foi esse show de just ok sem fim. A América foi sensata em escolher Brynn, afinal de contas pra mim é a única ali que tem a capacidade de levar o team Kelly até a final.

Já na segunda noite que o grupo se apresentou, fiquei revoltado de Kaleb sendo escolhido. Mas é aquilo lá, as tias do sofá amam esse country tenebroso, e isso vai mantê-lo facilmente na disputa, pelo menos estourando até a semifinal sangrenta. Mas aquilo lá, o time estava com tantos nomes bons, porém com o deslize de sua coach, se perderam em uma das fases mais cruciais do programa. Kelly tinha a chance de salvar seu time do fiasco, ao escolher Tish e dar uma certa “balanceada”. O que a linda fez? Me escolhe D.R. MAS O QUÊ? Pior que ela, pra mim foi só o Adam, que está indo ao Top 12 com o pior time da temporada, e nossa original Idol infelizmente vem logo atrás. Que Mrs. Clarkson não nos desaponte com Brynn, pois ela é a última esperança de fazer o team Kelly ir até a final.

 

O que acharam das escolhas? A partir da próxima semana começa o Top 12, e agora definitivamente tudo pode acontecer.

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.
  • Vitor Luiz Gomes Mota

    Que começo de live show e que review sensacional!!
    Time do Adam é o mais enjoado mesmo, não consigo ver nenhum dos 3 chegando à final, mas Adam sempre chega!! Time do Blake espero muito que ele faça excelente trabalha com a Kyla e ela chegue mto longe na competição, ela é sensacional!!
    Time da Alicia arrebentando, torcendo bastante pra Christiana chegar longe e curti mto a escolha da Alicia por ela!! O mesmo não posso dizer da Kelly, por que ela não levou a Tish?? Tish merecia demais continuar na competição (nesse momento eu torcia pra ele ter voltado pro Adam apos o knockouts rs)..Queria que a Kelly chegasse na final, mas não consigo curtir DR e acho que o Kaleb não tera uma vida muito longa!! Ansioso para os live show, curtindo bastante essa temporada!!