The Voice US – 14×19/20 – Top 12

the voice 14x1920
Imagem: Tyler Golden/NBC/Divulgação

Agora é tudo ou nada! A partir desse momento nossos coaches não tem mais poder de decisão alguma em seus pupilos, e o destino deles está na mão dos telespectadores. Com performances memoráveis e outras nem tanto assim, o Top 12 dessa temporada podemos dizer que foi bem consolidado.

Vamos ver o que rolou?

 

PERFORMANCES

 

Rayshun LaMarr – “When Love Takes Over”

Bernardo: É sério mesmo? Confesso pra vocês que eu sempre fico preocupado se estou mesmo assistindo uma apresentação real do Rayshun ou um ensaio. Que embaraço, sério, tem que ter muita coragem para fazer tudo isso para pagar esse papelão.

Edu: Sorte do dia: ainda bem que isso não foi no The Voice Australia! Imagina ele sendo um candidato do programa e cantando na frente da maravilhosa Kelly Rowland, um dos maiores hits de sua carreira de forma vergonhosa? Adam cada vez mais mostrando que está de saco cheio do reality, e tocando cada dia mais o botão do f…-se.

Luke: Gente, só eu fiquei achando que ele estava possuído por algum trem naquele palco? Credo, que performance mais sofrida de assistir.

Renata: A única pessoa que fez uma performance elétrica e boa foi Chris Blue, cantando “Superstition”. Isso aí foi só gritar.

 

Kaleb Lee – “Amazed”

Bernardo: Eu gostei do trabalho do Kaleb, acredito que ele se esforçou e mesmo fazendo algo que nós já vimos antes, entregou algo correto e adequado.

Edu: Já fui assistir com certa resistência, mas até que me surpreendi positivamente. Kaleb veio com uma performance, a qual me fez lembrar porquê chegou até aqui na disputa. Não foi algo nada maravilhoso, mas superou suas duas apresentações nos playoffs.

Luke: Kaleb mandado muito bem novamente na escolha da música. “Amazed” tem uma letra maravilhosa e outra vez ele fez um ótimo trabalho com sua apresentação. Foi gostosa de assistir, mesmo não tendo sido a melhor dele.

Renata: A música casou tão bem com a voz, que apresentação tão gostosa de assistir. Achei bem consistente, fez o certinho de sempre para não correr o risco de errar. Gostei muito!

 

Jackie Foster – “Toxic”

Bernardo: Vou discordar de vocês três. A Jackie é ótima e deve vencer essa competição por uma série de razões, mas isso aqui foi horrível. Eu fiquei contando os minutos para essa apresentação acabar logo. Medonho, sério.

Edu: Olha nossa provável vencedora da temporada cantando esse clássico. O legal de “Toxic” é que a música possui várias camadas, que rendem inúmeras versões. Mais uma apresentação da minha favorita que amei, e não foi pouco.

Luke: Adoro a Jackie e toda essa vontade de se arriscar que ela tem. Fiquei meio com o pé atrás em relação a música, mas no final das contas achei que pra variar ela mandou bem de novo. Começou meio duvidoso, mas ela foi crescendo pra caramba.

Renata: Você quer vocal, Britney? Que maravilhosa! Concordo com tudo que Kelly disse, foi sexy e forte. Tem gente que chega e faz assim, mostra que está disposto a se arriscar e mostrar todos os seus lados. Arrasou, Jackiiiie!!

 

Spensha Baker – “Down On My Knees”

Bernardo: A produção foi ótima, mas eu confesso que fiquei esperando um pouquinho mais da Spensha nessa etapa da apresentação. Ela é ótima, mas não foi dessa vez.

Edu: Adoro Spensha, muito mesmo, mas convenhamos que a música não lhe beneficiou por completo. Foi uma apresentação boa, e até que gostei, mas ela só se tornou assim da metade pro final. O começo ficou faltando algo, parecia algo sem emoção. A sensação que tive foi de Spensha estar bem perdida, e então depois de muito tempo ter encontrado o tom certo, a batida perfeita.

Luke: Gente, eu adorei do começo ao fim. Outra música maravilhosa que por sinal vestiu como luva na voz da Spensha. Aliás, ela tem uma voz linda e pra mim nessa semana ficou entre os melhores tranquilamente.

Renata: Nem tentando derrubar Spensha com esse look conseguiram! Hahahaha… Sou fã de Spensha desde sempre, achei a apresentação belíssima e transbordando emoção. Performance suave e entregou o que tinha ao alcance da música.

 

Christiana Danielle – “Say Something”

Bernardo: Finalmente algo espetacular nessa noite fraquíssima de apresentações. Vibrei com a Christiana no decorrer de toda performance. A produção ajudou demais com a idealização e o resultado final foi extraordinário.

Edu: O QUE FOI ISSO? Estou literalmente no chão com essa performance, que pra mim foi uma das melhores da noite. Christiana soube transmitir uma emoção única, abriu seu coração em cada verso desse hino maravilhoso.

Luke: O que foi isso, hein?! Estou falando que Christiana é uma das melhores coisas dessa temporada. Precisa nem dizer que eu fiquei babando nessa performance, né? Ela pegou esse tiro de música, conseguiu colocar seu próprio estilo e entregou a melhor apresentação da noite.

Renata: Que lindeza, né gente? Fiquei bem hipnotizada com tudo. A música já é emotiva o suficiente, aí ela vem e tritura nosso coração. Foi encantador e charmoso.

 

D.R. King – “White Flag”

Bernardo: Já deu, né? Nossa, cansei dessas apresentações ruins num Top 12. Que coisa sofrida.

Edu: Dido, querida, por onde anda? Um beijo! Por favor, ressurja do ostracismo, para processar esse rapaz. Que vergonha alheia!

Luke: Sacanagem fazer um negócio desse com a música da minha Dido. =/

Renata: Foi tão sem graça, né? Achei que da metade pro final ele ainda deu um caldo, mas nada surpreendente. Kelly deve ter gritado de desespero.

 

Sharane Calister – “In My Blood”

Bernardo: Minha Sharane é realmente um arraso. Persistimos juntos por esse calvário, conhecido como Team Adam, até aqui. Com essa apresentação ela nos mostrou que mesmo esquecida em detrimento de “cantores” sem talento, ela fez valer alguns dos conselhos que teve do seu mentor. Foi ótimo, foi seguro e consistente.

Edu: Sharane definitivamente é a salvação do team Adam do fiasco. Ela está longe de ser a melhor cantora, porém é a única, por ora, capaz de representar o time na final. A performance foi incrível, vocalmente dizendo uma das melhores dela na disputa. Entretanto, o excesso de vermelho me incomodou demais. Aquilo foi agressivo, e doeu até a vista de ver.

Luke: Gosto bastante do menino Shawn, mas não acho que tenha sido a melhor escolha de música para Sharene e digo isso porque concordo total com o Duh sobre ela ser a melhor pessoa do #TeamAdam. Então acho que poderia ter escolhido algo que destacasse um pouco mais sua performance. Ainda assim acredito e torço pra que ela continue por ali.  

Renata: Música novinha, recém saída do forno e uma apresentação bem a altura. Confesso que nunca tinha prestado muita atenção em Sharane, mas ela acabou me ganhando. Adam agradeça de joelhos por ter conseguido alguém tão forte e potente quanto ela.

 

Pryor Baird – “Pickin’ Wildflowers”

Bernardo: Se vocês me perguntarem se eu aconselharia Pryor a escolher essa música, eu diria que não. Não foi a melhor song choice para esse momento da competição, mas ele conseguiu colocar sua assinatura e foi divertido. Temos pessoas piores aqui, acreditem.

Edu: Amo esses country com pegada rock, pra mim são os melhores do gênero. Não foi a melhor apresentação de Pryor, admito, mas também foi longe de ser um verdadeiro desastre. O bottom pode ser possível essa semana, mas duvido muito que ele seja o primeiro eliminado.

Luke: Ah gente, eu tentei gostar na mesma proporção que aquela galera toda lá, mas pra mim foi outra performance bacana do Pryor. Só isso.

Renata: Tenho para mim que Pryor está cantando a mesma música desde as audições. Tudo normal, tudo ok!

 

Brynn Cartelli – “Up To The Mountain”

Bernardo: Mais uma apresentação sensacional da Brynn, onde ela entregou seu melhor e reagiu depois de uma performance morna na semana passada. A produção ajudou (e muito) ela a compor um momento poderoso. Não tenho dúvidas que foi o ponto alto da sua passagem pelo programa, muito bom.

Edu: Pisa menos Brynn, eu te imploro! Depois de uma apresentação ok, essa foi sua redenção no programa. Pra mim foi uma das melhores performances da semana, com toda a certeza. No começo até que rolaram alguns deslizes, talvez insegurança, mas quando menos se esperava, lá estava a linda dominando tudo. América, não me decepcione!

Luke: Ouço essa música e já lembro da Jennifer Phillips destruindo demais lá no #XFactorUK alguns anos atrás, e olha, preciso dizer que a Brynn me impressionou bastante com sua apresentação. Não é uma música fácil e pra mim ela conseguiu dominar perfeitamente o negócio.

Renata: Lindíssima, cantou tudo! Brynn é de deixar a gente com a cara no chão. Fiquei bastante impressionada com a força e plenitude dela. Uma das melhores apresentações sem sombra de dúvidas.

 

Jackie Verna – “I’m With You”

Bernardo: Mesmo assistindo com muita má vontade, consegui perceber que essa apresentação teve seus bons momentos. O telespectador conseguia ver que o talento estava lá, mas por incrível que possa parecer, ele não saiu. No geral vimos uma performance mediana e sem muita novidade para agregar.

Edu: Assisti a apresentação com quatro pedras na mão, afinal de contas essa é minha música predileta da vida, da cantora que amo mais que tudo (libera logo esse bendito AL6). Rolaram alguns deslizes, pois nos ensaios parecia que seria a melhor apresentação da noite, mas na hora do vamos ver não foi tudo isso. Não foi ruim, mas aceitável com certeza. Depois que Cassadee Pope cantou a música de forma espetacular na season 3, nunca mais ninguém chegou aos seus pés.

Luke:  Gostei da performance. Jackie conseguiu fazer algo bacana, embora eu sigo achando que a voz dela peca em alguns pontos. Não consigo enxergar ela indo longe, mas vamos aguardar.

Renata: Acho Jackie maior sem graça do mundo. Não sei nem como chegou até aqui, Adam tá bem louco nas escolhas. Não gostei de nada, por mim já podia sair.

 

Britton Buchanan – “Small Town”

Bernardo: Eu já tive meus problemas com o Britton. Acredito que ele ainda não encontrou seu ponto certo nessa competição, mas ele está no caminho. A Alicia é ótima para corrigir o que ele precisa, tenho certeza que ainda vai dar certo. Quanto ao que ele apresentou aqui, confesso que gostei bastante. Foi firme, seguro e mostrou um amadurecimento raro.

Edu: Tenho uma relação de amor e ódio com Britton, e essa é a semana do contra. Não foi uma apresentação ruim, mas achei bem just ok. Com algumas desgraças que vimos anteriormente, o bottom talvez passe longe dele dessa vez.

Luke: Eu estava super com o pé atrás quando vi a música, mas tipo, foi só ele começar cantar que já entendi. O guri tem uma ótima voz, mas tem conquistado cada vez o público com seu carisma, então aposto firme que eu permaneça no programa por um bom tempo. Em relação a performance eu achei que foi divertida, passou longe de ser a melhor dele, mas eu gostei.

Renata: Britton, por que me matou com tanta lindeza? Team Alicia claramente dono da temporada. Britton é super carismático, e é isso que tem segurado ele em performances medianas iguais a essas. O público ama essa coisa linda, e eu também! Torço para que Britton tenha vida longa no show.

 

Kyla Jade – “One Night Only”

Bernardo: Eu nem sei o que dizer sobre essa performance da Kyla. Foi especial, excepcional, fora do comum e realmente uma experiência única. Essa não é a primeira vez que ela nos apresenta um momento grandioso como esse, mas eu tenho que dizer para vocês que eu não tenho o menor problema se ela tornar uma constante.

Edu: EU NÃO ESTOU SABENDO LIDAR COM ESSA PERFORMANCE!!!!!!!!!! A Alicia me representou totalmente, de pé, boquiaberta e sem palavras. Senhores, a rainha gospel da temporada veio com tudo, matando a pau. É questão de honra ela ser a primeira anunciada em continuar na próxima semana, não aceito outro nome. Já imaginei aqui ela cantando essa música ao lado da intérprete original, JHud. Pensa um tiro que seria essas duas juntas no mesmo palco. Não só imaginei aqui, como quero!

Luke: Se era pra encerrar a noite derrubando tudo que tinha direito, fizeram certíssimo em deixar a Kyla por último. Que isso, hein!? Foi um tiro daqueles que arrepia aqui de novo, só de lembrar. Tive que voltar pra assistir de novo, porque essa mereceu demais.

Renata: Eu tô é morta! Como é que a pessoa quase não se move e faz tudo isso? Kyla já é um grande nome da temporada, até aqui só destruição. Blake sempre acertando em cheio, fechou a noite com chave de ouro.

 

BOTTOM

 

D.R. King – “Papa Was a Rolling Stone”

Bernardo: Não foi tão ruim assim, mas ele está fazendo hora extra há muito tempo.

Edu: Olha, posso dizer que foi bem melhor que sua performance anterior, isso é fato. Só que senti um certo desespero por parte de D.R. Ok, não é fácil estar logo no primeiro bottom na temporada, mas essa seria sua chance de ir muito mais além.

Luke: Definitivamente era de se esperar ele nessa posição, depois do que fez na performance anterior. Aqui cantou bem melhor, mas não sei, peguei um certo ranço.

Renata: Achei a mesma coisa da noite anterior. Pelo menos ele tentou, né? Todos nós já previmos esse bottom, o que não foi surpresa.

 

Rayshun LaMarr – “I Can’t Stand The Rain”

Bernardo: Depois de uma vergonheira que foi a primeira apresentação nesta noite, Rayshun conseguiu se redimir em algo mediano. Está longe do que precisava estar para levarmos seu trabalho a sério.

Edu: A evolução do Pikachu foi bem melhor, na minha opinião. O famoso “se tivesse apresentado assim na noite anterior não estaria aqui agora”. Não queria que se saísse melhor que D.R. King por motivos de Kelly Clarkson, mas fazer o que…

Luke: Olha, o cara fez uma coisa sem sentido algum na performance de segunda-feira, porque pra mim sigo achando que ele estava possuído por lá. Aqui foi sim melhor, com direito a notões melhores evoluídos, mas continuo pensando que ele exagerou ali no palco. Não acho que tenha necessidade aquela explosão toda.

Renata: A loucura não separa dele, né? Mas gostei um bocado, foi mais entregue e mais real. Sinto que Kelly já vai perder um soldado.

 

ELIMINAÇÃO

Bernardo: Nada de surpreendente. Na verdade, seria um alívio se essas eliminações derrubassem uns cinco para que pudéssemos ficar apenas com os melhores. É uma pena que seja um processo lento. Dito isso, só tenho que comemorar pelo que assistimos nessa noite. A eliminação foi ótima, enquanto algumas apresentações me desapontaram. Agora é pensar no Top 11.

Edu: Infelizmente já era de se esperar. Francamente os dois mereciam sair, pois foram os piores da noite passada. Não vou negar que torcia pela permanência de D.R., mas também apenas pelo bottom ter acontecido justamente no dia do aniversário de rainha Kelly (taurina sofredora como eu). Infelizmente não deu, e meu amor ganhou um presente nada agradável, perdendo um integrante do seu time. Vida que segue, Deus no comando! PS: a cara de decepção da Kelly quando Carson anunciou a eliminação do D.R. cortou profundamente meu coração.

Luke: Achei que foi uma eliminação justa. Aliás, se qualquer um dos dois saísse pra mim seria a mesma coisa, pois além de merecerem estar no bottom, não consigo enxergar nenhum deles chegando muito longe na competição. Pelo menos nessa última performance o Rayshun saiu um pouco na frente, que mereceu mesmo uma nova chance.

Renata: Até aqui não tivemos surpresas, já era de se esperar a eliminação. Vimos a América sendo justa uma vez na vida. As performances foram desastrosas e a eliminação coerente. Fico triste pela Kelly… mas certa que Rayshun não tem vida longa no programa. Torço de coração que os times mantenham a qualidade desta primeira semana, foi um excelente top 12!

 

O que acharam das performances dessa semana? Venham comentar conosco!

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.