The Voice US – 14×27/28 – Final

the voice 14x27/28
Imagem: Tyler Golden/NBC/Divulgação

Chegou o grande momento! The Voice chegou em mais uma final, a primeira desse ano. O Top 4 da edição se apresentaram na primeira noite, cantando covers, canções originais e duetos com seus coaches. A segunda noite ficou marcada pela famosa farofada, duas horas de apresentações especiais e muita encheção de linguiça, para Carson anunciar então às 23:59 (horário de Brasília) o grande vencedor.

Vamos conferir o que rolou nessa final cheia de plot twists?

 

PERFORMANCES

 

Kyla Jade – “With a Little Help From My Friends”

Bernardo: Que excelente forma de começar um final de temporada, na verdade eu começo a comentar essa reta final com muita esperança de que eu possa dizer que sim, valeu muito a pena. Pelo que a Srta. Jade nos apresentou aqui, foi sim, um bom começo.

Edu: ESSA FINAL COMEÇOU ME DEIXANDO NO CHÃO!!! Que apresentação mais linda, meu Pai amado. Emocional essas horas pra quê, não é mesmo? Rainha poderosa e absoluta, não esperava menos.

Luke: Meu povo, Kyla mostrando pra Deus e o mundo como é que se abre uma final, hein?! Que tiro foi esse? Vi a pouco aqui e fiquei foi bem chocado com o poder daquela mulher. Que voz, que presença, que performance!

Renata: DONA E PROPRIETÁRIA FAZ ASSIM! Gente, é assim que começa uma final, sério! Impressionante que ela não faz nem esforço para ser maravilhosa desse tanto. De cair o queixo, tô apenas impactada.

Britton Buchanan – “Where You Come From”

Bernardo: Eu adoro esse regra do The Voice que obriga o candidato a apresentar uma música original na final. Todos nós temos que fazer um TCC para conseguir se formar, então nada menos compressível do que tal obrigatoriedade. Todavia, mesmo agradecendo e reconhecendo o esforço do Britton e toda uma equipe criativa por trás, não foi o que eu esperava.

Edu: Ai, sinceramente? Não entendi como o single do subestimado chegou ao topo do iTunes. Música chata, que me deu ranço profundo. Sai daí, que o topo desse ranking é da minha Xtina e minha Demi.

Luke: Gente, eu adorei essa música demais da conta! Pra mim já rendeu um dos melhores momentos do Britton na competição, porque achei que ele conseguiu passar uma emoção enorme cantando e curti do começo ao fim. Quero a versão estúdio aqui na minha playlist pra já. Aquele refrão deu uma mexida boa comigo aqui.

Renata: Eu colocaria fácil uma faixa na testa com o nome do Britton! Já quero chorar deitada ouvindo essa lindeza. Toma meu coração!

Brynn Cartelli & Kelly Clarkson – “Don’t Dream It’s Over”

Bernardo: Que dueto sensacional! Kelly preparou a Brynn durante toda a temporada para esse grande momento. E ela, ou melhor, elas não nos desapontaram. Foi lindo, foi inspirador e um dos pontos altos dessa final. Se um dia me perguntarem o porquê eu adoro televisão ao vivo, talvez mostre o clipe dessa apresentação.

Edu: QUE DUETO MAIS MARAVILHOSO! Eu assisti essa apresentação totalmente hipnotizado, sorrindo de ponta a ponta. Meus olhos não pararam de brilhar, foi um match perfeito. Kelly soube muito bem respeitar o espaço de sua pupila.

Luke: Que bela surpresa esse dueto! Não estava esperando que fosse tão bom e fiquei foi só amor assistindo aquelas duas ali no palco. Brynn cresceu muito, né? E a voz dela misturada com a da Kelly resultou numa apresentação linda!

Renata: Ai meu Deus! O tanto que eu achei esse dueto maravilhoso! Foi de encher os olhos de verdade, como disse o Edu. As duas criaram uma super conexão que fez Bynn crescer de maneira gigantesca.

Spensha Baker – “Merry Go ‘Round”

Bernardo: Foi ótimo… para uma audição às cegas. Spensha poderia ter feito tão melhor, tão bonito e tão glorioso, que infelizmente apostou no óbvio.

Edu: Ai Spensha, gosto muito de você, mas ajuda aí. Sua performance não foi de tão ruim, eu até gostei. O problema é que para uma final tudo beirou o just ok, e nada demais.

Luke: Foi uma pegada mais leve comparado com as performances que ela fez anteriormente, mas ainda assim eu gostei bastante. Já fiquei aqui novamente imaginando um álbum inteiro na voz da Spensha, porque a voz dela é linda demais gente!

Renata: Achei que nossa deusa do country ousaria mais. Então só nos resta aceitar e apreciar essa delicinha de apresentação.

Britton Buchanan & Alicia Keys – “Don’t Wake Me Up”

Bernardo: A melhor sensação em assistir esses programas é a surpresa. America’s Got Talent é um dos meus favoritos justamente por isso, já que o telespectador nunca sabe qual a loucura pode vir em seguida. Esse dueto foi exatamente isso. Uma música que eu nunca escolheria para uma final, mas Alicia Keys é Alicia Keys.

Edu: Me emocionei, sério. Britton e Alicia tiveram uma química incrível no palco, sem contar que ainda está recente a morte de Avicii. No final das contas foi uma linda homenagem a ele, que veio no momento certo. Esplêndido!

Luke: Esse dueto me arrepiou demais, gente! Achei lindo do começo ao fim, e olha que não sou o super fã dessa música. Acho que tocou tanto quando estourou que peguei um certo ranço, mas Alicia e Britton entregaram uma apresentação tão linda, principalmente Alicia que me arrepiou totalmente aqui quando resolveu homenagear o Avicii. Achei maravilhoso!

Renata: Ao contrário do Luke, eu tenho uma ótima lembrança com essa música. Aí vem Britton e Alicia despedaçar meu coração. Tudo na medida certa, dona Alicia te amo!

Kyla Jade – “The Last Tear”

Bernardo: Kyla é uma das minhas preferidas e, sinceramente, continuará sendo. Eu esperava mais dessa apresentação? Sem dúvida, mas ela já ganhou meu coração de qualquer jeito e há muito tempo.

Edu: Kyla, o que aconteceu com você? Achei tudo tão morno, fora de seus padrões. Sinceramente? Dei altas bocejadas aqui, desculpe.

Luke: Eu gostei bastante! Não vou dizer que era exatamente o que eu estava esperando desse single da Kyla, ainda mais depois do tiro de performance que ela fez na abertura da noite. Mas a música não ficou ruim.

Renata: Foi aquilo né? Não tem tu, vai tu mesmo! Tudo bem que a gente não pode esperar que ela pise sempre, mas pelo menos manter o que já vinha executando.

Spensha Baker & Blake Shelton – “Tell Me About It”

Bernardo: Realmente apostando no mais confortável nessa final, Spensha não fez feio nesta apresentação com o Sr. Blake Shelton, mas faltou aquele grande momento que eu pudesse dizer – “Ta vendo? É por isso que ela está aqui”.

Edu: Amei o dueto, bem country mesmo. Spensha sempre beirou mais pra esse estilo, e Blake é o nosso cowboy raiz. Foi tudo equilibrado, na medida certa.

Luke: Sorry gente, mas eu não consegui gostar desse dueto. Quero minha Spensha com suas músicas melosas, gosto assim e dessa vez eu não curti.

Renata: Até gostei bastante! Achei super divertido, gostei de ver esse lado mais solto de Spensha.

Brynn Cartelli – “Walk My Way”

Bernardo: Wow!!!! Que música deliciosa de ouvir, confesso, já repeti umas três vezes no decorrer desta quarta-feira. Tem um cheiro diferente de sucesso, mas como é impossível prever qualquer coisa nessa indústria, vou desejar apenas que venda muito no iTunes.

Edu: QUE MÚSICA MARAVILHOSA! Gente, estou com o refrão na cabeça até agora. É daqueles pop chiclete que gruda, e que cai no gosto do público. É jovem, alegre e alto astral, assim como sua intérprete. Uma das melhores performances da noite.

Luke: Curti bastante a pegada pop que rolou nesse single da Brynn, mas não posso dizer que foi o meu preferido da noite. Com certeza é aquela música meio chiclete que tu ouve uma vez e já fica com o refrão na cabeça. Achei que foi uma ótima escolha pra ela.

Renata: É assim que se cria uma diva! Kelly soube lapidar sua pupila muito bem! Adorei a vibe da música, Brynn arrasou demais. Isso gruda na cabeça que é uma beleza!

Kyla Jade & Blake Shelton – “Only Love”

Bernardo: Não foi o meu momento preferido da Kyla nessa competição. Concordo com o Edu nesse ponto, porque a sensação que eu tenho que ela foi sabotada após uma trajetória espetacular nessa 14ª temporada. É uma pena terminar assim, realmente.

Edu: ZzzzZZZzzZZZ… A mesma sabotagem que rolou com Foster semana passada, agora está rolando com Kyla, só acho.

Luke: Aqui eu já gostei mais. Ainda acho que não foi exatamente o melhor da Kyla no palco, mas achei que ela conseguiu fazer o máximo cantando com o Blake. Não curti o começo do dueto, mas depois deram uma boa melhorada.

Renata: O dueto mais sem graça da noite. Kyla segue maravilhosa e Blake lindo, mas não rolou.

Britton Buchanan – “Good Lovin’”

Bernardo: Agora sim, algo bonito e sensacional de se ouvir. Britton surpreendeu desde o início até o final. Soube interpretar, atingir as notas corretas e lembrar o telespectador o porquê ele chegou tão longe e é visto, merecidamente, como um dos favoritos ao prêmio.

Edu: Britton finalmente mostrando o porquê de estar nessa final. Que apresentação, meus caros! Curti e não foi pouco, pois parecia que ele era um artista convidado, ao invés de candidato.

Luke: Me vendo sendo massacrado aqui, mas olha, eu não topei muito com essa performance. Sim, foi muito bacana ver o guri correndo pra tudo quanto é lado do palco, dominando cada pedaço por aqui, mas não foi minha apresentação preferida da noite. Foi uma performance divertida de assistir, com ele mostrando seu potencial, mas pra mim a performance do single ainda foi melhor.

Renata: Fio, vem dançar aqui seu maravilhoso! Tiveram alguns momentos em que tive a impressão de que Britton não ia segurar a performance, achei bem ofegante. Mas, no geral, eu adorei demais, ele se arriscou bastante e eu amei. Por isso a America comprou o pupilo de Alicia, ele sabe dar um bom show!

Spensha Baker – “Old Soul”

Bernardo: Sério mesmo? Você luta a temporada inteira para chegar até aqui, elimina pessoas extremamente talentosas e quando chega na grande final apresenta isso? Por favor.

Edu: Essa música achei bem tediosa, tanto que me distrai com coisas bem mais importantes aqui. Já sabemos que Spensha ficará em quarto, mas ela poderia ao menos ter se esforçado um pouco mais.

Luke: Pra quando é o álbum mesmo? Outro single que eu gostei muito, e junto com o do Britton, foi meu favorito da noite. Spensha veio me impressionando demais nas últimas semanas, e é absurdamente merecedora dessa vaga na final. Sigo torcendo muito pra que ela se dê bem na indústria.

Renata: Eu achei bem a cara de Spensha. Emotivo na medida certa, encantador. Ela é uma fofa super talentosa, merece demais ter chegado até aqui.

Brynn Cartelli – “Skyfall”

Bernardo: Eu nem sei o que falar, sinceramente. Confesso que a primeira vez que soube que “Skyfall” seria uma das músicas da noite e ao vivo, teríamos muita margem para desastre, no mínimo. Para minha surpresa, foi exatamente o contrário. Apesar da pouca idade, Brynn soube como domar as partes mais difíceis da música e ainda colocar sua marca na apresentação. Teve alguns momentos de dificuldade? Sem dúvida, mas perfeitamente normal quando você está sendo assistida por quase 10 milhões de pessoas.

Edu: Quando lembro de “Skyfall” à cabeça, me vem o número de Jay James no The X Factor UK. A música é grandiosa de uma maneira que assusta, e fiquei bem preocupado quando soube que Brynn cantaria. Vamos lá, ela teve seus altos e baixos na disputa, tem apenas 15 anos, e vem de uma ascensão surpreendente. E não que é danada mandou bem? Foi pra encerrar essa primeira noite de final com tudo, ela dominou a p$%&a toda. O que foi isso? E quando a música chegou ao clímax? Meu queixo estava simplesmente no chão, sem mais!

Luke: Olha, eu sou meio suspeito pra falar dessa música, porque dificilmente consigo gostar de alguém cantando que não seja a rainha das rainhas. Maaaas, vale dizer que eu fiquei um tanto quanto impressionado com a Brynn por ali. Não achei que ela daria conta de uma música desse porte, mas no final das contas achei que ela conseguiu segurar o rojão e fez uma ótima apresentação.

Renata: Música pesada, né? Como já dissemos, Brynn foi uma grata surpresa em todos os sentidos. Cresceu muito dentro da competição, deixou muita gente que seriam favoritos para trás, e soube entregar o melhor nesta final. Eu achei a performance grandiosa para uma garota da sua idade.

SPECIAL PERFORMANCES

 

Spensha Baker & Kane Brown – “What Ifs”

Bernardo: O que aconteceu? Nem sei.

Edu: Que ranço desse embuste que nem sei quem é. O rapaz simplesmente chegou e usou Spensha única e exclusivamente para se promover. Ranço!

Luke: Eita, que dueto maluco gente. Nunca vi esse guri e não curti foi nada. Coitada da Spensha.

Renata: Rapaz… podiam ter deixado a Spensha sozinha fazendo tudo.

Brynn Cartelli & Julia Michaels – “Issues”/”Jump”

Bernardo: Ainda não entendi o porquê dessas performances especiais, só servem para enrolar e mais nada. Dito isso, foi um bom dueto, mas sem nada de surpreendente ou de extraordinário. Foi bom, apenas.

Edu: Gostei muito da apresentação das duas, sério mesmo. Foi tudo alinhado, na medida certa, e parecia mais um duo trabalhando juntas há tempos.  

Luke: Eu adorei demais esse dueto gente! As duas cantando “Issues” foi coisa linda e na segunda música também foi delícia. Não poderiam ter escolhido uma parceria melhor pra Brynn!

Renata: Achei bem fofinhas! Ritmo gostosinho demais.

Britton Buchanan & Ryan Adams – “To Be Without You”

Bernardo: Sabe aquele momento que você precisa sair correndo pra ir ao banheiro? Pois é.

Edu: Ah foi ok, mas nada extraordinário. Próximo!

Luke: Foi um dueto legal, nada além disso.

Renata: Até que gostei, nada que me faça pirar mas tudo dentro dos conformes.

Kyla Jade & Jennifer Hudson – “I Know Where I’ve Been”

Bernardo: Tá vendo? Esse foi o problema da Kyla, um técnico sem condições de treiná-la da melhor forma. Embora acredite que a Srta. Hudson tem alguns métodos pouco convencionais em “educar” (ou reeducar) seus pupilos, mas esse dueto nos mostra que elas formam a melhor dupla.

Edu: O QUE FOI ISSO? Melhor special performance da noite, disparada. Quando soube que Kyla cantaria com JHud já sabia que viria tiro dos grandes, afinal de contas, ela já foi backing vocal da cantora. Só que tipo, foi muito mais além do que imaginava. Como assisti a final ao vivo, já estava cansado, morrendo de sono e quase dando umas pescadas, apenas esperando o resultado final. Do nada, quando me dei conta, meu queixo estava no chão. RAINHAS!

Luke: SENHOR, quem sou eu pra comentar um tiro desse, gente? CARAMBA! Que dueto, essas duas juntas, CARAMBA! Tô arrepiado até agora por aqui e essa, sem sombra de dúvidas, vai ser bem difícil superar.

Renata: O que acontece quando unem dois eventos assim? É demais pro meu coração. Já quero JHud de volta, não importa como. Amo essa mulher e vou defender sim. Kyla, você já tem o mundo não precisava pisar tanto.

VENCEDOR

Bernardo: Antes de comentar sobre o vencedor eu tomei a liberdade de ler alguns artigos de sites especializados para ver o que eles entenderam desse anúncio. Embora não tenha encontrado nada de esclarecedor, uma (ótima) matéria no The Washington Post argumenta que a vitória de Brynn pode ser um verdadeiro divisor de águas para o futuro da atração. Essa visão soa como uma hipérbole daquelas, mas julgando pelos resultados da moça nas plataformas digitais, sua presença nas redes sociais e a forma não convencional na qual chegou até aqui, há uma sinalização de que, realmente, há algo diferente aqui. 

Segundo pelo fato de que a Kelly sabe do que se precisa para vencer uma competição de talentos e se tornar um fenômeno. O The Voice precisa disso, afinal de contas, eu não sei qual foi o vencedor da primeira temporada, você lembra? Particularmente, lembro muito bem de quem ganhou o ano inaugural de American Idol. Entende o meu ponto? Então mesmo não gostando da classificação de Kyla em terceiro lugar, acredito que a vitória de Brynn mostra não só que o programa está mudando, como também o apetite do telespectador por estilos frescos, propostas inovadoras e algo leve e surpreendente para assistir. Eu adorei e não vejo a hora de chegarmos em setembro para mais The Voice!

Edu: Bom, vamos lá. Spensha em quarto não foi surpresa alguma, convenhamos. Agora, eu dei um grito quando Carson anunciou Kyla como terceira colocada. COMO ASSIM? Ok, na noite anterior ela não foi lá aquelas coisas, mas se ver seu desempenho até aqui, principalmente nos live shows, foi uma trajetória espetacular. Britton e Brynn no Top 2 até que foi maravilhoso, pois pela primeira vez os dois primeiros colocados não são pupilos de Adam e/ou Blake, e ao mesmo tempo são de duas coaches mulheres. Sempre falei que Britton era subestimado, apesar de ter entregue performances maravilhosas. Minha torcida sempre foi para Brynn, Kyla e Jackie Foster.

A garota teve seus momentos inconstantes sim, nada foi perfeito, mas das últimas três semanas pra cá ela teve uma ascensão incrível. Quando foi anunciada sua vitória, sinceramente eu dei um pulo aqui. Sou team Kelly desde o começo, e esse momento deu um certo deja vu. Na hora me veio o momento que a Kelly venceu o American Idol, e me emocionei com a vitória da Brynn ao me recordar disso. Nossa eterna original Idol tem uma luz indescritível, e espero que ela construa um legado incrível dentro do The Voice, acabando por um tempo com essa redundância Adam e Blake que rola dentro da disputa. Nos vemos na S15, e espero que JHud retorne como uma verdadeira fênix.

Luke: Gente, que final mais surpresa, hein?! Eu fiquei um tanto quanto chocado, mas no sentido positivo da coisa. Spensha em quarto no final das contas era meio que esperado mesmo, minha torcida aqui era pra Kyla, então quando anunciaram ela na terceira colocação eu soltei um WTF bem nervoso por aqui. Pelo menos segundo lugar ela tinha que ter ficado, né? Depois do resultado da Kyla eu estava na certeza absoluta que o Britton levaria o prêmio, porque o rapaz conquistou demais o público e depois do estouro que foi o single no iTunes meio que imaginei que esse seria o desfecho do negócio.

Então chega o momento e pronto, Brynn termina como a grande campeã da temporada. Mesmo não sendo minha primeira opção, fiquei sim foi muito feliz por ela, pois a guria cresceu muito ao longo da temporada e nessa fase final foi maravilhosa nos duetos com KC e Julia. Acredito muito no potencial dela e acho que tem tudo pra estrear com um álbum excelente, que mal posso esperar pra ouvir.

Renata: Uma final digna, com um plot twist que eu não previa de forma alguma. Spensha em quarto é o que todos esperávamos, né? Agora, dá licença aqui, não acreditei que Kyla tinha ficado em terceiro. Não desmerecendo os dois primeiros lugares, pelo contrário. Quem acompanhou as reviews sabe o quanto torcia pra Britton e Brynn (não tanto quanto o Edu) hahahaha. Falo pela caminhada até aqui muito bem construída e entregue. Mas, o julgamento é pelo que foi apresentado na noite anterior, e Brynn e Britton destruiram de verdade. Britton tem uma coisa que chama e faz a gente ficar hipnotizado, chame de charme, presença de palco… o que for. O certo é que eu o amei desde sempre. Um sorriso que não vou esquecer. Tenho certeza que ele vai construir uma carreira linda, assim como Spensha e Kyla, maravilhosas demais para cair no esquecimento.

A vencedora juntou a fome com a vontade de comer. Kelly e Brynn foi a junção perfeita, é maravilhoso ver um processo de crescimento como foi o dela. Lá atrás a gente via potencial e determinação, mas não dava pra imaginar a força de vontade e no quão chocados essa menina nos deixaria. Lembrando que com 15 anos a bicha chegou e destruiu tudo. No fim, ninguém ia sair perdendo, seja quem fosse o vencedor. Final lindíssima e justa demais. Até a season 15 pessoas, com raiva e muitas lágrimas. Beijão!

 

O que acharam da vitória de Brynn Cartelli? Foi justa? Até a próxima temporada em setembro, com mais review de The Voice e outros realities.

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.