Começam oficialmente os live shows da 15ª temporada do The Voice US

the voice lives1
Imagem: NBC/Divulgação

The Voice US dá início definitivamente aos live shows

Agora não tem mais pra onde correr. O The Voice começou oficialmente suas fases ao vivo, em que os coaches não tem mais poder algum de decisão.

A partir de agora tudo dependerá única e exclusivamente do público, ou seja, vamos nos preparar para muitas revoltas e surpresas. Vamos conferir tudo o que rolou nessa primeira semana?

 

PERFORMANCES

 

Chris Kroeze – “Let It Be”

Bernardo: Essa é uma das minhas músicas preferidas de todos os tempos. Ela carrega todos os ingredientes, na qual eu me encanto por uma canção. É profunda, íntima e te toca exatamente naquele lugar mais sensível. É impressionante. No entanto, o que não foi impressionante foi essa performance do Chris. Embora eu tenha adorado o solo de baixo, confesso que faltou alguma coisa. Mais profundidade, mais emoção ou quem sabe até o auxílio de alguns backing vocals.

Edu: Eu sou suspeito em falar dessa música, pois amo de paixão. Quando Chris chegou no primeiro refrão, meus olhos já ficaram lacrimejados aqui. Não é segredo a ninguém que ele se tornou meu favorito do team Blake, portanto pra mim foi o match perfeito. Sem contar que, Chris fez um solo no meio da canção, e isso pra mim foi outro ponto positivo à performance. Melhor forma de se começar os live shows, francamente.

Luke: Uma habilidade vocal gigantesca; uma habilidade instrumental de deixar qualquer um impressionado; uma song choice que encaixou perfeitamente com seu timbre e veio com emoção, o que é difícil se ver sempre por aí. Trabalho de casa perfeito, apresentação mais do que perfeita. Tem tudo para seguir cada vez mais alto e conseguiu se encaixar bem no team Blake, se tornando, de longe, meu favorito do team.

Renata: Ai gente, que lindeza! Chris cantou com uma verdade que me emocionou, de verdade! Bicho, essa música pega bem no coração, né? O conjunto todo foi digno da música.

 

Tyke James – “(Everything I Do) I Do It For You”

Bernardo: Que apresentação frustrante! Sabe qual a pessoa tem de tudo para se sair bem, mas acaba jogando na zona de conforto? Pois é, foi esse o caso. A música era ótima e a ideia do arranjo era sim, bem interessante. O problema é que eu não senti nada assistindo essa apresentação. Nem me engajou e isso é certamente um problema, principalmente numa performance ao vivo.

Edu: Outra música que amo de paixão, mas diferente de Chris, Tyke foi mais ousado. O rapaz veio com uma vibe Jack Johnson, que pra mim não combinou tanto assim. Tyke é um dos principais nomes do team Adam, e provavelmente terá mais uma semana de disputa garantida. Não sei se é porquê eu não gosto desse tipo de estilo, mas a performance em si não me ganhou. Vou ser franco que nos instantes finais, inclusive, me deu um leve sono. A intenção foi das melhores, de ter sido para sua mãe, entretanto pra mim hoje não.

Luke: Eu gostei do estilo que colocaram na apresentação. Foi um ousado interessante, que não passou dos limites, ao meu ver. Tyke ainda tem alguns vícios que precisam ser corrigidos, mas tem uma carreira promissora. Acho que consegue ir longe pelo estilo e também pela voz, mas não sei se em uma final.

Renata: Vocês sabem minha opinião sobre Tyke, já cansei de repetir. Não traria ele tão longe! Quando vi que ele ia cantar Bryan Adams, meu coração quase parou. Sou apaixonada por essa música. Quanto a performance, achei bem okey! Não tem tu, vai tu mesmo.

 

DeAndre Nico – “I Can Only Imagine”

Bernardo: Deve ser algum problema comigo hoje (podem me chamar de azedo), mas eu não vi nada demais não. Essa é uma performance parecida com o que ele apresentou outras vezes no The Voice. Acredito, inclusive, que ele já fez trabalhos muito melhores do que essa apresentação. Tenho certeza que ele ainda vai surpreender, mas pra mim não foi agora.

Edu: EU ESTOU NO CHÃO!! Gente, que história pesada essa que aconteceu com DeAndre. Ele usou disso, pra entregar uma performance que me arrepiou dos pés à cabeça. Não sei o que mais me emocionou, a namorada dele toda impressionada ou Adam todo orgulhoso e com os olhos brilhando em ver seu pupilo. Só sei que foi uma apresentação memorável, cantada de coração, com a alma. Tudo ali foi sincero e honesto, senti algo tão grandioso e generoso.

Luke: Olha que eu consegui me emocionar do início ao fim da apresentação. DeAndre superou todas as minhas expectativas e tem grande potencial dentro do team Adam, mais até que Tyke. Sua história deu a inspiração necessária para trazer esse belo trabalho, e espero que ele foque cada vez mais na emoção para as próximas semanas.

Renata: DeAndre, para mim, é o grande nome do team Adam! Essa performance só comprovou o quanto ele é fantástico. Foi pura emoção e verdade. É isso que a gente quer ver, entrega!

 

Kymberli Joye – “Diamonds”

Bernardo: Eu adoro a Kymberli. Na verdade, é a melhor do time da Kelly, indiscutivelmente. Desta vez, infelizmente, ela não trouxe ela apresentação impressionante, bombástica e explosiva como fez na semana passada. A gente sabe que ela pode fazer mais e realmente espera que consiga entregar algo tão bom e explosivo como foi aqui.

Edu: Vamos lá, eu adoro Kymberli, tipo muito mesmo. Pra mim ela é o principal nome do team Kelly, entretanto sua performance não me agradou tanto assim. Primeiramente que tudo beirou o inconstante, em um ato calmo até demais para seus padrões. Logo após isso, ela deu uma explosão, que foi totalmente desnecessário. Ou mantinha a linha calma do começo ao fim, ou faria logo de uma vez algo bem dedo no c* e gritaria. Não gostei.

Luke: Então, vamos lá… Kymberli é, de fato, o máximo da competição no team Kelly, contudo, temos um problema de músicas pop que muitos cantam. Ela conseguiu trazer uma versão própria? Sim. Mas “Diamonds” não é uma música que se consegue trabalhar muito quando se coloca ela na versão mais lenta e, isso, muitos já fizeram. No final, o resultado pra mim foi mediano, mas não tira seu brilhantismo.

Renata: A galera resolveu arriscar essa semana, trazendo umas versões diferentonas. Eu fiquei bem confusa no inicio, não sabia se estava amando ou odiando. No fim, não foi ruim, mas também não foi bom, não tanto quanto ela é capaz de fazer.

 

Kennedy Holmes – “Wind Beneath My Wings”

Bernardo: Continuo esperando algo que me faça sair da cadeira. Nada. Kennedy certamente apresentou uma performance correta, coerente e cheia de nuances, mas nada que pudéssemos lembrar no dia seguinte. Aliás, se você me perguntar amanhã, com certeza terei esquecido o que eu ouvi aqui. Uma pena.

Edu: Essa música é maravilhosa, certamente, mas já está ficando batida demais nos realities. Sobre a performance, Kennedy cantou super bem, se saindo bem afinada a todo instante. Porém faltou uma pitada de emoção, na minha opinião. Foi bom, mas nada de cair o queixo.

Luke: Mais um chute de emoção em nossas caras, apesar de ter sido um pouco mais técnica e contida. Mas ainda assim, consegue-se capturar a essência de uma voz de 13 anos nesse potencial. Kennedy está de parabéns por seu trabalho e merece muito crescer cada semana mais.

Renata: É impressionante o quanto ainda me surpreendo quando Kennedy abre a boca. É uma voz muito madura! Eu gostei bastante, achei bem consistente. Voltei a gostar dela, coisa que tinha se perdido durante o caminho. Essa semana ela me conquistou.

 

SandyRedd – “It’s So Hard To Say Goodbye Yesterday”

Bernardo: Finalmente uma performance de qualidade, demorou, mas finalmente está entre nós. SandyRedd pode ter apostado numa música mais tranquila e leve, mas nada disso impediu dela impressionar com uma performance poderosa, profunda e certamente muito emocionante. Além da qualidade no conteúdo, ela não deixou de chamar atenção pelo figurino. Uau, senhores, Uau!!!

Edu: SandyRedd venha cá me dar um abraço! Que performance, meus caros. Ela cantou abertamente, totalmente dedicada a sua mãe. Por mais que tenha sido algo tão genuíno e puro, foi longe de ser perfeito. Uma candidata como ela, uma música como essa eram os ingredientes para isso ter acontecido. Na minha opinião, as variações de voz durante a act me incomodou, e talvez por isso não tenha me conquistado 100%.

Luke: Ela está focando em uma vertente que não nos foi apresentada logo na primeira semana, e isso pode ser preocupante. Ainda assim, consigo sentir o amor dela por música e sei que ela consegue transmitir isso muito bem com a voz. Precisa focar mais na suavidade e identidade e trabalhar isso junto a sua coach.

Renata: Gente, eu não sei se estou ficando louca, mas faz tempo que uma performance da SandyRedd não me agrada. Logo eu, que jurei a defender por tudo. Eu tenho achado bem mais teatral do que musical. Achei extremamente exagerado.

 

Chevel Shepherd – “Little White Church”

Bernardo: Chevel foi ótima na semana passada com aquela apresentação deliciosa de feira caipira. Embora ela tenha dobrado a dose com Little White Church”, não acredito que tenha tido o mesmo efeito. Gostei das ideias e da criatividade por parte da produção, mas nada que fizesse a performance crescer. Uma pena.

Edu: Enfim chegaram os refrescos, com muito sonífero. HELP ME!

Luke: O country me decepcionado… Esperava mais!!!!

Renata: Para mim, a música não estava ornando com o resto. Não entendi foi nada!

 

MaKenzie Thomas – “I Am Changing”

Bernardo: Sensacional, mesmo! É desse tipo de apresentação que eu estou falando quem ninguém teve a capacidade de apresentar. Foi impressionante o que ela fez aqui, apesar da simplicidade que ela transpareceu. A produção ajudou muito ao desenvolver uma direção de arte impecável, deixando tudo ainda mais profissional, interessante e bonito de se ver.

Edu: CALA A BOCA!!!!! MaKenzie simplesmente TOMBOU com essa performance. Sempre tenho receio no The Voice, quando um candidato canta a música de seu próprio técnico. Entretanto, ela não se intimidou por isso, pelo contrário. Aproveitando a semana de homenagens, ela simplesmente dedicou a apresentação para JHud. Foi tudo tão lindo, tão perfeito, que me deixou sem palavras. O que foi esse final? Cadê meu sapato pra jogar, Brasil?

Luke: MaKenzie, na verdade, é aqui de Minas. A famosa come quieto do programa. Chegou como quem não quer nada, impressionou, cresceu, evoluiu e fez uma coisa inexplicável com sua apresentação. Conseguiu deixar uma homenagem, através de um clássico, ainda mais sua e impressionante. JHud está impressionada, eu estou impressionado, todos estamos!! MaKenzie que se segure pois o pódio te espera se continuarmos assim!!

Renata: Tô chocada em Cristo! MaKenzie chegou devagarzinho com esse jeitinho quieto e destruiu foi tudo. Foi de uma grandiosidade sem tamanho, achei tudo bem fantástico. Que voz, meus amigos, que voz!

 

Sarah Grace – “Goodbye Yellow Brick Road”

Bernardo: Concordo com o Luke, acredito que a grande história que fica dessa performance é a evolução da Sarah até aqui. Ela foi correta em alguns pontos, mas errou em outros, o que é perfeitamente normal para quem está aprendendo. Não sei se ela terá muito futuro, mas tem que se orgulhar da sua trajetória.

Edu: Sarah me impressiona de uma forma que nem sei explicar. Com um jeito todo angelical, ela tem uma voz que impressiona, que te prende. Ela veio com uma apresentação grandiosa, que soube prender do começo ao fim. Como sempre se diz, o básico muitas vezes é grandioso.

Luke: Eu gostei da evolução de Sarah até aqui, ela sempre se apresentou com determinação. Contudo, essa semana, me senti um pouco incomodado. A apresentação foi bem executada, sua voz encaixou na canção, mas teve algo que incomodava e eu não sei bem dizer o que é. Talvez loucura da minha cabeça ou alguns vícios durante a apresentação, mas, no geral, ela merece estar aqui e tem muito talento.

Renata: Eu ainda não tenho uma opinião formada sobre Sarah. Nem gosto, nem desgosto. A performance foi bem bonita, mas não achei nada demais.

 

Dave Fenley – “Hard To Love”

Bernardo: Nada demais. Dave me empolgou lá no começo, com uma blind audition bem interessante, mas aqui ele voltou ao lugar comum com uma apresentação nem um pouco memorável. Uma pena, espero que, caso ele consiga se salvar, melhore para próxima semana.

Edu: Ainda estou tentando digerir o fato de Blake ter escolhido Dave, ao invés de Michael ou Natasia. Essa performance só me fez questionar ainda mais isso.

Luke: Foi bem mediano e caiu um pouco no clichê rock country, que é uma zona de conforto. Não foi horrível, longe disso, mas também ta quase no just ok. Enfim, não sei se foi a melhor escolha…

Renata: Ai Edu, concordo demais com você… tragam meu Michael de volta! De resto, foi tudo no lugarzinho.

 

Lynnea Moorer – “Waves”

Bernardo: Para quem pensou que a Lynnea não estava para ficar, ela mostrou que sim, ela é tudo aquilo que a gente pensava (e esperava). Apesar de alguns tropeços nas fases anteriores, ela faz o que poucos conseguem no The Voice: um comeback. É louvável o fato dela ter conseguido entender exatamente onde estava errando para acertar, em todos os sentidos, nessa apresentação. Ótimo!

Edu: De renegada nas blinds, a um retorno triunfal nos Playoffs e uma ótima estreia nos live shows. Lynnea simplesmente fez uma das melhores performances da noite, na minha opinião. Foi tudo na medida certa, sem exageros, e com um controle inexplicável. Diferente de alguns que passaram anteriormente, Lynnea soube explodir na hora certa. Bravo!

Luke: Na última semana eu não tava com muita fé em Lynnea, mas, depois dessa apresentação, acredito muito no potencial e na crescente dela na competição. Muito bem colocado os momentos durante a canção e isso fluiu bem com a evolução. Enfim, uma boa voz monitorada por uma grande estrela.

Renata: Olha aí… alguém que chegou para honrar sua segunda chance. Calou a boca de geral, que performance linda, hein?! Lynnea deu seu nome, e mostrou o quanto ainda pode crescer.

 

Kirk Jay – “I’m Already There”

Bernardo: Concordo com tudo que o Edu falou. Não entendi toda essa pompa em torno da performance do Kirk. Eu gostei muito, acredito que foi uma das melhores da noite (meu Top 05 com toda facilidade), mas isso não é porque ele foi extraordinariamente bem, e sim porque os cantores da noite foram medianos. BEM medianos.

Edu: Se Kirk tivesse cantado essa música na semana passada, talvez teria torcido mais por ele nos Playoffs. Foi uma performance consistente, na medida certa. Só não entendi o buzz gigante, a ponto de colocá-lo no Top 10 do iTunes americano. Curti, mas não achei tão extraordinário, mas lhe garantiu mais uma semana de disputa facilmente.

Luke: Kirk é outro que vem apresentando uma ascensão incrível e sabemos como isso pode ser um fator decisivo do público. Foi crescente da maneira certa, apresentando os melhores momentos da sua voz sobre a canção. Enfim, muito bem executado e trabalhado até aqui. Está de parabéns!!

Renata: Nunca escondi o quanto adoro Kirk. Eu fico verdadeiramente emocionada quando ele começa a cantar. Fiquei exatamente igual a Jhud, sem palavras. De longe, minha performance preferida da noite!  

 

Reagan Strange – “You Say”

Bernardo: Embora as apresentações tenham sido bem medianas, Reagan Strange conseguiu redimir esse episódio com uma performance sólida, delicada e reforçando seu estilo de “comendo pelas beiradas”. Ela, com toda certeza, tem a minha atenção a partir de agora.

Edu: Anjo que fala, né? A primeira noite de live shows encerrando da melhor forma possível, com uma apresentação que soube tocar. Reagan é uma maravilhosa, a minha favorita do team Adam. Tão nova, mas com um talento fenomenal. Essa nova geração que está passando pelo The Voice US está surpreendendo cada vez mais, surrando muitos veteranos aí.

Luke: Reagan é uma act que costumamos ver muito por aqui, contudo, ela sabe explorar suas peculiaridades. Nova, boa voz, tem dinâmica nos momentos certos e emociona. Mas aquele ponto que a leva longe na competição está começando a brilhar nela. O olhar dela entrega a emoção da canção e passa a mensagem. Encerrando a primeira noite de maneira incrível e peculiar!!

Renata: Tão novinha e pisando tanto, não é mesmo? Foi tudo na medida certa e com emoção. Amei! Adam parece que acertou esse ano.

 

INSTANT SAVE

 

SandyRedd – “Believer”

Bernardo: É uma pena que a SandyRedd tenha falhado em conquistar o público de casa. Ela entregou uma das melhores apresentações da noite, mas infelizmente falhou na tarefa de pedir misericórdia para mais um tempo no programa. Não gostei dessa versão de Believer”, mostrando todas as suas falhas. Uma pena.

Edu: Já era de se esperar SandyRedd no Instant Save, infelizmente, mas não entendi o porquê dessa música. Foi uma apresentação desastrosa, que não combinou nada com ela, deixando-a totalmente limitada.

Luke: Também não imaginaria que SandyRedd estaria aqui, contudo, ela não conseguiu se ajudar muito. Seguiu na mesma vertente de apresentações. Ela tem um timbre tão peculiar e que pode ser tão bem explorado em tantas canções. Enfim, aguardar para ver o que irão decidir.

Renata: Apesar de não ter gostado da apresentação anterior, não imaginei que SandyRedd estaria aqui. Aí a linda vem e faz isso pra completar o desastre. Não parecia nem que ela estava cantando, muita informação e pouco desenvolvimento.

 

Tyke James – “Home”

Bernardo: Frustrado estava e frustrado continuarei. Tyke repetiu os mesmos erros da apresentação anterior, num dos seus momentos mais difíceis na competição. Ele não fez seu melhor caso, deixando-o prontinho para uma eliminação.

Edu: Ok, eu não tinha gostado da apresentação do Tyke, mas nem passou na minha cabeça que ele chegaria aqui. Pra piorar, ele veio com algo que me deu um sono profundo aqui. Sei não…

Luke: Não imaginaria Tyke aqui também, mas era a chance de dar a volta por cima. Contudo, trouxe uma apresentação que não dá muito bem com seu timbre e não foi bem executada. Ficou lá no just ok

Renata: Olha eu cantando a bola antes. Tyke é limitado!

 

Lynnea Moorer – “If I Ain’t Got You”

Bernardo: Assim como na performance anterior, ela foi firme e impressionou do seu jeito. Eu posso não ter amado, mas tenho um mínimo senso crítico de ver e perceber que ela foi muito melhor do que a SandyRedd e o Tyke.

Edu: Lynnea ainda é muito crua, e em alguns momentos bem insegura. Mesmo chegando aqui no Instant Save, ela soube entregar uma performance bacana e satisfatória. Dos três ela é a que tem mais chances de sobreviver mais uma semana na disputa.

Luke: Por ainda estar nos primeiros passos da competição, entendo o fato de Lynnea estar aqui. Contudo, ela mandou muito bem na apresentação. Fez uma song choice que valorizou sua voz e que conseguiu transmitir empatia. Espero que ela passe, pois é a que mais merece nesta noite.

Renata: Deu banho nos outros dois. Não foi perfeito, mas nem compara ao que os outros fizeram. Fora que, amo essa música farofa e vou defendê-la para sempre!

 

 

ELIMINAÇÕES

Bernardo: Que lástima ver um resultado como esse. Na verdade eu não consigo entender bem o porquê a SandyRedd foi eliminada tão cedo. Não escolheu músicas tão populares? Com certeza. Mas mesmo assim, ela ainda tinha muita história para contar e iria nos surpreender muito. Uma pena que sua jornada tenha sido interrompida de uma forma tão boba e abrupta, pois certamente foi sentir falta. Quanto ao Tyke, esse eu digo que já vai tarde.

Edu: Me dói ver SandyRedd saindo, porque ela tinha grandes chances de chegar a final. Infelizmente sua apresentação da semana não foi favorável, sendo inconsistente do começo ao fim. Tyke foi outro espanto de ver eliminado, pois como disse, tinha certeza que ele passaria pra próxima fase. Lynnea teve sorte nas duas noites, mas acho que da próxima semana ela não deve passar. Triste ver SandyRedd fora, enquanto Dave sendo salvo pela América. Começou a patifaria logo na primeira semana!!

Luke: Me entristece ver SandyRedd sair, pois ela ainda tem o que mostrar ao público, mas escolhas são feitas e as consequências vêm através disso. Tyke era esperado, pois não conseguiu trazer bem a essência na segunda canção, apesar de uma primeira apresentação razoável. Lynnea ficando mostra justiça. Gostei de ver sua evolução, entretanto espero que o público entenda que ela tem onde chegar aqui dentro.

Renata: Não me espantei em ver Tyke saindo, porque isso era um desejo que eu já tinha lá atrás. Não via de que forma ele podia entregar mais do que aquilo. Adam começou apostando muito errado. Já SandyRedd bobeou e saiu por besteira, como o Edu disse, ela tinha grandes chances de chegar a final. E eu estava torcendo demais por isso, mas em algum momento ela se perdeu. Infelizmente, cantou pra subir. Lynnea soube fazer sua primeira semana, entretanto vai ter que contar com o desastre dos outros participantes para continuar. 

 

O que acharam dos resultados dessa primeira semana? Venham comentar conosco!

 

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.