Instant Save polêmico marca o Top 10 do The Voice US

the voice top10
Imagem: NBC/Divulgação

Top 10 deu o que falar no The Voice

reality musical está prestes a entrar em seus momentos decisivos, porém essa semana a polêmica comeu solta. Performances que dividiram opiniões, um Instant Save que causou revolta e muito mais.

Vem com a gente!

 

PERFORMANCES

 

Kennedy Holmes – “Me Too”

Bernardo: Eu normalmente não gosto muito dessas apresentações cheias de efeitos e com recursos especiais. No entanto, é assim que o mercado funciona. Por isso, apesar de alguns erros de concepção e de som, a apresentação foi divertida e aceitável. Boa para começar a noite, mas longe extraordinária.

Edu: Está longe de ser a melhor performance de Kennedy, mas eu amei por demais. Temos que lembrar que ela tem apenas 13 anos, e a garota simplesmente veio com algo jovem. Foi uma escolha certeira, apesar de pequenas falhas durante sua execução. Parecia uma verdadeira popstar, e torço muito para que ela tenha um futuro incrível na música.

Luke: Kennedy é uma estrela em ascensão e está aí pra provar mais uma vez. Não foi das melhores apresentações vocais, mas tem um quesito de venda importante para o comércio musical. Isso pode não levá-la a final, entretanto impacta em sua carreira musical fora do show.

Renata: Depois da semana passada é difícil não criar expectativas. Kennedy se saiu muito bem, achei uma performance divertida. É bom ver os outros lados da garota.

 

Reagan Strange – “Cry”

Bernardo: Se não tivesse lido o nome da Reagan e visto-a subir no palco, poderia jurar que era mais uma apresentação insossa da Chevel. No entanto, essa avaliação caiu super bem para Reagan. Ela conseguiu colocar seu toque na performance, mostrou a que veio e trouxe a força que a música pede.

Edu: Amo esse clássico de Faith Hill, e nada chega aos pés à icônica versão de Cassadee Pope na season 3. Entretanto, Reagan não foi feliz em sua escolha. Não sei se foi o nervosismo, mas houveram várias falhas. A garota desafinou, errou o tom mais de uma vez. No ensaio ela se saiu tão bem, uma pena!

Luke: Reagan é um mistério em suas apresentações e, apesar das falhas, eu consegui me envolver com a apresentação. Longe de ser uma das melhores da noite, mas acredito que possamos ver outros erros por aqui hoje.

Renata: Eu me apeguei a Reagan, não sei em que momento isso aconteceu. Deus no comando! Assim… é aquela coisa, dava para ser melhor, mas acredito numa virada.

 

Sarah Grace – “Amazing Grace”

Bernardo: Antes mesmo de assistir ao episódio desta semana, li uma análise no Gold Derby, que faz previsões de premiações e reality shows, afirmando que Sarah Grace tinha se arriscado em apresentar Amazing Grace” nesta semana. Gostei, né? Afinal de contas essa música é um hino da cultura negra do sul dos Estados Unidos e a síntese de sentimentos bons. O problema é que isso faltou aqui, e muito. Eu realmente acredito que a Grace estava tentando cantar The House of the Rising Sun”, imortalizada por Sons of Anarchy, em alguns momentos. 

Edu: Sarah, meu bem, já gostei tanto de você. Sinceramente? Achei tudo um porre, Senhor!

Luke: Foi só eu falar que apareceu um desastre. Realmente não me apeguei a apresentação e ficou muito massante!!

Renata: O que disse de Reagan não se aplica a Sarah.

 

Kymberli Joye – “Oceans (Where Feet May Fail)”

Bernardo: Depois de uma lambança imperdoável com uma música realmente perfeita, sobrou para Kymberli redimir o programa. E foi exatamente isso que ela fez, sem dúvida. A performance foi bem diferente dos tiros da semana passada, mas manteve a leveza e força de sempre. Vida longa para esse talento sensacional da Kymberli.

Edu: Mais uma semana que Kymberli arrasou. Ela veio a princípio de forma mais contida, mas soube evoluir na medida certa. Usando o timing adequado, nada mais justo que a performance como um todo tenha sido tão incrível. Lindo demais, rainha finalista!!

Luke: Eu amo essa canção com todas as forças do meu ser e Kymberli trouxe uma apresentação icônica dela. Sério, já posso definir como minha apresentação preferida da noite, porque foi muito bem executada.

Renata: Eu amo uma mulher, e ela se chama Kymberli Joye. Plena e arrepiando tudo! Sei que ela ainda tem muito o que nos mostrar, e estou ansiosa por isso.

 

Chris Kroeze – “Callin’ Baton Rouge”

Bernardo: Eu não sei o que é, mas há um sério problema dos cantores desta temporada com música sulista. Anteriormente foi a Sarah estragando Amazing Grace”, agora Chris consequentemente mostrando exatamente o que não se faz numa apresentação de Callin’ Baton Rouge”. Assim, quem sabe o resultado final não seria melhor só com aquele violino?

Edu: Chris veio com mais do mesmo para os seus padrões. Mesmo assim, ainda é o meu favorito do team Blake dessa temporada.

Luke: Realmente hoje não tá dos melhores dias e algumas apresentações estão deixando muito a desejar.

Renata: Podia passar sem.

 

Dave Fenley – “When You Say Nothing At All”

Bernardo: É verdade que nem todos os desastres são criados iguais, mas Dave se esforçou muito nessa semana. When You Say Nothing At All” não parece ser uma música extremamente desafiadora, por isso eu realmente esperava (muito mais) dessa apresentação.

Edu: Tchau, bem! Enfim será dessa vez que essa coisa vaza?

Luke: O estilo é muito cruel com os artistas, pois deve ser muito icônico e único para se destacar. Dave vem batendo no mais do mesmo há algumas semanas, portanto…

Renata: Pior que eu gosto do Dave, mas sempre tem aquela impressão de que tem um dele em toda temporada.

 

DeAndre Nico – “That’s What I Like”

Bernardo: Eu concordo com o Edu na observação de que essa música não faz muito meu tipo, mas uma coisa eu tenho que admitir ela tem muito sex appeal, fazendo com que o mesmo se espere do cantor. Infelizmente, não foi o que assistimos aqui, muito pelo contrário. DeAndre mostrou ser quase tão sensual quanto um açougueiro. Melhore!

Edu: Não gosto dessa música, como lidar? Talvez por conta desse fator, a apresentação de DeAndre deixou a desejar, na minha humilde opinião. Nada pessoal, apenas questão de gosto.

Luke: As músicas mais pops de Bruno Mars vem me desagradando nos últimos tempos. Suas baladas sempre trazem melhores momentos à minha mente. Portanto já começo com um pré-conceito gigantesco e o resto não preciso falar, né. Ele é um exímio cantor e artista, mas o estilo não me pega muito!!

Renata: No começo achei que não ornou, mas depois eu já estava curtindo. Podem me julgar, eu gosto do DeAndre mais do que deveria.

 

Chevel Shepherd – “You’re Lookin’ At Country”

Bernardo: E voltamos para a feira estadual! Chevel é ótima, já falei isso inúmeras vezes. Inclusive, acredito que ela será recebida com toda pompa e circunstância, assim que retornar para sua cidade natal, no interior do Novo México. Mas para ela ser recebida como a grande vencedora, o que ela poderia, acredito que precisaria sair da zona de conforto e explorar outros gêneros. Exaltar as raízes é sempre extremamente positivo, mas eu garanto pra vocês: não se vende álbuns e downloads sempre com o mesmo conceito.

Edu: Foi bacana, melhor que muita gente que se apresentou nesta primeira noite. Sem dúvida estou gostando de ver essa evolução de Chevel e, assim como o Bernardo disse semana passada, o legal disso tudo é dela não perder suas raízes. Bravo!

Luke: Eu achei tão curioso quanto meus companheiros aqui de cima. Acho que evolução é um caráter tão importante quanto vocal dentro dessa competição!! Gostei de ver a apresentação e já quero mais de Chevel por aqui.

Renata: Ai não, achei bem sonolento.

 

Kirk Jay – “Tomorrow”

Bernardo: Como é frustrante ver uma apresentação do Kirk. Primeiramente você percebe que tudo está lá: talento, vontade, paixão e qualidade. Mas não transcende. É impressionante como ele não consegue me emocionar, me chamar para a performance e fazer com que eu fique engajado. É uma lástima que isso aconteça, pois eu até me esforço para entrar no ritmo, mas nada.

Edu: Foi ok, gostei essa semana. Primeiramente que piano sempre cai bem, não tem jeito. Como ele é o act pimpado de Blake, inegavelmente vai pra semifinal sem dificuldades.

Luke: Kirk é uma intensa montanha russa para mim, pois há momentos de grandeza e de estagnação. Essa semana eu percebi garra, mas me faltou emoção em alguns momentos, não sei bem o porquê.

Renata: Outro que levo no coraçãozinho. Ai Kirk, faz isso não que eu estou sensível! O apelo emocional que ele tem na voz é forte demais, e é disso que eu gosto.

 

MaKenzie Thomas – “Because You Loved Me”

Bernardo: Aleluia, aleluia, aleluia! Essa semana trouxe alguns altos e baixos, acredito que mais altos felizmente, mas a MaKenzie é uma força da natureza que eu agradeço, e muito, por estar aqui. A força e o poder dessa apresentação mostra exatamente isso. Antes de mais nada, vida longa pra ela nessa competição, uma vez que eu nunca vou conseguir enxergar essa temporada sem sua presença. Glória à Deus, ou melhor, Dolly Parton, por termos MaKenzie aqui.

Edu: PISA MAIS, MAKENZIE!!!! Que performance maravilhosa!!! Eu amo esse hino de Celine, e MaKenzie soube trabalhá-lo com maestria. Kelly me representou totalmente nos instantes finais da apresentação. Foi simplesmente espetacular e estou sem palavras até agora.

Luke: Um clássico, quando bem apresentado, não precisa de palavras e sim de palmas. MaKenzie provando sua grandeza em mais uma semana e merecendo ir direto à final!!

Renata: Um hino é um hino, e cantado por uma diva é que pega pesado. MARAVILHOSA! A qualidade não cai uma semana, e a gente só pode agradecer por tamanha entrega.

 

INSTANT SAVE

 

Dave Fenley – “Amazed”

Bernardo: Já demorou e tomara que seja eliminado o mais rápido possível. Está na hora dos grandes nomes e Dave não é um deles.

Edu: Demorou pra chegar até aqui, hein?! Apenas torcendo pra cair fora, afinal já fez hora extra.

Luke: Como eu disse, o estilo é cruel e deve ser muito bem trabalhado para agradar!! Complicado ver ele aqui, mas é muito mais do mesmo para mim.

Renata: Eu amo essa música e por um momento balançou meu coração. Pena que não apaga a trajetória até aqui.

 

DeAndre Nic – “All Of Me”

Bernardo: Mais um que está fazendo hora extra nessa temporada, numa performance constrangedora e sem qualquer sex appeal. “All Of Me” foi a mesma situação, entretanto num nível pior. E me esclareçam uma coisa – quem pensou que John Legend num Instant Save, seria uma boa escolha? Seja quem for, deveria ser eliminado junto com o DeAndre.

Edu: Triste ver DeAndre aqui novamente, mas faz parte do jogo. Ele veio com uma performance redonda, com uma song choice perfeita para segurá-lo talvez por mais uma semana. John Legend ainda nem entrou no programa, e já está fazendo escola.

Luke: Do pop à balada em menos de dois segundos e ainda assim não foi suficiente. Complicado vê-lo nessa situação, mas pelo menos a América está votando consciente… pelo visto.

Renata: Mais uma semana inconformada com DeAndre aqui. Mas amore, cantou Johnzinho, levou.

 

ELIMINAÇÕES

Bernardo: Muito bem, vamos respirar fundo e tentar entender o que aconteceu aqui, porque é realmente demais. O Adam foi, justamente, crucificado pela lambança feita aqui e justamente. Mas ele não foi o único a protagonizar um dos momentos mais embaraçosos da televisão neste ano, como também a produção. Quem teve a brilhante ideia de colocar Reagan num roupão nos bastidores? Primeiramente, pra começo de conversa, por que ela estava lá?

É claro que o voto popular é soberano (hmm), mas fica uma sensação muito estranha ver alguém recebendo uma segunda chance, consequentemente sem ter tido a oportunidade de lutar por ela. Sempre busquei razões para questionar o porquê o The Voice continua vencendo o Emmy de Melhor Reality Show (Project Runway continua sendo extremamente superior). Quanto ao Sr. Levine: isso mostra, mais uma vez, como ele está ficando saturado à frente desse programa por sete anos. Eu queria sim, ver Dave e DeAndre eliminados, mas não desse jeito. Afinal de contas, todos estão ali para mostrar seu melhor e tentar ganhar a vida com a sua arte. Humilhação em rede nacional faz parte, mas não dessa forma.

Edu: Vamos lá, Reagan foi uma das piores da noite anterior. Entretanto, pelo fato dela ter ficado doente e sem condições de subir ao palco, eu acho que a garota nem deveria ter sido considerada para o Instant Save. Essa é uma questão bem polêmica, que acompanhando um grupo que faço parte do programa, muitos protestaram contra Reagan. Vamos lá, se ela não tinha condições de disputar o bottom, nada mais justo que o mesmo fosse apenas entre DeAndre e Dave. Aí então nove iriam para a semifinal, como já aconteceu uma vez na season 9. Essa turminha metida a phd em The Voice precisa aprender uma coisa chamada empatia, mas primeiramente humildade, claro.

Posteriormente, outra coisa que me incomodou foi Adam, que simplesmente enalteceu Reagan, entretanto esqueceu que DeAndre também estava na berlinda. Coube a Kelly fazer a vez do coach do rapaz, sendo que nem era sua obrigação isso. DeAndre saiu com a diferença de apenas 1% em relação a Reagan, e talvez a saída da garota seria mesmo justa nessas circunstâncias? Se tivessem feito o IS apenas com dois, e a semi com um candidato a mais, DeAndre não teria saído. Enfim, pelo menos Dave finalmente saiu, glória a Deus. Que venha mais uma semifinal sangrenta!

Luke: Foi só eu começar a elogiar a América, que inesperadamente me aparece um papelão desses. Sério, não faz sentido algum o que aconteceu por aqui. Antes de mais nada, achei uma pouca vergonha com os fãs e com a imagem da produção. Por mais que não tenha gostado tanto das apresentações do IS, não seria justo considerar alguém que não se apresentou. A batalha deveria ser entre os dois competidores, com uma saída. Injusto sim, mas não ficou despercebido.

Renata: Também não entendi como Reagan foi colocada nesse meio. Mas, se é pra falar de injustiça, a gente fala do americano mesmo. Nunca vi votar tão errado em reality. Para mim,a única coisa certa aqui foi Dave no IS. Pelo menos isso pra gente esquecer um pouco que ele levou DeAndre junto. Não acho que era a hora dele, de forma alguma. O que me conforta é que a briga na semifinal vai ser pesada. Ainda não tenho favorito, então que vença o melhor!

O que acharam das eliminações e de toda polêmica dessa semana? Que venha a semifinal do massacre!!

About Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.