Young Sheldon não é só melhor que Big Bang: é mais engraçado também

Imagem: CBS/Divulgação

A comédia é uma forma de arte mais subjetiva do que a maioria. Se alguém diz: “Não é engraçado“, você não pode convencê-los a rir. Claro, você pode explicar por que a piada, o bit ou o momento são engraçados, mas com que frequência deve-se explicar uma piada que leva mais risadas do que a piada em si?

É por isso que as pessoas muitas vezes usam o sucesso como prova de validação cômica: se “Animal House”, “The 40-Year-Old Virgin”, “MASH”, e “Friends” estão trazendo mais e mais fãs ao longo de anos e anos, eles provavelmente são muito engraçados, certo? Bem, talvez.

Mas podemos argumentar contra a sabedoria da multidão, e Young Sheldon está convidando todos para essa rebelião. O spin-off da CBS não é apenas melhor do que The Big Bang Theory, e mesmo tendo menos piadas e um tom mais aterrado, também é muito mais engraçado.

Porém, vamos deixar claros: The Big Bang Theory é um pedaço particularmente divisivo da comédia mainstream. Só que com a longa duração da comédia, há queixas sobre o esteriótipo geek – e o isolamento de muitos assuntos deste universo, além de risadas forçadas e retratos problemáticos de pessoas complicadas.

Mas as pessoas adoram. A audiência permanece enorme. Mas os espectadores parecem adorar também, cada vez mais, seu prequel. Em termos de audiência, Young Sheldon teve uma estréia no monstro em horário diferenciado, e continua indo bem nas quintas feiras – dando sequência a TBBT.

Mais pessoas precisam conhecer Young Sheldon… 

A única questão: Young Sheldon merece ter mais do que apenas fãs de The Big Bang Theory. Enquanto criado por Lorre e o produtor de longa data de Big Bang, Steven Molaro, a série de câmera única está se desenvolvendo sem muito buzz. Estatisticamente, está longe da série original. E por isso destaco que mesmo aqueles que odeiam a versão mais antiga de Sheldon Cooper podem gostar da história de sua infância. E é esse público que ela ainda precisa conquistar.

A série não está em competição – eles são destinados a alimentar o interesse uns dos outros – mas depois de examinar os episódios das temporadas atuais, é um pouco surpreendente que a expansão da franquia esteja funcionando, concluindo que:

1 – Young Sheldon é tão diferente da sua “série mãe”, que chega ser surpreendente a quantidade de fãs de The Big Bang Theory que estão “comprando a ideia” do prequel.

2 – Ainda mais surpreendente: a série que é mais pesada, mais emocionalmente ressonante entre as duas também é a opção mais divertida.

Explicando este último ponto, The Big Bang Theory tem mais piadas: ninguém pode contestar isso, mesmo que você elimine as “piadas” acima mencionadas, que não possuem graça. Mas as piadas em Young Sheldon são mais fortes, mais limpas e mais fundamentadas nos ritmos emocionais da cena.

Humor natural!

Acontece que em The Big Bang Theory a audiência parece rir de “qualquer besteira”, ou de cenas que não fazem tanto sentido para história. Em Young Sheldon, o humor tem soado natural, e isso acaba tornando o seu maior atrativo. O público não precisa de um “clique” para achar graça. Ela se faz necessária quando é necessária.

Não é um choque que Young Sheldon coloca o desenvolvimento em primeiro lugar; que sua prioridade é construir Sheldon como personagem. Afinal, é por isso que as pessoas estão assistindo. Mas a série incorpora, consistentemente, o humor em situações semelhantes e fazem isso sem sacrificar nada. O público pode até sentir que está rindo menos em Young Sheldon, porque não há ritmo que os leva a reconhecer “piadas” – função das plateia, mas a série se torna, no entanto, uma experiência mais divertida.

Young Sheldon não foi explorada como devida no seu primeiro episódio. Não houve um ponto tão melancólico e significativo, nem o resto dos personagens foram aprofundados. Mas em episódios subsequentes, consegue alcançar um equilíbrio mais forte entre comédia e drama – e ultrapassa a série original de maneira mais inesperada.

O spin-off soa inteligente, de forma natural. The Big Bang Theory soa-se inteligente por necessidade de humor. E, talvez, este seja o grande diferencial.

O conselho é: se você já é fã de The Big Bang Theory, e não assiste, dê uma chance. E se você não é fã de The Big Bang Theory, eis sua oportunidade de se envolver com este universo. Pois Young Sheldon é um convite para apreciarmos um dos humores mais refinados e convidativos da TV atual.

Informações via Indiewire

About Anderson Narciso

Anderson Narciso
Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.
  • Sydney B.O.

    Ótima série! Todos personagens são incríveis, com destaque para Missy (espertinha), a avó do Sheldon (coroa ácida nos comentários), Georgie Jr. (tapado) e é claro o Sheldon (inteligente e docilmente arrogante), são todos muitos engraçados.

  • melhor do que TBBT ? Na boa, vai pentear macaco !!! A série é boazinha mas nao supera a principal.