1×04 de Peacemaker focou no passado de Smith

Enquanto lidam com as consequências da luta contra as borboletas, Peacemaker precisa lidar com algumas feridas do passado.

Peacemaker
Continua após publicidade

Peacemaker retornou para seu quarto episódio focando bem mais em alguns personagens e em seu desenvolvimento do que na história da trama principal. Mesmo assim, a série deixa no ar algo muito importante.

Continua após publicidade

Vale reafirmar que a produção manteve seu ritmo, intercalando os problemas pessoais de Smith e o trabalho de eliminar agora o conhecido vilão, as borboletas, mas sem tanta ação. Enquanto se recuperam da luta contra as borboletas no último episódio, é necessário lidar com um refém em coma, Judomaster.

Murn questiona se Peacemaker ainda é o cara para fazer o trabalho, já que ele hesitou em matar a família de borboletas.
Ele se esconde atrás da história que falta a gravação da pomba nas suas armas, mas isso é balela e Murn sabe. Logo após, ele diz realmente que não irá seguir ordens e matar crianças só porque ele disse para fazer.

Continua após publicidade
Continua após publicidade

A equipe ganha mais um membro

Ver o próprio Peacemaker questionar a sanidade do Vigilante é muito cômico, afinal, ele mesmo equipara-se ao amigo. O próprio diálogo com Murn confirma isso, quando ele sai totalmente do assunto e diz para ele não se distrair. Aqui mostra que realmente lhe falta alguns parafusos.

Leia também: Peacemaker revela vilão e faz Liga da Justiça parecer terrível

No caminho para a casa de seu pai, para pegar mais alguns capacetes que o ajudarão na missão, uma briguinha digna de crianças tem início entre Peacemaker e o Vigilante. Então, para depender da maturidade de ambos, Murn precisará ser mais babá do que chefe. Aqui é revelado mais um motivo pelo qual pode se ter uma noção de como foi a criação de Peacemaker. Seu pai é um super vilão, o Dragão Branco, que além de tudo é um supremacista racial.

Continua após publicidade
Peacemaker
DIVULGAÇÃO

Sobra até para o Morcegão

Batman é o melhor herói, de acordo com o rabugento vizinho de seu pai, e Peacemaker não é um herói porque heróis não matam seus inimigos. Aquele típico vizinho fofoqueiro é muito bem retratado com esse desbocado senhor, que tira Peacemaker do sério e faz com que ele chame o Morcegão de maricas.

Continua após publicidade

De acordo com Smith, e com certa razão, isso só gera cada vez mais inocentes mortos, pois toda vez os vilões escapam e fazem mais vítimas. E é quando descobre que seu pai está preso e decide ir visitá-lo, enquanto a equipe precisa fazer ele desistir dessa ideia.

Continua após publicidade

Auggie não deve ser solto, pois isso irá atrapalhar os planos da equipe.

Continua após publicidade
Peacemaker
DIVULGAÇÃO

O passado de Smith em Peacemaker

Por outro lado, temos alguns flashbacks da infância de Peacemaker, e as peças se encaixam de como ele é essa ambiguidade em pessoa. Ele foi criado por um vilão que além de tudo é racista. A série mostra que o pai não tem papas na língua para tratar de certos assuntos.

Continua após publicidade

Leia também: Fãs de Pacificador não param de falar da abertura 

Ao viver em um lar totalmente abusivo, ser criado por um pai que apenas o usa como ferramenta, e descobrir que ele tinha um irmão que morreu de forma até agora misteriosa, mostra o porquê do personagem ter toda essa índole dúbia que é apresentada.

Matar para manter a paz, diferente de heróis que possuem um código de moral e ética, entretanto, é isso que nos cativa nele. A morte de Rick Flag ainda pesa pelas palavras ditas, o homem da paz é um assassino.

Peacemaker
DIVULGAÇÃO

Adebayo é o destaque em Peacemaker

Neste episodio de Peacemaker, a personagem ganha espaço e se mostra muito útil à equipe como eximia manipuladora. Adebayo induz o vigilante e embute em seus miolos totalmente moles que a maior culpa de tudo que Peacemaker sofre é do seu abusador pai.

Dessa maneira, ele entra na prisão para assassinar o pai de Smith. Entretanto, não é o que acontece, devido à paranoia de Auggie, que não entra na briga com ele. Seu plano genial acaba quando a equipe o retira da prisão antes que o pior aconteça.

Quando Judomaster foge, Peacemaker vai atrás dele para a revanche. Adebayo novamente interfere e atira nele justo quando ele iria falar sobre as borboletas. O que impede uma importante revelação.

Ela não é apenas uma ingênua novata e, sendo filha de quem é (Amanda Waller), não é de se esperar menos.

Peacemaker
DIVULGAÇÃO

Tom melancólico

Quando o ritmo da série desacelera, Peacemaker procura Harcourt para saber mais sobre o que todos sabem de seu passado. Ao retornar para sua casa, é mostrado que ele tem uma borboleta consigo, o que nos leva as perguntas: qual o motivo disso e que desdobramentos isso trará?

A fragmentação entre um exímio assassino e às vezes uma mentalidade infantil são reflexos diretos do seu passado. E, em mais uma dança que seria hilária, o tom desce para o melancólico e de tristeza, quando relembra a morte de seu irmão.

Em suma, um episódio que traz muito menos ação e comédia, que foca no drama do personagem principal e em tudo o que o afeta diretamente. Finalmente algo que choca aparece nos últimos instantes do episódio, Murn é uma borboleta!

As coisas vão realmente esquentar…

Nota: 4/5

Séries sempre fizeram parte da minha vida e hoje me orgulho em poder escrever cobre elas.