5 razões para assistir Elite, série da Netflix

Série tornou-se um fenômeno global

Se você está procurando uma nova série para ficar obcecado, não procure mais, pois “Elite” da Netflix está aqui. O drama adolescente da gigante de Streaming é criado pelos principais escritores espanhóis da TV – Carlos Montero e Darío Madrona. A história segue três estudantes (Samuel, Nadia e Christian) com origem de baixa renda que recebem uma bolsa para estudar em uma escola exclusiva e de elite, Las Encinas. Enquanto os três tentam se encaixar com seus colegas ricos, ocorre um turbilhão de confrontos que levam a um assassinato misterioso.

Mesmo que o enredo pareça um pouco familiar – muitas pessoas não podem deixar de comparar a série com os clássicos adolescentes como “Gossip Girl” e “Riverdale” -, na verdade, a série tem ótimos insights e aborda temas importantes para a sociedade.

Confira 5 razões pelas quais você precisa assistir Elite.

O drama tem uma forma de narrativa envolvente

Algo que prende o público do início ao fim é a forma em que a narrativa de Elite se desenvolve. Existe o tempo presente, em que um detetive investiga o assassinato de Marina (María Pedraza), mas também há flashs que voltam aos meses que antecederam o seu ataque. Além disso, a história de cada personagem é explorada. Dois destaques são a garota muçulmana inteligente e ambiciosa Nadia (Mina El Hammani) e o garoto rico com um coração de ouro Guzmán (Miguel Bernardeau). A vida pessoal dos personagens é tão interessante que você quase esquece que um deles pode ser o culpado.

Elite explora destemidamente a sexualidade, dando profundidade a essas tramas

Um dos grandes diferenciais de Elite é que a série aborda a sexualidade em suas diversas formas. Existem algumas histórias românticas na série – com intensas cenas de sexo para acompanhá-las – e cada uma delas explora o amor de maneiras diferenciadas. Ander (interpretado por Arón Piper) e Omar (Omar Ayuso), por exemplo, se amam mas precisam esconder devido ao relacionamento com seu pai, um muçulmano tradicionalista. Há também o caso de Carla e Polo, interpretada por Álvaro Rico, dois filhos ricos que estão juntos desde o ensino médio e são praticamente casados. Quando eles tentam apimentar as coisas com um dos novos estudantes – Christian (Miguel Herrán), os três se envolvem em um relacionamento poliamoroso.

Alunos do Las Encinas se aventuram nos mais diversos dramas. Imagem: Netflix/Divulgação.

A série trata de tópicos como DST de maneira informativa

Antes da morte chocante de Marina, ela era a garota rica de espírito livre que aceitava mais os recém-chegados do que sua família e irmão de classe alta, Guzmán. Mas Marina também tinha um segredo que mais tarde revelou a todos: ela era HIV positiva, mas era indetectável e, portanto, o vírus não era transmissível.

Embora ela lute com essa parte de sua vida no começo da série, é admirável ver como ela se responsabiliza mais tarde por seu diagnóstico. Sua personagem também ajuda a educar os espectadores de que qualquer pessoa, independentemente de sua sexualidade ou status financeiro, pode portar e transmitir a doença.

Elite aborda outro tópico importante: a masculinidade tóxica

Assim que somos apresentados a Guzmán, sabemos que ele não é apenas o garoto mais popular da escola, mas também o mais severo dos novos “forasteiros”. Ele representa as características típicas de um vilão privilegiado: controlador, manipulador e violento. Mas à medida que o programa avança, começamos a ver mais camadas de Guzmán. Ele é incrivelmente protetor com sua família e irmã Marina, ele se preocupa com os amigos e acaba se apaixonando pela garota que ele queria humilhar.

Isso ajuda Miguel Migueleau a apresentar um desempenho excepcional do papel que dá ao típico bandido humanizante qualidades que poucos vilões de programas de TV fazem.

Elite também mostra como o classismo, o racismo, a xenofobia e a homofobia estão presentes em todas as culturas.

Os adolescentes não apenas tentam descobrir quem são enquanto navegam no ensino médio, mas também precisam lidar com preconceitos e expectativas pré-concebidos. Um dos momentos mais poderosos da série é quando Nadia defende o uso do hijab, conjunto de vestimentas preconizado pela doutrina islâmica, depois que o diretor da escola diz que ela corre o risco de ser expulsa se continuar usando. Embora Nadia obedeça e a tire durante o horário escolar, ela ainda a usa ao longo da série e explica como é importante para ela.

Trama de Nádia é uma das mais interessantes em Elite. Imagem: Netflix/Divulgação.

E então, animados para assistirem Elite? A série possui duas temporadas disponíveis na Netflix, e já tem uma terceira encomendada.

Tags Elite
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours