5 Razões que fazem de Criminal Minds a melhor série procedural da TV

Imagem: CBS/Divulgação

Se você nunca assistiu a Criminal Minds na vida, sugiro que você assista. A série é exibida regularmente no Brasil pelo AXN e, recentemente, se tornou a mais assistida por aqui na TV a cabo. Fora que há milhares de reprises pela quantidade gigante de episódios já produzidos.

Há muitas razões que fazem da série uma das melhores do gênero procedural – aquele de “caso da semana” – mas resolvemos listar hoje 5 razões que nos fazem a amar muito.

A fórmula é bem legal.

A série é baseada em uma unidade real do FBI. A Unidade de Análise de Comportamento realmente usa muitas das técnicas que são vistas no programa. A mistura de realidade e fantasia é uma das muitas coisas que tornam Criminal Minds uma ótima série de se assistir. Obviamente, o show dramatiza certos aspectos da unidade da vida real, mas ainda é emocionante perceber que existem profissionais que traçam perfis reais no mundo. Esse profissional, em si, também é realmente intrigante. Somente ele pode prever coisas aparentemente insignificantes sobre um assassino, possuindo um trabalho realmente muito específico, o que torna bastante interessante.

Continua após a publicidade

As brincadeiras de Garcia e Morgan.

Em Criminal Minds, Garcia é o analista técnico da Unidade de Análise do Comportamento do FBI. Ela é um personagem muito original. Ela é uma nerd, mas não de maneira estereotipada. Ela é imensamente confiante e usa as suas roupas loucas com orgulho. E um dos maiores aspectos da série são as brincadeiras entre Morgan e Garcia. É um alívio cômico frente a um ambiente sombrio e corajoso. Infelizmente, Morgan saiu na última temporada, mas Garcia nunca perdeu a inteligência. Seu humor continua bem presente, pegando inclusive no pé de Luke Alvez que é um dos membros mais novos da equipe. Ele foi apelidado de “novato” por Garcia.

Os assassinos mais loucos…

Criminal Minds tem momentos horríveis. Nem sempre estamos aprendendo a observar habilidades de perfil ou estamos ouvindo o conhecimento de Garcia. A trama principal acompanha uma equipe do FBI que captura assassinos em série, o que significa que nos deparamos com alguns assassinos bastante assustadores. Esses assassinos, ou como o show os chama, “unsubs”, já fizeram de tudo. De pintura com o sangue até a necrofilia, Criminal Minds não se afasta das mentes perturbadoras dos assassinos. Na verdade, eles fazem exatamente o oposto. Eles entram nas mentes desses assassinos, preveem seu comportamento e usam o comportamento para alcançá-los. A série não poderia ter um nome mais apropriado.

Personagens femininos fortes.

Os personagens femininos são diferentes e são todos fortes em seus próprios modos. Emily Prentiss é uma mulher independente que passou sua vida construindo sua carreira. Ela era uma espiã antes de entrar no BAU, e em um momento a atriz deixou a série. Enquanto a atriz estava fora, seu personagem foi a chefe de unidade da INTERPOL em Londres. Ela é um exemplo típico de uma mulher forte, e muitos podem se relacionar. JJ é outra personagem feminina forte. Ela não parece tirar sua força tanto de sua carreira, mas de sua proteção inata. Ela é muito protetora de seu filho, o que se reflete em sua personagem. Ela vê as vítimas dos assassinos como pessoas que ela precisa proteger e faz tudo o que estiver ao seu alcance para protegê-las. Para não mencionar, essas duas mulheres possuem habilidades de luta insanas. Garcia também é uma personagem feminina forte. Ela não é forte quando se trata de uma briga física, mas colocou-a atrás de uma tela de computador, e ela será uma parte vital do caso.

O adorável nerd Dr. Reid.

Dr. Reid é meu personagem masculino favorito na série. Ele é um nerd, mas de uma maneira muito amável. Há piadas sobre o quão irritante sua fala longa pode ser, mas seu personagem nunca é representado como apenas irritante. Há profundidade para o personagem que muitos personagens nerds não conseguem. Ele passa por teste e erro exatamente como os outros personagens do programa. A série não o trata como um robô, e não o transformou em um personagem excessivamente confiante e arrogante. Ele passa por situações dolorosas como ter uma mãe com esquizofrenia e um pai ausente ao crescer. Os escritores conseguiram torná-lo anormalmente inteligente, enquanto ainda o fazia humano.

Todo nosso amor por Criminal Minds

Via The Odissey

 

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

No comments

Add yours