A maior franquia Sci-Fi já tem mais de duas décadas!

Um dos xodós dos fãs de ficção científica é a franquia Stargate que ainda não foi desbancada do seu trono de Série Sci-Fi com maior duração nas telinhas. E isso que eu estou falando só de Stargate SG-1 que teve 214 episódios em 10 temporadas, porque ainda temos Atlantis e Universe, sem contar com os filmes. Já de começo tenho que agradecer ao meu amigo Lucas Mezzomo, sem ele jamais teria topado com essa série, e sem ela, talvez não tivesse pegado o gosto pelas Sci-Fi.

Stargate SG-1

Fonte: Arquivo Pessoal.

Começando por Stargate SG-1, que foi baseado no filme Stargate (1994), podemos dizer que é uma grande aventura interestelar e porque não intergaláctica? A série criada por Brad Wright e Jonathan Glassner começou em julho de 1997 e terminou em maio de 2007. No boom de séries da atualidade o enredo não teria chance nem por três temporadas porque sabemos que as Sci-Fi não estão em alta. Mas na época, Firefly, Battlestar Galáctica e depois Sanctuary deram chão quase firme para esse tipo fantástico de história. SG-1 começou na Showtime e na sexta temporada foi pra casa Syfy.

Com um objetivo simples, porém ambicioso, a equipe “militar” SG-1 composta por Jack O’Neill, – o único real militar, Daniel Jackson, – o egiptólogo, Sam Carter, – a astrofísica e Teal’c, – o alien – nos leva para todos os cantos do Universo através de um portal encontrado pela equipe no filme que antecede a série. Tudo se baseia do fato de que as pirâmides do Egito eram pista de pouso para seres de outros planetas e galáxias. Eles fugiram, mas deixaram o portal. Termos como buraco de minhoca, buraco negro e viagem no tempo se tornam comuns. Com o portal a salvo do Stargate Command (SGC) a equipe faz infinitas combinações e discam o anel (como aqueles telefones antigos) para formar uma conexão espacial com outros portais espalhados pelo Universo. Chamando a atenção como todo terráqueo parece adorar, eles acabam precisando defender a Terra de muitas a ameaças como os Goa’uld (nojentos), Replicators (esses eram chatos pra caramba) e os Ori, outros chatos.

Continua após a publicidade

Depois, lá na nona e décima temporada eles acabam descobrindo que esse network formado pelos portais foi construído pelos Antigos/Anciões (Ancients), uma raça que deixou um legado imenso de estudos antes de ascender para outra dimensão e não atrapalhar as outras raças (YEAH, pega essa mundo, e vocês acharam Interstellar legal né). Eu gostaria de falar tudo de bom dessa série, mas 10 temporadas fica difícil entende? Então partirei para os spin-offs! Mas antes, um vídeo de uma cena inesquecível da série, a equipe presa na nave Odyssey em uma dilatação de tempo, protegendo o conhecimento humano dos Ori:

 

[youtube] https://youtu.be/hQAXnJaaepU [/youtube]

 

Um dos melhores plots da história foi o encontro de Atlantis, a cidade perdida, que emoção. Foi daí que surgiu o spin-off Stargate Atlantis (SGA), estrelando o Jason Momoa como Ronon Dex, membro da equipe Atlantis junto com John Sheppard – o militar, Rodney McKay – o cientista e Teyla – da Galáxia Pégasus. Introduzida na sétima temporada de SG-1 (episódio Lost City), Atlantis foi descoberta após uma expedição a Antártica, posto avançado dos “Antigos” – os perfeitos, os supremos, donos da verdade. A história se desenvolve quando a equipe de Atlantis tem que derrotar os Espectros (Wraith), que dizimaram a raça dos Antigos anos atrás (anos, a.k.a 10 mil anos). A cidade tecnologicamente avançada fugiu da nossa Galáxia (sim a cidade voa) para Pégasus devido a uma praga, e lá encontraram os inimigos chamados Espectros.

Stargate-atlantis

Fonte: Arquivo Pessoal.

Os Antigos foram forçados a submergir a cidade para preservar o conhecimento do povo e assim surgiu a lenda grega da cidade perdida de Atlantis. De 2004 a 2009 Atlantis nos entreteve com muitas histórias fantásticas. Cancelada após cinco temporadas – uma pena, o filme para encerramento foi cancelado também. Vocês precisam ver essa cena fantástica da cidade emergindo das profundezas quando o escudo de defesa falha (uma vibe Castelo Rá-tim-bum):

 

[youtube] https://youtu.be/s-zEvdCdAUY [/youtube]

 

E por fim Stargate Universe (SGU), confesso, não vi ela toda. Mas o plot basicamente é: Uma equipe fica ilhada em uma nave após sua base ser descoberta. Entre soldados e civis a depressão de ficarem sós na nave sem poder retornar revela quem é mocinho e quem é vilão. A nave Destiny não fez muito sucesso e esse spin-off teve somente duas temporadas pela Syfy.

Quanto aos filmes, Stargate: A Arca da Verdade pega o final de SG-1 e Stargate: Continuum acontece em uma timeline alternativa, onde o time deve voltar ao passado para manter a história como ela é. As abordagens mitológicas, gregas, egípcias, nórdicas, deixam tudo mais interessante juntamente com o bla bla bla físico que as vezes é difícil de entender. Mesmo assim posso dizer que, o que eu gosto de física, acho que veio de Stargate que nos deixa viajando com as possibilidades do Universo. Uma série que vai ficar na memória e merece ser lembrada. Quer uma maratona inteligente? Escolha STARGATE!

Tags Stargate
Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours